sábado, 22 de abril de 2006

Carneirinho

Francisco Alves
Carneirinho (marcha/cantiga, 1934) - Antônio Nássara

Disco 78 rpm / Título: Carneirinho / Autoria: Nássara, 1910-1996 (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Diabos do Céu (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1934 / Nº Álbum 33786 / Gênero: Marcha


Carneirinho, carneirão / Sobe tudo que é balão
Ai meu São João / Vem caindo a saudade
Dentro do meu coração

Quando a noite do céu vem descendo

Traz consigo a saudade e a ilusão
Numa prece de amor revivendo
Acendem-se as luzes do meu São João

Coração é capela de sonho
Onde o amor vive sempre a rezar
Eu vivia contente e risonho
Num sonho constante e feliz de te amar

Caco velho

Orlando Silva
Caco velho (samba-canção, 1934) - Ary Barroso - Intérprete: Orlando Silva - Álbum: A Voz de Orlando Silva - Discos Marcus Pereira


-----C ---------Db°------------ G7
Reside no subúrbio do Encantado
--------------E7------ Am-- Am/G
Num barracão abandonado
-----------D/Gb-------- G7 --Db° --Dm7 --G7
João de tal, cabra falado.
------C ---------D7-------- G
Dizem que viveu fora da lei,
----------Em
Foi um rei
------------------------A7
Que zombava da morte
-------D7------------ G7
E tinha um santo forte
----------------------C7
No meio da gente bamba
-------------------------------F
O seu prazer era tirar um samba
------Fm----------- C
Pulava, dava rasteira
------A7----- Dm------- G7----- C-- Bb7--- A7
Topava briga de qualquer maneira


--------Dm--- Dm/C -------C ----G7
Mas hoje--------- é um caco velho
------------------C
Que não vale nada
0--------------Bb7 ----------A7 -----------Dm
Tem a cabeça branca e a pele encarquilhada
-----------Fm------- G7----- C
Faz até pena ver o seu estado.
-----Bb7----- A7
Pobre coitado
------------Dm
A vida é essa,
-------------Eb° --------------------C
É um segundo que se esvai depressa.
--------------Bb7------A7-------- Dm
Todos nós temos o nosso momento
--------------G7 --------------C Ab C
E, depois dele, só o esquecimento ...

Alô, alô

Alô, alô (samba, 1934) - André Filho

Disco 78 rpm / Título da música: Alô... alô?... / Autoria: André Filho (Compositor) / Carmen Miranda, 1909-1955 (Intérprete) / Mário Reis (Intérprete) / Regional (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: RCA Victor, 1933 / Nº Álbum 340013 / Lado A / Gênero musical: Samba


---------G
Alô... Alô? Responde
--------------------------G/B-- -Bbº-- D7/A
Se gostas mesmo de mim de ver....dade
----------D7
Alô... Alô? Responde
--------------------------------G
Responde com toda sinceridade

----------------D7/A
Tu não respondes
--------------------------G
E o meu coração em lágrimas
------Bbº-- D7/A
Desesperado
-----------------------G
Vai dizendo: Alô... Alô?
---------------D7
Ai, se eu tivesse
---------------------G-------- G/B
A certeza desse teu amor
------Bbº--- D7/A
A minha vida
-----------------------G
Seria um rosal em flor (responde então)

----------D7/A
Alô... Alô?
-------------------------G
Continuas a não responder
-------Bbº--- D7/A
E o tele...fone
--------------------------G
Cada vez chamando mais
---------------D7
É sempre assim
---------------------G-------------- G/B
Não consigo ligação, meu bem
------Bbº--- D7/A
Indife...rente
-------------------------------G
Não te importa com meus ais

Agora é cinza

Bide
Vindo da legendária Turma do Estácio, Bide (Alcebíades Maia Barcelos) se juntou a Marçal (Armando Vieira Marçal) para formar uma das mais homogêneas parcerias da música popular brasileira. Sua produção nos anos trinta tem especial importância no processo de fixação do samba. Autores de música e letra, eles se salientavam principalmente pelas melodias, do que é exemplo "Agora É Cinza", campeão do carnaval de 34 e um dos melhores sambas de todos os tempos.

Nesta, como em outras composições, cada parte foi composta por um dos parceiros, uma característica da dupla, que preferia trabalhar assim. Depois de prontas, as partes se ajustavam com facilidade, graças a uma perfeita identidade de estilos. Além de compositores, Bide e Marçal foram percussionistas, sendo este último pai do também percussionista Nilton Delfino Marçal, o Mestre Marçal.

Agora é cinza (samba, 1934) - Bide e Marçal

Disco 78 rpm / Título da música: Agora é cinza / Autoria: Barcelos, Alcebíades (Compositor) / Marçal, Armando (Compositor) / Mário Reis (Intérprete) / Diabos do Céu (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 25/10/1933 / Nº Álbum 33728 / Gênero musical: Samba


----G-- E7--Am -----------------------D7
Você partiu / -----Saudades me deixou
-----------G -------------------Bb0-------- Am
Eu chorei / ---O nosso amor foi uma chama
------------D7-----------------G
Que o sopro do passado desfaz
-----E7------ Am
Agora é cinza
-------------G----- C7/9---- G
Tudo acabado / E nada mais......

-----G---- E7------------ Am
Você partiu de madrugada
----------D7-------------- G
E não me disse nada / Isso não se faz
---------E7---------------- Am
Me deixou cheio de saudade e paixão
------------------G
Não me conformo
-----------D7------- G--------- D7
Com a sua ingratidão (chorei porque)

------G ------E7----------- Am
Agora desfeito o nosso amor
-------------D7------------------ G
Eu vou chorar de dor / Não posso esquecer
----------E7--------------- Am
Vou viver distante dos teus olhos
---------------------G
Oh querida, não me deu
-----------D7----------- G------------- D7
Um adeus por despedida ( chorei porque)



A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34

Vai haver barulho no Chatô

Vai haver Barulho no Chatô (samba, 1933) - Noel Rosa e Valfrido Silva

Disco 78 rpm / Título da música: Vai haver barulho no chateau / Autoria: Rosa, Noel, 1910-1937 (Compositor) / Silva, Valfrido, 1904-1972 (Compositor) / Mário Reis (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1933 / Nº Álbum 10977 / Gênero musical: Samba


G7 --------------------------C
Vai haver barulho no "chatô"
----------------------G7 -----------------C
Porque minha morena falsa me enganou
------------------C7
Se eu ficar detido,
------------------------F

Por favor, vá me soltar,
-------------Fm-------- C
Tenho o coração ferido,
---A7--- D7 ---G7-- C
Quero me desabafar
------------------------F
Quase sempre eu evito
------------------------C
Bate-boca em nosso lar
--------------A7------------ D7
Pois não quero ir pro distrito
----------G7---------- C----- (G7 C)
Por questão particular...

----------------------F
Desta vez é impossível
---------------------C
Tenho que desacatar,
--------A7 --------------D7
Parece uma coisa incrível
-------------------G7 ---------C -----(G7 C)
Não ter quem queira me soltar

Quando o samba acabou

Quando o samba acabou (samba, 1933) - Noel Rosa

Disco 78 rpm / Título da música: Quando o samba acabou / Autoria: Rosa, Noel, 1910-1937 (Compositor) / Mário Reis (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, Abril/1933 / Nº Álbum 11003 / Lançamento: Maio/1933 / Lado A / Gênero: Samba

Tom: F7M

Intro: F7M C7

F7M     Gm7        Am7
Lá no morro de Mangueira
        Bb7M       Am7           C7(b9)       Gm7 D7(b9)
Bem em frente a ribanceira, uma cruz a gente vê
Gm7    C4/7         Gm7            C4/7            Gm7
Quem fincou foi a Rosinha, que é cabrocha de alta linha
       C7              F7M       C7
E nos olhos tem seu não-sei-quê
F7M    Gm7     Am7       Cm7(b5)       F7(b9)
Numa linda madrugada, ao voltar da batucada
            Cm7      F7     Bb7M
Pra dois malandros olhou a sorrir
Bbm7                         Am7(b5)
Ela foi-se embora e os dois ficaram
       D7          G7/11+   G7     C7         F7M
Dias depois se encontraram pra conversar e discutir
D7 Db7  Cm7                  F7
Lá no morro uma luz somente havia
    Bbm7                  
Era a lua que tudo assistia, 
       F7M      Dm7      Gm7       F7M   C7
   e quando acabava o samba se escondia
F7M   Gm7     Am7       Bb7M        Am7
Na segunda batucada, disputando a namorada
          D7(b9)    F#7  Gm7 Am7(b5) D7/9
Foram os dois improvisar
   C4/7          Gm7               C4/7            Gm7
E como em toda façanha, sempre um perde e o outro ganha
        C7              F7M  C7
Um dos dois parou de versejar
F7M    Gm7         Am7     Cm7(b5)           F7(b9)
E perdendo a doce amada, foi fumar na encruzilhada
         Cm7   F7    Bb7M
Passando horas em meditação
Bbm7                    Am7(b5)           D7        G7/11+
Quando o sol raiou foi encontrado na ribanceira estirado
G7       C7         F7M
Com um punhal no coração
D7 Db7  Cm7                   F7
Lá no morro uma luz somente havia
      Bbm7
Era o sol quando o samba acabou
F7            Dm7  Gm7    C7     Bb7M F7M
De noite não houve lua, ninguém cantou 

Onde está a honestidade?

Onde está a honestidade? (samba, 1933) - Noel Rosa

Disco 78 rpm / Título da música: Onde está a honestidade / Autoria: Rosa, Noel, 1910-1937 (Compositor) / Rosa, Noel, 1910-1937 (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1933 / Nº Álbum 10989 / Lado A / Gênero: Samba

Intr.:( G7 C7 F7  Bb 
    Bb/Ab Eb/G Ebm/Gb Bb/F 
    G7 C7 F7Bb  F7(#5) )

  Bb
Você tem palacete reluzente
                  G7/B    Cm  G7/D  Cm/Eb Eb7
Tem jóias e criados à    vonta........de
    D7                        Gm
Sem ter nenhuma herança nem parente
   C7                     Ebm6/Gb   F7  Bb7
Só anda de automóvel na cida........de

    Eb         Ebm          Bb/D
E o povo já pergunta com maldade:
         G7          C7 
''Onde está a honestidade? 
       F7          Bb        Bb/Ab
Onde está a honestidade?'' 
    Eb/G        Ebm/Gb       Bb/F
E o povo já pergunta  com maldade:
         G7          C7 
''Onde está a honestidade? 
       F7          Bb        
Onde está a honestidade?''

Solo.:( G7 C7 F7  Bb Bb/Ab Eb/G Ebm/Gb Bb/F G7 C7 F7
       Bb  F7(#5) )

  Bb
O seu dinheiro nasce de repente
                     G7/B     Cm  G7/D  Cm/Eb Eb7
E embora não se saiba se   é verda........de
  D7                     Gm
Você acha nas ruas diariamente
 C7                         Ebm6/Gb   F7 Bb7
Anéis, dinheiro e até felicida........de

    Eb         Ebm          Bb/D
E o povo já pergunta com maldade:
         G7          C7 
''Onde está a honestidade? 
       F7          Bb        Bb/Ab
Onde está a honestidade?'' 
    Eb/G        Ebm/Gb       Bb/F
E o povo já pergunta  com maldade:
         G7          C7 
''Onde está a honestidade? 
       F7          Bb        
Onde está a honestidade?''

Solo.:( G7 C7 F7  Bb Bb/Ab Eb/G Ebm/Gb Bb/F G7 C7 F7
       Bb  F7(#5) )

  Bb
Vassoura dos salões da sociedade
                            G7/B  Cm   G7/D  Cm/Eb
Que varre o que encontrar em sua    fren.......te
Eb7     D7                    Gm
     Promove festivais de caridade
   C7                         Ebm6/Gb   F7  Bb7
Em nome de qualquer defunto ausen.......te

    Eb         Ebm          Bb/D
E o povo já pergunta com maldade:
         G7          C7 
''Onde está a honestidade? 
       F7          Bb        Bb/Ab
Onde está a honestidade?'' 
    Eb/G        Ebm/Gb       Bb/F
E o povo já pergunta  com maldade:
         G7          C7 
''Onde está a honestidade? 
       F7          Bb        
Onde está a honestidade?''

Não tem tradução

Em 1933 Francisco Alves gravava o samba "Não Tem Tradução", de Noel Rosa. É uma crítica aos efeitos da influência do "cinema falado" sobre a língua pátria, com a adoção de expressões em francês e inglês. A letra diz "essa gente que tem a mania da exibição" e "não se lembra que o samba não tem tradução".

Não tem tradução (samba, 1933) - Noel Rosa, Francisco Alves e Ismael Silva - Interpretação de Francisco Alves ("Noel Pela Primeira Vez" - Volume 4 CD 7)

Tom: A
A7         F                  Dm
O cinema falado é o grande culpado
              A
da transformação
                    Em             A7
Dessa gente que sente que um barracão
         D
prende mais que o xadrez
        Dm         G7/9           A    C#
Lá no morro, seu eu fizer uma falseta
      F#7      C     B7        E7         A6/9
A Risoleta desiste logo do francês e do Inglês
   Em                 A7    D7+
A gíria que o nosso morro criou
      B7            E7       C#
Bem cedo a cidade aceitou e usou
F#7                              Bm             Dm   G7/9
Mais tarde o malandro deixou de sambar, dando pinote
C#m    F#7    Bm      E7   A
Na gafieira dançar o Fox-Trote
                     F             Dm         A
Essa gente hoje em dia que tem a mania da exibição
                      Em             A7                 D
Não entende que o samba não tem tradução no idioma francês
         Dm         G7/9          A
Tudo aquilo que o malandro pronuncia
           F#7        B7           E7          A
Com voz macia é brasileiro, já passou de português
  Em                A7          D
Amor lá no morro é amor pra chuchu
  B                     E7        C#
As rimas do samba não são I love you
  F#                      Bm        Dm G7/9
E esse negócio de alô, alô boy e alô Johnny
C#m  F#7       Bm        E7  A   Dm A
Só pode ser conversa de telefone..

Nancy

Francisco Alves
Nancy (valsa, 1933) - Luiz Lacerda e Bruno Arelli

Disco 78 rpm / Título da música: Nancy / Autoria: Arelli, Bruno (Compositor) / Lacerda, Luiz (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1945 / Nº Álbum 12626 / Gênero musical: Valsa


(D)
Busquei ansioso um pensamento
-----------Em
Que pudesse traduzir
----------------A7
O que minh’alma fez por ti
-----------------D
Dentro em meu peito assim senti
Tudo que pode oferecer
-----------D7 ------------G
A alma que vibra em mim
--------------Ab°--------- D
É uma canção que idealizei
----------E7 -----A7----- D---- A7/5+
Para poder cantar assim
------D --------------------Em
Ouve esta canção que eu fiz
----------------A7

Pensando em ti

------Em-------- A7--------- D
É uma veneração, Nancy
---------------Em------ A7
Somente poderia a musa traduzir
---------Em----------- A7
Um nome que é poesia
-------D ------D7
Nancy
G------- Ab°--------- D
É a mais linda história de amor
-------------D7
Que conheci
------G---------- Ab°--- D ---------B7
Quando o teu nome assim eu repeti
---Em----- A7 ------D----- A7
Nancy, Nancy, Nancy

------D
Ouve esta canção
------------------Em------------- A7
Que eu mesmo fiz pensando em ti
------Em --------A7 -----D Gm D
É uma veneração, Nancy

Moreninha da Praia

O costume de abolir o uso das meias, adotado pelas cariocas no início dos anos trinta, foi motivo de preocupação para os vendedores da mercadoria e de protesto de jornalistas conservadores como João Luso, Viriato Correia e Sílvia Patrícia. Em compensação, inspirou "Moreninha da Praia": "Moreninha querida / da beira da praia / que mora na areia / todo o verão / que anda sem meia / em plena avenida / varia como as ondas / o teu coração...".

Com "Moreninha da Praia" e "Trem Blindado", João de Barro colheu seus primeiros sucessos como compositor de carnaval. Essas marchinhas serviram ainda pára fixar os dois pontos que norteariam sua extensa produção carnavalesca: a exaltação da mulher e a crônica do cotidiano. Esses temas ele desenvolveria num estilo que mistura simplicidade e bom gosto com doses certas de lirismo, humor e malícia.

Moreninha da Praia (marcha/carnaval, 1933) - Braguinha (João de Barro)

Disco 78 rpm / Título da música: Moreninha da praia / Autoria: João de Barro, 1907-2006 (Compositor) / Almirante, 1908-1980 (Intérprete) / Grupo da Velha Guarda (Acompanhante) / Grupo da Guarda Velha (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1933 / Nº Álbum 33623 / Gênero: Marcha


------------------G ------------------D7
Moreninha querida / Da beira da praia
-----------------------------------G
Que mora na areia / Todo o verão
---------B7 --------C --------Dbº----- G/D
Que anda sem meia / Em plena Avenida
-----E7------------ A7------ D7 ------G
Varia como as ondas / O teu coração

----------------------------------G7
A tua ardência é que me assombra
----------------C--------------- Dbº
Tu tens quarenta graus à sombra
--------------G/D-------- E7-------- A7
Desta maneira / Só mesmo te botando
----------D7---- G
Numa geladeira



Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 1 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34.

Moleque indigesto

A pequena notável
Moleque indigesto (marcha/carnaval, 1933) - Lamartine Babo

Disco 78 rpm / Título da música: Moleque indigesto / Autoria: Babo, Lamartine, 1904-1963 (Compositor) / Carmen Miranda, 1909-1955 (Intérprete) / Babo, Lamartine, 1904-1963 (Intérprete) / Grupo da Guarda Velha (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1933 / Álbum 33620

C       G7      C                  G7
Eta, moleque bamba   / Pega a cabrocha
                               C
Pisca o olho   /    E cai no samba

C7                      F
Esse moleque   /  Sabe ser bom
A7                      Dm
Faz o "footing"    /   Lá no Leblon
F       Gbº         C
Bebe, joga, fuma "Yolanda"
G7                 C
Toca trombone na banda

C7                     F
Esse moleque   /   É de encomenda
A7                       Dm
Já foi vaqueiro  /   Numa fazenda
F       Gbº      C
Pega, pega, como ninguém
G7                C
Aquelas vacas de cem...

C7                       F
Esse moleque   /  É bom rapaz
A7                           Dm
Tem um defeito   /   Come demais
F          Gbº       C
Come, come, não deixa resto
G7                 C
Ó que moleque indigesto!

Maria

Luiz Peixoto
A necessidade urgente de uma música inédita para a peça teatral "Me deixa Ioiê" fez Luiz Peixoto criar os versos deste samba-canção sobre a melodia de "Bahia", uma composição pouco conhecida de Ary Barroso.

O nome Maria, que muito bem substituiu o do samba original, era uma homenagem à estrela da peça, a bela atriz portuguesa Maria Sampaio, famosa também pelo seu talento. Esforçando-se para impressionar a homenageada, Peixoto caprichou nos versos, sendo Maria uma de suas melhores produções.

Só o início - "Maria, o teu nome principia / na palma da minha mão... - já vale por um poema, e dos bons. Gravado duas vezes por Sílvio Caldas, este samba foi sucesso em 1934 e 1940.

Maria (samba-canção, 1933) - Luís Peixoto e Ary Barroso

Disco 78 rpm / Título: Maria / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Peixoto, Luiz (Compositor) / Caldas, Silvio (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1932 / Nº Álbum 33594 / Gênero musical: Samba canção



----A--- Bbo-- E7--------------------- A
Maria ! /-------- O teu nome principia
------------------------Gbm-- B7------------------------- Bm
Na palma da minha mão / ------E cabe bem direitinho
-----------E7----------- A-- Co------- E7--- E7/5+
Dentro do meu coração--------- Maria
---A ----Bbo-- E7 ---------------------------A
Maria / ----------De olhos claros cor do dia
-------------------------Gbm--- B7----------------------- Bm
Como os de Nosso Senhor/----- Eu por vê-los tão de perto
E7----------------------- A-- Co----------- E7----- A7
Fiquei ceguinho de amor------------- Maria

--D------- A7-------D-- A7------ --D---- A7---- D
No dia, minha querida, em que juntinhos na vida
--------Ebo---------------- A---- Db7---- Gbm
Nós dois nos quisermos bem
-------------------------------Dbm-------- Gbm
A noite em nosso cantinho/ Hei de chamar-te
--------B7
baixinho
--------------------------------Bm--- E7---- E7/5+
Não hás de ouvir mais ninguém, Maria !

---A --------Bb0--- E7-------------------------- A
Maria ! /------------------- Era o nome que dizia
-----------------------Gbm---------------------------- Bm
Quando aprendi a falar / Da avózinha / Coitadinha
---------------E7-------- A---- C0 -------E7------ A7
Que não canso de chorar----------- Maria
-------D---------- A7----- D --A7------- D------ A7------- D
E quando eu morar contigo /---- Tu hás de ver que perigo
--------Eb0------------------ A---- Db7---- Gbm
Que isso vai ser, ai, meu Deus
-------------------------Gbm------ Dbm------- B7
Vai nascer todos os dias uma porção de Marias
--------------------------Bm----- E7 E7/5+ --------A F A
De olhinhos da cor do teus, Maria !----------- Maria !



Fonte: A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34

Linda Morena

Lamartine
A partir do sucesso de "O teu cabelo não nega", cresceu bastante a presença da marchinha no repertório carnavalesco. Houve mesmo uma certa supremacia sobre o samba, que durou até o início dos anos quarenta. Assim, em 1933, reinaram quase sem concorrência "Formosa" (que era samba e virou marcha, por sugestão de Francisco Alves), "Good bye", "Segura Esta Mulher", "Moreninha da praia", "Trem Blindado", "Moleque indigesto", "Aí, hein!", "Boa Bola" e "Linda morena", as quatro últimas de autoria de Lamartine Babo

Ingênua, alegre, sentimental, bem representativa do estilo lamartinesco, "Linda Morena" foi um dos grandes sucessos do ano, tendo inspirado até várias paródias, o que na época valia como comprovante de popularidade de uma cançãoç

Linda morena (marcha/carnaval, 1933) - Lamartine Babo

Disco 78 rpm / Título da música: Linda morena / Autoria: Babo, Lamartine, 1904-1963 (Compositor) / Babo, Lamartine, 1904-1963 (Intérprete) / Mário Reis (Intérprete) / Grupo (Acompanhante) / Guarda Velha (Acompanhante) / Grupo da Velha Guarda (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1932 / Nº Álbum 33614 / Gênero musical: Marcha


F              D7     Gm
Linda morena,     morena
C7                   F
Morena que me faz penar
       D7               Gm      Bbm
A lua cheia que tanto brilha  
            F            C7      F
não brilha tanto quanto o teu olhar

                           Gm
Tu és morena, uma ótima pequena
                    C7              F
Não há branco que não perca até o juízo
                                Gm
Onde tu passas sai ás vezes bofetão
              C7                F
Toda gente faz questão do teu sorriso

                                Gm
Teu coração é uma espécie de pensão
          C7              F
de pensão familiar à beira-mar
                               Gm
Ó moreninha, não alugues tudo não!
          C7                F
Deixa ao menos o porão pra eu morar

                              Gm
Por tua causa já se faz revolução
C7                 F
Vai haver transformação na cor da lua
Gm
Antigamente a mulata era a rainha
               C7                  F
Desta vez, ó moreninha, a taça é tua!


Fonte: A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34

Guacyra

Hekel Tavares
Guacyra (canção, 1933) - Joraci Camargo e Hekel Tavares

Disco 78 rpm / Título da música: Guacira / Autoria: Tavares, Hekel, 1896-1969 (Compositor) / Camargo, Joracy, 1898-1973 (Compositor) / Raul Roulien (Intérprete) / Pereira, Guilherme (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1933 / Nº Álbum 33631 / Dt. lançamento: 1933 / Lado B / Gênero musical: Canção


---------------G
Adeus Guacyra,
--------------Bbo------ Am -----D7
Meu pedacinho de terra
-----------------G
Meu pé de serra,
---------------Bbo----------- Am

Que nem Deus sabe onde está.
---------------B7
Adeus Guacyra
----------------------Em
Onde a lua pequenina
------------------------A7
Não encontra na colina
--------------------------D7
Nem um lago prá se oiá
---------------G
Eu vou embora
--------------Bbo------ Am -----D7
Mas eu volto outro dia
---------------G -------G7------- C---- Cm
Virgem Maria, tudo há de permitir
--------------------G
E se ela não quiser
-------------E7----------- Am----- D7
Eu vou morrer cheio de fé
-----------------(G) (D7) (G)
Pensando em ti

Good bye

Good-bye (marcha/carnaval, 1933) - Assis Valente - Intérprete: Carmen Miranda

Disco 78 rpm / Título: Good-bye / Autoria: Valente, Assis (Compositor) / Miranda, Carmen, 1909-1955 (Intérprete) / Orquestra Victor Brasileira (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 1932 / Álbum número 33604 / Gênero musical: Marcha


-----------A -----------A
"Good-bye, -----good-bye, boy"
A/C# --------------- Bm
Deixa a mania do inglês
É tão feio pra você
------E7
Moreno frajola que nunca freqüentou
---------------- A
As aulas da escola

------------------------ A
"Good-bye,---- good-bye, boy"
A7--------------------- D
Antes que a vida se vá
----------------------A

Ensinaremos cantando a todo mundo
-------D----- E7----- A
B e Bé, B e Bi, B a Ba

----------------------
Não é mais boa-noite
---------------A
Nem bom-dia
Só se fala "good morning"
---------E7
"Good night"
---Bm---------- D--------- A
Já se desprezou o lampião de querosene
-------------B7
Lá no morro
-----------------------E7
Só se usa luz da "Light"

Formosa

Formosa (marcha/carnaval, 1933) - Antônio Nássara e J. Rui 

Disco 78 rpm / Título da música: Formosa / Autoria: Rui, J (Compositor) / Nássara, Antônio, 1910-1996 (Compositor) / Mário Reis (Intérprete) / Francisco Alves (Intérprete) / Orquestra Odeon (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1932-1933 / Álbum número 10957 / Gênero musical: Marcha


---------------------Dm
Ó mulher o teu amor ô, ô, ô, ô
--------------------A7
Não é coisa de durar á, á, á, á
-------------------------Dm--- A7
Hoje é meu mas amanhã
------------------------Dm
Eu não sei de quem será

---------C7----------------- F
Foi Deus quem te fez formosa
--------A7--------- D7
Formosa, ô, formosa
------Gm----------------- Dm
Porém este mundo te tornou
----------A7 ----------Dm
Presunçosa, presunçosa

------------------------Dm
A saudade de um amor ô, ô, ô, ô
-------------------------A7
No meu peito quis entrar á, á, á, á
-------------------------Dm--- A7
O amor já foi-se embora
----------------------Dm
E a saudade quis ficar

Sangrando

Gonzaguinha

Dm7/9                         
Quando eu soltar a minha voz 
     Gm7         Bb/C
   por favor, entenda
                   C7/9    
Que palavras por palavras 
                        F4   F7+
eis aqui uma pessoa se entregando
Cm7       F7/9-                        Bb7+
Coração na boca, peito aberto, vou sangrando
G4/7       G7                          C4/7    C7    A7  
São as lutas dessa nossa vida que eu estou cantando
Dm7/9                                        Gm7  Bb/C
Quando eu abrir a minha garganta, essa força tanta
               C7/9 
Tudo que você ouvir, 
                             F4  F7+ Cm7
esteja certa que eu estarei vivendo
                       F7/9-        Bb7+           G4/7
Veja o brilho dos meus olhos e o tremor das minhas mãos

                   G7          C4/7                   C7
E o meu corpo tão suado, transbordando toda raça e emoção
    F/A            C#5+              Bb/D  C7
E se eu chorar e o sal molhar o meu sorriso
        Gm7                     C7
Não se espante, cante que o teu canto 
                         Am7  Dm7  Gm7  C7
é minha força pra cantar
        F/C             A7         Bb      C7
Quando eu soltar a minha voz por favor entenda
    Gm7                  C7             Ab6  G7  Gb7+ F
É apenas o meu jeito de viver, o que é amar

Redescobrir

Gonzaguinha
Intr: A  A7M  D/E  E  C#m  F#7/9-  D/C

          A                 E/G#
Como se fora brincadeira de roda, memória
F#m                     E6
Jogo do trabalho na dança das mãos, macias
D                       E/D
O suor dos corpos na canção da vida, história
C#m      F#m       Bm                 D/E
O suor da vida no calor de irmãos, magia
C                         G/B
Como um animal que sabe da floresta, perigosa
   Am                          G6
Redescobrir o sal que está na própria pele, macia
    F                     G/F
Redescobrir o doce no lamber das línguas, macias
   Em          Am          Dm            Eb7M   Ab/Bb
Redescobrir o gosto e o sabor da festa, magia
A                       E/A             C#7/9-
Vai o bicho homem fruto da semente, memória
F#m                        C#m7        D#7/5-
Renascer da própria força, própria luz e fé, memória
D                           E/D
Entender que tudo é nosso, sempre esteve em nós, história
C#m         F#m         Bm            D/E
Somos a semente, ato, mente e voz, magia
C                            G/C        E7/9-
Não tenha medo, meu menino bobo, memória
Am                    G6       F#7/5-
Tudo principia na própria pessoa, beleza
F                          G/F
Vai como a criança que não teme o tempo, mistério
Em          Am           Dm         G7          Eb7M     Ab/Bb
Amor se fazer é tão prazer que é como se fosse dor, magia
         Eb                Ab/Bb      G7/9-
Como se fora brincadeira de roda, memória
Cm                    Gm/Bb            A7/5-
Jogo do trabalho na dança das mãos, macias
Ab                        Bb/Ab
O suor dos corpos na canção da vida, história
Gm       Cm        Fm       Bb7        Eb
O suor da vida no calor de irmãos, magia

Ponto de Interrogação

Ponto de interrogação (1980) - Gonzaguinha
E7   
Por acaso algum dia você se importou  
               Am7   
Em saber se ela tinha vontade ou não  
 Dm7                  G7   
E se tinha e transou,você tem a certeza  
 C7                 Am7   
de que foi uma coisa maior para  dois  
 F#m7              B7                Em7   
Você leu em seu rosto o gosto,o fogo,o gozo da festa  
 A7              Dm7   
E deixou que ela visse  em você  
           E7   
Toda a dor do infinito prazer  
                E7   
E se ela deseja e você não  deseja  
 Am7   
Você nega,alega cansaço ou vira de lado  
 Dm7                A#7   
Ou se deixa levar na rotina  
 A7              C7M            Am7   
tal qual um menino tão só no antigo banheiro  
 F#m7                 B7   
folheando as revistas,comendo a s figuras  
 Em7                   A7   
as cores das fotos te dando a completa emoção  
 Dm7   
são perguntas tão tolas de uma pessoa  
             E7   
Não ligue,não ouça são pontos de interrogação  
                     E7   
E depois desses anos no escuro do quarto  
 Am7   
quem te diz que não é só o vicio da obrigação  
 Dm7                G7   
pois com a outra você faz de tudo  
 C7M   
lembrando daquela  tão santa  
 Gm7               C7   
que é dona do teu coração  
 F7M              Fm7   
Eu preciso é ter consciência  
 C7M                    C#º   
do que eu represento nesse exato momento  
 Dm7                        G7   
no exato instante na cama,na lama,na grama  
 C7M             C7           (F7M)   
em que eu tenho uma  vida inteira nas mãos.

O que é, o que é?


Além das canções pungentes, sofridas, que lhe renderam muito sucesso, Gonzaguinha também era capaz de fazer música alegre e otimista. Isso é mostrado no samba “O Que É o Que É?”, uma boa composição que, depois de justificar com inúmeras razões o direito à felicidade, explode num vibrante refrão que é um verdadeiro hino de amor à vida: “Viver e não ter a vergonha de ser feliz / cantar (...) a beleza de ser um eterno aprendiz / eu sei que a vida devia ser bem melhor e será / mas isto não impede que eu repita / é bonita, é bonita, e é bonita...”

Muito apropriadamente, Gonzaguinha compôs “O Que É o Que É?” em ritmo de samba-enredo, o que sugere um canto coletivo e empolgado, como é de praxe no gênero (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

O que é, o que é? (1982) - Gonzaguinha


Gm             A7           Dm          Dm/C
 Eu fico com a pureza das respostas das crianças
 Bb7                     A7
É a vida! É bonita e é bonita!

(coro)
 D     F#7    Bm      Bm/A          G    A7
Viver   e não ter a vergonha de  ser feliz
 Em                  A7
Cantar, e cantar, e cantar
                            D
A beleza de ser um eterno aprendiz
 A7                 D   D7
 Ah, meu Deus! Eu sei                              
                            G
Que a vida devia ser bem melhor e será
 Gm                         D         B7
Mas isso  não impede que eu repita
Em           A7        D       A7     (bis)
É bonita, é bonita e é bonita!

    Dm                  D7       Gm
E a vida? E a vida o que é, diga lá , meu irmão?
     Em5-/7             A7
Ela é a batida de um coração?
 Em5-/7     A7         Dm
 Ela é uma doce ilusão?

 A7     Dm     Dm7+ Dm7            Gm           Gm7+  Gm7
 Mas e a vida? Ela é maravilha ou é sofrimento?
                   Em5-    A
Ela é alegria ou lamento?
 Bb          A7          Dm
 O que é? O que é, meu irmão?

         C7                 C7/Bb           F
Há quem fale que a vida da gente é um nada no mundo
    Em5-/7            A7
É uma gota,  é um tempo
      Eb         D7
Que nem dá um segundo
         Gm                             Dm
Há quem fale que é um divino mistério profundo

     Bb            Bb7          A7
É o sopro do criador numa  atitude repleta  de amor
    Em5-/7             A7
Você diz que é luta e prazer
    Dm
Ele diz que a vida é viver
     A7
Ela diz que melhor é morrer
           Am5-/7                 D7
Pois amada não é, e o verbo é sofrer
      Gm
Eu só sei que confio na moça
      Dm
E na moça eu ponho a força da fé
      Bb7
Somos nós qu e fazemos a vida
      A7
Como der, ou puder, ou quiser
 Gm       A7  Dm        C7            F
 Sempre desejada  por mais que esteja errada
 A      A7/C#    Dm    Bb       A7
 Ninguém quer a morte só saúde e sorte
 Em5-/7  A7     Dm      C7            F  D7/F#
E  a pergunta  roda,  e a cabeça  agita
 Gm          A7              Dm      Dm/C
 Fico com a pureza das respostas das crianças
   Bb7                    A7
É a vida! É bonita e é bonita!

Mamão com mel

Gonzaguinha
Intro: E7+
 
parece até que eu 
        D#m7     G#5+/7
jamais falei no amor
   C#m7           Bm7  E7
parece até que jamais amei
   A7+       G#m7
criança é mesmo assim
   F#m7      C#m7   F#7
bobagem , beleza só fala
      B/D#   A/B
maravilhas  banais
E7+
quero amar  você   
    D#m7       G#5+/7
de todas as maneiras
       C#m7           C#m7+
que eu puder         viver  você
Estribilho  
      
      Bm7        E7
por todos os caminhos 
        A7+      G#m7
que eu puder sentir você 
    A7+      D7/9    (C#m7 Bm7 G#m7 B/A)
em todos os sentidos do prazer
  ( C#m7  Bm7  E7 )
A7+    G#m7
há que fel 
  A7+     G#m7
mamão com mel 
     F#m7        C#m7   Bm7  E7
e eu nem preciso asas pra voar
  A7+    D7/9      C#m7 Bm7  E7
melhor é bem difícil de sonhar
 A7+           D7/9   C#m7  Bm7   E7
amar   viver  sentir a vida com você 
  A7+      D7/9     (C#m7 C#m7/B Bm7 Co)
amar  sentir  você   mas que prazer
estribilho
A7+     G#m7
há que fel 
  A7+      G#m7
mamão com mel 
     F#m7           C#m7  Bm7  E7
e eu nem preciso de asas  pra voar
  A7+     D7/9    C#m7  Bm7 E7
melhor é bem difícil de sonhar
  A7+         D7/9     C#m7 Bm7  E7
amar, viver, sentir a vida com você 
 A7+       D7/9      (C#m7 C#m7/B Bm7 Co)
amar   sentir   você mas que prazer

Infinito Desejo

Gonzaguinha
Intro: (D7+ G6)

D7+   G6                       D7+
Ah, infinito delírio chamado desejo
      G6               D7+
Essa fome de afagos e beijos
     F#m7              Em  B7
Essa sede incessante de amor
Em        A7              Em
Ah, essa luta de corpos suados
  A7           Em
Ardentes e apaixonados
            A7                D7+ A4/7 A7
Gemendo na ânsia de tanto se dar
D7+      G6               D7+
Ah, de repente o tempo estanca
                        Am
Na dor do prazer que explode
              D7                 G7+
É a vida, é a vida, é a vida, e é bem mais
Gm7              C7/9
Esse teu rosto sorrindo
          F#m7                B7/9
Espelho do meu no vulcão da alegria
 Em                  A7                  D7+
Te amo, te quero, meu bem não me deixe jamais
      Em               A7               D7+
E eu sinto a menina brotando da coisa linda
                B7
Que é ser tão mulher
   Em              A7
Oh santa madura inocência
            Am                 B7
O quanto foi bom e pra sempre será
     Em                 A7
E o que mais importa é manter essa chama
      F#m               B7
Até quando eu não mais puder
     Em                     A7
E a mim não me importa nem mesmo
                 D7+ G6 D7+ G6
 se Deus não quiser

Grito de Alerta

Vivendo a sua melhor fase, Gonzaguinha lançou, no rasto do sucesso de “Explode Coração”, “Grito de Alerta”, outra canção dolorida e queixosa de grande força dramática: “Primeiro você me alucina / me entorta a cabeça / e me bota na boca / um gosto amargo de fel / depois, vem chorando desculpas / assim meio implorando / querendo ganhar um bocado de mel...”

E, como da vez anterior, a composição foi um dos maiores sucessos do ano, primeiramente nas vozes de Maria Bethânia e Agnaldo Timóteo e em seguida na do próprio Luiz Gonzaga Júnior. Mas “Grito de Alerta” não seria o único sucesso de Gonzaguinha em 1980, pois ele ainda levaria às paradas “Ponto de Interrogação” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Grito de alerta (1980) - Gonzaguinha- Interpretação: Maria Bethânia


Introd: Gm7 Eb/G  C7/G  C7

    F             Am/E                F/Eb 
Primeiro você me azucrina, me entorta a cabeça
                          Bb/D                   
Me bota na boca um gosto amargo de fel
  Bbm/C#              Bbm7                 Bbm6
Depois vem chorando desculpas, assim meio pedindo
                    F7+                  
Querendo ganhar um bocado de mel
 Bb+                   C/Bb             Am7
Não vê que então eu me rasgo, engasgo, engulo
            D7/9-       
Reflito e estendo a mão
 Gm7                    Eb/G
E assim nossa vida é um rio secando
           C7/G                           C7
As pedras cortando e eu vou perguntando: até quando?
 F                   Am/E        F/Eb
São tantas coisinhas miúdas, roendo, comendo
                                 Bb/D             
Arrasando aos poucos com o nosso ideal
    Bbm/C#               Bbm7
São frases perdidas num mundo de gritos e gestos
 Bbm6                      F7+                     
Num jogo de culpa que faz tanto mal
  Bb7+                   C/Bb            Am7        
Não quero a razão pois eu sei o quanto estou errado
  D7/9-
O quanto já fiz destruir
 Gm7              Eb/G                      C7/G
Só sinto no ar o momento em que o copo está cheio
                         Cm7  F7
E que já não dá mais pra engolir
 BB7+      C/Bb             Am7  
Veja bem, nosso caso é uma porta entreaberta
 D9                   Gm7              
Eu busquei a palavra mais certa
 C4/7    C7          Cm7       Cm/A
Vê se entende o meu grito de alerta
Bb7+          C/Bb                Am7
Veja bem, é o amor agitando meu coração
D9                   Gm7                    
Há um lado carente dizendo que sim
 C4/7   C7              Cm/A      F9    ( Bb  C7  F )
E essa vida da gente gritando que não

Geraldinos e Arquibaldos

Gonzaguinha
E
Mamãe não quer . . . não faça
           B7
Papai diz não . . . não fale
Vovó ralhou . . . se cale
       E
Vovô gritou . . . não ande
Placas de rua . . . não corra
    B7
Placas no verde . . . não pise
No luminoso : . . não fume 
            E
Olha o hospital . . . silêncio
           E
Sinal vermelho . . não siga
   A
Setas de mão . . . não vire
               B7
Vá sempre em frente nem pense
        E
É Contramão
Olha cama de gato
Olha a garra dele
É cama de gato
    B7
Melhor se cuidar
No campo do adversário
É bom jogar com muita calma
Procurando pela brecha
             E
Pra poder ganhar
E
Acalma a bola, rola a bola, trata a bola
                               B7
Limpa a bola que é preciso faturar
E esse jogo tá um osso
É um angu que tem caroço
                  E
É preciso desembolar
E se por baixo não tá dando
É melhor tentar por cima
                A
Oi com a cabeça dá
Você me diz que esse goleiro
       E
é titular da seleção
         B7                      E
Só vou saber mas é quando eu chutar
  E       B7
Matilda, Matilda
No campo do adversário
É bom jogar com muita calma
Procurando pela brecha
             E
Prá poder ganhar

Gás Neon

Gonzaguinha
Em                          E5+ Em
Viver essa longa avenida de gás neon
                  Am
Portas de ouro e prata
         F              D       Am7
Falsos sonhos nessas noites de verão
         D4                  D7/9-
Faces coloridas, farsas de alegria
         G7+
Beijo sem sabor
           C                   C7         F#m B7/9- B
Gestos clandestinos tontos e sedentos de amor
 Em               Em6             Em5+     Em6
Espinhos, rosas, risos, pranto e tanto desamor
           Am                  F
Corte, cicatrizes, gritos engasgados
             D
Lágrimas de dor
             D7/9              D7/9-
Máscaras no rosto, continua a festa
             G7+
No sorriso o sal
             C                 C7
A orquestra geme as dores do palhaço
   B         C  B
Triste marginal
 E             E7+                 Em
Ai de quem mergulhar nesse mar de veneno
                                        Am
Nessa lama enfeitada, nesse sangue das taças
 Am7      F#m B
Temendo sofrer
 E               E7+               Em
Ai de quem quer negar esse mar de veneno
                           Am
Mil vezes maldito na inconsciência
    Am7    F#m    B     Em
Das vidas à margem há de ser

Explode Coração


Intitulada originalmente “Não Dá Mais pra Segurar”, esta canção ficaria conhecida como “Explode Coração”, verso que representa o momento culminante da letra. Uma letra, aliás, das mais angustiadas, masoquista, carregada de amargor: “Chega de tentar dissimular / e disfarçar e esconder / o que não dá mais pra ocultar / (...) / eu chorando, sofrendo / gostando, adorando, gritando / (...) / não dá mais pra segurar / explode coração...” Com tal força dramática, “Explode Coração” teria mesmo que “explodir” na voz de Maria Bethânia, a intérprete maior, como foi dito, de Gonzaguinha (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Explode coração (Não Dá Mais pra Segurar) (1979) - Gonzaguinha - Interpretação: Maria Bethânia


Bm                   Bm7M                   Bm7
Chega de tentar dissimular e disfarçar e esconder
          Bm6           Em               Em7M        Em
O que não dá mais pra ocultar e eu não posso mais calar
           Em6         Em7        A7
Já que o brilho desse olhar foi traidor
     D7M                      D6
E entregou o que você tentou conter
                       G6           C#4/7   F#7/5+
O que você não quis desabafar e me cortou

Bm                Bm7M                      Bm7
Chega de temer, chorar, sofrer, sorrir, se dar
      Bm6         Em            Em7M         Em
E se perder e se achar e tudo aquilo que é viver
         Em6        Em7  A7                      D7M
Eu quero mais é me abrir e que essa vida entre assim
                D6                      G6
Como se fosse o sol desvirginando a madrugada
                           C#4/7    F#7/5+
Quero sentir a dor desta manhã

Bm                     Bm7M
Nascendo, rompendo, rasgando 
                    Bm7   Bm6
meu corpo e então eu 
 Em                    Em7M              Em  Em6
Chorando, sofrendo, gostando, adorando gritando
       Em7                 A7
Feito louco, alucinado e criança
  D7M                     D6
Sentindo o meu amor se derramando
                  C#m7/5b   F#7     Bm7
Não dá mais pra segurar, Explode coração

Eu apenas queria que você soubesse

Gonzaguinha
Intro: ( E7+  C7+  D7+  F/G ) 

C7+ 
Eu apenas queria que você soubesse 
Am7 
Que aquela alegria ainda está comigo 
    F7+                      G4/7           G7 
E que a minha ternura não ficou na estrada 
   C7+              Am7              Dm7   G7 
Não ficou no tempo  presa na poeira 
C7+ 
Eu apenas queria que você soubesse 
Am7 
Que esta menina hoje é uma mulher 
     F7+                     G4/7    G7 
E que esta mulher é uma menina 
     C7+            Am7             Dm7   G7 
Que colheu seu fruto  flor do seu carinho 
   C7+         Gm7               C7         F7+ 
Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta 
  Fm/Ab                   C/G 
Que hoje eu me gosto muito mais 
   Am7                          F/G 
Porque me entendo muito mais também 
     C7+                  Gm7           C7       F7+ 
E que a atitude de recomeçar  é todo dia toda hora 
 Fm/Ab                       C/G 
É se respeitar na sua força e fé 
Am7                           C7+  D7+  
E se olhar bem fundo até o dedão do pé 
 Eb7+    C#7+   F/G   Eb7+  G/A 
       D7+ 
Eu apenas queira que você soubesse 
Bm7 
Que essa criança brinca nesta roda 
     G7+              A4/7        A7 
E não teme o corte de novas feridas 
   D7+           Bm7              Em7     
pois tem a saúde que aprendeu com a vida 
     A7   C#7+   F/G   F7+   A/B   B7

Espere por mim, morena

Gonzaguinha
G/B Am7 D7 G Gm/F Em D7

C                 G/B
Espere por mim, morena
Am7         D7       G
Espere que eu chego já
            Gm/F   Em7
O amor por você morena
       Dm7           C
Faz a saudade me apressar
Bm5-/7  Am7 D7     G
Espere por mim, morena
Gm/F              Em
Espere que eu chego já
            D7     C
O amor por você, morena
         D7         G
Faz a saudade me apressar
         C       Bm7           Am7  D7   G
Tira um sono na rede, deixa a porta encostada
       Dm7        C            Am7      D7
Que o vento da madrugada já me leva pra você
         C      Bm7          Am7    D7    G
E antes de acontecer, o sol a barra vir quebrar
Gm/F              C3b         Dm7        C
Estarei nos teus braços para nunca mais voar
      Bm5-/7  Am7     G     G/B    Em7
E nas noites de frio serei o teu cobertor
    Dm7       C         Am7      D7
'Quentarei o teu corpo com meu calor
            C       Bm7       Am7    D7    G
Ah, minha santa, te juro, por Deus Nosso Senhor
      Gm/F         C 3b        Dm7         C
Nunca mais minha morena vou fugir do teu amor
Bm5-/7 Am7 D7     G
Espere por mim, morena
Gm/F             Em7
Espere que eu chego já
           D7      G
O amor por você, morena
        Dm7         C
Faz a saudade me apressar

É...

Gonzaguinha
Intr.: (D A/C# G/B A) 
 
D         A/C#         G/B 
  Pelo jornal o dia che...ga 
                A 
  Com as letras negras 
                  D 
  Do que está por vir 
           A/C#           G/B 
  Pelo meu sonho era tudo bem 
         A                  D 
  Você passava e olhava pra mim 
      A/C#      G/B 
  Seu olhar mira...gem 
                 A 
  Surgindo na paisagem 
              D 
  De fumaça e luz 
        A/C#         G/B 
  No paraíso amor um dia 
       A               D    
  Imaginamos cidades azuis 
 
     A/C#              
  Oh meu amor          
      G/B              Refrão 
  Meu grande amor       BIZ 
     A      D          
  E agora              
 
(D A/C# G/B A) 
  Serenai serenai oh verde mar 
  A madrugada chegou 
  Começa o dia você me incendeia 
  Amor me incendeia 
  Até florescer 
  E nada mais bonito 
  Que o grito selvagem 
  Do subúrbio lado blue 
  Desconstruindo muros 
  Até o sonho aparecer 
 
(D A/C# G/B A) 
  Oh meu amor 
  Meu grande amor 
  E agora 
 
(D A/C# G/B A) 
  A voz na sacada 
  Da casa rosada 
  A solidão da voz 
  E na varanda branca 
  Da alvorada 
  O tempo cansa 
  De esperar por nós 
  Será que é preciso 
  Imaginar o cosmo 
  Pra compreender 
  Que esse neném no colo 
  Tenta resistir 
  Essa madona 
  Quer sobreviver 
 
(D A/C# G/B A) 
  Oh meu amor 
  Meu grande amor 
  E agora 
 
(D A/C# G/B A) 
  De lá das estrelas 
  Eles querem ver 
  Esse mundo explodir 
  Lágrimas na rua 
  De verdade 
  Tudo pode acontecer 
  Afinal 
  O sonho é um sinal 
  Que tem fruta madura 
  No quintal do vizinho 
  Por tanto tempo 
  Eu fiquei sozinho 
  Pelo jornal 
  O mundo acabou 
 
(D A/C# G/B A) 
  Oh meu amor 
  Meu grande amor 
  E agora

Do meu jeito

Gonzaguinha
Bm   Bm7+           Bm7  Bm6
JÁ NÃO BASTA ESSE DIA APÓS DIA
                  Em7/9
QUE É UM PESO CONSTANTE SOBRE AS 
COSTAS DA GENTE
      C#m5-/7                  F#5+/7
NESSE TEMPO DOENTE À SOLTA NAS RUAS
              Bm   Bm7+           Bm7  Bm6
COLOCANDO NAS FACES ESSE AR DESCONTENTE
       F#m7                          B7
JÁ NÃO BASTA A DESCRENÇA E A DESCONFIANÇA
             Em    Em7+         Em7   Em6
ACABANDO COM NOSSA ESPERANÇA DE FELICIDADE
       G#m5-/7                       C#7
JÁ NÃO BASTA A PRESSÃO DESSA FALSA MORAL
              Em             F#5+/7
ENCOBRINDO OS ATOS DE IMORALIDADE
Bm             Bm7+
AH, POR FAVOR, MEU GAROTO
             Bm7        Bm6     Em7/9
NÃO VENHA TAMBÉM ME PRENDER A CABEÇA, 
AS PERNAS E BRAÇOS
      C#m5-/7              F#7                F#5+/7
EU TE AMO E ESSE AMOR EU DECLARO E GRITO E PROCLAMO
             Bm    Bm7+        Bm7  Bm6
DE PEITO BEM LIMPO, DE PEITO LAVADO
       F#m7                             B7
NÃO PRECISO PROVAR, POIS SEI BEM O QUE SOU
                Em  Em7+              Em7   Em6
E TINTIM POR TINTIM DOS MEUS TRAÇOS E PASSOS
      G#m5-/7              C#7
EU CANSEI DESSAS VELHAS PROMESSAS
                F#7/4               F#7
DESSAS VELHAS PALAVRAS E CANSADOS DITADOS
       Em                 C#m5-/7  F#5+/7
JÁ NÃO BASTA ESTA COISA ROLANDO AÍ FORA
       Bm7   A#º           Am7    D5+/7
NOS CASTRANDO COM GARRAS E DENTES
       C#m5-/7             F#5+/7            Bm    B7
NOS FORÇANDO A VIVER TÃO SOMENTE DE MEIAS VERDADES
       Em            Em7/D  C#m5-/7
O IMPORTANTE É QUE O NOSSO CORAÇÃO    
   Bm    A#º            Am7   D5+/7
SINTA, ATRAVÉS DO RESPEITO
        C#7         F#7       Bm
O QUE É SER UMA PESSOA DO MEU JEITO

Diga lá, Coração

Gonzaguinha
D
Diga lá, meu coração
       Em7               D/F#  G 
Da alegria de rever essa menina, 
     D/F#   G  Bm7   A4/7
    e abraçá-la, e beijá-la
D
Diga lá, meu coração
            Em7         D/F#   G     D/F#   Bm7  A4/7
Conte as estórias das pessoas, das estradas dessa vida
(G                         D/F#)
Chore esta saudade estrangulada
Fale, sem você não há mais nada
C7M                    Bm7
Olhe bem nos olhos da morena e veja lá no fundo
  (A4/7                   Em7)
A luz daquele sol de primavera
Durma qual criança no seu colo
Sinta o cheiro forte do teu solo
Passe a mão nos seus cabelos negros
Diga um verso bem bonito e vá embora
Diga lá, meu coração
Que ela está dentro do teu peito e bem guardada
                             Am7      F7M    
E que é preciso, mais que nunca, prosseguir

Bm    A4/7    A7     D