sábado, 15 de julho de 2006

Sou uma criança, não entendo nada

Sou uma criança, não entendo nada (1989) - Arnaldo Antunes e Erasmo Carlos
Intr.: 

D7 / / C7 / / G6 / / / / D7 / / C7 / /
       G6 / / / /
      G6                        
Antigamente quando eu me excedia
     C7(9)                    G6
Ou fazia  alguma coisa errada
                           
Naturalmente minha mãe dizia:
              A7                      D7(9)
"Ele é uma criança, não entende nada".
              C7(9)                  G6  E7
Por dentro eu ria  satisfeito e mudo    
            A7           D7(9)     G6
— Eu era um homem e entendia  tudo
                          
Hoje só, com meus problemas
     C7(9)                      G6
Rezo muito, mas eu não me iludo
                               
Sempre me dizem quando fico sério:
           A7                    D7(9)
"Ele é um homem e entende tudo"
           C7(9)                 G6
Por dentro com  a alma tarantada 
  E7         A7          D7(9)      G6
— Sou uma criança, não entendo nada.

O pica-pau

O pica-pau (1966) - Renato Barros e Lílian Knapp - Interpretação: Erasmo Carlos
Tom: G

G
com meu bem fui ao cinema
assistir ao festival
                      D7
quando apareceu o pica-pau
    G                 G7
na hora de beijar meu bem
   C               Cm
na tela apareceu alguém
G      E7  Am   D7     G   D7
ou ou ou ou ou o pica-pau

G
depois disso meu amor
não me deu mais atenção
                         D7
só dizia que bichinho legal!
      G               G7
bem zangado então fiquei
     C                Cm
por causa deste meu rival
G      E7  Am   D7     G   D7
ou ou ou ou ou o pica-pau

O impossível

O impossível (2001) - Kiko Zambianchi - Intérprete: Erasmo Carlos
Tom: C
  

(intro) F Fm C D7 F Fm

C              Am                  Em
 Se a gente dominasse o tempo e a vida
F                              Dm
 Eu escolhesse um dia pra voltar
F                              C
 Eu ia te dizer que ainda te amo
D7                              G    D7
 Que tenho um outro sonho pra sonhar
C                Am           Em
 A luz do sentimento ainda brilha
F                        Dm
 Nem o vento consegue apagar
F                                   C
 E a cor que se mostrou mais colorida
     D7                        G
 É a voz que é preciso pra cantar

     Am7    Fm    C     D7
 O amor, ficou, você se foi
       Fm                               C
 Quem sabe um dia a gente vai se encontrar
     Am      Fm      C     D7
 Não sei, viver, sem ter você
     Fm                      C F Fm C D7 F Fm
 Calado quando é hora de acordar

(intro) F Fm C D7 F Fm

C                 Am               Em
 Se a vida me mostrasse outro destino
F                                 Dm
 Que fosse bem mais fácil de enfrentar
F                              C
 Eu te daria um pouco do impossível
     D7                          G
 Só pra dizer o quando eu posso amar
     Am      Fm    C     D7
 O amor, ficou, você se foi
       Fm                               C
 Quem sabe um dia a gente vai se encontrar
     Am      Fm      C     D7
 Não sei, viver, sem ter você
     Fm                      C
Calado quando é hora de acordar(2x)

O caderninho

Olmir Stocker
Durante um ensaio para o programa “Jovem Guarda”, o guitarrista gaúcho Olmir Stocker, o Alemão, estava mostrando a Simonal um samba que fizera havia pouco tempo, quando chegaram Wanderléa e Erasmo Carlos. Imediatamente, Erasmo mostrou-se interessadíssimo pela canção, tendo Alemão, na época integrante do grupo Os Vandecos, dado a ele a música para gravar.

“O Caderninho” foi composto ao tempo em que o guitarrista morava no bairro paulistano da Casa Verde, sendo inspirado pelos encantos de uma garota, que diariamente ele via passar uniformizada por sua rua, rumo à escola.

Com uma melodia graciosa, bem resolvida, e uma letra inocente, que revela uma criativa forma de declaração de amor, a canção caiu em cheio no gosto da juventude: “Eu queria ser o seu caderninho / pra poder ficar juntinho de você / inclusive na escola eu iria com você entrar / e na volta juntinho ao seu corpo eu iria ficar / e em casa, então, você me abriria / para me estudar e se assustaria / ao ver revelado em seu caderninho / meu rosto lhe olhando / dizendo baixinho / benzinho não posso viver / longe de você.”

No arranjo para a gravação, Alemão alterou o ritmo original, incrementando o conjunto de Erasmo, Os Tremendões, com um vibrafone, lá-lá-lás de vocal masculino e a marcação de palmas, para reproduzir o mesmo clima dançante das interpretações de cantores como Chris Montez e Trini Lopez, de muito sucesso na ocasião. Este tipo de adaptação seria muito usado pelo cantor Wilson Simonal no auge de sua carreira (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).



O caderninho (jovem guarda, 1967) - Olmir Stocker
Tom: A
  

 A    G#7
Eu queria ser o seu caderninho
     C#m            Bm  E7
Pra poder ficar juntinho de você
    A
Inclusive na escola
G#m          C#7
eu iria com você entrar
  F#m
E na volta juntinho ao seu corpo
Bm   E7
eu iria ficar
    A      G#7
E em casa então, você me abriria
         A       G#m C#7
Para me estudar, e se assustaria
   F#            F#m
Ao ver revelado em seu caderninho o meu rosto
Me olhando dizendo baixinho
   B7   D   E       A
Benzinho eu não posso viver longe você

(solo)

A    G#7
Eu queria ser o seu caderninho
     C#m             Bm  E7
Pra poder ficar juntinho de você
    A
Inclusive na escola
G#m          C#7
eu iria com você entrar
  F#m
E na volta juntinho ao seu corpo
Bm   E7
eu iria ficar
     A       G#7
E em casa então, você me abriria
           A       G#m C#7
Para me estudar, e se assustaria
   F#                          F#m
Ao ver revelado em seu caderninho o meu rosto
Me olhando dizendo baixinho
     B7         D     E       A
Benzinho eu não posso viver longe você
Longe você, longe você, longe você
 
 

O bilhetinho

O bilhetinho (1967) - Raul Sampaio e Benil Santos - Intérprete: Erasmo Carlos
Tom: E  

Introdução: E  A  B  G#m  C#m  F#m  B7  E 
 
  E                               F#m 
 Revendo os meus guardados encontrei 
     B7                         E 
 Um bilhetinho dela que eu guardei 
    A           B 
 Dizia mesmo assim: 
     G#m        C#m 
 Te contarei depois 
    F#m         B7             E 
 Mamãe sabe de tudo entre nós dois 
                                F#m 
 Lembrei-me com saudade da escolinha 
      B7                         E 
 Que viu um dia o nosso amor nascer 
                E7             A 
 E foi como se visse a menininha 
     E            B7           E 
 De olhos verdes lindos de morrer 
                            F#m 
 Aquele bilhetinho hoje me faz 
      B7                         E 
 Lembrar um tempo que não volta mais 
    A           B 
 Dizia mesmo assim: 
     G#m        C#m 
 Te contarei depois 
    F#m         B7             E 
 Mamãe sabe de tudo entre nós dois 
                              F#m 
 Quem sabe até que a professorinha 
     B7                       E 
 Um desses bilhetinhos encontrou 
                 E7          A 
 E pra mamãe daquela menininha 
     E               B7        E 
 Do nosso amor a história revelou 
                            F#m 
 Agora que a tristeza é só minha 
     B7                      E 
 Eu conto tudo que me aconteceu 
                     E7             A 
 Não sei aonde é que anda a menininha 
         E          B7             E 
 Que se afastou de mim quando cresceu 
                            F#m 
 Aquele bilhetinho hoje me faz 
      B7                         E 
 Lembrar um tempo que não volta mais 
    A           B 
 Dizia mesmo assim: 
     G#m        C#m 
 Te contarei depois 
    F#m         B7             E    C#m 
 Mamãe sabe de tudo entre nós dois 
    F#m         B7             E    C#m 
 Mamãe sabe de tudo entre nós dois 
    F#m         B7             E     C#m 
 Mamãe sabe de tudo entre nós dois, viu 
    F#m         B7             E 
 Mamãe sabe de tudo entre nós dois. 

Mulher (Erasmo Carlos)

Habitual frequentador das paradas de sucesso como parceiro de Roberto Carlos, Erasmo comparece em 81 também como intérprete de duas canções de espírito bem diverso.

A primeira é a brincalhona “Pega na Mentira”, em que diz em cada verso uma mentira sobre costumes e celebridades da época (“Zico tá no Vasco / com Pelé / (...) / vi Papai Noel numa favela / o Brasil não gosta de novela...”).

A segunda, “Mulher (Sexo Frágil)”, feita com a esposa, Narinha, desmancha-se em elogios à mulher, especialmente à companheira, mãe-de-família, cujo amor tem que ser compartilhado com os filhos: “Quando eu chego em casa à noitinha / quero uma mulher só minha / mas pra quem deu luz não tem mais jeito / porque um filho quer seu peito / o outro já reclama a sua mão / e o outro quer o amor que ela tiver / quatro homens dependentes e carentes / da força da mulher...”

Tendo em vista a quantidade de mães merecedoras de homenagens, não é de admirar o sucesso da canção (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Mulher (Sexo frágil) (1981) - Erasmo Carlos e Narinha
Tom: A

A                             Bm7
Dizem que a mulher é o sexo frágil
E7                 A
Mas que mentira absurda
                         Bm7
Eu que faço parte da rotina de uma delas
E7                         A
Sei que a força está com elas...
                              Bm
Vejam como é forte a que eu conheço
E7                      A
Sua sapiência não tem preço
                         Bm7
Satisfaz meu ego, se fingindo submissa
E7                A         Bm7 Cm7
Mas no fundo me enfeitiça
Dm7
Quando eu chego em casa a noitinha
                     Bm7
Quero uma mulher só minha
Dm7
Mas pra quem deu a luz não tem mais jeito
                           Bm7  E7
Porque um filho quer seu peito
C#m7                    F#m7
O outro já reclama a sua mão
Bm7                            E7
E o outro quer o amor que ela tiver
 C#m7              F#7         Bm7   
Quatro homens dependentes e carentes
   E7         A  E7
da força da mulher.
   A        Bm7
Mulher, mulher
   C#m7                   D7+
Do barro de que você foi gerada
 C#m7         F#7          Bm7        E7/9-     A   Bm7 E7
Me veio inspiração pra decantar você nessa canção
   A        Bm7
Mulher, mulher
C#m7                         D7+
Na escola em que você foi ensinada
C#m7             F#7      Bm7  
Jamais tirei um dez, sou forte
E7/9-                   A    Bm7  E7  A
mas não chego aos seus pés.

Mesmo que seja eu

Mesmo que seja eu (1983) - Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Tom: Em7
Intro: Em7 D B7 Em7
Em7                        D      B7
Sei que você fez os seus castelos
 Em7                    D
E sonhou ser salva do dragão
 C    Cm
Desilusão meu bem
 G        E7          Am      D
Quando acordou estava sem ninguém,
 (Em7 D  B7     Em7)
xi..., xi, sem ninguém! Sei!
 Em7                         D    B7
Sozinha no silêncio do seu quarto
 Em7                       D
Procura a espada do seu salvador
 C               Cm
E no sonho se desespera
 G          E7           Am      B7
Jamais vai poder livrar você da fera
     Em7   (Em7 D B7 Em7)
Da solidão
 C          Cm
Com a força do meu canto
 G              E7         Am         B7
Esquento o seu quarto prá secar seu pranto
 Em7                G7
Aumenta o rádio me dê a mão
       C           Cm          G        E7
Você precisa de um homem pra chamar de seu
 Am7            B7        Em7
Mesmo que esse homem seja eu
               D       B7
Um homem prá chamar de seu
               Em7
Mesmo que seja eu

Mais um na multidão

Mais um na multidão (2001) - Erasmo Carlos, Marisa Monte e Carlinhos Brown
Tom: Ab
Ab                    Bbm
Guarde segredo que te quero
Eb                   Fm
E conte só os seus pra mim
Ab                    Bbm
Faça de mim o seu brinquedo
C7
Você é meu enredo
Vem pra cá
Bbm
Te quero
Ab  Fm
Te espero
Bbm
Não, não vai passar
Eb             Ab
O amor nao falta estar

Ab        
Você pensa mim
G
E eu penso em você
Bbm
Eu tento dormir
Fm
Você tenta esquecer
Bbm                             Eb
Longe do seu ninho, meu andar caminho
Bbm                             Eb
Deixo onde passo os meus pés no chão
Ab
Sou mais um na multidão

Ab                        G
O mar de solo no leito do lar
Bbm                Fm
E nem o rio pode apagar
Bbm                      Eb
O amor é fogo e ferve queimando
Bbm                           Eb
Estou ferido agora e sigo te amando
Ab
Você pode acreditar

Ab              Bbm
A mesma carta o mesmo verbo
Eb                 Fm
E sonho só viver pra ti
Ab                    Bbm
Quem tem a chave do mistério
C7
Nao teme tanto o medo de amar
Bbm
E cego
Ab   Fm
Te enxergo
Bbm
Não, não vai passar
Eb               Ab
O amor não falta estar

Bbm
Te quero
Ab  Fm
Te espero
Bbm
Não, não vai passar
Eb             Ab
O amor nao falta estar
Ab        
Você pensa mim
G
E eu penso em você
Bbm
Eu tento dormir
Fm
Você tenta esquecer
Bbm                             Eb
Longe do seu ninho, meu andar caminho
Bbm                                 Eb
Deixo o óbvio e faço os meus pés no chão
Ab
Sou mais um na multidão
Sou mais um na multidão
Sou mais um na multidão
Sou mais um na multidão
Sou mais um na multidão......

Índigo blue

Índigo blue (reggae, 1997) - Gilberto Gil - Interpretação: Erasmo Carlos
Tom: C
  

Intr: Em A7 C/D

Em
Índigo blue
   A7
Índigo blue
C/D          Em
Índigo blusão
Em
Índigo blue
   A7
Índigo blue
C/D         Em
Índigo blusão
Em
Sob o blusão
       A7
Sob a blusa
             C/D
Nas encostas lisas
            Em
Do monte do peito
                 A7
Dedos alegres e afoitos
               C/D              Em
Se apressam em busca do bico do peito
                   A7
Donde os efeitos gozozos
             C/D              F/G G7
Das ondas de prazer se propagarão
C7+                 G7
Por toda essa terra amiga
C7+                C
Desde a serra da barriga
B7                  Em
  Às grutas do coração  => Introdução
Em
Índigo blue
   A7
Índigo blue
C/D          Em
Índigo blusão
Em
Índigo blue
   A7
Índigo blue
C/D         Em
Índigo blusão
                    A7
Sob o blusão e a camisa
          C/D              Em
Músculos másculos dizem respeito
                      A7
A quem por direito carrega
               C/D
Essa terra nas costas com todo o
   Em
Respeito
                  A7
E a deposita cada dia
             C/D
Num leito de nuvens suspensos no
F/G G7
Céu
C7+              G7
Tornando-se seu abrigo
C7+                   C7
   Seu guardião, seu amigo
B7             Em
  Seu amante fiel
Em
Índigo tu
       A7
Índigo eu
C/D          Em
Índigo paixão
Em
Índigo tu
       A7
Índigo eu
C/D          Em
Índigo paixão
Em
Índigo blue
   A7
Índigo blue
C/D          Em
Índigo blusão
Em
Índigo blue
   A7
Índigo blue
C/D         Em
Índigo blusão

Homem de rua

Homem de rua (1992) - Erasmo Carlos
Intro: Dm C Bb C Bb F
F                                        Bb
Foi na febre da solidão que eu conheci você
                                      F
A cura mais bonita que um homem pode ter
                                      Bb
Já no toque da sua mão senti minha salvação
                                              F
No sal eu provei o mel, da terra eu peguei no céu..
Bb               Am
Eu andava mal, nas portas do inferno
Bb                    F
Sem o fogo amigo do inverno
Bb                    Am
Quanto mais atalhos mais longe o meu caminho
  Bb                     F
O estádio cheio e eu sozinho
       Bb
Mas atolado na areia movediça
                                                                          
Eu conheci você, desfiz o nó da corda do meu pescoço
                                    F
E seu amor me trouxe do fundo do poço
Bb  Bbm     Am   Ab7
Te amo,  te amo
Gm              
Parece até que o sol encontrou a lua, despoluída e nua
                                           Dm
Meu bem você salvou a vida de um homem de rua
Intro
Bb  Bbm     Am   Ab7
Te amo,  te amo
Gm              
Parece até que o sol encontrou a lua, despoluída e nua
                                           Dm
Meu bem você salvou a vida de um homem de rua

Filho único

Filho único (1977) - Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Introdução: G

G
Hey mãe !! 
Não sou mais menino
Não é justo que também queira
Parir meu destino
                  C   
Você já fez a sua parte 
             Bm
Me pondo no mundo
                C
Que agora é meu dono , mãe 
                        G  
E nos seus planos não estão você 
 
               C 
Proteção desprotege 
                       G 
E carinho demais faz arrepender
 
G   
Hey mãe !!
Já sei de antemão 
Que você fez tudo por mim 
E jamais quer que eu sofra
                    C 
Pois sou seu único filho
                              Bm 
Mas , contudo não posso fazer nada
            C 
A barra tá pesada , mãe 
                           G 
E quem tá na chuva tem que se molhar

                    C   
No início vai ser difícil 
                         G  
Mas depois você vai se acostumar 

solo : C D C G  

Close

Close (1984) - Erasmo Carlos e Roberto Carlos - Intérprete: Erasmo Carlos
Intro: (A) .. A  F# B E 2x 
 
A                   
Quase que ela engana 
                                 B 
   a minha zoom seu pecado mais comum 
D                        Dm                A 
Uma pinta nos lábios carnudos e um par de seios fartos e  
           E7 
desnudos. 
A                            B 
Uma maravilha de pequena carioca sena 
D                     Dm              A 
Super vitamina dos reflexos, tão compléxos de ambos 
        E7 
os sexos. 
 
Refrão: 
...               A                      
Tão quente que o sol se rescente, seus raios batem  
C                               D         F 
palmas pra ela que acende um cigarro no corpo 
              A 
dar um close nela. 
 
A                                           C 
Não fosse o gogó e os pés a minha lente entrava 
                        D          F 
na dela, no ponto da mulher nota dez 
               A      E7 
dar um close nela 
 
Introdução... 
 
A                                      B 
Fêmea pra ninguém botar defeito, exemplar perfeito 
D                        Dm           A 
Um tezouro de mulher dourada com sua tanga que  
              E7 
pra mim é nada. 
 
A                                 B 
Este inenarrável monumento num dado momento, 
D                        Dm          A                E7 
Faz a praia inteira levantar numa apoteose a beira mar 

A semana inteira

Erasmo Carlos
Intro: D  G  Gm D

          Em     
a semana inteira 
              A7           D
   fiquei esperando por você
          Em          A7                D      F#
e todas as noites eu sonhei somente com você
você não pode nem imaginar
       Bm
o que causou em mim
E7                              Em        A7
esperar uma semana inteira é tão ruim
      Em            
você ficou de pensar
                  A7            D
e de me dar uma resposta para mim
    Em                  A7               D
na dúvida fiquei se você ia me dizer que sim
Em                        A7            D
você não sabe que me devolveu toda a ilusão
Em                             A7
me devolveu a paz, me trouxe amor
     D       D7
e me deu a mão
  G                     Gm
agora meu bem se você disser
       F#m         B7
disser que não, não sei o que farei
Em                          A7           D
pois há muito tempo eu já lhe dei meu coração
solo - Em A7 D  Em A7 D
F#
você não pode nem imaginar...

A carta

Raul Sampaio
Jovem Guarda - Erasmo Carlos

A carta - Raul Sampaio e Benil Santos
Tom: F
F             Dm           A#          C
  escrevo-te estas mal traçadas linhas meu amor
                             F
  porque veio a saudade visitar meu coração
                 Dm            A#           C
  espero que desculpes meus errinhos por favor
                                     F      A#   F
  nas frases desta carta que é uma prova de afeição
                   Dm              A#         C
  talvez tu não a leias, mas quem sabe até darás
                           F
  resposta imediata me chamando de meu bem
                 Dm            A#             C
  porém o que importa é confessar-te uma vez mais
                                 F
  não sei amar na vida mais ninguém
   A#          C
  tanto tempo faz
      F           Dm
  que li no teu olhar
     A#          C             F
  a vida cor de rosa que eu sonhava
      A#            C
  e guardo a impressão
      F           Dm
  de que já vi passar
     G
  um ano sem te ver
     C
  um ano sem te amar
    A#           C
  e ao me apaixonar
       F          Dm
  por ti não reparei
      A#           C       F
  que tu tivestes só entusiasmo
     A#        C
  e para terminar
    F         Dm
  amor assinarei
      A#            C
  do sempre sempre teu
    F    A# F
  Erasmo

Sonho de um palhaço

Jovem Guarda - Antonio Marcos

Am7    Cº
Vejam só...
Aº      Ebº
Que história boba eu tenho pra contar
Dm7   Dm7/C
Quem é que vai querer me acreditar,
Bº   E7(4) E7
eu sou palhaço sem querer
Am7    Cº
Vejam só...
Aº      Ebº
Que coisa incrível o meu coração,
Dm7   Dm7/C
todo pintado e nesta solidão
Bº   E7(4) E7
espera hora de sonhar
A        B/A              E/G#
Ah...o mundo sempre foi um circo sem igual
G#º    C#7(b9)        F#m7   F#m7/E
onde todos representam bem ou mal
B7(sus4)    F(b5)       E7(4)   E7
onde a farsa de um palhaço é natural.
A        B/A                    E/G#
Ah...no palco da ilusão, pintei meu coração
G#º    C#7(b9)                 F#m7   F#m7/E
entreguei , entreguei amor e sonho sem saber
B7(sus4)    F(b5)         E7(4)    E7
que o palhaço pinta o rosto pra viver...
Am7    Cº
Vejam só...
Aº      Ebº
E há quem diga que o palhaço é,
Dm7   Dm7/C
no grande circo apenas um ladrão
Bº   E7(4) E7
do coração de uma mulher...

Oração de um jovem triste



Oração de um jovem triste (1972) - Alberto Luís - Interpretação: Antonio Marcos
--          Em             Am 
eu tanto ouvia   falar em ti 
         B            Em 
por isso hoje   estou aqui 
                              Am 
eu sempre tive   tudo que eu quis 
          B               Em  E7 
mas te confesso   não sou feliz 
          Am              Em 
calça apertada    de cinturão 
        B              Em   E7 
toco guitarra    faço canção 
              Am              Em 
mas quando eu tento   me procurar 
          C              B 
eu não consigo   me encontrar 
  Am       D           Bm 
escondo o rosto com as mãos 
   Em           Am            B    Em   E7 
e uma tristeza imensa   me invade o coração 
 Am         D         Bm 
já, já não sou capaz de amar 
  Em      Am    C             B 
e a felicidade    cansei de procurar ...ah ...ah 
         Em                Am 
por isso venho   buscar em ti 
          B               Em 
o que não tenho   o que perdi 
       
                  Am 
vestido em ouro   te imaginei 
        B               Em  E7 
e tão humilde   te encontrei 
        Am                   Em 
cabelos longos   iguais aos meus 
         B                Em  E7 
tú és o Cristo,  filho de Deus 
         Am              Em 
tanta ternura   em teu olhar 
        C                B 
tua presença   me faz chorar 
   Am      D            Bm 
eu ergo os olhos para o céu 
  Em         Am       B          Em   E7 
e a luz do teu amor   me deixa tão feliz 
Am        D       Bm 
se, se jamais acreditei 
   Em        Am  C                B 
perdoa-me Senhor   pois hoje te encontrei ...ei 
 
 

Menina de tranças

Jovem Guarda - Antonio Marcos

Tom: F
 F                    Am7
Desde os tempos de criança
Dm7
Você usava trança
C7                      F  C
e eu gostava tanto, tanto de você
F                      Am7
você esqueceu eu lembro ainda
Dm7
nossa vida era tão linda
C7                    F  F7
e eu gostava tanto, tanto de você

Gm7
menina de trança
A#m7
não é mais criança
F   D7
não quer me escutar
G
o tempo passando
G7
e eu só chorando
C
menina de trança
C7
esqueceu de me amar

REFRÃO 
                Gm7
menina de trança
Am#7
matou a esperança
F  D7
de um pobre rapaz
G
o tempo tão lindo
G7
ficou na lembrança
C
menina de trança
F  C7
que falta me faz
 F                 Am7
mas o tempo foi correndo
Dm7
e você foi me esquecendo
C7                       F  C
o que era nosso infelizmente terminou
F            Am7
seu amor ia morrendo
Dm7
e eu sozinho entristecendo
C7                       F   F7
felicidade foi um sonho que passou

Eu vou ter sempre você

Jovem Guarda - Antonio Marcos

Eu vou ter sempre você (You’ll never know) - M.Gordon e H. Warren
Tom: F
 F                   F#m7  Gm7
você jamais saberá   que...rida
C7       F  Gm7 C7
a falta que você faz   em mim
F                             Gm7
meu coração   se nega a pensar   em outro alguém
C7             F
êle não quer que eu seja   de mais ninguém
Gm7               C7
até o fim dos meus di...as
F                       F#m7  Gm7
eu vou ter sempre você   co...migo
C7       F
não adianta eu querer   mentir
A#           c7
e por onde eu andar   você vai estar
Am7      Dm        D7
e nas noites eu vou te sonhar
Gm7                 C7       F  C#7
eu vou ter sempre você   em mim

A bruxa

A bruxa (1964) - Baby Santiago - Interpretação de Demetrius

Intro:   A 
 A 
 Ve..lha medonha de faca na mão. 

 Voando sentada no vassourão. 
         D                A      
 Olha a bru..xa!  Olha a bru..xa! 
             E        
 Yei ei ei a ve..lha quer pegar  
      D                     A      E7 
 cri..an..ça pra fazer sa..bão. 

      A 
 Vo..an..do baixo me apavorei. 

 Passou raspando eu até gritei: 
         D                A 
 Olha a bru..xa!  Olha a bru..xa! 
             E                 
 Yei ei ei a ve..lha quer pegar   
       D                    A      E7 
 cri..an..ça pra fazer sa..bão. 

     A 
 Vai pi..lotando seu vassourão. 

 Se não desvio vou pro caldeirão. 
         D                A 
 Olha a bru..xa!  Olha a bru..xa! 
             E              
 Yei ei ei a ve..lha quer pegar   
       D                    A      A7 
 cri..an..ça pra fazer sa..bão. 

     D      
 Ela ti..nha a boca escancarada  
          A 
 e na sua bo..ca tinha um dente só. 
  D               
 Cin..co metros de altura  
 E7 
 no pescoço tinha um nó. 

    A 
 A..vi..se a Polícia, avise Mané. 

 Avise a garotada para dar no pé. 
         D                A 
 Olha a bru..xa!  Olha a bru..xa! 
             E             
 Yei ei ei a ve..lha quer pegar   
      D                     A 
 cri..an..ça pra fazer sa..bão. 
   E                        D   
 A ve..lha quer pegar cri..an..ça  
                A 
 pra fazer sa..bão.