quinta-feira, 25 de maio de 2006

Diana

Diana - Paul Anka (versão Fred Jorge) - Intérprete: Carlos Gonzaga
D               Bm
Não se esqueça meu amor
G                   A7
Que quem mais te amou fui eu
D             Bm
Sempre foi o teu calor
    G           A7
Que minh’alma aqueceu
D           Bm
E no sonho para dois
G            A7
Viveremos a cantar
D  Bm       G    A7 (D Bm G A7)
A Cantar o amor Diana

D                Bm
Nos teus braços sem querer
G              A7
Quase sempre vou parar
D            Bm
Não consigo te esquecer
G         A7
Oh Diana vem sonhar
D            Bm
Eu te quero meu amor
G                A7
Vem trazer-me o teu calor
D  Bm      G      A7 (D Bm G A7)
Vem viver pra mim Diana


G             Gm
Vem querida, minha vida
D
Vem depressa eu, que eu te espero
G           Gm
Eu te quero com paixão
A7
OhOh OhOh ohoh ohoh ohoh ohoh


D               Bm
Only you pode fazer-me feliz
G                  A7
Only you é tudo aquilo que eu quis
D                Bm
Para mim tu és a felicidade
G                A7
E sem ti eu vou morrer de saudade
D                  Bm
Vem amor, ohohoh, vem amor
G                   A7
Por favor ohohoh, vem pra mim
D  Bm      G    A7 (D Bm G A7)              
Vem viver pra mim Diana.
D  Bm     G    A7  (D Bm G A7 D)              
Pra mim Diana 

Meu pequeno Cachoeiro



Meu pequeno Cachoeiro (1970) - Raul Sampaio - Intérprete: Roberto Carlos

(A) ----------------------Bm-------- E7
Eu passo a vida recordando
----------------------A
De tudo que aí deixei
---------------------Bm--------------------- E7
Cachoeiro, Cachoeiro, vim ao Rio de Janeiro
-----------------------A----- E7------- (A)
Pra voltar e não voltei.

---------------------------Bm ---E7
Mas te confesso na saudade
--------------------------------A
As dores que arranjei pra mim
-------------------------------Bm
Pois todo pranto dessas mágoas
------------------------E7-------------------- A
Ainda irei juntar às águas do meu Itapemirim.

------------------------E7 ---------------------------A
Meu pequeno Cachoeiro, / vivo só pensando em ti
-----------------------------Bm-------------- E7
Ai! que saudades dessas terras / Entre serras
--------------------------A-- (A)-- (E) --(A)
Doce terra onde eu nasci

-------------------------------Bm----- E7
Recordo a casa onde eu morava,
-------------------------A
O muro alto, o laranjal,
-------------------------------Bm
Meu flanboyant, na primavera,
------------------------E7 ------------------------A
Que bonito que ela era, dando sombra no quintal

---------------------------Bm---- E7
A minha escola, a minha rua,
-------------------------------A
Os meus primeiros madrigais,
-----------------------------Bm
Ai! como o pensamento voa
-------------------------E7
ao lembrar a terra boa,
-----------------------------A --(E)-- A
Coisas que não voltam mais!



Pode vir quente que eu estou fervendo

Roberto Carlos
Int.: Am F G Am


Se você quer brigar
    F           G            Am
E acha que com isso estou sofrendo

Se enganou meu bem
           F            G       Am
Pode vir quente que eu estou fervendo
D7
Pode tirar seu time de campo

Que o meu coração é do tamanho de um trem

Iguais à você já apanhei mais de cem
           F             G      E7 (Am)
Pode vir quente que eu estou fervendo

Você (R. Carlos)

Roberto Carlos
Tom: Dm
  Gm                  C
Você, que tanto tempo faz,
F7+                         Bb7+
Você que eu não conheço mais
Em7                  A7         Dm
Você, que um dia eu amei demais
Gm                      C
Você, que ontem me sufocou
F7+                    Bb7+
De amor e de felicidade
Em7                A7    Dm
Hoje me sufoca de saudade
Gm                   C
Você, que já não diz pra mim
F7+                        Bb7+
As coisas que preciso ouvir
Em7                    A7     Dm
Você, que até hoje eu não esqueci
Gm                         C
Você que, eu tento me enganar
F7+              Bb7+
Dizendo que tudo passou
Em7                A7
Na realidade, aqui em mim
Dm
Você ficou
Gm                    C
Você que eu não encontro mais
F7+                       Bb7+
Os beijos que não lhe dou
Em7              A7        Dm    D7
Fui tanto pra você e hoje nada sou!

Quero lhe falar do meu amor

Roberto Carlos
Intro: Em7

Em7
   Quero lhe falar do meu amor
Quero lhe falar do meu amor
Quero lhe falar do meu amor
Quero lhe falar do meu amor. 
Esse amor que eu guardo a tanto tempo
Apaixonado e forte como o vento
Que levanta as águas do oceano
E se acalma em seus cabelos
Am7
   Eu vinha andando pela areia do deserto
Meu coração batia forte e eu estava certo
Que existia um oásis
Onde eu ia te encontrar
                    Em7
E te falar do meu amor. 
Am7
   Melhor que um cão eu farejava o seu o seu perfume
E tudo isso provocava o meu ciúme
Eu rastreava os seus passos
Eu caçava os seus abraços
                   Em7
Eu queria o seu calor. 
              Bm7
Pra te encontrar
Eu fiz coisas que você não acredita
     Am7
Te procurei
                                  Em7
Até numa tenda de odaliscas meu amor. 
Quero lhe falar do meu amor
Quero lhe falar do meu amor
Quero lhe falar do meu amor
Quero lhe falar do meu amor. 
Am7
   Te procurei por toda a parte e não sabia
Você estava em minha frente todo dia
A gente quase se esbarrava
A gente as vezes se tocava
                     Em7
E em silêncio se queria. 
          Bm7
Quero sentir o seu perfume
Meu amor que coisa louca
  Am7
Quero o seu abraço
                                Em7
Quero um beijo dessa boca meu amor. 
SOLO (Em7 Am7 Bm7 Am7 Bm7 Am7 B7/9+)
Am7
   Agora eu quero o seu carinho toda hora
Do meu amor eu quero te falar agora
Quero dizer que eu te amo
Que esperei um tempo e tanto
                    Em7
P'ra falar do meu amor. 
          Bm7
Quero sentir o seu perfume
      
Meu amor que coisa louca
  Am7
Quero o seu abraço
                               Em7
Quero um beijo dessa boca meu amor. 

Un gatto nel blu

Roberto Carlos
D                            A7
Quando era banbino, che allegria
              Em              D
Giocare alla guerra per la via
               D7         G
Saltare un cancello io te
   Gm       D         A7
E poi uma mela, I'emocione
          D
Gii occi tuci
                         A7
La rose, l'amore, casa mia
                Em          D
E un gatto per farci compagnia
                   D7
Ma da quanda é finita
        G       Gm
Io non so perche
       D            A7           D
La finestra é piu grande senza te
                F#m
Un gatto nel blu
             Am
Guarda le stelle
     B7                         Em
Non vuol tornare incasa senza te
              Em7M
Sapessi quaggiu
           G
Che notte bella
     A7                         D
Chi sa se en gran dolore si cancella ?
              F#m
Un gatto nel blu
          Bm
Ecco che tu
            G
Sfondi dal cuore
  A7       D
Mio caro amore
            F#m
Fra poco saral
              Bm7
Negli occhi miei
          G   A7
Anche stasera
             D  A7  D  Bb7
Una lacrima sei
 Eb                     Fm  Bb7
Bambina, bambina, vita ia
            Fm             Eb
Profumo di giglio, che fa via
                Eb7           Ab
Se amare o un sbaglio, colpa mia
  Abm         Eb
Pero io in fondo
        Bb7         Eb
Della vitta que ne so
               Gm
Um gatto nel blu
             Bbm
Guarda la stelle
     C7                          Fm
Non vuol tornare in casa senza te
             Fm7M
Sapessi quaggiu
           Ab
Che notte bella
    Bb7                         Eb
Chi sa se un gran dolore si cancela ?
              Gm
Un gatto nel blu
         Cm
Ecco che tu
             Ab
Sfondi del cuore
 Bb7        Eb
Mio caro amore
           Gm
Fra poco sarai
              Cm
Negli occhi miei
            Ab
La prima chiara
  Bb7    Eb
Di primavera
              Gm
Un gatto nel blu
         Cm
Ecco che tu
           Ab   Bb7
Anche strasera
               Eb
Una lacrima sei

Só vou gostar de quem gosta de mim



Só vou gostar de quem gosta de mim (jovem guarda, 1967) - Rossini Pinto - Intérprete: Roberto Carlos
Introd.
 : B                :F#7         :B  :
E|-------4-2------2-|------------|---|
B|-----4--------4---|5-2---2-----|---|
G|-4-4------4-4-----|----4---4-3-|4--|

B 
De hoje em diante vou modificar 
              F#7
O meu modo de vida

Naquele instante que você partiu 
                 B
Destruiu nosso amor
                       B7
Agora não vou mais chorar
Abm                            C#7       
Cansei de esperar de esperar enfim
          B                F#7
E pra começar eu só vou gostar 
                  B
De quem gosta de mim     
                                                                
B
Não quero com isso dizer que o amor
                F#7
Não é bom sentimento

A vida é tão bela quando a gente ama 
         B
Tem um amor
                        B7
Por isso é que eu vou mudar
     Abm                       C#7            
Não quero ficar chorando até o fim
              B               F#7                    
E pra não chorar eu só vou gostar 
                  B
De quem gosta de mim

                  Eb7
Não vai ser fácil eu bem sei eu já procurei
                  Abm    
Não encontrei meu bem
  C#7
A vida é assim eu falo por mim
        F#7   E     F   F#7
Pois eu vivo sem ninguém

SOLO:
                         Eb7
Não vai ser fácil eu bem sei eu já procurei
                  Abm
Não encontrei meu bem
  C#7
A vida é assim eu falo por mim
        F#7   E     F   F#7
Pois eu vivo sem ninguém

B
De hoje em diante eu vou modificar 
              F#7
O meu modo de vida

Naquele instante que você partiu 
                B
Destruiu nosso amor
                      B7
Agora não vou mais chorar
Abm                            C#7      
Cansei de esperar de esperar enfim
           B               F#7
E pra começar eu só vou gostar 
                 B
De quem gosta de mim       
                 F#7                   B                       
Mas eu só vou gostar de quem gosta de mim
          F#7                   B
Só vou gostar de quem gosta de mim
 
 

Se você pensa



Se você pensa (1968) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Intro: Bm7 E7 Bm7 E7

    Am7                        D7         
Se você pensa que vai fazer de mim, 
      Am7                        D7
o que faz com todo mundo que te ama
    Am7                        D7                  E7
Acho bom saber que pra ficar comigo, vai ter que mudar
           A                     C#7                                
Daqui pra frente tudo vai ser diferente, 
                             F#m7
você tem que aprender a ser gente
                       Bm7    E7  Bm7       E7
O seu orgulho não vale na.....da, na.......da
      Am7                     D7      
Você tem a vida inteira pra viver 
     Am7                       D7
e saber o que é bom e o que é ruim
    Am7                        D7            E7
É melhor pensar depressa e escolher antes do fim
          A                     C#7
Você não sabe e nunca procurou saber
                              F#m7
Que quando a gente ama é pra valer
                            Bm7       E7  Bm7         E7
Bom mesmo é ser feliz e mais na......da, na.........da !
 
 

Pega ladrão

Pega ladrão (jovem guarda, 1965) - Getúlio Cortes

Roberto Carlos - Jovem Guarda
G                F         G
  estava com um broto no portão   
  (tchap-tchura)
                     F         G
  quando um grito ouvi pega ladrão    
   (tchap-tchura)
    D7                    G           E
  alerta então fiquei, porém ninguém vi
       A7                     D7
  e o tal larápio esperei passar por ali
 
      G         F             G
  meu bem apavorada em casa entrou    (tchap-tchura)
                 F         G
  e nem na despedida me beijou    (tchap-tchura)
     D7                     G        E
  ouviu-se então na rua tremendo alarido
       A7             D7           G
  pois logo alguém pegou o tal bandido
 
       D7                       G           E
  que foi que ele roubou   que foi que ele fez
       Am          D7            G       E
  os brotos responderam todos de uma só vez
      Am         D7     G            E
  roubou um coração  e tem que devolver
      A7                         D7
  se não o sol quadrado ele vai ver nascer
 
   G                F          G
  não vou nessa história acreditar   (tchap-tchura)
                   F           G
  não pode um coração alguém roubar    (tchap-tchura)
      D7                G       E
  enquanto eu falava o homem sumiu
      Am                   D7
  descendo pela rua ele escapuliu
 
  G             F         G
  de repente então tudo mudou    (tchap-tchura)
                  F           G
  e a turma toda contra mim virou   (tchap-tchura)
      D7                   G       E
  correndo descobri que o tal coração
          Am         D7          G        Em
  era uma jóia pendurada num cordão   ah ah
           Am       D7           G
  era uma jóia pendurada num cordão
  Am       D7        G           E
  era uma jóia pendurada num cordão
           Am       D7           G
  era uma jóia pendurada num cordão

Um leão está solto nas ruas

Roberto Carlos - Jovem Guarda, História da
Tom: Em
Em
Um leão está solto nas ruas
Foi discuido do seu domador
     Am
Sei que ele está faminto
Não come desde ontem
   B7
Preciso encontrar o meu amor
     Em
Um leão está solto nas ruas
Já faz um dia que ele fugiu
  Am
A turma está aflita
Pra vê-lo outra vez
   B7
Na jaula de onde ela saiu
Am
Você, que está em casa 
      Em
um conselho vou dar
Am                        E
Feche as janelas, tranque bem o portão
     Am                      Em
Pois num dado momento sem ninguém esperar
F#7                 B7
Pode aparecer o tal leão. 
        Em
Mas um leão está solto nas ruas
calamidade igual nunca vi
  Am
Jamais terá problema de alimentação
          B7
Se ele encontra o meu broto por aí
Em Am B7 Em Am B7
  Am7
Você que está em casa...

Rotina

Roberto Carlos
F 
O Sol ainda nem Chegou
                           Gm7  C7  Gm7  C7
E o relógia a pouco despertou
     Gm7                   C7
Da porta do quarto ainda na penumbra
                F  F7M  F  F7M
Eu olho outra vez
  F                            F7
Seu corpo adormecido e mal coberto
                    Bb
Quase não me deixa ir
 F
Fecho os olhos viro as costas
                        Gm7 C7 Gm7 C7
Num esforço tenho que sair
 F
A mesma condução a mesma hora
             Gm7         C7    Gm7  C7
Os mesmos pensamentos chegam
  Gm7
Meu corpo está comigo
          C7                        F  F7M  F6  F7M
Mas meu pensamento ainda está com ela
  F                    F7
Agora eu imagino suas mãos
                          Bb
Buscando em vão minha presença
          F   F7  F  F7M
Em nossa cama
         Gm7                    C7   F  F7M  F6  F7M
Eu gostaria de saber o que ela pensa
 F
Estou chegando para mais um dia
                    Gm7  C7  Gm7  C7
De trabalho que começa
 Gm7                         C7 
Enquanto lá em casa ela desperta
                   F
Pra rotina do seu dia
     F                     F7
Eu quase posso ver a água morna
               Bb
A deslizar no corpo dela
 F
Em gotas coloridas pela luz
                       Gm7  C7  Gm7  C7
Que vem do vidro da janela
 F
Um jeito nos cabelos
                               Gm7  C7  Gm7  C7
Colocando o seu perfume preferido
  Gm7                     C7
Diante do espelho aquilo tudo
                     F  F7M  F  F7M
Ela esconde num vestido
 F                            F7
Depois de um café o olhar distante
                   Bb
Ela se perde pensativa
 F            F7M  F  F7M
Acende um cigarro
 Gm7                  C7               C#7
E olhando a fumaça pára e pensa em mim
  F#
O dia vai passando a tarde vem
                    G#m7  C#7  G#m7  C#7
E pela noite eu espero
 G#m7                            C#7
Vou contando as horas que me separam
                           F#
De tudo aquilo que mais quero
 F#                         F#7
Meu rosto se ilumina num sorriso
                    B
No momento de ir embora
     F#          F#7M            F#  F#7M
Não posso controlar minha vontade
                    G#m7  C#7  G#m7  C#7
De sair correndo agora
   F#
O trânsito me faz perder a calma
                      G#m7  C#7  G#m7  C#7
E o pensamento continua
  G#m7                          C#7             F#  F# F#7M F# F#7M
Pensando em minha volta muitas vezes ela vem olhar a rua
    F#7                                                       B  
A porta se abre de repente e eu me envolvo inteiro nos seus braços
  F#
E o nosso amor começa
 G#m7                               C#7
E só termina quando nasce mais um dia
            F#    G#m7  C#7
Um dia de rotina
            F#    G#m7  C#7  F#
Um dia de rotina

Querem acabar comigo

Roberto Carlos
Introdução: G7+ Am7 D7 G7+ Am7 D7


  Am            D7
Querem acabar comigo
Am7                 D7
Nem eu mesmo sei porque 
         G7+          Am7
Enquanto eu tiver   você aqui 
        G7+       Am7
Ninguém poderá me destruir 


   Am           D7
Querem acabar comigo
Am7                D7
Isso eu não vou deixar 
    G7+             Am7
Me abrace assim, me olhe assim 
    G7+         Am7
Não vá ficar longe de mim 

                          
       G7+                    Am7   D7
Pois enquanto eu tiver você comigo 
   G7+                      Am   D7
Sou mais forte para mim não há perigo

Am7       D7
Você está aqui, 
  Am7          D7
E eu estou também 
  Am7                 D7
E com você eu temo ninguém

     G7+                 Am7
Você sabe bem de onde eu venho 
     G7+           Am7
E no coração o que tenho 
      G7+
Tenho muito amor 
                 Am7   D7
E é só o que interessa 
      G7+
Fique sempre aqui
                 Am7   D7
Pois a verdade é essa.


Am              D7
Querem acabar comigo...

Resumo

Roberto Carlos

Resumo - Mário Marcos e Eunice Barbosa
Introdução: F  F7+  F6  F  F7+  F6


                F
Qual folha que vaga sem rumo e sem vida
                             Gm   C7
No espaço perdida, sou eu a vagar
             Gm7   C7              Gm7  C7
qual chuva correndo nos olhos do tempo
             Gm7        C7      F
nos mares crescendo sou eu a chorar

Qual sombra da noite de um céu nevoento 
             F7                  Bb
que canta tristezas, sou eu a cantar
               Bbm                 F  Dm
Qual mente que vai aos pés do infinito, 
             Gm7        C7       F
gritando, gritando, sou eu esse grito

Eu sou o consolo de um sol sem calor
                              Gm7  C7
Enfim sou resumo do riso e da dor
              Gm7   C7           Gm7  C7
Eu colho a tristeza em forma de flor
              Gm7  C7           F
na paz da certeza onde canta o amor

Qual sombra da noite de um céu nevoento 
             F7                  Bb
que canta tristezas, sou eu a cantar
               Bbm                 F  Dm
Qual mente que vai aos pés do infinito, 
             Gm7        C7       F
gritando, gritando, sou eu esse grito.

Quando as crianças sairem de férias



Quando as crianças saírem de férias (1972) - Roberto Carlos
G     
Quando chego em casa eu encontro
 
Minha turma esperando sorrindo
   Am
E lá vou eu
        Am 
De xerife ou de homem do espaço
             Am
No seu mundo esquecer o cansaço
       G
E o tempo vai.
                 G
Bem mais tarde o calor do seu beijo
 
Me envolve em amor e desejo
        Am
Mas o nosso amor
          Am
Não vai longe um deles lhe chama
Ele quer companhia e reclama
  G
E você vai
    G
E assim nosso tempo se passa
                                          C
Quando você retorna sem graça e eu me aborreço. 
G                              Am 
Quando as crianças sairem de férias
  C                             D7
Talvez a gente possa então se amar
     G
Um pouco mais. 
    G
Novamente o calor do seu beijo
 
Nos envolve no mesmo desejo
       Am
Mas o nosso amor
         Am
Dura pouco um outro agora
 
Põe a boca no mundo e chora
  G
E você vai
        G
Outra vez você volta sem graça
 
E outra parte do tempo se passa
             C
E eu me aborreço. 
G                            Am
Quando as crianças sairem de férias
       C                        D7 
Talvez a gente possa então se amar
      G
Um pouco mais. 
     G
Novamente o calor dos seus braços
Me acende e eu esqueço o cansaço
     Am
De esperar
     Am
A história é sempre assim
Já um outro chamando por mim
        G
E lá vou eu
     G
E assim outra noite se passa
 
Quando eu volto e fico sem graça
          C
Você já dormiu. 
G                            Am
Quando as crianças sairem de férias
      C                        D7
Talvez a gente possa então se amar
     G
Um pouco mais. 
 
 

Por isso eu corro demais

Por isso eu corro demais (1967) - Roberto Carlos
Tom : D

intro: D  Bm  Em  A  D  Bm  Em  A 

       D               Bm  
  meu bem qualquer instante
         Em           A  
  que eu fico sem te ver  
     D         Bm    
  aumenta a saudade   
         Em         A  
  que eu sinto de você  
            Gm      Dm  
  então eu corro demais  
  Gm        Dm  
  sofro demais  
  Gm        Dm                A      D  
  corro demais    só pra te ver meu bem  

  Bm  Em  A  D  Bm  Em  A 

       D           Bm         Em           A  
  e você ainda me pede   para não correr assim  
       D            Bm            Em           A  
  meu bem eu não suporto   mais você longe de mim  
              Gm        Dm  
  por isso eu corro demais  
  Gm        Dm  
  sofro demais  
  Gm        Dm                A      D  
  corro demais    só pra te ver meu bem  

  Bm  Em  A  D  Bm  Em  A 
   
        D             Bm           Em        A  
  se você está ao meu lado   eu só ando devagar  
      D          Bm          Em            A  
  esqueço até de tudo   não vejo o tempo passar  
   Gm             C              F            Am  
  mas se chega a hora    de pra casa eu te levar  
   Gm           C             F         A  
  corro pra depressa   outro dia ver chegar  
           Gm        Dm  
  então eu corro demais  
  Gm        Dm  
  sofro demais  
  Gm       Dm                A      D  
  corro demais    só pra te ver meu bem  
   
  Bm  Em  A  D  Bm  Em  A 

        D          Bm             Em            A  
  se você vivesse sempre   ao meu lado eu não teria  
     D           Bm         Em         A  
  motivo pra correr   e devagar eu andaria  
            Gm      Dm  
  eu não corria demais  
        Gm        Dm  
  agora corro demais  
  Gm        Dm                A      D  
  corro demais    só pra te ver meu bem  

  D  Bm  Em  A  D  Bm  Em  A 
  Gm  Dm  Gm  Dm  Gm  Dm  A 
  D  Bm  Em  A  D  Bm  Em  A 

        D         Bm              Em            A  
  se você vivesse sempre   ao meu lado eu não teria  
     D           Bm         Em         A  
  motivo pra correr   e devagar eu andaria  
            Gm      Dm  
  eu não corria demais  
        Gm        Dm  
  agora corro demais  
  Gm        Dm                A      D  
  corro demais    só pra te ver meu bem  

  Bm  Em            A       D 
         Só pra te ver meu bem 
  Bm  Em            A       D 
         Só pra te ver meu bem 
  Bm  Em            A       D 
         Só pra te ver meu bem 

Paz na Terra

Roberto Carlos
E 
Meu pensamento vai distante 
C#m
Eu não entendo a razão 
F#m                  B7
Porque tanta coisa triste
E
O amor é o grande sentimento  
C#m
E não matar é o mandamento
F#m                      B7    
Porque então uma guerra existe
                            C#m     
Mas que animal estranho é o homem
                      C#m    
Que procura a vida prolongar
                       C#m
Permitindo abusos da ciência
 F#m
Absurdos nucleares
          B7
E outras formas de matar
E
Enlouquecidos e em conflito
C#m
falam de armas no infinito
F#m                 B7
Nas estrelas não eu peço   eu peço
       C#m
Não deixem que o azul do céu se
  F#m
inflame
   B7                     E
E o sangue de inocentes se derrame
C#m
Deus é pai ao amor não faz a
F#m
guerra
B7                          A
Peço paz irmãos aqui na terra, na
E    B7
terra
E C#m G#m F#m B7 
     C#m
Não deixem que o azul do céu se
  F#m
inflame
    B7                        E
E o sangue de inocentes se derrame
C#m                            F#m
Deus é pai e o amor não faz a guerra
B7                        A          E      B7
Peço paz irmãos, aqui na terra, na terra
 E C#m F#m B7 

E                           C#m
Antes que o azul do céu se inflame
      F#m               B7
e a dor nos oceanos se derrame
E                              C#m
Deus é pai e o amor não faz a guerra
B7                        A          E     B7 
Peço paz irmãos,  aqui na terra, na terra
E C#m F#m B7 

Parei olhei



Rossini Pinto
Parei olhei (jovem guarda, 1965) - Rossini Pinto - Intérprete: Roberto Carlos
G      Em
Parou, olhou
  G                    Em
Depois sorrindo se afastou
  C               G
O meu coração se enamorou
   A7                D7
Eu acho que me apaixonei
   G     Em
Parei, olhei
  G                  Em
E vi ternura em seu olhar
  C
E num piscar de olhos
   G
Fugiu de mim
  D7                G
E nem o seu nome eu sei
           B7
E agora eu vivo a procurar 
Em
Aquele olhar
  B7                    Em
Botei até anúncio no jornal
    A7                        D7
Fiz juras, fiz promessas para encontrar
   A7                        D7
Passei milhões de vezes no local
  G       Em
Porém, se Deus
   G                   Em
Me der a graça de encontrar
 C                        G
Aquela bonequinha não vai mais fugir
         D7               G
Pois com ela eu vou me casar
 
 

Parei na contramão

Roberto Carlos
Enquanto a quase totalidade dos cantores ligados à onda do iê-iê-iê, e mais tarde ao movimento Jovem Guarda, gravava versões de músicas estrangeiras, o jovem cantor negro Baby Santiago (Fulgêncio Santiago) fazia, desde 1961, composições sobre assuntos brasileiros como o “Rock do Saci”.

O Pioneiro Baby seria seguido pela dupla Roberto e Erasmo Carlos que percebendo, conscientemente ou não, esse caminho para o rock nacional, tratou de criar o seu próprio repertório. Assim, apesar do êxito inicial de Roberto ter sido uma versão de “Splish Splash” (Bobby Darin e Jean Murray, versão de Erasmo Carlos), logo aconteceria, incluído no mesmo elepê, “Parei na Contramão”, um dos primeiros grandes sucessos de autoria brasileira na área do rock.

Como a maior parte do repertório americano no gênero, os três acordes fundamentais dos blues — tônica, subdominante e dominante — constituem a base de sua melodia, enquanto a letra explora um símbolo de status da juventude, o automóvel: “Vinha voando no meu carro, quando vi pela frente / na beira da calçada um broto displicente / joguei o pisca-pisca para a esquerda e entrei / a velocidade que eu vinha não sei / pisei no freio obedecendo ao coração / e parei, parei na contramão.”

O espírito de rebeldia e o impulso dançante do jovem estão presentes nesta gravação, marcada pela guitarra, contrabaixo e a voz anasalada do maior ídolo da mocidade brasileira nos anos seguintes, Roberto Carlos (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).



Parei na contramão (rock, 1963) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos

Intro: B

        B
Vinha voando no meu carro quando vi pela frente
Na beira da calçada um broto displicente
    E
Joguei o pisca-pisca a esquerda e entrei
A velocidade que eu vinha não sei
  F#7                        E            B
Pisei no freio obedecendo ao coração e parei, (parei)
Parei na contramão
O broto displicente nem sequer me olhou
Insisti na buzina, mas não funcionou
E
Segue o broto o seu caminho sem me ligar
Pensei por um momento que ela fosse parar
F#7                       E                B
Arranquei a toda e sem querer avancei o sinal
O guarda apitou
:   E
:O guarda muito vivo de longe me acenava
:  B
:E pela cara dele eu vi que não gostava
:  E
:Falei que foi o cupido quem me atrapalhou
:C#                        F#7
:Mas minha carteira pro xadrez levou
:B
:Acho que esse guarda nunca se apaixonou
:Pois minha carteira o malvado levou
: E
:Quando me livrei do guarda, o broto não vi
:Mas sei que algum dia ela vai voltar
:  F#7                   E                  B
:E a buzina desta vez eu sei que vai funcionar, bi bi...
 
 

Os sete cabeludos

Roberto Carlos - Jovem Guarda
Intro: E7

Tudo começou quando Lili foi a esquina
E a turma de outra rua 
Se empolgou com a menina
  A7
Lili, meio sem jeito
Sorriu alegremente
    E
Mas viu que os olhares
Eram bem diferentes
   F#m       B7       G#m       C#7
Um cara esquisito seu braço segurou
     F#m        B7       E       B7
E um beijo da Lili o atrevido roubou
   E
Eu vinha no meu carro em doida disparada
Com sete cabeludos pra topar qualquer parada
     A7
Foi quando, de repente a cena eu avistei
       E
E o freio do carango bruscamente eu pisei
    F#m            B7       G#m          C#7
Sem mesmo abrir as portas e sem botar as mãos
  F#m         B7           E           E7
Pulamos todos sete para entrar em ação
   A
Brigamos muito tempo
Rasgamos nossas roupas
  E
Fugimos da polícia que já vinha feito louca
  A7
Porém maldita hora que eu fui olhar pra trás
  F#7                     B7
A cena que eu vi não esqueço nunca mais
  E
Lili toda contente na esquina conversava
Com o cara esquisito que a pouco lhe beijava
   A7
Estava indiferente à aquela confusão
   E
Lili era bonita mas não tinha coração
        F#m         B7
Então juramos todos sete
   G#m       C#7     F#m          B7
Palavra de rapaz que por garota alguma
     E             C#m
Não brigamos nunca mais
    F#m          B7
Que por garota alguma
     E             C#m
Não brigamos nunca mais
    F#m          B7
Que por garota alguma...

Oh! Meu imenso amor



Oh! Meu imenso amor (valsa, 1969) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
G  
Ah se você me deixar
                    D7
Não saberei mais viver
  Am           D7
Eu te amo querida
 G             E7
Te darei minha vida
 A7
Farei tudo
            D7
Pra você ficar
 G
Mas se você me entender
                C
E aceitar meu amor
                  G  F# F E7
Eu viverei tão feliz e direi
A7        D7     G
Oh! Meu imenso amor
 
 

O sósia

O sósia (1967) - Getúlio Cortes

 Roberto Carlos - Jovem Guarda
 A
Tudo começou
  F#m
Quando um certo dia
 A
Eu liguei pro broto
        F#m
Que há tempos eu não via
 D
E o que ela disse
Me deixou zangado
 E7
Deixe de tolice
Já tenho namorado
 A
Fui a casa dela
   F#m
E lhe falei então
 A
Para essa história
  F#m
Quero exlpicação
  D
Quando olhei pro lado
Eu perdi a fala
  E7
Descobri um cara
     A
Que tinha a minha cara
 D
E até seu nome
Era igual ao meu
 A
Um era demais eu sei não era eu
D
E na confusão meu broto desmaiou
 E7
E sem solução o caso ficou
 A
Meio atrapalhado
  F#m
Meio descontente 
 A
Ia já ficando 
 F#m
Quando alegremente
 D
Uma grande idéia eu tive e então
  E7                     A
Disse para alguém : Me traga um violão
 D
E uma canção eu começei mostrar
 A
Mas o cara disse : Também sei cantar
 D
Isso me deixou bem contrariado
 E7
Mas ele cantou tão desafinado
 A                     F#m
Que meu bem de tudo foi desconfiando
 A                      F#m
E ele envergonhado foi logo se mandando
    D
Perdão ela pediu
Um beijo eu lhe dei
 E7                 A
E minha canção pra ela terminei

Que papo furado...
Um cara com a minha cara...
Mora ? Não !
E7                   A
E minha canção pra ela terminei
E7                   A
E minha canção pra ela terminei

É meu, é meu, é meu

Roberto Carlos
G                     D7             G
Tudo que é seu meu bem também pertence a mim
G                  D7              G
Vou dizer agora tudo do princípio ao fim
C          G          C              G
Da sua cabeça até a ponta do dedão do pé
C                  G
Tudo que é seu meu bem
D7            G
É meu, é meu, é meu.
G                      D7             G
A começar pelo cabelo que coisa mais linda
G                         D7        G
Boca e sorriso igual não encontrei ainda
C             G
Seus olhinhos que beleza
C             G
Fazem ver com mais certeza
C              G
Que tudo que é seu meu bem
D7             G
É meu, é meu, é meu.
G                          D7         G
Bem baixinho em seu ouvido gosto de falar
G                       D7         G
Recostado no seu ombro gosto de sonhar
C            G
Quando seus braços me apertam
C          G
Mil idéias me despertam
C          G
Tudo que é seu meu bem
D7             G
É meu, é meu, é meu.
G                     D7               G
São suas mãozinhas feitas pra fazer carinho
G                             D7       G
Nada tem mais charme do que o seu joelhinho
C                 G
Seus pezinhos a pisar
C                   G
Meu coração que a cantar
C                  G
Diz que tudo que é seu
D7             G
É meu, é meu, é meu.
G                      D7             G
Não adianta discutir que tudo isso é meu
G              
Por isso eu vivo a repetir
D7                  G
Que é meu, é meu e é meu
C                     G
Tudo que eu falei meu bem
C                      G
E o que eu não falei também
C                 G
Tudo que você pensar
D7             G
É meu, é meu e é meu.

É preciso saber viver

Roberto Carlos
(intro) D D7+ D7 G Gm D Bm E G A

D
Quem espera que a vida
     D7+
Seja feita de ilusão
     D7
Pode até ficar maluco
      G
Ou viver na solidão
    Gm
É preciso ter cuidado
          D         Bm
Pra mais tarde não sofrer,
E           G     A
É preciso saber viver.
     D
Toda pedra no caminho
     D7+
Você deve retirar
     D7
Numa flor que tem espinhos
     G
Você pode se arranhar
     Gm
Se o bem e o mal existem
     D         Bm
Você pode escolher,
E           G      A
É preciso saber viver.

G          D      Bm
É preciso saber viver
G          D      Bm
É preciso saber viver
G          D      Bm
É preciso saber viver
E          G  A
Saber viver

O quintal do vizinho

Roberto Carlos
C     Em      F       G7         C             
Eu hoje acordei pensando 
      Em         F    G7       C
Num sonho que eu tive a noite 
      Em           F      G7  C     Em     F
Sentei-me na cama para pensar 
     G7         C    Em    F
No sonho que eu tive
    G7            C   Em      F
No sonho que eu tive
    G7          C    Em   F   G7    C
No sonho que eu tive
  Em           F     G7
Fiquei tanto tempo pensando 
 C     Em       F        G7
Em tudo que estive sonhando 
C    Em        F
Que por um momento
  G7          C     Em   F
pensei ser verdade 
  G7            C   Em   F
O sonho que eu tive
  G7            C   C7
O sonho que eu tive
   Fm         Bb7
Sonhei que entrei
                Eb7M 
no quintal do vizinho
               Gm7  Gbm7   Fm7
E plantei uma flor 
           Bb7               Eb7M
No dia seguinte ele estava sorrindo 
                         G7(4)   G7   C
Dizendo que a primavera chegou
    Em      F        G7         C 
E quando eu abri a janela 
   Em     F       G7        C
Estava um dia tão lindo 
  Em         F
No outro quintal
  G7           C    Em     F
O vizinho sorrindo 
  G7         C          Em     F
Lembrei do meu sonho
 G7            C         Em    F
O sonho que eu tive
  G7          C        Em    F
O Sonho que eu tive
 G7             C
O sonho que eu tive 

O côncavo e o convexo

O côncavo e o convexo (1983) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Intro: Cm Cm/Bb G#7+ Fm7 Dm5-7 G7

G7             Cm
Nosso amor é demais
                   Cm/Bb
E quando o amor se faz
              G#7+
Tudo é bem mais bonito
Fm7                 Dm5-7
    Nele a gente se dá
                     G7
Muito mais do que está
                   Cm
E o que não está escrito!

                   Gm5-7
Quando a gente se abraça
               C7,9-
Tanta coisa se passa
                 Fm7+ Fm7
Que não dá pra falar
                  F#m5-7
Nesse encontro perfeito
                      D7/9
Entre o seu e o meu peito
                G7 G7/9 G7
Nossa roupa não dá!

              Cm
Nosso amor é assim
               Cm/Bb
Pra você e pra mim
               G#7+
Como manda a receita
Fm7                  Dm5-7
    Nossas curvas se acham
                   G7
Nessas formas se encaixam
                Fm7
na medida perfeita...

C5+7 C7          Fm7
Este amor é pra nós
                 G7
A loucura que traz
               Cm
Esse sonho de paz
               Cm/Bb
E é bonito demais...
                     G#7+
Quando a gente se beija,
Fm7             Dm5-7 G7          
  Se ama e se esquece       
   G7      Gm4,7 C5+7 C7
Da vida lá fora...

              Fm7
Cada parte de nós
               G7
Tem a forma ideal
                Cm
Quando juntas estão,
                Cm/Bb
Coincidência total
                  G#7+
Do côncavo e o convexo
Fm7                  Dm5-7
    Assim é o nosso amor
G7     Cm
    No sexo.

                Fm7
Esse amor é pra nós .....( voltar nesta parte até o final)

O gênio

O gênio (1966) - Getúlio Cortes

Roberto Carlos - Jovem Guarda
D      G    D   G
Andando um dia na rua notei
        D      G        D  G
Alguma coisa caída no chão
       D      G        D  G
Bem curioso aquilo peguei
         D         G          D
E sem querer esfreguei minha mão
         G
O tal negócio explodindo fez fumaça no ar
Meio amedrontado não saí do lugar
    A7
Um cara em minha frente de repente surgiu
Sem que eu soubesse de onde ele saiu
 G
Me agradecendo disse pode pedir
Todos seus desejos eu terei de cumprir
     A7
Hesitei, porém topei
         D        G        D G
Eu já sabia a história de cor
        D       G       D  G
E apressado pedi a melhor
        D      G       D  G
Garota para comigo ficar
          D     G      D
E muita grana para farrear
            G
Mas não sabia que o gênio
Era malandro demais

Conquistou meu broto me passando pra trás
   A7
E falso era o dinheiro que ele me arranjou
Quando bronqueei disse que pobre ficou
 G
E jamais um broto conseguiu namorar
Muito me implorou pedindo para ficar
     A7   
Hesitei, porém deixei
         D        G          D  G
E lá de casa não quer mais sair
          D         G         D   G
Só sei dizer que com ele aprendi
          D        G        D   G
A não querer tudo fácil demais
           D       G          D
Pois tudo fácil valor nunca trás

O portão


O portão (1974) - Roberto Carlos
(intro 2x)  F F7+ F6 F7+

F             F7+         F6 F7+   
Eu cheguei em frente ao portão,     
F            F7+       F6   F7+
 meu cachorro me sorriu latindo
Gm           Gm7          C7          F    F7+ F6 F7+
Minhas malas coloquei no chão, eu voltei
F               F7+           F6 F7+  
Tudo estava igual como era antes,   
F          F7+       F6  F7+
  quase nada se modificou
Gm         Gm7         C7          F      F7+ F6 F7+
Acho que só eu mesmo mudei, eu voltei ...
     Gm   Gm7          C7          
Eu voltei, agora pra ficar, 
F   F7+              F6   F7+
 porque aqui, aqui é o meu lugar
     Gm  Gm7                   C7          F    F7+  F6  F7+
Eu voltei pras coisas que eu deixei, eu voltei ...
F              F7+       F6 F7+ 
Fui abrindo a porta devagar,
F             F7+       F6    F7+
  mas deixei a luz entrar primeiro
Gm       Gm7          C7        F     F7+ F6 F7+
Todo meu passado iluminei, e entrei ....
F           F7+        F6  F7+ F        F7+          F6     F7+
Meu retrato ainda na parede,   meio amarelado pelo tempo
Gm           Gm7           C7           F    F7+ F6 F7+
Como a perguntar por onde andei e eu falei ...
       Gm  Gm7             C7
Onde andei não deu para ficar,
         F    F7+        F6   F7+
  porque aqui, aqui é o meu lugar
     Gm   Gm7                  C7           F    F7+ F6 F7+
Eu voltei pras coisas que eu deixei, eu voltei ....
F            F7+          F6 F7+
Sem saber depois de tanto tempo   
   F           F7+       F6     F7+
   se havia alguém em minha espera
  Gm      Gm7         C7       F   F7+  F6  F7+
Passos indecisos caminhei e parei
F             F7+          F6  F7+
Quando vi que dois braços abertos, 
  F           F7+     F6    F7+
  me abraçaram como antigamente
Gm          Gm7           C7       F   F7+ F6 F7+
Tanto quis dizer e não falei e chorei ....

      Gm   Gm7          C7          F    F7+           F6  F7+
Eu voltei, agora pra ficar porque aqui, aqui é o meu lugar
      Gm  Gm7                 C7            F    F7+ F6 F7+
Eu voltei pras coisas que eu deixei, eu voltei ....
 
 
 

Negro gato

Getúlio Côrtes conheceu a turma de Roberto e Erasmo Carlos em um programa de rádio em 1961. Embora roqueiro de primeira hora, fã de Elvis Presley e Little Richard, ele gostava de outros gêneros, tanto assim que dublava na ocasião uma gravação de Sammy Davis Jr.

De sua convivência com aquele pessoal, que logo estaria liderando a Jovem Guarda, surgiu a oportunidade de ele se profissionalizar, a princípio como assistente de produção do grupo Renato e seus Blue Caps — no qual Erasmo atuou como crooner e depois como compositor, um dos preferidos de Roberto Carlos nos primeiros anos de sua carreira.

Foi assim que, entrando em seu elepê de 66, “Negro Gato” tornou-se um grande sucesso. “Ele tinha me pedido uma música e entreguei ‘O Gênio”, esclarece Getúlio em entrevista ao jornalista Antônio Carlos Miguel em 1998. “Mas Erasmo e Evandro Ribeiro, diretor artístico da CBS, também sugeriram que ele gravasse ‘Negro Gato’.”

Um clássico da Jovem Guarda, este rock é representativo do estilo brincalhão de Getúlio, um bem-humorado carioca de Madureira: “Eu sou um negro gato de arrepiar / e esta minha vida é mesmo de amargar! (...) / um dia lá no morro, pobre de mim / queriam minha pele para tamborim / apavorado, desapareci no mato! eu sou um negro gato...”

Com o final da Jovem Guarda, Getúlio praticamente deixou de compor, sendo porém relembrado em regravações de seus antigos sucessos, como é o caso de “Negro Gato”, revivido em versões de Marisa Monte e Luiz Melodia, que acabou recebendo dos amigos o apelido de “Negro Gato”. Para os que vêem nesta canção uma conotação de protesto identificada com a causa negra, informa o compositor, um dos raros artistas negros ligados à Jovem Guarda: “perto de minha casa havia um maldito gato que não me deixava dormir. Um dia, durante uma madrugada, tive a idéia para a música.” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).



Negro gato (jovem guarda, 1966) - Getúlio Côrtes
Bb7     A7   Dm
Negro  gato...
Bb7    A7     Dm
Negro gato...
Dm
Eu sou o negro gato de arrepiar
E essa minha vida é mesmo de amargar
Só mesmo de um telhado , aos outros desacato,
         Bb7 A7   Dm    Bb7  A7  Dm
Eu sou o negro gato,  negro gato
Dm
Minha triste história, vou lhes contar
E depois de ouvi-la, sei que vão chorar
Há tempos  eu não sei o que é um bom prato
         Bb7  A7  Dm   Bb7  A7  Dm
Eu sou o negro gato, negro gato
Dm
Sete vidas tenho pra viver
Sete chances tenho para  vencer
Mas se não comer acabo num buraco
      Bb7  A7  Dm   Bb7  A7 Dm
Sou o negro gato, negro gato
Dm
Um dia lá no morro, pobre de mim
Queriam minha pele para tamborim
Apavorado desapareci no mato
         Bb7 A7   Dm   Bb7  A7  Dm
Eu sou o negro gato, negro gato


Noite de terror

Noite de terror (jovem guarda, 1964) - Getúlio Cortes

Roberto Carlos - Jovem Guarda
Intro: A7
A7
  Fazia noite fria
Eu logo fui dormir
Soprava um vento forte
E eu não pude mais sair
   D7
Pensei com meus botões
Um bom livro eu vou ler
  Am
E um trago de uísque
Que é para me aquecer
    E7
Mas uma coisa vejam
    D7
Me aconteceu
 E7
Uma mão gelada
       D7
Em meu ombro bateu
   A7
Gritar eu quis
Porém a voz não me saiu
E o livro que eu lía
Até de minhas mãos sumiu
   D7
Tremi de cima a baixo
Sem sair do lugar
A7
Quando de repente
Eu ouvi alguém falar
    E7
Bem junto de mim
       D7                  A7
Esse alguém me falou bem assim
"Eu sou o Frankstein!"
  A7
Tomou conta de mim
Tamanha tremedeira
Mais nada quis ouvir
Pois corri pela ladeira
    D7
Mas de repente então
Voltou-se o panorama
A7
Quando dei por mim
Eu estava em minha cama
  E7
Alguém bate a porta
    D7
Vou logo ver quem é
E7
Deve ser meu broto
        D7
Pois fantasma não dá pé
    A7
Mas quando a porta abriu
Fiquei logo a tremer
Senti por todo o corpo
Um frio percorrer
  D7
Fiquei no chão calado
Com o cabelo arrepiado
   A7
Maior foi meu pavor
Pois não era o meu amor
  E7
E esse alguém que eu vi
     D7              A7
Me falou novamente assim
Voltei!!

Nossa canção



Roberto Carlos
Nossa canção (canção, jovem guarda, 1966) - Luiz Ayrão - Intérprete: Roberto Carlos
       D          F#             Bm       A
olha aqui,preste atenção/essa é a nossa
D   G                 A        G    
canção/vou cantá-la seja onde for/para
A             G          A 
nunca esquecer o nosso amor,nosso amor
D         F#      Bm    A            D
veja bem,foi você/    a razão e o porquê
G                 A         G 
de nascer essa canção assim/pois você
A                  D D4 D D9 D
é o amor que existe em mim    
F#          Bm        F#       
você partiu/e me deixou/nunca mais você
Bm           A           D  
voltou/pra me tirar da solidão
Em       F#       Em         F#        
e até você voltar/meu bem eu vou cantar
A             D
essa nossa canção


Nasci pra chorar

Roberto Carlos
Intro: Em Am Em AM Em Am B7

   Em
Eu levo a minha vida
Chorando pelo mundo
   Am
Talvez até tivesse
Algum desgosto profundo
   Em
Procuro na memória
Procuro me lembrar
        B7
E não encontro
Nasci para chorar
   Em
Se vejo uma garota
Sorrindo para mim
  Am
E ela me pergunta
Porque sou tão triste assim
Em
Fico sem resposta
Digo adeus e vou embora
       B7
Pois é hora
É hora de chorar (Intr.)
  Em
E continuo a felicidade procurando
    Am
Mas sempre a solidão e a tristeza encontrando
   Em
Às vezes desconfio que a alegria
                  B7
É ilusão e que o amor
Não entra no meu coração
    Em
Não sei porque razão eu sofro tanto desse jeito
Am
As gatoras dizem que ser triste é meu defeito
   Em
Quero ser alegre, ter alguém para amar
           B7
Mas eu não posso
(Intr.)
Nasci para chorar

Não se esqueça de mim

Roberto Carlos
Intro:  C Em F7+ Bb7

C             Em   Dm7               G7   Dm7 G7
Onde você estiver, não se equeça de mim
Dm7               G7  C                      
Com quem você estiver não se esqueça de mim
         Em7        Dm7            G7      Dm7 G7
Eu quero apenas estar no seu pensamento
Dm7               G7     C               Am Dm7 G7
Por um momento pensar que você pensa em mim
C            Em                      Dm7 G7 Dm7 G7
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Dm7                     G7   Gm/Bb        A7
Mesmo que exista outro amor que te faça feliz
Dm7                 G7          C        Am             
Se resta, em sua lembrança, um pouco do muito que eu te quis
Dm7           G7                      C
Onde você estiver, não se esqueça de mim
         Em          Dm7          G7
Eu quero apenas estar no seu pensamento
Dm7               G7    C                G7
Por um momento pensar que você pensa em mim
C              Em           Dm7      G7 Dm7 G7
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Dm7        G7          Gm/Bb               A7
Quando você se lembrar não se esqueça que eu
Dm  A7 Dm7    G7           C             Am  
Que eu não consigo apagar você da minha vida
Dm7         G7                     C     Em Dm7
Onde você estiver não se esqueça de mim
G7               C    Em Dm7   G7                C     Em  C
Não se esqueça de mim .........não se esqueça de mim

Não quero ver você triste



Roberto Carlos
Não quero ver você triste (jovem guarda, 1965) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Intro:  Bm7 A7 Em7 A7 D7+/F# Ddim/F Em7
        A7 Em7 A7 D G D Db D Em7

Em7                A7
  O que é que você tem?
Em7          A7
  Conta pra mim
D7+/F#
  Não quero ver
              Ddim/F
Você triste assim
    Em7          A7
Não fique triste
  Em7          A7
o mundo é bom
        D                D7
A felicidade até existe!
                  G
Enxugue a lágrima
               Gm7
Pare de chorar...
Você vai ver!
                 F#m
Tudo vai passar,
                      B7
Você vai sorrir outra vez
              E7
Que mal alguém lhe fez?
Conta pra mim
          Gm7
Não quero ver
                  A7 Em A5+7 Em
Você triste assim
Em7   A7
  Olha, vamos sair...
Em7       A7          D7+/F#
  Pra que saber aonde ir?
             Ddim/F
Eu só quero ver você sorrir!
Em7         A7      Em7               A7
  Enxugue a lágrima, não chore nunca mais
D
  E olha que céu azul
D7
  Azul até demais
G              Gm7
  Esqueça o mal,
Pense só no bem
F#m7                              B7
   Que assim a felicidade um dia vem
E7
  Agora uma canção
Canta pra mim
    Gm7            A7         D      Db D Em7 A7...
Não quero ver você tão triste assim. 
 
 

Namoradinha de um amigo meu

Roberto Carlos
Superando sucessos como “Eu te Darei o Céu” e “Negro Gato”, a canção de maior popularidade do elepê de Roberto Carlos, lançado em 1966 — o primeiro depois do estouro de “Quero que Vá Tudo pro Inferno” —, foi “Namoradinha de um Amigo Meu”.

Tratando de uma paixão proibida, e a duras penas reprimida, dizia a letra: “Estou amando loucamente / a namoradinha de um amigo meu / (...) / se os dois souberem / nem mesmo sei o que eles / vão pensar de mim / (...) / vou procurar alguém / que não tenha ninguém / pois comigo aconteceu / gostar da namorada de um amigo meu...”

Ao contrário da maioria absoluta das canções de Roberto Carlos, compostas em parceria com Erasmo Carlos, “Namoradinha de um Amigo Meu” é assinada apenas por Roberto. De certa forma, essa personalização favoreceria um boato, negado pelo cantor, de que a composição referia-se a um caso realmente vivido por ele e que envolvia um casal em evidência na época.



Namoradinha de um amigo meu (jovem guarda, 1966) - Roberto Carlos
Tom: Am
  Am
estou amando loucamente
         Em
a namoradinha de um amigo meu
 Am             
sei que estou errado
               Em                     10 10 24
mas nem mesmo sei como isso aconteceu
Dm       G         Dm          G
 um dia sem querer   olhei em seu olhar
Dm        E7               Am       Dm  E
 e disfarcei até pra' ninguém notar
 
     Am
não sei mais o que faço
                Em
pra' ninguém saber que estou gamado assim
Am             
se os dois souberem
                    Em                     10 10 24
nem mesmo sei o que eles vão pensar de mim
Dm           G        Dm            G
  eu sei que vou sofrer   mas tenho que esquecer
Dm           E7                   Am
 o que é dos outros não se dever ter
 
      Dm         Am        Dm           Am
vou procurar alguém   que não tenha ninguém
                                     Em                Am  
pois comigo aconteceu  gostar da namorada de um amigo meu
                                Em                Am
comigo aconteceu  gostar da namorada de um amigo meu


Na paz do seu sorriso

Na paz do seu sorriso (1979) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
F#m            B7
Intro.: 54 52 62 54 42 44 62 52 52

54  52   62          B7
    Na paz do seu sorriso
F#m                B7
    Meus sonhos realizo
         E7+
    E te beijo feliz.
     G#m7
E na ânsia mais louca
   Bm7
No céu da sua boca
   E7/9                A7+
Do alto as estrelas me dizem, meu bem
      Am7
Que a vida é isso
       D7/9
Que eu vivo por isso
       G7+         B7
Que você me dá, me dá (Estribilho)
       G#m7
E a beleza é nada
   Bm7
Se for comparada
    E7/9                  A7+
Com tudo que eu vejo em você, meu bem
   Am7
O amor é perfeito
    D7/9                 G7+          B7
Me amarro no jeito que você me dá, me dá.
     F#m                      B7
Tudo isso que você meu bem me dá (4x)

   Acompanhamento do solo:   F#m B7 (3 VEZES) E7+ ESTRIBIILHO
      G#m7
E nós dois num abraço
  Bm7
Rolamos no espaço
   E7/9                 A7+
Me perco no amor com você, meu bem
Am7
E perco o juízo
     D7/9                G7+          B7
Pois o paraíso é o que você me dá, me dá. .

  F#m                      B7
Tudo isso que você meu bem me dá (7X)

Mulher pequena

Roberto Carlos
D                    Em        A7            D
Quando uma mulher pequena vem falar no meu ouvido
       B7          Em        A7         D
O meu coração dispara chego até fazer ruído 
                  Em        A7          D
Fica na ponta dos pés se pendura como louca
                       Em        A7              D     (Em A7 D)
Olha o céu e fecha os olhos pra ganhar beijo na boca
D                  Em               A7       D
Depois do beijo na boca sua mão leve e desliza
     B7            Em           A7          D
Pelos pêlos do meu peito dentro da minha camisa
                    Em         A7            D
Quando a coisa fica quente aí essa mulher me usa
                   Em               A7         D
Quero só que se arrebente, algum botão da sua blusa
D                    Em                A7       D
Não há roupa que se aguente e nenhum botão que dure
     B7              Em              A7       D
Esse amor que a gente sente não há nada que segure
                 Em        A7            D
Gosto de você pequena esse beijo me alucina
                   Em           A7         D
Coisa de mulher gostosa com um jeito de menina
D/F#     Em      A7             D          B7        Em                      
 Ai,    ai, ai, essa voz doce e serena, essa coisa delicada 
      A7            D
coisa de mulher pequena
D/F#   Em        A7          D              B7     Em                      
Ai,   ai, ai essa voz doce e serena, o meu coração dispara por
     A7              D
Por você mulher pequena

Minha senhora

Roberto Carlos
REFRÃO
| A             Bm
|    Minha Senhora
|      E7        A
|Eu estou apaixonado!
|         Bm
|Minha Senhora
|      E7           A
|Quero ser seu namorado!

               Bm
Quero sair por aí
    E7            A
E andar despreocupado
                Bm
E falar do meu amor
      E7            A
Sem futuro, sem passado
                       Bm
O que eu sinto não tem tempo
      E7            A
Nem registro, nem idade
                       Bm
Mas tem tudo que é preciso
    E7        A
Pra dar felicidade

REFRÃO
                    Bm
Juro que não sou culpado
      E7          A
De nascer pouco depois
                Bm
Mas recuperar o tempo
     E7           A
É problema de nós dois!
                Bm
Devo ter me demorado
       E7            A
No meu tempo lá no espaço
                   Bm
O que eu ainda não sei
      E7          A
Vou saber no seu abraço

REFRÃO
                     Bm
Por favor, me leve a sério
         E7            A
O que eu sinto é verdadeiro
               Bm
Eu estou apaixonado
     E7          A
Pelo meu amor primeiro
                 Bm
Se a felicidade existe
     E7             A
Acho que encontrei agora
               Bm
Vamos sair por aí
     E7           A
Meu amor, minha senhora

Eu quero apenas


Eu quero apenas (1974) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Intro: A  Bm  E7  A  Bm  E7  A

ou
A        Bm    E7     A
32 22 10 23 22 20 32 22 32 44 42
         Bm    E7    A
42 32 22 23 22 20 32 32

A          Bm     E7     A                Bm         E7       A
Eu quero apenas olhar os campos, eu quero apenas cantar meu canto
          Bm       E7    A                 Bm      E7     A
Eu só não quero cantar sozinho, eu quero um coro de passarinhos

         D               A               Bm        E7    A
Quero levar o meu canto amigo a qualquer amigo que precisar
         D                 A                 Bm     E7     A
Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar   
 ( 2 X )

          Bm        E7    A                Bm     E7     A
Eu quero apenas um vento forte, levar meu barco no rumo norte
       Bm         E7      A          Bm          E7      A
E no caminho o que eu pescar quero dividir quando lá chegar

REFRÃO
          Bm         E7    A            Bm         E7       A
Eu quero crer na paz do futuro, eu quero ter um quintal sem muro
          Bm       E7    A             Bm       E7       A
Quero meu filho pisando firme, cantando alto, sorrindo livre

REFRÃO
          Bm       E7     A             Bm        E7    A
Eu quero amor decidindo a vida, sentir a força da mão amiga
       Bm         E7     A    
O meu irmão com sorriso aberto, 
                           Bm          E7       A
                se ele chorar quero estar por perto

REFRÃO
       Bm       E7     A              Bm     E7        A
Venha comigo olhar os campos, cante comigo também meu canto
          Bm       E7     A                 Bm      E7    A
Eu só não quero cantar sozinho, eu quero um coro de passarinhos

REFRÃO


Minha fama de mau

Roberto Carlos - Jovem Guarda

 E      
Meu bem as vezes diz que deseja ir ao cinema
eu olho e vejo bem que não há nenhum problema
         A                            
E digo, não por favor, não insista e faça pista
       E
não quero torturar meu coração
  B7                       A                  
Garota ir ao cinema é uma coisa normal,
              E                                B7
mas é que eu tenho que manter a minha fama de mau
    E
Meu bem chora, chora e diz que vai embora
exige que eu lhe peça desculpas sem demora
        A                                
E digo não por favor, não insista e faça pista
      E
não quero torturar meu coração
  B7                       A         
Perdão à namorada é uma coisa legal,
              E                                B7
mas é que eu tenho que manter a minha fama de mau

        E
E digo não, digo não, digo não, não, não
      A                 A#o
Digo não, digo não, digo não, não, não
    E                    C#7         
Perdão à namorada é uma coisa legal,
             F#7         B7         E         C#7
mas é que eu tenho que manter a minha fama de mau
   F#7          B7          E           F#7
Tenho que manter a minha fama de mau,
              B7         E
tenho que manter a minha fama de mau

Mexericos da Candinha



Mexericos da Candinha (jovem guarda, 1965) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
A7
  a Candinha vive a falar 
  de mim em tudo
  diz que eu sou louco
  esquisito e cabeludo
             D7
  que eu não ligo pra nada    
  que eu dirijo em disparada
  A7
  acho que a Candinha   
  gosta mesmo é de falar
       E7                                D7
  ela diz que eu sou maluco   e que o hospício é o meu lugar
 A7        E7            A7
  mas a Candinha quer falar
 
  a Candinha quer fazer da minha vida um inferno
 
  já está falando   do modelo do meu terno
           D7
  e que a minha calça é justa    que de ver ela se assusta 
  A7
  e também a bota    que ela acha extravagante
       E7                                 D7
  ela diz que eu falo gíria   e que é preciso maneirar
 A7        E7           A7
  mas a Candinha quer falar
 
 D7                         A7
  a Candinha gosta    de falar de toda gente
      D7                         A7
  mas as garotas gostam    de me ver bem diferente
  D7                          A7
  a Candinha fala     mas no fundo me quer bem
    B7                       E7
  e eu não vou ligar pra mexericos de ninguém
 
      A7
  mas a Candinha agora está falando até demais
 
  porém ela no fundo   sabe que eu sou bom rapaz
          D7
  e sabe bem que essa onda    é uma coisa natural
  A7
  e eu digo que viver assim é que é legal
              E7                    D7
  sei que um dia a Candinha   vai comigo concordar
 A7            E7         A7
  mas sei que ainda vai falar
 E7                        A7
  mas sei que ainda vai falar
 E7                      A7     
  mas a Candinha quer falar
 
 

Meu querido meu velho, meu amigo

Meu querido, meu velho, meu amigo (1979) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Intro: 41 40 53 63 28 17 18 110 113 111 
         28 18 110 111 115 113 28 17 18 
         110 111 18 

   Bm7                                              F#7
Esses seus cabelos brancos, bonitos, esse olhar cansado, profundo
                                           Bm7
Me dizendo coisas, um grito, me ensinando tanto, do mundo...
                            B7               Em
E esses passos lentos, de agora, caminhando sempre comigo,
                       Bm
Já correram tanto, na vida,
                   F#7        Bm
Meu querido, meu velho, meu amigo

                                               F#7
Sua vida cheia de histórias, e essas rugas marcadas pelo tempo,
                                               Bm
Lembranças de antigas vitórias ou lágrimas choradas ao vento...
                   B7                   Em
Sua voz macia me acalma e me diz muito mais do que eu digo
                    Bm
Me calando fundo na alma
                   F#7         Bm  F#7  Bm  F#7  Bm  
Meu querido, meu velho, meu amigo

                                F#7
Seu passado vive presente, nas experiências contidas,
                                          Bm
Nesse coração consciente, da beleza das coisas da vida.
                        B7                Em
Seu sorriso franco me anima seu conselho certo me ensina,
                       Bm
Beijo suas mãos e lhe digo
                  F#7        Bm
Meu querido, meu velho, meu amigo

  F#7               Bm
Eu já lhe falei de tudo,
                  F#7
Mas tudo isso é pouco
               Bm       
Diante do que sinto...
   Em                        Bm
Olhando seus cabelos tão bonitos,
                   F#7
Beijo suas mãos e digo
                               Bm
Meu querido, meu velho, meu amigo