segunda-feira, 23 de outubro de 2006

Getúlio Macedo

Getúlio -Cinelândia - Rio de Janeiro
Getúlio Macedo (Getúlio Benício), compositor e produtor, nasceu em 13/11/1922 na cidade de Sabino Pessoa - ES. Em 1938 mudou-se para o Rio de Janeiro e em 1942, ingressou na UBC, da qual ocupou entre outros, o cargo de conselheiro.

Com um repertório predominantemente romântico, compôs boleros, samba-canção, fox, mambo, samba e rumba. Um de seus principais parceiros foi Lourival Faissal, com quem compôs mais de vinte músicas. Entre outras, o bolero Covarde, o mambo A louca, o bolero Intenção, o ragtime Ano novo, ano bom e a marcha Nosso Natal.

Entre seus intérpretes estão Emilinha Borba, Marlene, Gilda de Barros, Alzirinha Camargo, Ângela Maria, Carlos Galhardo, Adelaide Chiozzo e Ellen de Lima, entre outros.

Em 1952, Carlos Galhardo gravou na RCA Victor a valsa Mãezinha querida, pioneira nas homenagens às mães e que se tornou um clássico do cancioneiro popular e que vendeu cerca de 6 milhões de cópias ao longo dos anos com diferentes intérpretes.

No mesmo ano, Linda Batista gravou também na RCA o samba-canção Divórcio, parceria com Lourival Faissal. Ainda neste ano, Chiquinho do Acordeom   grava o mambo Mambo Caçula  (com  Bené Alexandre)  e o choro Rua do Passeio.

Em 1953, Fafá Lemos gravou pela RCA o baião ABC do amor, parceria com Augusto Alexandre, Gilberto Milfont gravou o samba-canção Confissão e Francisco Carlos o samba-canção Primeiro amor e o samba A saudade eu vou levar, os três da parceria com Lourival Faissal. No mesmo ano, Carlos Galhardo gravou a valsa Tanta mentira parceria com Mário Lago e Emilinha Borba e Trio Madrigal gravaram o mambo É o maior, parceria com Bené Alexandre.

Em 1954, Orlando Melo gravou pela Odeon, de sua parceria com Lourival Faissal, a toada A canção do Jerônimo, abertura da famosa novela de rádio "Jerônimo, o herói do sertão" e o baião Apanha flor, sá Nanci. No mesmo ano Nelson Gonçalves gravou na RCA Victor o samba-canção Como eu previa, parceria com Lourival Faissal.

Em 1955, Jorge Veiga gravou de sua parceria com Lourival Faissal o Hino da torcida do Flamengo e Chiquinho do Acordeom o bolero Horas íntimas, parceria com Oscar Maneck. Em 1956, o Trio Itapoan gravou o beguine Praia Vermelha, com Lourival Faissal, Hélio Chaves gravou na Mocambo o samba Este é o samba, parceria com Almeida Batista e Gilberto Milfont na Continental o fox trot Até a lua se escondeu.

Em 1957, Cauby Peixoto gravou o samba-canção Onde ela mora, com Lourival Faissal, e o bolero O louco. No mesmo ano, Adelaide Chiozzo gravou a marcha Tua companhia e os Vocalistas Modernos o bolero Covarde, ambos com Lourival Faissal.

Em 1958, Emilinha Borba gravou na Continental Botões de laranjeira, parceria com Lourival Faissal. Ângela Maria pela Copacabana gravou o samba-canção Voltei, parceria com Irani de Oliveira e Gilda de Barros pela Sinter o fox Trágica mentira, parceria com Ilza Silveira.

Em 1959, Os Cariocas gravaram pela Columbia o Cha cha cha baiano e Agnaldo Rayol regravou na Copacabana o bolero Trágica mentira. Em 1960, Carlos Galhardo gravou pela RCA Victor o samba-canção Presença viva do amor, com Lourival Faissal, e o Trio Nagô gravou também na RCA o samba Meu apelo, parceria com Irani de Oliveira.

No mesmo ano, o palhaço de circo Carequinha gravou na Copacabana o fox É mamãe, parceria com Irani de Oliveira. Em 1961, Leo romano gravou na Odeon o bolero Aliança. No mesmo ano produziu e compôs com Hamilton Sbarra as músicas para o disco Carequinha no Parque Xangai, que foi um grande sucesso.

Em 1962, Ellen de Lima gravou na RCA Victor o samba-canção Meu amor lhe acompanhará e Carlos Galhardo o bolero Tu e eu, parceria com Irani de Oliveira. Em 1963, Dalva de Andrade gravou na odeon o bolero Cigana.

Teve mais de 50 composições gravadas. Atuou durante trinta anos como produtor e diretor de televisão, tendo trabalhado nas TVs Tupi, Excelsior e Globo. Compôs vinhetas e jingles. Compôs cerca de 400 músicas.

Algumas músicas

A canção do Jerônimo
Aliança
Covarde
Intenção
Mãezinha querida
Mambo Caçula
Rua do Passeio

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB.
Postar um comentário