quarta-feira, 19 de julho de 2006

Hey Jude

Hey Jude - John Lennon e Paul McCartney
  F                Bb
Lá, lá, lá, lá, lá, lá 
      Gm                C7
lá, lá, lá, lá, lá, 
    F                 C
Hey Jude, não fique assim
        Bb    C7     F   F7
Sabe a vida ainda é bela
 Bb                   F
Esqueça de tudo que aconteceu
         C7         F   C7
Amanhã será um novo dia
     F
Hey Jude
          C
Pra que chorar
     Bb        C7      F
Por alguém que não te ama
      Bb    C7             F                C7         
Se o mundo agora te faz sofrer, tudo vai passar
         F   F7
Você vai ver
                  Bb   Dm   Gm7
Muita coisa vai fazer você mudar
                       C7           F   F7
Não tem mais razão de ser essa tristeza
                   Bb       Dm      Gm7
Se alguem te faz sofrer, pra que lembrar
                 C7          F      C7
Mas vale tentar viver de esperança
    F               C
Hey Jude, olha pra mim
       Bb   C7        F
Veja o dia como esta lindo
 Bb           C7              F
Esqueça Hei, de tudo que aconteceu, 
        C7           F  F7
amanhã será um novo dia

Bb   Dm   Gm7
Muita coisa vai fazer você mudar...
     
F
Hey Jude
         C
Pra que chorar
        Bb      C7    F  F7
Por alguém que não te ama
       Bb    C7            F                 C7
Se o mundo agora te faz sofrer, tudo vai passar
          F                       F7  C7
Você vai ver, ver ver, ver ver ver ver......
F           Bb                 Gm           F  C7
Na na na na na na, na na, na na na na Hey Jude..

Creio em ti

Creio em ti (I believe) - E. Drake, I. Grahan, J. Shirl e Stilman - Interpretação de Agnaldo Rayol
 (intro 2x)  C Am Dm G

  C             Am
Creio em Ti ao ver
             Dm      G           C
que a chuva cai e faz a flor nascer
  C               Am
Creio em Ti pois sei
                Dm       G        C G/B Am G
que enquanto é noite aqui é dia ali
  C             C7
Creio em Ti porque
            F          F#dim
me deste o riso e a dor
B7           E7  Fdim7 E7       Am
me deste o amor,       do meu amor
  Dm7          G
Creio em Ti, creio em Ti
C               Am
Se a Paz sobre nós
       Dm        G             C
o seu véu descer, eu creio em Ti
C           Am
Se a tempestade
        Dm     G             C G/B Am G
a terra abalar, eu creio em Ti
 C            Am        Dm
Cada vez que neste mundo eu escutar
F         Bm7(b5)  E7          Am
alguém cantar,    alguém chorar
          Dm  Fdim7     C Bb C Bb C
direi, então: Creio em Ti 

A noiva

Agnaldo Timóteo
A noiva (La novia) - Joaquim Prieto - Interpretação de Agnaldo Timóteo
  G         C              G    G7
Branca e radiante  vai a noiva
C                      G
Logo a seguir o noivo amado
D7                     G
Quando se unirem os corações
C       A7      Am   D7
Vão destruir ilusões           

G         C             G
Aos pés do altar está chorando
C                      G
Todos dirão que é de alegria
D7                      G
Dentro, sua alma está gritando
A7  D7  G
Ave Maria          

D7                 G
Chorará também ao dizer o sim
D7                    G
Ao beijar a cruz pedirá perdão
C                       G
E eu sei que esquecer não poderia
A7               Am      D7
Que era outro o amor que ela queria          

G           C             G
Aos pés do altar está chorando
C                      G
Todos dirão que é de alegria
D7                       G
Dentro sua alma está gritando
A7  D7   G      A7    G    G
Ave Maria    /   Ave Maria

Sempre no meu coração

Ernesto Lecuona
Sempre no meu coração (Always in my heart)
Ernesto Lecuona - versão de Mário Mendes
 A7+                     E7
Sempre no meu coração
A7+    E7        A7+    E7
Perto longe estarás
   A                A6
E ao ouvir esta canção
          Gb7            Bm  Gb7
Sei que jamais me esqueçerás

Bm       Bm7+    Bm7   Gb7
Sempre no meu coração
 Bm              E7 
Na alegria e na dor
                 Bm
Lembrarei com emoção
               E7        A7+  Bbo Bm
Que um dia eu tive o teu amor

E7         A7+  E7
Sempre no meu coração
A7+    E7        A7+   E7
O teu nome lembrarei
  A             G7
E na minha solidão
            Gb7       Bm    Gb7
Em minhas preces rezarei

Bm                  Dm
E se nunca mais voltares
         Ebo           A7+
Pra ter fim os meus pesares
    Gb7               Bm
Guardarei teu vulto então
  E7               A7+  F  A6
Sempre no meu coração

Viajante

Fagner
Tom: C
  

Intro 2x: Am7  Ab7  G4/7  C

      C    Dm/C     C7M
É viajando pelas estradas
       F/G                 C7M
Desse nosso, vosso grande país
          C      Dm/C     C7M
Eu vou cantando pelas alvoradas
          F/G
O som tão bom
                  C7M
Dessa canção que diz:
          Am       G/B      C
Ai que saudade, saudade, saudade
          Am       G/B      C
Ai que maldade, maldade, maldade
    Dm/C                   C7M
Que vem nas entranhas da beleza
       F/G                      C7M
Que só tem nas montanhas da tristeza
Em/C           Dm/C         C7M
Debaixo de um céu todo estrelado
      F/G                    C7M
Seus olhos são fogos de artifício
   Em/C         Dm/C      C7M
O amor é um ser todo iluminado
              F/G                   C7M
Que joga nos jogos da beira do precipício
                    Bm7
Assim eu vou pro futuro
    Em7       Am
De todos os momentos
                    Dm/C
E eu vou cantar no duro
                C7M
É no muro dos lamentos
  ( Dm/C  C7M)
Oi vê, oi vê, oi vê, oi vê
  ( Dm/C  C7M)
Oi vê, oi vê, oi vê, oi vê

Oh! Deus, vê se vê

Nosso padecer
   Am7    Ab7    G4/7   C7M
Oi vê, oi vê, oi vê oi vê
      C    Dm/C     C7M
É viajando pelas estradas
       F/G                 C7M
Desse nosso, vosso grande país
          C      Dm/C     C7M
Eu vou cantando pelas alvoradas
          F/G
O som tão bom
                  C7M
Dessa canção que diz:
          Am       G/B      C
Ai que saudade, saudade, saudade
          Am       G/B      C
Ai que maldade, maldade, maldade
    Dm/C                   C7M
Que vem nas entranhas da beleza
       F/G                      C7M
Que só tem nas montanhas da tristeza
Em/C           Dm/C         C7M
Debaixo de um céu todo estrelado
      F/G                    C7M
Seus olhos são fogos de artifício
   Em/C         Dm/C      C7M
O amor é um ser todo iluminado
              F/G                   C7M
Que joga nos jogos da beira do precipício
                    Bm7
Assim eu vou pro futuro
    Em7       Am
De todos os momentos
                    Dm/C
E eu vou cantar no duro
                C7M
É no muro dos lamentos
  ( Dm/C  C7M)
Oi vê, oi vê, oi vê, oi vê
  ( Dm/C  C7M)
Oi vê, oi vê, oi vê, oi vê

Oh! Deus, vê se vê

Nosso padecer

         F/G
Cintura fina
             C7M/G
Cintura de pilão
             F/G
Cintura de menina
                    C7M/G
Ói, vem cá, meu coração

Último Pau de Arara

Último pau de arara - Venâncio/Corumbá/J.Guimarães - Interpretação: Fagner
Em                B7
A vida aqui só é ruim
                      Em
Quando não chove no chão
                      B7
Mas se chover dá de tudo
                  E7
Fartura tem de porção
                    Am
Tomara que chova logo
          D7           G
Tomara, meu Deus, tomara
          E7       Am
Só deixo o meu Cariri
        B7          Em
No último pau-de-arara
          E7       Am
Só deixo o meu Cariri
        B7          Em
No último pau-de-arara
                    B7
Enquanto a minha vaquinha
                   Em
Tiver o couro e o osso
                   B7
E puder com o chocoalho
                 E7
Pendurado no pescoço
                   Am
Vou ficando por aqui
             D7      G
Que Deus do céu me ajude
             E7      Am
Quem sai da terra natal
          B7          Em
Em outro canto não pára
          E7       Am
Só deixo o meu Cariri
        B7          Em
No último pau-de-arara
          E7       Am
Só deixo o meu Cariri
        B7          Em
No último pau-de-arara

Sinal fechado



Concorrendo no V Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, em novembro de 69, Paulinho da Viola ganhou o primeiro lugar com “Sinal Fechado”. Na verdade, o resultado surpreendeu muita gente que esperava uma repetição do acontecido no festival anterior, quando ganhou uma composição tropicalista.

Mas deu “Sinal Fechado”, o que até provocou certa polêmica, com parte da crítica discordando do resultado. Esta canção, bem diferente de tudo o que Paulinho havia feito até então, seria, segundo ele próprio, uma conseqüência de contatos que mantivera “com músicos mais recentes” como “Caetano, Gil, Chico e Edu”, entre outros.

“Fiz uso”, esclarece o compositor, “de melodia simples, de harmonias simples, onde acrescentei todos os acordes uma segunda menor, buscando o clima angustiante vivido pelos personagens da música”. Daí a letra meio vanguardista que comenta a melodia: “Olá, como vai? / (...) / tudo bem, eu vou indo correndo pegar meu lugar no futuro. E você? / tudo bem, eu vou indo em busca de um sono tranqüilo, quem sabe?...”

Podendo ser classificada como uma discreta canção de protesto, “Sinal Fechado” foi lançada pelo autor num compacto simples no final de 69, tendo sido incluída e dado título, cinco anos depois, a um elepê de Chico Buarque em que ele gravou música alheia, em razão da atuação da censura que vetava toda a sua produção (A Canção no Tempo – Vol.2 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Sinal fechado (1969 ) - Paulinho da Viola
Em Em/G Em Em/G F#/4-/7
F#/4-/7/C# F#/4-/7 F#/4-/7/C#
Am Am/C B7 B7/F# Em
Em/D F#/4-/7 F#/4-/7/C#
F#/4-/7 F#/4-/7/C#
F F
Em Em/G Em Em/G
Olá, como vai ?
F#/4-/7 F#/4-/7/C# F#/4-/7 F#/4-/7/C#
Eu vou indo e você, tudo bem ?
Em Em/G
Tudo bem eu vou indo correndo
Em Em/G      
Pegar meu lugar
F#/4-/7 F#/4-/7/C# F#/4-/7 F#/4-/7/C#
no futuro, e você ?
Am Am/C
Tudo bem, eu vou indo em busca
B7 B7/F#           Em Em/D
De um sono tranquilo, quem sabe ...
F#/4-/7 F#/4-/7/C#
Quanto tempo... pois é...
F#/4-/7 F#/4-/7/C# F F
Quanto tempo...
Em              Em
Me perdoe a pressa
Am       Am/G   D/F#
É a alma dos nossos negócios
G
Oh! Não tem de quê
C         C#°       C°
Eu também só ando a cem
Am         Am/G     D/F#
Quando é que você telefona ?
G                    G
Precisamos nos ver por aí
C              C
Pra semana, prometo talvez nos vejamos
C#°  C°
Quem sabe ?
C#°                  C°
Quanto tempo... pois é... (pois é... quanto tempo...)
Em Em/D C B7
Em                         Em/D
Tanta coisa que eu tinha a dizer
C B7
Mas eu sumi na poeira das ruas
Em                     Em/D
Eu também tenho algo a dizer
C B7
Mas me foge a lembrança

Am         Am/G          D/F#
Por favor, telefone, eu preciso
G          C
Beber alguma coisa, rapidamente
C#°
Pra semana
C°
O sinal ...
C#°
Eu espero você
C°
Vai abrir...
C#°              C°
Por favor, não esqueça,
Adeus...
( C#° C° )Até o fim
(Vocal até o final...)
 
 

Romanza

Fagner
Tom: D
Intro: ( D E/D G/D D )

     D        E/D
Espinhos, esporas
 G/D
Sobre a renda labirinto
               D
Pedras no meu peito
Aberto em chaga amor
D
Ai ferraduras de prata
E/D
Cascos tinindo o aurora
     G/D
Que cavaleiro castanho
 D
Come teu pelo moreno
Breu e cal manchas de sangue
Gavião cara-donzela
Cachorro que não se aquieta
Sobre a cama camarinha
E4                E7
Lençol cheiro de alfazema
G/A                  A7
Falas, copos de aguardente
E/F#                F#7
Facas rasgando o corpete
A/B               B7
Suspiros parto criança
F#/G#                 G#7
Hoje eu vi toque a defunto
C#m7                   A
Das dores doida de estrada
E
Eu d'olhos solto nos ares
G                D
Conheço a morte e a paixão

( D E/D G/D D )

Romance no deserto

Fagner
                               D
Eu tenho a boca que arde como o sol,
                  C    G
o rosto e a cabeça quente
                      D  
Com Madalena vou me embora,
   C                        G
agora ninguém vai pegar a gente
                         D
Dei minha num pedaço de pão,
                      C   G
um esconderijo e um aguardente
                              D      
Mais um dia eu arranjo outra viola,
          C                  G     C G
e na viagem vou cantar pra Madalena

                   D                   Am 
Não chore não querida, esse deserto findo,
tudo aconteceu
            C   G
e eu nem me lembro
                D                     
Me abraça minha vida, me leva em teu cavalo,
   C                 G
e logo no paraíso chegaremos

                           D           
Vejo cidades fantasmas e ruínas,
                      C  G          
à noite escuto o seu lamento..

São pesadelos
              D     C                         G
E aves de rapina no sol vermelho do meu pensamento
                                        D
Será que eu dei um tiro no cara da cantina
                               C  G
Será que eu mesmo acertei seu peito,
                          D
vem vamos voando minha Madalena
                C                    G     C  G
O que passou, passou, não tem mais jeito
                                  D 
Naquela sombra vou armar a minha rede
                       C  G
e olhar os solitários viajantes
                              D  
Beber, cantar e matar a minha sede
    C                      G        C  G
lá longe onde tudo é verdejante

                 D                   Am              
Não chore não querida, esse deserto findo,
tudo aconteceu
            C   G
e eu nem me lembro
                D                   
Me abraça minha vida, me leva em teu cavalo,
    C                  G           
E logo no paraíso estaremos.....
                                  D
O padre vai rezar uma prece tão antiga
                      C  G
Domingo na capela da fazenda..
                             D
Brinco de ouro e botas coloridas
      C                      G
Nós dois aprisonados nessa lenda..
                                 D
Ouço um trovão e penso que é um tiro
                    C  G
A noite escura me condena..
                            D
Não sei se vivo, morro ou delírio
 C                       G   
Depressa pega a arma Madalena,
                               D
tem uma luz pra trás daquela serra
                         C  G
Mira mas não erra minha pequena,
                             D    
a noite é longa e é tanta terra
      C                     Am  G
Poderemos estar mortos noutra cena

                 D                  
Não chore não querida,
                Am
esse deserto findo, tudo aconteceu
            C   G
e eu nem me lembro
                D                       
Me abraça minha vida, me leva em teu cavalo,
  C                   G  
E logo no paraíso dançaremos...
                D                     Am
Não chores não querida, esse deserto finda
                            C   G 
Tudo aconteceu e eu nem me lembro..
Me abraça minha vida
                  D
me leva em teu cavalo
   C                   G                     
E logo no paraíso dançaremos.....
     C                        G          
Poderemos estar mortos noutra cena

Revelação

Clésio - Foto Arq. pessoal
O compositor Clésio de Sousa Ferreira (24/10/1944 - 06/07/2010) ficou conhecido nacionalmente por causa da música "Revelação", primeiro sucesso radiofônico de Fagner, incluída no álbum "Eu Canto - Quem Viver Chorará".

Inicialmente a compôs para o poema "Memória", de Carlos Drummond de Andrade. Segundo o seu irmão Climério, outro artista musicou o poema e gravou. “Quando o Clésio viu esse poema com outra música, gravado e editado, disse ‘não vou perder minha melodia, porque senão vão dizer que é plágio’. E o Clodô fez uma letra para a melodia.”

Clodô (também seu irmão) diz que precisou fazer três versões da letra até que ela casasse com aquela melodia. Ao ouvi-la, Fagner pediu que os irmãos reservassem para ele, pois queria gravá-la (Fonte: Wikipédia).

Revelação (1979) - Clodô e Clésio de Souza Ferreira - Intérprete: Fagner
Tom: D  

Intr.:(Am Am/G F7+ E4 E7)

Am             Am/G
Um dia vestido
               F7+ G
de saudades vivas
               E4 E7
Faz ressuscitar
Am               Am/G
Casas mal vividas
              F7+ G
Camas repartidas
            E  F#m Gº E7/G#
Faz-se revelar
(2ªparte x2)
A                C#m7
Quando agente tenta
              Em7
De toda maneira 
A7           D  Dm
Dele se guardar
               A   E/G#
Sentimento ilhado
F#m      B4/7   B7
Morto e amordaçado
Bm    E7      Am F#m Gº E7/G# 
Volta a incomodar.
(Introdução) F#m Gº E7/G# (2ªparte x2) 


Retrovisor

Fagner
Tom: G
Intro: G D Am C  D
G                               
Onde a máquina me leva não há nada,
D
horizontes e fronteiras são iguais
Am                         C       D          Em   D
Se agora tudo que eu mais quero já ficou pra trás
G                                         D        
Qualquer um que leva a vida nessa estrada,
só precisa de uma sombra pra chegar
Am                            D      G G7
A saudade vai batendo e o coração dispara
C        D
Mas de repente a velocidade chora
Bm                            Em  
Não vejo a hora de voltar pra casa
Am                          D
a luz do teu olhar no fim do túnel
G     G7
E no espelho a minha solidão
C                   D7        
O céu da ilusão que não se acaba,
Bm                       Em
a música do vento que não pára
C                         D7               G   D Am C D
Será que a luz do meu destino vai te encontrar
G                                  
Vejo a manhã de sol entrando em casa,
D   
iluminando os gritos das crianças
Am                               C     
Os momentos mais bonitos na lembrança
D       Em    D
não vão se apagar
G                                    
Ai quem me dera encontrar contigo agora
D
e esquecer as curvas dessa estrada
Am                        C  
Eu prefiro sonhar com os rios
D         G    G7
e lavar minha alma
C                        D7                  
Alguém sentando à beira do caminho,
Bm
jamais entenderá
Em
o que é que eu sinto agora
Am                D7                     G  G7
Sou levado pelo movimento que tua falta faz
C                        D7  
Havia tanta paz no teu carinho,
Bm                        Em  
na despedida fez um dia lindo,
C                         D
quem sabe tudo estará sorrindo
C    D  Am  C  D
Quando eu voltar

G                                   
Vejo a manhã de sol entrando em casa,
D   
iluminando os gritos das crianças
Am                          
Os momentos mais bonitos
C         D       Em    D
na lembrança não vão se apagar
G                                       D
Ai quem me dera encontrar contigo agora e
esquecer as curvas dessa estrada
Am                        C        D         G    G7
Eu prefiro sonhar com os rios e lavar minha alma
C                        D7           Bm            
Alguém sentando à beira do caminho, jamais entenderá
Em
o que é que eu sinto agora
Am                D7                     G  G7
Sou levado pelo movimento que tua falta faz
C                        D7  
Havia tanta paz no teu carinho,
Bm                        Em 
na despedida fez um dia lindo,
C                         D
quem sabe tudo estará sorrindo
G
Quando eu voltar......

Reizado

Fagner
Tom: C
  

C7                   F
Meu senhor, dono da casa
Bb               C   Em/B  
Ilumine este salão
Am                  Dm 
Trago um canto diferente
G7                 C C7
Cá dentro do coração
                   F
Se é grande o firmamento
Bb              C Em/B  
É maior a solidão
Am                 Dm 
Lá na terra de ninguém
G7               C
Aprendi esta canção

C/Bb               Dm 
Lá na terra de ninguém
G7               C
Aprendi esta canção
 Cm                            Fm
Cante com este canto quando ouvir cantar
Bb                         C  Em/B  
Chore com meu choro por ouvir falar
Am                        Dm 
Que atrás da serra, muito mais pra lá
 G7                        C
Vive um povo triste que sabe cantar
    Am                          F°
Que canta a noite inteira até o sol raiar
 E                            Am 
Falam de um reino que há de vingar
 C                         Dm 
Fosse para um dia a vida melhorar
 G7                       C
Cantaria a noite inteira sem parar
 C/Bb                    Dm 
Fosse para um dia a vida melhorar
 G7                       C     C/Bb 
Cantaria a noite inteira sem parar           
D#                         D  
Fosse para um dia a vida melhorar           
C#                         Cm 
Cantaria a noite inteira sem parar      
C/Bb                     Dm  
Fosse para um dia a vida melhorar  
G7                        C 
Cantaria a noite inteira sem parar

Qualquer música

Qualquer música - Ferreirinha e Fernando Pessoa - Intérprete: Fagner
Tom: E
  

Introdução: E G#7 C#m C#m/B F#/A# B B/A E/G# B7

           E       D/E     E7
Qualquer música, oi, qualquer
A            C#7     F#m7
Logo que me tire a alma
         F#m/E     D7/9
Esta incerteza que quer
 Am6       E/B  B/A  E/G#
Qualquer impossível calma
           E       D/E     E7
Qualquer música, oi, qualquer
A            C#7     F#m7
Logo que me tire a alma
         F#m/E     D7/9
Esta incerteza que quer
 Am6       E/B  B/A  E/G#
Qualquer impossível calma
 G#7     C#m C#m/B F#/A# F#            
Qualquer música, guitarra
B7        B/A       E/G#
Viola, harmônio, realejo
      G#7       C#m  C#m/B
Um canto que se desgarra
      F#/A#  F#      B7 B/A E/G# B7  
Um sonho em que nada vejo
           E           D/E  E7
Qualquer coisa que não vida
A           C#7     F#m7
Rock, xote, a confusão
           F#m/E   D7/9
Da última dança vivida
     Am6     E/B   B/A  E/G#
Que eu não sinta o coração
           E           D/E  E7
Qualquer coisa que não vida
A           C#7     F#m7
Rock, xote, a confusão
           F#m/E   D7/9
Da última dança vivida
     Am6     E/B   B/A  E/G#
Que eu não sinta o coração

Pressentimento

Fagner

Tom: E
  

Intro 2x: E B C#m A E B A A

 E                 B
Tudo que você pressente eu sou
C#m                    A
Qualquer paixão nos separa
E                 B              F#m
É a loucura do momento em nossa cara

 A
Fora desse céu cinzento eu vejo
E                  B
Alguma noite estrelada
F#m                A             B
Eu andava entristecido e te amava

  E                 B
Agora eu não tenho medo
C#m              A
A solidão vai embora
E                    B         F#m
Na janela em que sorria você chora

Refrão:
   A
  Fora desse fingimento
       E                 B
  Havia alguma coisa sonhada
  F#m                  A           B
  Eu não troco esse desejo por nada
   E                  B
  Pode completar seu beijo
  C#m               A
  Despedaçando a memória
    E                  B              F#m
  Procurando o meu sorriso em sua história
  A
  Eu fugi do paraíso mesmo
  E                 B
   Naquela noite pesada
  F#m                A           B
  Eu andava entristecido por nada

(E B E B E B A B)2x
Lalalalalá lalala lalalá Lalalalalá lalá

(Só voz e bateria)
Lalalalalá lalala lalalá Lalalalalá lalá (2x)

(E B E B E B A B)
Lalalalalá lalala lalalá Lalalalalá lalá... 

Pensamento

Fagner
Tom: C

    C                 Em7
Perdido em meus pensamentos
F          G7          Gm7 C7/9
É que me encontro tão só
    F7+       G7       C
Na boca um sabor de veneno
    D7           G7
No peito aquele nó
   C                     Em7
Esperando em qualquer caminho
    F      G7     Gm7 C7/9
Um dia te encontrar
         F      Fm7      C
Peito a peito frente a frente
      D7              G7
Meu amor o que é que há
C         Em7   F           G7  Gm7 C7/9
Ah! meu amor a vida pode se acabar
      F/A   Fm/Ab       C/G
Que queres mais que eu faça
  D/F#           F/G G7
Além do grito no ar
C     Em     F           G7      Gm7 C7/9
A ilusão do tempo a esperar por mim
     F      Bb7/9 C    D/C      G7
Te quero o tempo todo perto de mim
     F                G
Não sei o que é de direito
 C           E7      Am7
Mas tudo em mim é você
  Am7/G         F7+     D C/E
Quando é pra falar de amor
      F°       D/F#  G7
Já começo a enlouquecer
C       Em7 F7+       G7     Gm7 C7/9
Ai coração faz o teu fogo arder
    F      Bb7   C                        
Naquele abraço amigo                     
    D/C       G/B    C                    
Na noite que vai chover                 
     F                G
Não sei o que é de direito
 C           E7      Am7
Mas tudo em mim é você
  Am7/G         F7+     D C/E
Quando é pra falar de amor
      F°       D/F#  G7
Já começo a enlouquecer
C       Em7 F7+       G7     Gm7 C7/9
Ai coração faz o teu fogo arder
    F      Bb7   C                        
Naquele abraço amigo            
    D/C       G/B    C                    
Na noite que vai chover                   
    F#m7/5- F7+  Em Eb°                   
Naquele abraço amigo            
    Dm7       G7     C                     
Na noite que vai chover        

Pedras que cantam

Dominguinhos
Pedras que cantam - Dominguinhos e Fausto Nilo
Tom: D

Intr.: (G D) (D E)


D                     F#m
Quem é rico mora na praia
             G
Mas quem trabalha nem tem
        D
onde morar
Quem não chora dorme
     F#m
com fome
              G
Mas quem tem nome joga prata
   D
no ar
          G           D
Ô tempo duro no ambiente
          G           D
Ô tempo escuro na memória
            G            E7
O tempo é quente e o dragão
     A7
 é voraz
        G            D
Vamos embora de repente
        G            D
Vamos embora sem demora
            G          A7
Vamos pra frente que pra trás
        D
não dá mais
G         C          G
Pra ser feliz num lugar
      C         G
Pra sorrir e cantar
       C                G
Tanta coisa a gente inventa
        A7
Mas no dia que a poesia se
      D
arrebenta
G         D      A7     D       Intr.
É que as pedras vão cantar

Oh my love

Fagner
Tom: C
  

Intro: Am  G  F  G  C

F
Oh! My love
         Em
For the first time in my life
F  G                C
My eyes are wide open
F
Oh! My love
         Em
For the first time in my life

F  G         C   G/B
My eyes can see

Am              Em
I see the wind, I see the tree
F               G          C     G/B 
Everything is clear in my heart
Am                Em
I see the clouds, I see the sky
F               G           C
Everything is clear in our world
F
Oh! Meu amor
         Em
Pela primeira vez na vida
F       G             C
Meus olhos estão abertos
F
Oh! Meu amor
         Em
Pela primeira vez na vida
F    G      C    G/B
Meus olhos vêem
Am               Em
Eu vejo o vento, eu vejo a árvore
F               G             C    G/B 
Tudo está tão claro em meu viver
Am               Em
Eu vejo a nuvem , eu vejo o céu
F               G             C
Tudo está tão claro em nosso mundo
( F  Em  F  G  C ) 
Até o fim

Noturno

Faixa de abertura do elepê Beleza, o sexto do cearense Fagner, “Noturno” foi uma das canções que marcaram 1980, aparecendo como tema principal da telenovela “Coração Alado”. Aliás, o próprio título da novela seria tirado de um de seus versos, que acabaria também por identificar a composição: “Ai, coração alado / desfolharei meus olhos neste escuro véu / não acredito mais / no fogo ingênuo das paixões / são tantas ilusões / perdidas na lembrança...”

Parecendo feita sob medida para o estilo Fagner, “Noturno” é uma canção amarga que ele interpreta de forma arrebatada, com sua voz rascante, sustentada por um belo arranjo seu e de João Donato (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Noturno (1980) - Graco e Caio Sílvio
Intro: E  D  Dm  A  B7  Dm  A  E7  
  
A          E7  
 O aço dos meus olhos  
C#7                     F#m         
 E o fel das minhas palavras  
D                    Bm         
Acalmaram meu silencio   
      E7           A      E7           
Mas deixaram suas marcas  
A         E7                    
 Se hoje sou deserto  
C#7                F#m 
 É que eu não sabia  
      D              A     
Que as flores com o tempo  
          Bm  
Perdem a força  
E7            D            
 E a ventania vem mais forte.  

2x II Parte (até o final)  
A               E7              
  Hoje só acredito  
       D              A  
No pulsar das minhas veias   
C#7                   F#m  
  E aquela luz que havia  
          B7              
Em cada ponto de partida  
          E7               
Há muito  me deixou       
D          E7    F#m  E7  
 Há muito me deixou     
    
Refrão (até o final)  
A   C#7          F#m  
Ai,     Coração alado  
C#7       A              
 Desfolharei meus olhos  
B7              E7  
  Nesse escuro véu       
D  E7       A            
   Não acredito mais     
   B7            E7       
no fogo ingênuo  da paixão  
D    E7      A               
 São tantas ilusões         
   B7           E7          
Perdidas na lembrança       
D  E7       A              
  Nessa estrada            
        B7          E7     
Só quem pode me seguir sou eu  
     D       C#7    F#m   E7       
Sou eu, sou eu, sou eu          

Repete: Segunda parte uma vez  
Repete: Refrão  

Nasci para chorar

Fagner
    Em
Eu levo a minha vida
Chorando pelo mundo
   Am
Talvez até tivesse
Algum desgosto profundo
   Em
Procuro na memória
Procuro me lembrar
            B7
Mas eu não posso
     A7
Nasci para chorar
      Em
Se eu vejo uma garota
Olhando para mim
    Am
E ela me pergunta
Porque sou tão triste assim
    Em
Eu fico sem resposta
                                        B7
Digo adeus e vou-me embora pois é hora
  A7            (Em Am)B7 A7 G F)
É hora de chorar
   Em
Eu vivo a felicidade procurando
Am
Sempre solidão e a tristeza encontrando
   Em
As vezes desconfio que a alegria é ilusão
        B7     A7
Que o amor não entra no meu coração
    Em
Não sei porque razão eu sofro tanto
              Am
Desse jeito, as garotas dizem
Que ser triste é meu defeito
    Em
Eu quero é ser alegre
Ter alguém para amar
           B7
Mas eu não posso
   A7
Nasci para chorar

Me leve (Cantiga para não morrer)

Fagner
Tom Em
Intro: Em Em/D C7+ F#m7 B7 Em C7+.

Em                   Em/D 
Quando Você for se embora   
  C7+
moça branca como a neve
F#m7 B7      Em  C7+  Em                Em/D
me leve     me leve     /Se acaso você não possa
C7+               
me carregar pela mão
Am7             F#m7      B7       C
Menina branca de neve  me leve no coração
Am         D7         G       
Se no coração não possa por acaso me levar Moça de sonho
Dm      G7            C
e de neve  me leve no seu lembrar
F#m5-/7
e se aí também não possa
B7               Em                     Em/D
por tanta coisa que leve já viva em seu pensamento
Moça branca
C7+ Am  Am/G F#m5-/7 B7                Em  Em/D
como a neve                   me leve no esquecimento
C7+  = F#m7 B7
(repete)
Em  Em/D  C7+   F#m7   B7   Em
Me  leve                            me leve 

Lua do Leblon

Fagner
Tom :C

          C      Dm7    C/E
Enquanto cai a lua do Leblon,
      G/A              Dm7  A7
uma mulher tocando violão
            Dm7  Dm/C    G/b 
enquanto o sol flutua no japão,
              F/G
ouço as estrelas mais difíceis
       C    F/G     C    Dm7      C/E       C7
de se ver, você também podia aparecer ,
       Gm7
eu já pedí até aos deuses
     F7+            D/F#          B7
do verão pra que  o céu ficasse azul,
          Em7           G/A
pra que o planeta fosse um
     A7   Dm7          F/G C
do outro lado do seu coração.
  F/G      F/A        Bb    Bo
Há fotografias de Hiroshima, nos
  C          Dm7         C/E
olhos das meninas do sertão,
 F#m7/5-              B7
pássaros perdidos na neblina e o
Bb   A7         Dm7/5-  F/G
medo de se apaixonar       
              C            
mas há  um pássaro que vence um
 C/E             Gm7 
avião por quem Picasso

    C7         F7+            D/F#
explodiu seu coração pra que o céu
          B7              Bb
ficasse azul pra que o planeta
       A7          Dm7
fosse um e a Humanidade
      F/G      C
encontrasse a mãe

Letras negras

Fagner
Intro: (D A/C# G/B A)

(D A/C# G/B A)
Pelo jornal o dia chega
Com as letras negras
Do que está por vir
Pelo meu sonho era tudo bem
Você passava e olhava pra mim
Seu olhar miragem
Surgindo na paisagem
De fumaça e luz
No paraíso amor um dia
Imaginamos cidades azuis

(D A/C# G/B A)
Oh meu amor
Meu grande amor
E agora

(D A/C# G/B A)
Serenai serenai oh verde mar
A madrugada chegou
Começa o dia você me incendeia
Amor me incendeia
Até florescer
E nada mais bonito
Que o grito selvagem
Do subúrbio lado blue
Desconstruindo muros
Até o sonho aparecer

(D A/C# G/B A)
Oh meu amor
Meu grande amor
E agora

(D A/C# G/B A)
A voz na sacada
Da casa rosada
A solidão da voz
E na varanda branca
Da alvorada
O tempo cansa
De esperar por nós
Será que é preciso
Imaginar o cosmo
Pra compreender
Que esse neném no colo
Tenta resistir
Essa madona
Quer sobreviver

(D A/C# G/B A)
Oh meu amor
Meu grande amor
E agora

(D A/C# G/B A)
De lá das estrelas
Eles querem ver
Esse mundo explodir
Lágrimas na rua
De verdade
Tudo pode acontecer
Afinal
O sonho é um sinal
Que tem fruta madura
No quintal do vizinho
Por tanto tempo
Eu fiquei sozinho
Pelo jornal
O mundo acabou

(D A/C# G/B A)
Oh meu amor
Meu grande amor
E agora

Fumo

Fagner
Tom: D
Intro.: D  E/D  D,  D  E/D  Bm,
        D  E/D  Bm  F#m  G  A7  D

D              E/D           D
Longe de ti são ermos os caminhos
D                  E/D       D
Longe de ti não há luar nem rosas
D              F#m         B7
Longe de ti há noites silenciosas
                G      A7       D
Há dias sem calor, beirais sem ninhos
Meus olhos são dois velhos pobrezinhos
Perdidos pelas noites invernosas
Abertos sonham mãos cariciosas
Tuas mãos doces, plenas de carinhos
    Bm        F#m             Bm
Os dias são outonos, choram, choram
                F#m           Bm
Há crisântemos roxos que descoram
D                E/D           D
Há murmúrios dolentes de segredos
                E/D                 D
Invoco o nosso sonho, estendo os braços
                 F#7         Bm
E é ele, ó meu amor, pelos espaços
               G         A7        D
Fumo leve que foge entre os meus dedos