segunda-feira, 24 de julho de 2006

Homenagem ao malandro

À época da estréia do musical “Ópera do Malandro”, Chico Buarque descreveu e justificou o ambiente da peça em entrevistas a Isto É e Manchete: “Nós pegamos a Lapa, os bordéis, os agiotas, os contrabandistas, os policiais corruptos, os empresários inescrupulosos. (...) Tomamos como ponto de partida o que o italiano chama de Malacittá, o bas fond. Esta Lapa (que) começava a morrer era o prenúncio de uma série de outras mortes: da malandragem, de Madame Satã, de Geraldo Pereira, de Wilson Batista. Foi o fim da era de ouro do sambista urbano carioca.”

Essa história está contada na letra de “Homenagem ao Malandro”, uma das melhores composições do musical: “Eu fui fazer um samba em homenagem / à nata da malandragem / que conheço de outros carnavais / eu fui à Lapa e perdi a viagem / que aquela tal malandragem não existe mais...” E prossegue, retratando o “novo” malandro, “o malandro profissional”, “oficial”, “candidato a malandro federal”, arrematando: “Mas o malandro pra valer / — não espalha — / aposentou a navalha / (...) / até trabalha / mora lá longe e chacoalha / num trem da Central...”

“Homenagem ao Malandro” é um samba rasgado, com direito a solo de trombone do grande Maciel, breques e uma adequada interpretação de Chico Buarque. No álbum duplo do musical, só lançado em dezembro de 79, este samba é cantado pelo malandro Moreira da Silva, que vive assim o personagem João Alegre (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Homenagem ao malandro (1978) - Chico Buarque
Tom: C  

Intro: F7M Fm7 E7(13) E7(b13) A7(9) A7(b9) Dm7 G7(b9) C7M

C#m7(b5) Dm7(b5) D#m7(b5) Em7(b5)      A7(b13) D7(13)
  Eu      fui      fa...zer um samba em home...nagem
  D7(b13)       Dm7    G7(b9)       C6(9)
À nata da malandragem, que conheço de outros carnavais
C#m7(b5) Dm7(b5) D#m7(b5) Em7(b5)     A7(b13) D7(13)
  Eu      fui      à       Lapa e perdi a viagem,
         D7(b13)     Dm7  G7(b9)     C7M(9)
Que aquela tal malandragem não existe mais

     A7(13)              D7(9)         G7(13)
Agora já não é normal, o que dá de malandro regular profissional
 C7M(9)                    A7(13)
Malandro com o aparato de malandro oficial,
  D7(9)               G7(13)
Malandro candidato a malandro federal,
 C7M(9)                   Gm7    C7(9)
Malandro com retrato na coluna social;
  F7M                        D7(9)
Malandro com contrato, com gravata e capital,
   Dm7(9)      G7(13)
Que nunca se dá mal

C#m7(b5) Dm7(b5) D#m7(b5) Em7(b5)        A7(b13) D7(13)
Mas        o       ma...landro para valer, não espalha,
  D7(b13)       Dm7    G7(b9)       C6(9)
Aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal
C#m7(b5) Dm7(b5) D#m7(b5) Em7(b5)          A7(b13) D7(13)
Di   ...   zem    as      más línguas que ele até trabalha,
         D7(b13)     Dm7  G7(b9)     C7M(9)
Mora lá longe e chacoalha num trem da Central

     A7(13)              D7(9)         G7(13)
Agora já não é normal, o que dá de malandro regular profissional
 C7M(9)                    A7(13)
Malandro com o aparato de malandro oficial,
  D7(9)               G7(13)
Malandro candidato a malandro federal,
 C7M(9)                   Gm7    C7(9)
Malandro com retrato na coluna social;
  F7M                        D7(9)
Malandro com contrato, com gravata e capital,
   Dm7(9)      G7(13)
Que nunca se dá mal

C#m7(b5) Dm7(b5) D#m7(b5) Em7(b5)        A7(b13) D7(13)
Mas        o       ma...landro para valer, não espalha,
  D7(b13)       Dm7    G7(b9)       C6(9)
Aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal
C#m7(b5) Dm7(b5) D#m7(b5) Em7(b5)          A7(b13) D7(13)
Di   ...   zem    as      más línguas que ele até trabalha,
         D7(b13)     Dm7  G7(b9)     C7M(9)
Mora lá longe e chacoalha num trem da Central

Hino de Duran

Chico Buarque
 C            G/B      Am9     E/G#
Se tu falas muitas palavras sutis
C           G/B      Am9      E/G#
E gosta de senhas sussurros ardís
F           F#o    G        Am9
A lei tem ouvidos pra te delatar
F              F#o   G     Am9
Nas pedras do seu próprio lar
              
 C             G/B     Am9     E/G#
Se trazes no rosto a contravensão
C          G/B     Am9       E/G#
Muambas, baganas e nem um tostão
F         F#o     G        Am9
A lei te vigia, bandido infeliz
F          F#o     G    Am9
Com seus olhos de raios X

C              G/B    Am9        E/G#
Se vives nas sobras frequentas porões
C            G/B          Am9    E/G#
Se tramas assaltos ou revoluções
F           F#o    G         Am9
A lei te procura amanhã de manhã
F            F#o   G   Am9
Com seu faro de dobermam

C               G/B       Am9    E/G#
Se pensas que burlas as normas penais
C         G/B       Am9    E/G#
Insuflas agitas e gritas demais
F          F#o       G       Am9
A lei logo vai de abraçar infrator
F               F#o    Am9
com seus braços de estivador

Hino da Repressão (Segundo Turno)

Chico Buarque
Intr.: A7M / C#m7 / A7M / C#m7(11) /
       A7M / C#m7 / A7M / /
E          G#m7/D#   C#m7          G#/B#
Se atiras mendigos      No imundo xadrez
E          G#m7/D#    C#
Com teus inimigos E amigos, talvez
A            Am/C  C#/B                F#/A#
A lei tem motivos     Pra te confinar   
A7          C#
Nas grades do teu próprio lar
E             G#m7/D#  C#m7            G#/B#
Se no teu distrito        Tem farta sessão
E        G#m7/D#           C#
De afogamento, chicote, garrote e punção
A            Am/C    C#/B                   F#/A#
A lei tem caprichos     O que hoje é banal   
A7        C#
Um dia vai dar no jornal
E              G#m7/D#  C#m7           G#/B#
Se manchas as praças       Com teus esquadrões
E             G#m7/D#              C#
Sangrando ativistas, cambistas, turistas, peões
A              Am/C  C#/B                F#/A#
A lei abre os olhos     A lei tem pudor   
A7           C#
E espeta o seu próprio inspetor
E           G#m7/D#          C#m7
E se definitivamente a sociedade
G#/B#
só te tem desprezo e horror
E                 G#m7/D#     
E mesmo nas galeras és     nocivo,
C#
és um estorvo, és um tumor
A               Am/C  C#/B               F#/A#
Que Deus te proteja      És preso comum   
A7        C#
Na cela faltava esse um

Grande hotel

Grande hotel - Chico Buarque e Wilson das Neves
    D7M(9)                      D6/9
Vens      ao meu quarto de hotel  
Em7               F#7(b9)
Sem te anunciares se quer
Bm       Bm(7M) Bm7
Com certeza esqueceste que és       
Am7(9)   D7(9)
Que és uma senho______ra
G7M                    A7(13)
Vejo-te andar de tailleur     
F#m7               B7(13)   B7(b13)
Atravessando a nove______la
E7(9)                      Gm6
Sen_____tes prazer em falar De
A7(13)   A7(b13)
sentimentos de outro______ra
   D7M(9)         D6/9          Em7             F#7(b9)
Deito-me no canapé    Não sem antes abrir a jane______la
Bm         Bm(7M) Bm7
E ver tuas palavras ao léu       
Am7(9)   D7(9)
Jogas conversa fo______ra
G7M                      A7(13)
Sabes que estive a teus pés    
F#m7                     B7(13)   B7(b13)
Sei    que serás sempre aque______la
E7(9)                       Gm6                A7(13)
Pre_____tendes me complicar Mas   passou a nossa ho___ra
Em7                      A7
Não me incomodo que fumes
F#m7         C7(13)
Podes mes____mo te servir
B7(13)         B7(b13)        Em7(9)
à vonta______de do meu       frigobar
A7(13)                 Am6  B7(b13)  Em7
Ou      levar um souvenir              
A7
Dispõe do meu telefone
F#m7           C7(13)   B7(13)
Desejan____do, liga o interurba______no
B7(b13)     Em7(9)
pra qualquer   lugar
A7(13)                  D6/9
E a______paga a luz ao sair 
F#m7         Fm7           Em7
Quan____do eu pensava em dormir
A7(13)                 D7M(9)
Tu che______gas vestida de ne______gro
D6/9               Am7
Vens    decidida a bulir
D7(9)                 G7M  
Com quem     está posto em sos___sego
G6                      A7/4(9) A/G
En__tras com ares de atriz
F#m7        C7(9)         B7/4(9)  B7(b9)
Sa____bes que sou  da platéi_______a    
Em7(9)
Deves pensar que ando lou______co
A7(13)                    Am7     
Lou______co pra mudar de idéi___a, não?
D7(9)                     G7M G7
Pen_____sas que não sou feliz
F#m7         C7(9)          B7/4(9)  B7(b9)
En____tras com roupa de estréi_______a    
Em7(9)
Deves saber que ando lou______co
A7(13)                    D6/9
Lou______co pra mudar de idéi____a

Gota d'água

Bibi Ferreira em Gota d'Água, 1976
Retomando uma idéia de Oduvaldo Viana Filho, Paulo Pontes e Chico Buarque transportaram a tragédia grega de Medéia (de Eurípedes) para um subúrbio do Rio, dando-lhe o nome de “Gota d’Água”. Medéia, que mata os filhos e se suicida ao ser desprezada pelo amante, é na tragédia carioca Joana, companheira de Jasão, um sambista que a abandona por uma mulher rica. Embutido na recriação do drama havia o propósito dos autores de criticar e questionar as implicações sócio-políticas da ditadura militar brasileira.

Toda escrita em versos, numa linguagem coloquial, “Gota d’Água” apresentava uma dúzia de composições das quais a mais importante era a canção homônima, em que a protagonista, interpretada por Bibi Ferreira, advertia o amante: “Deixa em paz meu coração / que ele é um pote / até aqui de mágoa / e qualquer desatenção / faça não / pode ser a gota d’água”.

Contemplada com o Prêmio Molière — que Chico recusou-se a receber, em razão de estarem os concorrentes com suas peças presas na censura — “Gota d’Água” esteve em cartaz em dois teatros cariocas, sendo uma das temporadas a preços populares. Já a canção “Gota d’Água” foi gravada por Bibi no disco da peça, com orquestração de Dori Caymmi, tendo no entanto maior sucesso a versão de Simone. Eurípedes, o mais moço dos três grandes trágicos atenienses, considerado o poeta do pessimismo, criou terríveis figuras femininas e exerceu forte influência nos trágicos latinos como Ênio e Sêneca (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Gota d'água (1976) - Chico Buarque
Intro: D7+/F# 

       Gm6           G#m5-/7    C#7/9-  F#m7+ 
Já lhe dei meu corpo, minha alegria 
       F#m7      B7/9-  Em7      B/Eb   
Já estanquei meu sangue quando fervia 
Em/D               A7/C#   D/C 
Olha a voz que me resta 
                  G7+/B 
Olha a veia que salta 
                 F#/Bb            A7/13 
Olha a gota que falta pro desfecho da festa 
     D7+ 
Por favor 
       F#7/13-        Bm7  D/C  B7/D# 
Deixe em paz meu coração 
                       Em7      Gm6/Bb 
Que ele é um pote até aqui de mágoa 
              B/A          E/G#  Gm6   
E qualquer desatenção, faça não 
   F#7/13-       Bm7/9    F#7/13-       Bm7/9 
Pode ser a gota d'água 
      F#7/13-       Bm7  D/C  B7/D# 
Deixe em paz meu coração 
                       Em7      Gm6/Bb 
Que ele é um pote até aqui de mágoa 
               B/A         E/G#  Gm6 
E qualquer desatenção, faça não 
   F#7/13-       Bm7/9 
Pode ser a gota d'água 
        Gm6          G#m5-/7   C#7/9-  F#m7+ 
Já lhe dei meu corpo, minha alegria 
       F#m7       B7/9-     Em7  B//Eb  
Já estanquei meu sangue quando fervia 
Em/D              A7/C#   D/C 
Olha a voz que me resta 
                   G7+/B 
Olha a veia que salta 
                  F#/Bb              A7/13 
Olha a gota que falta pro desfecho da festa 
      D7+ 
Por favor 
       F#7/13-        Bm7  D/C  B7/D# 
Deixe em paz meu coração 
                     Em7         Gm6/Bb 
Que ele é um pote até aqui de mágoa 
                     B/A    E/G#  Gm6 
E qualquer desatenção, faça não 
    F#7/13-       Bm7  B7/D# 
Pode ser a gota d'água 
  B7               Em7   C7+ C#m5-/7 
Pode ser a gota d'água 
    F#7/9-         Bm7/9 
Pode ser a gota d'água

Geni e o zepelim

Geni e o zapelim - Chico Buarque
(intro 4x) Cm9       Fm6/C

 Cm9                      Fm6/C
De       tudo que é nego torto
 Cm9                           Fm6/C   Cm9
Do        mangue e do cais do porto
     G7/B         Cm9    Fm6/C
Ela já   foi namorada
Cm9                         Fm6/C
O        seu corpo é dos errantes
 Cm9                     Fm6/C    Cm9
Dos      cegos, dos retirantes
      G7/B              Cm9
É de quem não tem mais nada

 Bb7                 Eb/G
Dá-se assim desde menina
 G7/B                 Cm/G
Na    garagem, na cantina
Am7(b5)           Ab7(#11)   Gm7   G7
        Atrás do tanque, no mato
 Bb/Ab                Eb7M/G
É     a rainha dos detentos
 G7/B                 Cm/G
Das  loucas, dos lazarentos
 Am7(b5)       Ab7(#11)       Gm7   G7
        Dos moleques do internato

Cm9                    Fm6/C
E        também vai amiúde
 Cm9                     Fm6/C    Cm9
Co'os    velhinhos sem saúde
       G7/B         Cm9       Fm6/C
E as viúvas sem porvir
Cm9                      Fm6/C
Ela     é um poço de bondade
      Cm9                  Fm6/C   Cm9
E      é por isso que a cidade
      G7/B         Cm    G7
Vive sempre a repetir

 C               G7(4)
Joga pedra na Geni
 C               G7(4)
Joga pedra na Geni
C                    A7
Ela é feita pra apanhar
D7/A              G7
Ela  é boa de cuspir
Cm7/G                 Gm7
Ela   dá pra qualquer um
    G7     C
Maldita Geni

Cm9                      Fm6/C
Um      dia surgiu, brilhante
Cm9                     Fm6/C    Cm9
Entre   as nuvens, flutuante
     G7/B      Cm    Fm6/C
Um enorme Zepelim
 Cm9                 Fm6/C
Pairou  sobre os edifícios
Cm9                  Fm6/C   Cm9
Abriu   dois mil orifícios
          G7/B          Cm9
Com dois mil canhőes assim

Bb7              Eb/G
A   cidade apavorada
 G7/B              Cm/G
Se   quedou paralisada
Am7(b5)          Ab7(#11)   Gm7   G7
        Pronta pra virar geléia
 Bb/Ab              Eb7M/G
Mas   do Zepelim gigante
    G7/B           Cm/G
Desceu o seu comandante
Am7(b5)   Ab7(#11)                Gm7   G7
       Dizendo:      - Mudei de idéia

 Cm9                Fm6/C
Quando  vi nesta cidade
 Cm9                    Fm6/C    Cm9
Tanto   horror e iniqüidade
      G7/B          Cm9    Fm6/C
Resolvi  tudo explodir
 Cm9                     Fm6/C
Mas     posso evitar o drama
 Cm9                    Fm6/C    Cm9
Se      aquela formosa dama
      G7/B        Cm    G7
Esta noite me servir

C                  G7(4)
Essa dama era a Geni
 C                  G7(4)
Mas não pode ser Geni
C                    A7
Ela é feita pra apanhar
D7/A              G7
Ela  é boa de cuspir
Cm7/G                Gm7
Ela  dá pra qualquer um
    G7     C
Maldita Geni

 Cm9                  Fm6/C
Mas     de fato, logo ela
 Cm9                      Fm6/C    Cm9
Tăo     coitada e tăo singela
     G7/B        Cm9    Fm6/C
Cativara o forasteiro
Cm9                       Fm6/C
O       guerreiro tão vistoso
 Cm9                  Fm6/C   Cm9
Tăo     temido e poderoso
     G7/B        Cm9
Era dela, prisioneiro

Bb7                Eb/G
Acontece que a donzela
    G7/B              Cm/G
e   isso era segredo dela
Am7(b5)         Ab7(#11)          Gm7      G7
        Também tinha     seus caprichos
      Bb/Ab                   Eb7M/G
E     a deitar com homem tão nobre
 G7/B                       Cm/G
Tão cheirando a brilho e a cobre
Am7(b5)       Ab7(#11)        Gm7    G7
        Preferia amar com os bichos

Cm7                    Fm6/C
Ao      ouvir tal heresia
Cm7                    Fm6/C   Cm7
A       cidade em romaria
        G7         Cm7    Fm6/C
Foi beijar  a sua mão
Cm7                   Fm6/C
O       prefeito de joelhos
Cm7                        Fm6/C   Cm7
O       bispo de olhos vermelhos
        G7               Cm    G7
E o banqueiro com um milhão

 C                  G7(4)
Vai com ele, vai Geni
 C                  G7(4)
Vai com ele, vai Geni
 C                A7
Você pode nos salvar
 D7/A             G7
Você vai nos redimir
 Cm7/G                Gm7
Você  dá pra qualquer um
    G7     C
Bendita Geni

 Cm9                 Fm6/C
Foram   tantos os pedidos
 Cm9                      Fm6/C     Cm9
Tão     sinceros, tão sentidos
             G7/B   Cm9    Fm6/C
Que ela dominou seu asco
 Cm9                Fm6/C
Nessa   noite lancinante
Cm9                 Fm6/C   Cm9
Entregou-se a tal amante
       G7/B            Cm9
Como quem dá-se ao carrasco

Bb7              Eb/G
Ele fez tanta sujeira
 G7/B                  Cm/G
Lambuzou-se a noite inteira
Am7(b5)        Ab7(#11)   Gm7   G7
        Até ficar     saciado
Bb/Ab                Eb/G
E     nem bem amanhecia
 G7/B              Cm/G
Partiu numa nuvem fria
    Am7(b5)  Ab7(#11)   Gm7   G7
Com     seu zepelim prateado

 Cm9                  Fm6/C
Num      suspiro aliviado
Cm9                   Fm6/C    Cm9
Ela      se virou de lado
      G7/B       Cm9    Fm6/C
E tentou até sorrir
 Cm9                   Fm6/C
Mas      logo raiou o dia
       Cm9              Fm6/C   Cm9
E     a cidade em cantoria
        G7/B        Cm     G7
Năo deixou   ela dormir

 C               G7(4)
Joga pedra na Geni
 C               G7(4)
Joga bosta na Geni
C                    A7
Ela é feita pra apanhar
 D7/A             G7
Ela  é boa de cuspir
Cm7/G                Gm7
Ela  dá pra qualquer um
    G7     C
Maldita Geni

 C               G7(4)
Joga pedra na Geni
 C               G7(4)
Joga bosta na Geni
C                    A7
Ela é feita pra apanhar
D7/A              G7
Ela  é boa de cuspir
Cm7/G                Gm7
Ela  dá pra qualquer um
    G7     C
Maldita Geni

Funeral de um lavrador

Chico Buarque
Tom: Am
Intro: (50-42-50-42-40-42-53-50) 2x

Am                 Fº  E7            Am
Esta cova em que estás com palmos medida
            Fº                  Am
É a conta menor que tiraste em vida
            Fº                  Am
É de bom tamanho nem largo nem fundo
                  Fº        E7   Am
É a parte que te cabe deste latifúndio

             Fº    E7        Am
Não é cova grande, é cova medida
                  Fº   E7    Am
É a terra que querias ver dividida
             Fº                    Am
É uma cova grande pra teu pouco defunto
                 Fº   E7             Am
Mas estás mais ancho que estavas no mundo

              Fº     E7             Am
É uma cova grande pra teu defunto parco
                   Fº       E7       Am
Porém mais que no mundo te sentirás largo
             Fº   E7             Am
É uma cova grande pra tua carne pouca
             Fº   E7             Am
Mas a terra dada, não se abre a boca

           Fº         E7        Am
É a conta menor que tiraste em vida
                  Fº    E7      Am
É a parte que te cabe deste latifúndio
                 Fº    E7     Am
É a terra que querias ver dividida
               Fº        E7        Am
Estarás mais ancho que estavas no mundo
             Fº         E7      Am9
Mas a terra dada não se abre a boca

Fortaleza

Rui Guerra
Fortaleza (1974) - Chico Buarque e Rui Guerra

Em7(9)            C#m7(b5)                 Eb7M
A minha tristeza    não é feita de angústias
Em7(b5)                 A7
A minha tristeza   não é feita de angústias
D7M   D7  Gm           Gm(add9)/F
A minha surpresa       A minha surpresa  
Eb7
é só feita de fatos
              D7/4    D7         A7
De sangue nos olhos e lama nos sapatos
D7M   D7  Gm           Gm(add9)/F
Minha fortaleza        Minha fortaleza   
Eb7
é de um silêncio infame
D7/4     D7         C#m7(b5)         B7(b9)
Bastando a si mesma, retendo o derrame   A minha represa

Flor da idade

Chico Buarque
C           Em        
A gente faz hora, 
        F         G7       C    Em
   faz fila na vila do meio-dia,
F         G7
prá ver Maria
A gente almoça e só se coça e só se vicia
C
A porta dela não tem tramela, janela é sem gelosia,
Gm/Bb     A4/7    A7
nem desconfia
F#m5-/7   B7   Em         A7    Dm7   E7     A7M    D7/9
Ai, a primeira festa, a primeira fresta, o primeiro amor
Na hora certa, a casa aberta, o pijama aberto,
a família, armadilha
A mesa posta de peixe deixa um cheirinho da sua filha
Ela vive parada no sucesso do rádio de pilha,
que maravilha
Ai, o primeiro copo, o primeiro corpo, o primeiro amor.
Vê passar ela, como dança, balança, avança e recua,
a gente sua
A roupa suja da cuja se lava no meio da rua
Despudorada, dada, a danada agrada
andar seminua e continua
Ai, a primeira dama, o primeiro drama, o primeiro amor.
Carlos amava Dora, que amava Lia, que amava Léa,
que amava Paulo
Que amava Juca, que amava Dora, que amava
Carlos amava Dora, que amava a vida, que amava Dico,
que amava Rita
Que amava Dico, que amava Rita, que amava
Carlos amava Dora, que amava Pedro,
que amava tanto, que amava a filha
Que amava Carlos, que amava Dora,
que amava toda a quadrilha.

Filosofia

Filosofia (samba) - Noel Rosa e André Filho

Disco 78 rpm / Título da música: Filosofia / Autoria: André Filho (Compositor) / Rosa, Noel, 1910-1937 (Compositor) / Mário Reis (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Columbia, 1933 / Nº Álbum 22225 / Lado B / Gênero musical: Samba /
[Intro:] Dm7(9) A7(b13) Dm7(9) 
A7(b13) Dm7(9)

A7(b13)            Dm7(9) A7(b13) 
O mundo me condena,              
                 Dm7(9)
     e ninguém tem pena
  Am7  D7(b9)  Gm7
Falando sempre mal do meu nome
        Gm7/F Em7(b5)               A7(b13)
Deixando de saber se eu vou morrer de sede
                   Dm7(9) Bb7 A7
Ou se vou morrer de fome

Dm7(9) A7(b13)     Dm7(9) A7(b13)     Dm7(9)
Mas       a   filosofia    hoje me auxilia
    Am7  D7(b9) Gm7         Gm7/F Em7(b5)
A viver indiferen...te assim
     A7(b13)       Dm7(9)
Nesta prontidão sem fim
     Dm7(9)/C      Em7(b5)/Bb
Vou fingindo que sou rico
       A7(b13)       Dm7(9)
Pra ninguém zombar de mim

         Em7(b5)          A7(b13)
Não me incomodo que você me diga
         Em7(b5) A7(b13)  Dm7(9) Am7 D7(b9) Gm7
Que a sociedade é minha inimiga
      A7(b13)      Dm7(9)
Pois cantando neste mundo
                  Em7(b5)        A7(b13)   Dm7(9)
Vivo escravo do meu samba, muito embora vagabundo

Quanto a você da aristocracia
Que tem dinheiro, mas não compra alegria
Há de viver eternamente sendo escrava
Dessa gente que cultiva hipocrisia

Fim: Em7(b5) A7(b13) Bb7M

Fado tropical

Rui Guerra
Fado tropical (1974) - Chico Buarque e Rui Guerra

Intr:Cm G Cm G Cm

    G                     Cm
Oh, musa do meu fado Oh, minha mãe gentil
   A#                             D#
Te deixo consternado No primeiro abril
    C7                      Ab
Mas não sê tão ingrata Não esquece quem te amou
     D7                                 G7
E em tua densa mata Se perdeu e se encontrou

    Ab                               G
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
 Ab                                G
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

  G                           Cm
"Sabe, no fundo eu sou um sentimental
                              A#                       
Todos nós herdamos no sangue lusitano uma boa dose de lirismo
            D#
(além da sífilis, é claro)
       C7                                            Ab 
Mesmo quando as minhas mãos estão ocupadas em torturar, 
esganar, trucidar
       D7                                  G7
Meu coração fecha os olhos e sinceramente chora..."

     G                     Cm
Com avencas na caatinga Alecrins no canavial
  A#                        D#        
Licores na moringa Um vinho tropical
  C7                  Ab
E a  linda mulata Com rendas do Alentejo
   D7                               G7
De quem numa bravata Arrebato um beijo

    Ab                               G
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
 Ab                                G
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

 G                         
"Meu coração tem um sereno jeito
     Cm
E as minhas mãos o golpe duro e presto
   A#
De tal maneira que, depois de feito
D#
Desencontrado, eu mesmo me contesto
         C7
Se trago as mãos distantes do meu peito
                         Ab
É que há distância entre intenção e gesto
                            D7
E se o meu coração nas mãos estreito
                                  G7
Me assombra a súbita impressão de incesto
                                Ab                         
Quando me encontro no calor da luta
                               G
Ostento a aguda empunhadura à proa
            
Mas o meu peito se desabotoa
                            Ab  
E se a sentença se anuncia bruta
                          
Mais que depressa a mão cega executa
                            G    
Pois que senão o coração perdoa"

   G                    Cm
Guitarras e sanfonas Jasmins, coqueiros, fontes
   A#                             D#
Sardinhas, mandioca Num suave azulejo
    C7              Ab
E o rio Amazonas Que corre Trás-os-Montes
  D7                         G7
E numa pororoca Deságua no Tejo

    Ab                               G
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
 Ab                                G
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

    Ab                               G
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
 Ab                                  G
Ainda vai tornar-se um império colonial

    Ab                               G
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
 Ab                                G
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

    Ab                               G
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
 Ab                                  G
Ainda vai tornar-se um império colonial

Estação derradeira

Chico Buarque
G(add9)        G(#5/add9
Rio    de ladei__________ras 
         G6/9       G7(9)
Civilização encru___zilhada)         
G6/9        G(#5/add9)               G(add9) Cm6(9)/G
Cada  ribancei__________ra é uma nação
G6/9*         G7(9/b13)             G7(9/13)
À    sua manei_________ra com ladrão     
G7(9/b13)
Lavadeiras, hon_________ra, tradição
C6(9)/G              G(add9/#11)        G(add9)  Cm6(9)/G
Fronteiras, mu__________nição pesa______da
G(add9)        G7(9/b13)       C7M/G           E7(b13)/G#
São   Sebastião      crivado Nublai minha visão
Am7(11)           D/C         Bm7(b5) Bb7(#11)
Na noite da     grande foguei___ra desvaira_____da
F6/A                   E7/G#    Am7                   D/C
Quero ver a Manguei_____ra     Derradeira estação
Em               C#m7(b5)  Em          C#m7(b5) C7M Cm6/9
Quero ouvir sua ba___tuca__da, ai, ai
G(add9)       G(#5/add9)       
Rio    do lado          sem beira
G6/9        G7(9)           G6/9
Cidadãos intei_____ramente lou____cos
G(#5/add9)             G(add9) Cm6(9)/G
Com carra__________das de razão
G6/9*         G7(9/b13)            G7(9/13)
À    sua manei_________ra de calção     
G7(9/b13)
Com bandeiras sem         explicação
C6(9)/G            G(add9/#11)         G(add9)   Cm6(9)/G
Carreiras de         paixão dana_______da
G(add9)         G7(9/b13)      C7M/G           E7(b13)/G#
São   Sebastião      crivado Nublai minha visão
Am7(11)           D/C         Bm7(b5) Bb7(#11)
Na noite da     grande foguei___ra desvaira____da
F6/A                   E7/G#    Am7                   D/C
Quero ver a Manguei_____ra     Derradeira estação
Em                C#m7(b5)    C7M              C7(9)
Quero ouvir sua ba______tuca___da, ai, ai, ai
F6/A                   E7/G#   Am7                    D/C
Quero ver a Manguei_____ra     Derradeira estação
Em                C#m7(b5)    Em 
Quero ouvir sua ba______tuca__da,
C#m7(b5) C7M C#m7(b5) C7M Cm6/9 G(add9)
ai, ai

Eu te amo (Chico e Tom)

Eu te amo (1980) - Chico Buarque e Tom Jobim
[Intro:] G7(4)(9) Eb7M/G G7(4)(9)(13) G7(b9)

C7M         B7(4)  B7       Bb7M(9) Bb7M
Ah, se já perdemos a noção da hora
      A7(b13) A7(b9)    Ab7M(9) Ab7M
Se juntos já jogamos tudo fora
        G7(13) G7(b13)        Gb7M Dm/F
Me conta agora como hei de partir
E7M G7(b13)       C7M(9)
Ah, se, ao te conhecer,
          Am7(9)              B7(9)(11)
Dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
           B7(b9)              B7(b9)(11)
Rompi com o mundo, queimei meus navios
                  A7(13) A7(b13) Bbº Dm7(9)
Me diz pra onde é que inda posso ir
   F7M             E7             Eb7M(#5) Eb7M
Se nós, nas travessuras das noites eternas
        D7(b13) D7           Db7M(#5) Db7M
Já confundimos tanto as nossas pernas
          C7(b13)           B7M(b13) B7M B7M(#11)
Diz com que pernas eu devo seguir

C7M            Am7(9)          D7(9)(13)
Se entornaste a nossa sorte pelo chão
              Bbº       Dm7(9)
Se na bagunça do teu coração
            G7(b9)              E7(4) E7(b13)
Meu sangue errou de veia e se perdeu
F7M            E7                   Eb7M
Como, se na desordem do armário embutido
      D7(b13)              Db7M
Meu paletó enlaça o teu vestido
           C7               B7M
E o meu sapato inda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair
Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir

Essa moça tá diferente

Chico Buarque
         Bm7      G7     
Essa moça tá diferente, 
            F#7       Bm7 
   já não me conhece mais
B7(b9)         Em7/9   A7/13    Am6
Está pra lá   de pra  frente
G7M  G7             F#7
Está me passando pra trás
          Bm7    G7         F#7  Bm7
Essa moça tá decidida, a se supermodernizar
B7(b9)       Em7/9   A7/13  Am6
Ela só samba escondi.....da
G7M    G7          F#7
Que é pra ninguém reparar
           Bm7      G7     F#7    Bm7
Eu cultivo rosas e rimas, achando que é muito bom
B7(b9)       Em7/9 A7/13  Am6
Ela me olha  de    cima
G7M  G7           F#7
E vai desinventar o som
               Bm7         G7
Faço-lhe um concerto de flauta
F#7    Bm7         B7(b9)
E não lhe desperto emoção
Em7/9    A7/13 Am6    G7M    G7       F#7
Ela quer ver  o astronauta  descer na televisão
                Bm7                 Bm/A
Mas o tempo vai,    mas o tempo vem
G7M                     Bm7/F#
Ela me desfaz,    mas o que é que tem
C#°         Bm7  
Que ela só me guarda despeito,
F#7
que ela só me guarda desdém
Bm7                 Bm/A
Mas o tempo vai,    mas o tempo vem
G7M                     Bm7/F#
Ela me desfaz,    mas o que é que tem
C#°         Bm7
Se do lado esquerdo do peito
G7      F#7
No fundo, ela ainda me   quer bem
Bm7                   G7      F#7    Bm7    
Essa moça tá diferente, já não me conhece mais
B7(b9)         Em7/9   A7/13   Am6
Está pra lá   de pra  frente
G7M  G7             F#7
Está me passando pra trás
              Bm7      G7           F#7    Bm7
Essa moça é a tal da janela, que eu me  cansei de cantar
B7(b9)          Em7/9   A7/13 Am6  
E agora está   só na    dela,
G7M   G7             F#7
botando só pra quebrar
                Bm7                 Bm/A
Mas o tempo vai,    mas o tempo vem
G7M                     Bm7/F#
Ela me desfaz,    mas o que é que tem
C#°         Bm7  
Que ela só me guarda despeito,
F#7
que ela só me guarda desdém
Bm7                 Bm/A
Mas o tempo vai,    mas o tempo vem
G7M                     Bm7/F#
Ela me desfaz,    mas o que é que tem
C#°         Bm7
Se do lado esquerdo do peito
G7         F#7         Bm7
No fundo, ela ainda me   quer bem

Ela faz Cinema

[Intro:] Ab7M Ab6 Ab7M Ab6

 Ab7M
Quando ela chora
 Abm7M(6)          Cm/Bb
Não sei se é dos olhos para fora
      Ab7(13)
Não sei do que ri
           Db7M            Dbm6
Eu não sei se ela agora está fora de si
                   B7M                      B7
Ou se é o estilo de uma grande dama
Bbm7      Cm6
Quando me encara e desata os cabelos
  Gb7M/Db                  Dbm6 C7
Não sei se ela está mesmo aqui
Fm7(11)               Bb7(b9) Bbm7 Eb7(9)
Quando se joga na minha    cama

Ebm7(9)      Ab7(b5)     Db7M       Dbm6 Ab7M/C
Ela faz cinema, ela faz cinema, ela é a tal
                                 Bº(b13) Bbm6 Bbm7
Sei que ela pode ser mil
    A7(9)
Mas não existe outra igual

Quando ela mente
Não sei se ela deveras sente
O que mente para mim
Serei eu meramente mais um personagem
Efêmero da sua trama
Quando vestida de preto
Dá-me um beijo seco, prevejo meu fim
E a cada vez que o perdão me clama

Ebm7(9)       Ab7(b5)     Db7M      Dbm6 Ab7M/C
Ela faz cinema, ela faz cinema, ela é demais
                                   Bº(b13) Bbm6
Talvez nem me queira bem
  Bbm7             A7(9)    Ab7M
Porém faz um bem que ninguém me faz

        G7(b13) Cm7(9)/G              Ebm6/Gb
Eu não sei                       se ela sabe o que fez
            Aº/G          D7/F#     Fm6       C7/E
Quando fez o meu peito cantar outra vez
Fm7           C/E        Ebm7   D7(b13)   Db7M
Quando ela jura, não sei, por que, Deus, ela jura
      F7/C       C#/B F#7/A#                Bb7  Bbm7 Eb7(9)
Que tem coração    e quando o meu coração se infla...ma
Ebm7(9)    Ab7(b5)     Db7M           Dbm6 Ab7M/C
Ela faz cinema, ela faz cinema, ela é assim
             Bº(b13) Bbm6
Nunca será de ninguém
  Bbm7    A7(9)  Ab7M
Porém eu não sei viver sem e fim

Ela e sua janela

Chico Buarque
C#m7                      A7     G#7
Ela e sua menina Ela e seu  tricô
              Bm7          E7
Ela e sua jane___la, espian__do
Dm7    G7          C6/9              Am7
   Com tanta moça aí   na rua o seu amor
   D7(9)         Bm7(11) E7
só pode estar dançan_____do
Am7                B7    Em7
Da sua janela Imagina ela   Por onde ele anda
F#m7(b5)                    G7           G#7
E       ela vai talvez sair uma vez na varanda

C#m7                        A7     G#7
Ela e um fogareiro Ela e seu  calor
              Bm7           E7
Ela e sua jane___la, esperan__do
Dm7    G7           C6/9              
   Com tão pouco dinheiro será que o seu
 Am7  D7(9)       Bm7(11) E7
amor ainda está jogan_____do
Am7                 B7        Em7
Da sua janela uma vaga estrela   e um pedaço de lua
F#m7(b5)                    G7           G#7
E       ela vai talvez sair outra vez na rua

C#m7                       A7     G#7
Ela e seu castigo Ela e seu  penar
              Bm7          E7
Ela e sua jane___la, queren__do
Dm7    G7           C6/9                Am7
   Com tanto velho amigo O seu amor num bar
   D7(9)        Bm7(11) E7
só pode estar beben_____do
Em7(b5)                     A7(b9)  
Mas    outro moreno joga um novo  aceno
Dm7                  Dº  B7               G#7(b13)
   E uma jura fingida    e ela vai talvez viver
           C#m7(9) A7  C#m7(9)
duma vez a vi______da

Ela é dançarina

Chico Buarque
         D7M          B7/D#
O nosso amor   é tão bom, 
Em7/9          C#7/E#         F#m7/9 F°
o horário é que nun______ca combi_______na
B7/D# B7 E7/9  E7(9)/B     A7/C# A7 D7/9   D7(9)/A
Eu sou fun_cioná__rio       Ela é dan__çari____na
G7/B G7        C7M            B7/4   B7
Quando pe_____go o pon___to ela termi____na
            E7M            C#7/E#
Ou: quando a___bro o guichê  
F#m7/9         D#7/G          G#m7/9   G°
É quando ela abai_____xa a corti______na
C#7/E# C#7     F#7   F#7/C#
Eu sou fun_______cioná___rio  
G#7/B# G#7    C#m7   Em6/B
Ela é dan_______çari____na
F#7/A# F#7    B7/4   B7      E7/4 E7     A7/4
Abro o meu       armá____rio  Salta ser____penti____na
   A7        D7M        B7/D#
Nas  questões   de casal,
Em7/9        C#7/E#       F#m7/9   F°
Não se   fala mal      da roti______na
B7/D# B7     E7/9   E7(9)/B
Eu sou fun_____cioná____rio   
A7/C# A7    D7/9   D7(9)/A
Ela é dan_____çari____na
G7/B G7     C7M           B7/4   B7
Quando cai____o mor___to Ela empi____na
                   E7M          C#7/E#
Ou: quando eu tchum   no colchão  
F#m7/9          D#7/G       G#m7/9    G°
É quando ela tcham     no cená______rio
C#7/E# C#7    F#7  F#7/C#
Ela é dan_______çari___na  
G#7/B# G#7     C#m7    Em6/B
Eu sou fun_______cioná____rio
F#7/A# F#7    B7/4   B7      E7/4 E7    A7/4
O seu pla_______netá____rio  Minha lam____pari____na
   A7      D7M        Cm6/Eb
No ano dois   mil e um  
Em7/9       Dm6/F     Am6/C            Am6
Se juntar algum     Eu pe_____ço uma licen___ça
G7M         Gm7
E a dançari___na, enfim
F#m7     B7/13       Em7      A7/13    D6
Já me    jurou     Que faz   o show     pra mim
B7/D# Em7/9 C#7/E# F#m7/9 F°
       B7/D# B7     E7/9   E7(9)/B
Eu sou fun_____cioná____rio   
A7/C# A7    D7/9
Ela é dan_____çari____na

Ela desatinou

Chico Buarque
Bm7 Bm6          F#m7(b5) B7(b13)   Em7
Ela     desatinou,        viu    chegar quarta-feira
C#m7(b5)                F#m7(b5) B7(b9)          E7/9
Acabar     brincadeira, bandeiras       se desmanchan__do
C#m7(b5)         F#7(b13)    Bm7/9 Bm6  C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban____do
 Bm7/9  Bm6          F#m7(b5) B7(b9)      Em7
E_____la    desatinou,        viu   morrer   alegrias
C#m7(b5)              F#m7(b5) B7(b9)           E7/9
Rasgar     fantasias, os dias           sem sol raian__do
C#m7(b5)          F#7(b13)    Bm7/9 Bm6 C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban___do
Bm7/9      Em7         F#7(b13)     Bm7 Am6
Ela  não vê   que toda gen_____te já    
G7M            F#7(b13)  F#m6
está sofren___do normalmen________te
B7(b9)      Em7                 G#m7(b5)
Toda    a cida___de anda esquecida     
C#7(b9)     C#m7(b5)         F#7(b13)
da fal____sa vi________da da avenida
     Bm7 Bm6          F#m7(b5) B7(b13)
Onde ela     desatinou,        viu 
Em7
chegar quarta-feira
C#m7(b5)                F#m7(b5) B7(b9)
Acabar     brincadeira, bandeiras      
E7/9
se desmanchan____do
C#m7(b5)       F#7(b13)   Bm7/9  Bm6  C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban__do
 Bm7/9  Bm6          F#m7(b5) B7(b9)      Em7
E_____la    desatinou,        viu   morrer   alegrias
C#m7(b5)              F#m7(b5) B7(b9)          E7/9
Rasgar     fantasias, os dias        sem sol raian____do
C#m7(b5)         F#7(b13)    Bm7/9  Bm6 C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban___do
<>


Bm7 Bm6          F#m7(b5) B7(b13)   Em7
Ela     desatinou,        viu    chegar quarta-feira
C#m7(b5)                F#m7(b5) B7(b9)         E7/9
Acabar     brincadeira, bandeiras     se desmanchan__do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do...

Embarcação

Francis Hime
Embarcação - Francis Hime e Chico Buarque
Intro.: Am7 D7/9 G7+ C7+ F#m7 B7/9-
Bm7 E7/9- Am7 D7/9 G7+ C7+
F#m7 B7/9- Em7 F7/9


Em7                    F#/E
Sim, foi que nem um temporal
            Am7        B/A           Em7
Foi um vaso de cristal que partiu dentro de mim
                  Am7         D7/9          G7+    C7+
Ou quem sabe os ventos pondo fogo numa embarcação
             C#m5-/7       F#        C11+/6 D7/9
Os quatro elementos num momento de paixão
 G7+                 D/F#
Deus, eu pensei que fosse Deus
                 Dm/F
E que os mares fossem meus
      Bm5-/7 E7  A4/7 A7
Como pensam os ingleses
Eb7+                G/D    Em7
Mel, eu pensei que fosse mel
           G/A       A7/13      C/D         A/B
E bebi da vida como bebe um marinheiro de partida, mel
E6/9                 B/D#
Meu, eu pensei que fosse meu
            G#m5-/7
O calor do corpo teu
       C#7/9-               F#4/7 F#7
Que indendeia meu corpo há meses
C7+            E6/9        C#m7/9
Ah, como eu precisava amar
             F#7/13      B7/13
E antes mesmo do galo cantar
  D/E              E7/9
Eu te neguei três vezes
Am7             E6/9       C#m7/9
Cais, ficou tão pequeno cais
             F#7/13    B7/13   E6/9 B7/9-
Te perdi de vista para nunca mais
Fm7                        G/F
Mais, mais que a vida em minha mão
             Bbm7       C/Bb
Mais que jura de cristão
                    Fm7
Mais que as pedras desse cais
            Bbm7        Eb7/9          Ab7+
Eu te dei certeza da certeza do meu coração
 Db7+    Dm5-/7       G7        Gm5-/7
Mas a natureza vira a mesa da razão
Eb7/9 Ab7+
Deus... (1/2 tom acima)

Ela desatinou

Chico Buarque
Bm7 Bm6          F#m7(b5) 
Ela     desatinou,        
        B7(b13)   Em7
  viu    chegar quarta-feira
C#m7(b5)                F#m7(b5) B7(b9)          E7/9
Acabar     brincadeira, bandeiras       se desmanchan__do
C#m7(b5)         F#7(b13)    Bm7/9 Bm6  C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban____do
 Bm7/9  Bm6          F#m7(b5) B7(b9)      Em7
E_____la    desatinou,        viu   morrer   alegrias
C#m7(b5)              F#m7(b5) B7(b9)           E7/9
Rasgar     fantasias, os dias           sem sol raian__do
C#m7(b5)          F#7(b13)    Bm7/9 Bm6 C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban___do
Bm7/9      Em7         F#7(b13)     Bm7 Am6
Ela  não vê   que toda gen_____te já   
G7M            F#7(b13)  F#m6
está sofren___do normalmen________te
B7(b9)      Em7                 G#m7(b5)
Toda    a cida___de anda esquecida    
C#7(b9)     C#m7(b5)         F#7(b13)
da fal____sa vi________da da avenida
     Bm7 Bm6          F#m7(b5) B7(b13)
Onde ela     desatinou,        viu
Em7
chegar quarta-feira
C#m7(b5)                F#m7(b5) B7(b9)
Acabar     brincadeira, bandeiras     
E7/9
se desmanchan____do
C#m7(b5)       F#7(b13)   Bm7/9  Bm6  C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban__do
 Bm7/9  Bm6          F#m7(b5) B7(b9)      Em7
E_____la    desatinou,        viu   morrer   alegrias
C#m7(b5)              F#m7(b5) B7(b9)          E7/9
Rasgar     fantasias, os dias        sem sol raian____do
C#m7(b5)         F#7(b13)    Bm7/9  Bm6 C#m7(b5) F#7(b13)
E ela inda está      samban___do
Bm7/9        Em7            A/G     F#m7(b5)
Quem não inve___ja a infeliz   feliz    
B7(b9)
no seu mun______do de cetim
Em7                 Em/D       
Assim   debochando da dor,   do pecado,
C#m7(b5)               F#7(b9)
do tem________po perdido, do jogo   acabado
Bm7 Bm6          F#m7(b5) B7(b13)   Em7
Ela     desatinou,        viu    chegar quarta-feira
C#m7(b5)                F#m7(b5) B7(b9)         E7/9
Acabar     brincadeira, bandeiras     se desmanchan__do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do
C#m7(b5)             F#7(b13)      Bm7/9  Bm6
E ela inda está      samban_______do...