terça-feira, 25 de julho de 2006

O que será

Feita para o filme “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, a canção “O Que Será” tem três versões, que marcam passagens diferentes da trama: “Abertura”, “À Flor da Pele” e “À Flor da Terra”. Cantada no filme por Simone, a versão “À Flor da Terra” (três estrofes de doze versos) alcançaria grande sucesso na gravação de Chico Buarque e Milton Nascimento, que abre o elepê Meus caros amigos, um dueto, aliás, que aconteceu por mero acaso.

Chico estava na gravadora ensaiando a canção com Francis Hime, quando Milton, de passagem pelo estúdio, ouviu e gostou. Daí surgiu o convite para a gravação, depois retribuído com a participação de Chico num disco de Milton, cantando com ele “À Flor da Pele”. Mas “O Que Será”, em qualquer das versões, é uma obra-prima, no nível das melhores criações de Chico Buarque, com sua melodia forte e sua letra libertária, um tanto ambígua em certos aspectos: “O que será que será / que todos os avisos não vão evitar / porque todos os risos vão desafiar / porque todos os sinos irão repicar / porque todos os hinos irão consagrar...”

Em 15.9.92, ao tomar conhecimento do conteúdo de sua ficha no Dops-DPPS, em que há uma análise de “O Que Será”, Chico Buarque declarou ao Jornal do Brasil: “acho que eu mesmo não sei o que existe por trás dessa letra e, se soubesse, não teria cabimento explicar...” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

O que será (1976) - Chico Buarque
Dm     Dm7M       Dm7
O que será, que será
Dm6          Am    Am7M   Am7
Que andam suspirando pelas alcovas
Ab7(b5)         Gm     Gm7M       Gm7
Que andam sussurrando em versos e trovas
Gm6        Gm/Bb     Bbm7M  Em7(b5)
Que andam combinando no breu das tocas
A7(b13)        Dm     Dm7M    Dm7
Que anda nas cabeças, anda nas bocas
Dm6         Am    Am7M     Am7
Que andam acendendo velas nos becos
Ab7(b5)       Gm    Gm7M   Gm7
Estão falando alto pelos botecos
Gm6         Gm/Bb     Bbm7M Em7(b5)
E gritam nos mercados que com certeza
A7(b13)      Dm    Dm7M      Dm7
Está na natureza, será que será
Dm6          Gm/Bb     Bbm7M    Bbm7
O que não tem certeza, nem nunca terá
Bbm6           F/A        Abº     Gm7
O que não tem conserto, nem nunca terá
A7(b13)         Dm  A7(b13)
O que não tem tamanho
O que será, que será
Que vive nas idéias desses amantes
Que cantam os poetas mais delirantes
Que juram os profetas embriagados
Que está na romaria dos mutilados
Que está na fantasia dos infelizes
Está no dia-a-dia das meretrizes
No plano dos bandidos, dos desvalidos
Em todos os sentidos, será que será
O que não tem decência, nem nunca terá
O que não tem censura, nem nunca terá
A7(b13)          Dm D7
O que não faz sentido
Gm     Gm7M       Gm7
O que será, que será
Gm6        Dm      Dm7M    Dm7
Que todos os avisos não vão evitar
C#7(b5)        Cm      Cm7M  Cm7
Porque todos os risos vão desafiar
Cm6         Ebm   Ebm7M   Am7(b5)
Porque todos os sinos irão repicar
D7(b9)        Gm   Gm7M       Gm7
Porque todos os hinos irão consagrar
Gm6         Dm      Dm7M     Dm7
E todos os meninos vão desembestar
G7/B        Cm   Cm7M          Cm7
E todos os destinos irão se encontrar
Cm6            Ebm       Ebm7M     Am7(b5)
E mesmo o padre eterno, que nunca foi lá
D7(b9)           Gm      Gm7M   Gm7
Olhando aquele inferno, vai abençoar
Gm6          Ebm       Ebm7M  Ebm7
O que não tem governo, nem nunca terá
Ebm6         Bb/D        C#º     Cm7
O que não tem vergonha, nem nunca terá
D7          Gm E7
O que não tem juízo
Solo: Am Am7M Am7 Am6 Em Em7M Em7 Em6
Dm Dm7M Dm7 Dm6 Fm Fm7M Bm7(b5) E7(b9)
Am Am7M Am7 Am6 Em Em7M Em7 Em6

Dm     Dm7M       Dm7

O que será (À flor da pele)

Chico Buarque
Intr: Bm Bm7+ Bm7 Bm6 Bm5+
Bm                                    F#m7
O que será que me dá que me bole por dentro
            B7/9-
Será que me dá
                    Em7
Que brota a flor da pele será que me dá
                 C7/9          F#7/5+
E que me sobe as faces e me faz corar
                    Bm
E que me salta aos olhos a me atraiçoar
                  F#m7/5-           B7/9-
E que me aperta o peito e me faz confessar
                    Em7/9
O que não tem mais jeito de dissimular
             C7/9            F#7/5+
E que nem é direito ninguém recusar
              Bm
E que me faz mendigo me faz implorar
               Gm9
O que não tem medida nem nunca terá
                D/F#       Fo    Em7
O que não tem remédio nem nunca terá
   F#7/5+     Bm   Em7  F#7/5+
O que não tem receita
Bm
O que será que será
                  B9/A
Que dá dentro da gente que não devia
                E/G#
Que desacata a gente que é revelia
              Gm6/13             F#7/5+
Que é feito aguardente que não sacia
                   Bm
Que é feito estar doente de uma folia
                 A/B                 A5-/B
Que nem dez mandamentos vão conciliar
     F7/9        Em7/9
Nem todos os ungüentos vão aliviar
     Em/D         C#m7/5-         C7/9
Nem todos os quebrantos toda alquimia
                  Bm
Que nem todos os santos será que será
  B9/A           Gm9
O que não tem descanso nem nunca terá
                D/F#       Fo    Em7
O que não tem cansaço nem nunca terá
  F#7/5+     Bm      B7/9b
O que não tem limite
Em7/9             Em7
O que será que me dá
                   D/E               E7
Que me queima por dentro será que me dá
                  Em6/9+          Em6/9
Que me perturba o sono será que me dá
              C9/E            C9-/E
Que todos os ardores me vem atiçar
               Em7            C7+
Que todos os tremores me vem agitar
            Bm7+     Bm7    D/E
E todos os suores me vem encharcar
   E7/9          Am7
E todos os meus nervos estão a rogar
                 Cm               B7/5+
E todos os meus órgãos estão a clamar
                Em6            Em7
E uma aflição medonha me faz suplicar
                Cm7               Cm6
O que não tem vergonha nem nunca terá
                G/B       D#/A#   Am7
O que não tem governo nem nunca terá
  E11/B        Em7/9/11
O que não tem juízo

O que será (À flor da terra)

Chico Buarque
Am               Dm
E todos os meu nervos estão a rogar

E todos os meus órgãos estão a clamar
                Am
E uma aflição medonha me faz implorar

O que não tem vergonha, nem nunca terá

O que não tem governo, nem nunca terá
  E             Am
O que não tem juízo

O que será que lhe dá

O que será meu nego, será que lhe dá
                 Dm
Que não lhe dá sossego, será que lhe dá

Será que o meu chamego quer me judiar
                   Am
Será que isso são horas dele vadiar
                 G
Será que passa fora o resto da dia
                   Dm
Será que foi-se embora em má companhia

Será que essa criança quer me agoniar
                  Am
Será que não se cansa de desafiar

O que não tem descanso, nem nunca terá

O que não tem cansaço, nem nunca terá
 E               Am
O que não tem limite
Am      Am7+      Am7 Am6
O que será que será
                   Em       Em7+ Em7   F#/Bb
Que dá dentro da gente, que não devia
                Dm     Dm7+     Dm7  Dm6
Que desacata a gente, que é revelia
                    Fm     Fm7+       Bm5-/7 E7/9-
Que é feito uma aguardente que não sacia
                    Am    Am7+   Am7
Que é feito estar doente de um folia
Am6              Em     Em7+     Em7
Que nem dez mandamentos vão conciliar
     A/C#       Dm      Dm7+    Dm7
Nem todos os unguentos vão aliviar
                Fm        Fm7+     Bm5-/7
Nem todos os quebrantos, toda alquimia
  E7/9-          Am     Am7+     Am7
E nem todos os santos, será que será
   Am6           Fm     Fm7+      Fm7  Fm6
O que não tem governo, nem nunca terá
                 C/E        Ab7/Eb   Dm7
O que não tem vergonha, nem nunca terá
  E7/9-         Am7 Am6
O que não tem juízo

O meu amor

O meu amor (1978) - Chico Buarque
Tom: Gm
Intro: Cm7/9 Eb7/9 Dm7/9 Eb7/9

Gm D/F# Fm7 Eb6/9  Ab7+       
O meu amor tem um jeito manso 
                   F/A
        que é só seu
                Ab/Bb
E que me deixa louca 
          Bb7               Bº
       quando me beija a boca
                              Ab7+/C
A minha pele inteira fica arrepiada
Cm6             Eb/F   
E me beija com calma e fundo
         F7/9             Bb7/9   D7
Até minh'alma se sentir beijada, ai
Gm D/F# Fm7 Eb6/9  Ab7+                F/A
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
                    Ab/Bb   Bb7               Bº
Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos
                               Ab7+/C
Com tantos segredos lindos e indecentes
Cm6             Eb/F              F7/9 
Depois brinca comigo, ri do meu umbigo
               Bb7/9  D7
E me crava os dentes, ai
G           D/F#                  Dm7    G7
Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Cm7  F7         Bb7+              Bbm6 Abm6 Gm
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz
   D/F# Fm7 Eb6/9  Ab7+                F/A
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
             Ab/Bb   Bb7               Bº
De me deixar maluca quando me roça a nuca
                               Ab7+/C
E quase me machuca com a barba malfeita
Cm6             Eb/F                F7/9 
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
              Bb7/9  D7
Quando ele se deita, ai
Gm D/F# Fm7 Eb6/9  Ab7+                F/A
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
             Ab/Bb   Bb7               Bº
De me fazer rodeios, de me beijar os seios
                               Ab7+/C
Me beijar o ventre e me deixar em brasa
Cm6             Eb/F                F7/9 
Desfruta do meu corpo como se o meu corpo
            Bb7/9  D7
Fosse a sua casa, ai
G           D/F#                  Dm7    G7
Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Cm7  F7         Bb7+              Bbm6 Abm6 Gm
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

O futebol

Chico Buarque

Intr.: 
F7(9/#11) / / / / / / / / 
E7M / / Bm6/D /
       D°          F#7M/C#  C#7/4(9)         Cm7(9)  F7/A
Para estufar esse filó             Como eu sonhei
Bbm6  Ebm6/Gb              G°  Gb7  Fm6
Só           se eu fosse o rei
C7(b13)/E          Ab7M/Eb Bbm6/Db   Bb7/D  C7(b13)
Para tirar     efeito igual           ao jogador
E7M/B       D#7/A#
Qual   compositor
G#m7         A7(#11)            G#m6/B          Bb7/D
Para aplicar   uma firula exa____ta Que pintor
G#m/D#           E7(9)             C#7/E#      F#7(#5/9)
Para emplacar   em que pinacote___ca, nega
Eb7(b13)/G    Dm6          A7M/C#               C6  Am6/C
Pintura mais fundamental   Que um chute a gol
G#m7         G7(13)  F#m7            F7(13)        E7M(9)
Com precisão         De flecha e fo____lha seca
    
Bm6/D     D°          F#7M/C# C#7/4(9)      Cm7(9)  F7/A
Parafusar algum João              Na lateral  
Bbm6  Ebm6/Gb           G°  Gb7  Fm6
Não          quando é fatal        
C7(b13)/E          Ab7M/Eb Bbm6/Db
Para avisar      a finta enfim          
Bb7/D  C7(b13)
Quando não é
E7M/B         D#7/A#
Sim  no contrapé
G#m7         A7(#11)             G#m6/B       Bb7/D
Para avançar    na vaga geometria  o corredor
G#m/D#       E7(9)                C#7/E#        F#7(#5/9)
Na paralela do impossível, mi_____nha nega
Eb7(b13)/G      Dm6          A7M/C#          C6  Am6/C
No sentimento diagonal    Do homem-gol
G#m7           G7(13)  F#m7       F7(13)        E7M(9)
Rasgando o chão        e costurando a linha
Bm6/D      D°              F#7M/C#  C#7/4(9)
Parábola do homem comum                      
Cm7(9)  F7/A
Roçando o céu
Bbm6  Ebm6/Gb          G°  Gb7  Fm6
Um           senhor chapéu
C7(b13)/E      Ab7M/Eb Bbm6/Db       Bb7/D C7(b13)
Para delírio    das gerais           no coliseu
E7M/B            D#7/A#
Mas  que rei sou eu
G#m7      A7(#11)            G#m6/B      Bb7/D
Para anular  a natural catimba do cantor
G#m/D#      E7(9)               C#7/E#     F#7(#5/9)
Paralisando esta canção capenga, nega
Eb7(b13)/G        Dm6       A7M/C#              C6  Am6/C
Para captar o visual    De um chute a gol
G#m7       G7(13)  F#m7         F7(13)    E7M(9)
E a emoção         da idéia quando gin______ga

G#m7(b5)          C#7(b9)                   G#m7
(Para Mané       para Didi para Mané 
C#7(b9)
Mané para    Didi
F#7                 F#m7(b5)
Para Mané para Didi para Pagão  
F7(9)       E7M(9)
para Pelé   e Canhoteiro)

O circo místico

Chico Buarque
Intr.: E7M/9  A7M/9  E7M/9  A7M/9
E7M/9             A7M/9    E7M/9
Não   sei se é um truque banal   
           A7M/9    E7M/9
Se um invisível cordão
A7M/9    C7M(9)/E
Sustenta a vida  real
Em/D                     C#°(7M)
Cordas de uma orquestra, sombras de um artis____ta,
Em7/11  A7/E
palcos de um planeta
Eb7(9/#11)            D7M/9  A7/4(b9)      D7M/9
E as dançarinas   no grande final    Chove   tanta flor
C#m7/9      F#7(b13)  Bm7    Bm/A  G#m7/9
Que,  sem refle_______tir Um ardo__roso
C#7(b9)   F#7M  F#m7/9 B7/4(b9)  E7M/9
espec_____tador   vira   coli______bri
A7M/9  E7M/9  A7M/9  E7M/9  A7M/9  E7M/9  A7M/9
E7M/9             A7M/9   E7M/9           A7M/9    E7M/9
Qual Não sei se é nova ilusão   Se após o salto mortal
A7M/9       C7M(9)/E
Existe outra  encarnação
Em/D                   C#°(7M)
Membros de um elenco, malas de um desti_____no,
Em7/11   A7/E
partes de uma orquestra
Eb7(9/#11)            D7M/9  A7/4(b9)     D7M/9
Duas meninas     no imenso vagão    Negro   refletor
C#m7/9      F#7(b13)  Bm7
Flores de organ_______di
Bm/A  G#m7/9       C#7(b9)  F#7M
E o grito do     homem vo_______ador
F#m7/9   B7/4(b9) B7(b9)    E7M/9
Ao     cair              em si
A7M/9  E7M/9  A7M/9  E7M/9  A7M/9  D#m7(b5) G#7/13
G#7(b13) C#m7/9  C#m/B  A#m7(b5)   D#7(b9)  G#7M
G#6  Gm7(b5)  C7(b9)  F7M  F6  Bm7/9  E7(b9)  A7M
B7/4(b9)
E7M/9              A7M/9   E7M/9       A7M/9    E7M/9
Não sei se é vida  real,  um invisível cordão,
A7M/9    E7M/9
após o salto mortal

O casamento dos pequenos burgueses

Chico Buarque
Intr.: (E G#m7 A B7) 4 vezes
E   G#m7     A     E           C#m7      F#7    B7
Ele faz o noivo correto, e ela faz que quase desmaia
E     A        B7      E    A                B7
Vão viver sob o  mesmo teto até que a casa caia,
A                B7
até que a casa caia
(Segue a mesma harmonia e melodia até o fim)
Ele é o empregado discreto, ela engoma o seu colarinho
Vão viver sob o mesmo teto até explodir o ninho,
até explodir o ninho
Ele faz o macho irrequieto, e ela faz crianças de monte
Vão viver sob o mesmo teto até secar a fonte,
até secar a fonte
Ele é o funcionário completo,
e ela aprende a fazer suspiros
Vão viver sob o mesmo teto até trocarem tiros,
até trocarem tiros
Ele tem um caso secreto, ela diz que não sai dos trilhos
Vão viver sob o mesmo teto até casarem os filhos,
até casarem os filhos
Ele fala em cianureto, e ela sonha com formicida
Vão viver sob o mesmo teto até que alguém decida,
até que alguém decida
Ele tem um velho projeto, ela tem um monte de estrias
Vão viver sob o mesmo teto até o fim dos dias,
até o fim dos dias
Ele às vezes cede um afeto, ela só se despe no escuro
Vão viver sob o mesmo teto até um breve futuro,
até um breve futuro
Ela esquenta a papa do neto, e ele quase que fez fortuna
Vão viver sob o mesmo teto até que a morte os una,
até que a morte os una... 

Não fala de Maria

Chico Buarque
              Em7(9/11)  
Não fala de Maria       
              E7(b9)    
Maria lembra mar
Am7(11)     Am(add9)/G 
Que lembra aquele dia     
        F#m7(11)
Que não       é bom lembrar
F7M(#11)        Em7(9/11)                   E7(b9)
Que dia,    que tristeza      Que noite, que agonia
Am7(11)       Am(add9)/G      F#m7(11)
Que puxa a correnteza    E traz          a maresia
B7          E                       Am/E
E bate aquele vento Que lembra um assobio
A#º/E                B7
Que lembra um sofrimento Que eu não merecia

Em7(9/11)                E7(b9)
Não fala não, te esconjuro      Que só de imaginar
Am7(11)       Am(add9)/G        F#m7(11)
O tempo fica escuro    E o espanto     agita o mar
B7            E                     E/D
Que lembra aquele dia Que lembra uma canção
A7M                 G#7/4
Que faz lembrar Maria E aí não lembro não

G#7        A6
A coisa fica séria
A#m7(b5)               E/B
É como um turbilhão     Fazendo uma miséria
B7    Em   D7(9)  G6
No meu cora__cão
G7(13)    G7(b13)          C7M(9)                 B7/4
Que faz    lembrar Maria    E aí não lembro não

B7         C6
A coisa fica séria
C#m7(b5)               D7/4
É como um turbilhão     Fazendo uma miséria
D7    G
No meu cora__cão

Noite dos mascarados



Noite dos mascarados (marcha, 1967) - Chico Buarque
G   F#7  B7
Quem é você ?
            F#m7/5- B7     Em
Adivinha se gos.....ta de mim
        Em/D      C#m7/5- F#7/5+
Hoje os dois mascara......dos
    Bm      Bm/A     A#7/G#
Procuram os seus namorados
      G  F#7   Bm  Em Am D7
Perguntando assim
 G   F#7  B7
Quem é você, diga logo
        F#m7/5- B7    Em        Em/D
Que eu que......ro saber o seu jogo
        C#m7/5- F#7/5+   Bm          Bm/A
Que eu que......ro   morrer no seu bloco
        C#7/G# G     F#7 Bm  Em      Am
Que eu que.....ro me ar..der no seu fogo
D7  G               B7
Eu sou seresteiro, poeta e cantor
   E7/9-                Am7
O meu tempo inteiro só zombo do amor
   Cm7          F7/9
Eu tenho um pandeiro,
    G           Em
Só quero um violão
   A7
Eu nado em dinheiro
    D7  
Não tenho um tostão
     G
Fui porta-estandarte
    B7
Não sei mais dançar
   E7/9-                Am7
Eu modéstia à parte, nasci pra sambar
    Cm7      F7/9
Eu sou tão menina
    G         Em
Meu tempo passou
   A7
Eu sou colombina
   D7
Eu sou pierrot
    G F#7   B7
Mas é carnaval
                  F#m7/5- B7   Em
Não me diga mais quem     é você
    Em/D    C#m7/5- F#7    Bm
Amanhã tudo volta   ao normal
        Bm/A      C#7/G#
Deixa a festa acabar
         G  F#7   Bm
Deixa o barco correr
Em      Am  D7  G
Deixa o dia raiar
     F#7    B7                 F#m7/5- B7   E7
Que hoje eu sou da maneira que vo..cê  me quer
              Am D7      G
O que você pedir eu lhe dou
        E7      A7/9
Seja você quem for
           D7      Bm7
Seja o que Deus quiser
 
 

Não existe pecado ao sul do equador

O cineasta Rui Guerra
Em 1973 foi lançado um elepê que reunia composições da peça “Calabar” e cujo título Chico canta Calabar seria reduzido a Chico canta. Isso porque, além de proibir a peça, escrita por Chico Buarque e Rui Guerra, a censura proibiu também a palavra Calabar...

Desse disco fazia parte a canção “Não Existe Pecado ao Sul do Equador”, que faria grande sucesso cinco anos depois, quando Ney Matogrosso gravou-a, sustentado por um agitado arranjo discothèque, e a gravação foi usada como tema da telenovela “Pecado Rasgado”, da TV Globo (“Não existe pecado do lado de baixo do equador...”).

Como em 78 continuavam valendo os vetos da censura, a marcha foi cantada sem o verso original — “Vamos fazer um pecado safado debaixo do meu cobertor” — substituído por “Vamos fazer um pecado rasgado, suado, a todo o vapor...” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Não existe pecado ao sul do equador (1978) - Chico Buarque e Rui Guerra
Tom: F
Intro: Gm7   Ab°   F/A   Ab7   Gm7   Bb/C

F                            Dm7
Não existe pecado do lado de baixo
      Gm
Do Equador
       Gm7+             Gm7
Vamos fazer um pecado, rasgado
C7/9         F7+
Suado a todo vapor
                    Cm7
Me deixa ser teu escracho
                    F7
Capacho, teu cacho, diacho
   Bb7+
Um riacho de amor
Bbm7                  F/A
Quando é lição de esculacho
Ab7             Gm7
Olha aí, sai de baixo
Bb/C            F
Que eu sou professor
                    Gm7
Deixa a tristeza pra lá
      C7        Am7
Vem comer, me jantar
     Dm7       Gm7     C7      F
Sarapatel, caruru, tucupi, tacacá
  Eb7/9/11+        D7       G7
Vê se me usa, me abusa, lambuza
           Am7
Que a tua cafuza
    Gm7      F
Não pode esperar
                     Gm7
Deixa a tristeza pra lá
     C7        Am7
Vem comer, me jantar
Dm7        Gm7       C7       F
Sarapatel, caruru, tucupi, tacacá
Eb7/9/11+        D7       G7
Vê se me usa, me abusa, lambuza
              Am7
Que a tua holandesa
Gm7    (F+   Eb7+   Eb/do)Não pode esperar 

Não sonho mais

Chico Buarque
E                  G#m           C#m
Hoje eu sonhei contigo, tanta desdita, 
  amor nem te digo
         F#                 B7            E
Tanto castigo que eu tava aflita de te contar
                G#m                 C#m
Foi um sonho medonho desses que às vezes a gente sonha
            F#                B7            E
E baba na fronha, e se urina toda e quer sufocar
C#m            G#                 C#m
Meu amor vi chegando um trem de candango
              C#7                   F#
Formando um bando mas que era um bando
       B7              E7
de orangotango pra te pegar
C#m            C#                 C#m            C#7
Vinha nego humilhado, vinha morto-vivo, vinha flagelado
               F#                 B7             E
De tudo que é lado vinha um bom motivo pra te esfolar
                  G#m           C#m        
Quanto mais tu corria mais tu ficava, mais atolava
           F#              B7                E
Mais te sujava, amor, tu fedia, empesteava o ar
                  G#m              C#m
Tu que foi tão valente chorou pra gente, pediu piedade
               F#              B7           E
E, olha que maldade, me deu vontade de gargalhar
C#m          G#                 C#m
Ao pé da ribanceira acabou-se a liça
               C#7
e escarrei-te inteira
         F#              B7             E
A tua carniça e tinha justiça nesse escarrar
C#m            G#                C#m             C#7
Te rasgamo a carcaça, descendo a ripa, viramo as tripas
            F#                 B7             E
Comendo os ovos, ai, e aquele povo pôs-se a cantar
               G#m                  C#m
Foi um sonho medonho desses que às vezes a gente sonha
            F#                B7              E
E baba na fronha e se urina toda e já não tem paz
                G#m             C#m
Pois eu sonhei contigo e caí da cama
                                   F#
Ai, amor, não briga, ai, não me castiga
                B7                 E  E7/9+
Ai, diz que me ama e eu não sonho mais

Mulher, vou dizer quanto te amo

Chico Buarque
F       F#º                      Gm
 Mulher, vou dizer quanto eu te amo
 G#º        C/Bb
Cantando a flor
            FM7
que nós plantamos
                Gm
que veio a tempo
       G#º        F/A
nesse tempo que carece
      A7/13         G7/13
dum carinho,duma prece
       G7    G5m/7  G5M7
dum sorriso, dum encanto
  F       F#º                  Gm
Mulher, imagina o nosso espanto
   G#º    C/Bb             Cm7  F7
Ao ver a flor que cresceu tanto
           BbM7      Bº
Pois no silêncio mentiroso
 Am             Dm7/9
tão zeloso dos enganos
               G7/13
há de ser pura
                          Gm
como o grito mais profano
        Cm7/9     FM7  A7/13
como a graça do perdão
   A5M/7             BbM7
E que ela faça vir o dia
       Bº        Am7  Dm7/9
dia a dia mais fe liz
            G7/13  G5M/7
e seja da alegria
 Bb/C   Cm7/9    F7M  A7
sempre uma aprendiz
 Bb7M
Eu te repito
     Bº                 A7/13
esse meu canto de louvor
         Dm7/9    G7/13  GM5/7
ao fruto mais bendito
 Bb/C   Cm7/9    Fm7/9  F5M/7/9  Bbm7  Cm7/9  Fm7/9
desse nosso amor

Moto-contínuo

Edu Lobo e Chico Buarque
Intr.:( Am6 G#°(b13) C7M/G Gb7 Dm/F E7 )
      ( Ab7M/Eb Dm7(b5 11) F7M/9 G7/4(9 13) )

Am6         Bm6           Am/C         Bm6
   Um homem pode ir ao fun....do do fun...do
      Am6      Bm6          Am/C Bm6
Do fun...do se for por você
Am6         Bm6       Am/C       Bm6          Am6
   Um homem pode tapar    os bura...cos do mun...do
   Bm6          Am/C
Se for por você
Dm6          Am/C            Bm6
   Pode inventar qualquer mun...do
       Am6       Em/G                  F#7/4 F#7
Como um   vagabun....do se for por você
Dm6(9)/F                     E7/4 E7 
        Basta sonhar com você

Am6         Bm6        Am/C
   Juntar o suco dos so....nhos
        Bm6      Am6      Bm6         Am/C Bm6
E encher   um açu...de se for por você
Am6        Bm6       Am/C         Bm6         Am6
   A fonte da juventu....de corren...do nas bi...cas
   Bm6         Am/C
Se for por você
Dm6         Am/C     Bm6
   Bocas passando saú...de
       Am6          Em/G                  
Com bei...jos nas bo....cas se for por você

F#7/4 F#7 F#m7 B7(b9) Em7                      Eb7M
                         Homem também pode amar
                  D7M                 D6
E abraçar e afagar   seu ofício porque
C#m7                   C7M           C6         B7/4
    Vai habitar o edifí...cio que faz  pra você
         Dm6/F
E no aconchego da pele na pele
E7/4         E7             Cm6/Eb
Da  carne na carne, entender
D7/4
Que homem foi feito direito
D7                           B/D# B/A G#m7 E7(b13)
Do jeito que é feito o prazer

Am6          Bm6          Am/C
   Homem constrói sete usi....nas
    Bm6           Am6      Bm6        Am/C Bm6
Usan...do a energi...a que vem de você
Am6         Bm6         Am/C
   Homem conduz a alegri....a
       Bm6         Am6       Bm6         Am/C
Que sai   das turbi...nas de volta a você
Dm6         Am/C      Bm6
   E cria o moto-contí...nuo 
      Am6         Em/G
Da noi...te pro di....a se for por você

(F#7/4 F#7 F#m7 B7(b9) Em7 Eb7M D7M D6 C#m7 C7M)

B7/4             Dm6/F
     E quando um homem já está de partida
E7/4         E7          Cm6/Eb  D7/4              
Da  curva da vida ele vê         que o seu caminho
           D7                 B/D# B/A G#m7 E7(b13)
Não foi um caminho sozinho porque

Am6            Bm6          Am/C            Bm6
   Sabe que um homem vai fun....do e vai fun...do
         Am6      Bm6         Am/C Bm6
E vai fun...do se for por você
Am6            Bm6          Am/C            Bm6
   Sabe que um homem vai fun....do e vai fun...do
         Am6      Bm6         Am/C Bm6
E vai fun...do se for por você

Mulheres de Atenas

Mulheres de Atenas (1976) - Chico Buarque e Augusto Boal
Intro:  A  B/A  D/A

 A            B/A
Mirem-se no exemplo
            D/A         E7
Daquelas mulheres de Atenas
 A                B/A
Vivem pros seus maridos
           Dm/A     A
Orgulho e raça de Atenas
   D          E7    
Quando amadas se perfumam
               F#m              E7
Se banham com leite, se arrumam
       A7
Suas melenas
D           E7          
Quando fustigadas não choram
              F#m           E7
Se ajoelham, pedem imploram
            A4/7
Mais duras penas, cadenas


A             B/A
Mirem-se no exemplo
           D/A          E7
Daquelas mulheres de Atenas
A                 B/A
Sofrem por seus maridos
         Dm/A      A
Poder e força de Atenas
D              E7          
Quando eles embarcam soldados
            F#m           E7
Elas tecem longos bordados
       A7
Mil quarentenas
D               E7          
E quando eles voltam, sedentos
         F#m             E7
Querem arrancar violentos
           A4/7
Carícias plenas, obscenas


A            B/A
Mirem-se no exemplo
            D/A        E7
Daquelas mulheres de Atenas
A                B/A
Despem-se pros maridos
          Dm/A          A
Bravos guerreiros de Atenas
D                 E7            
Quando eles se entopem de vinhos
          F#m              E7
Costumam buscar um carinho
             A7
De outras falenas
D              E7             
Mas no fim da noite, aos pedaços
               F#m             E7
Quase sempre voltam pros braços
           A4/7
De suas pequenas, Helenas


A             B/A
Mirem-se no exemplo
            D/A         E7
Daquelas mulheres de Atenas
A                 B/A
Geram pros seus maridos
           Dm/A       A
Os novos filhos de Atenas
D              E7         
Elas não tem gosto ou vontade
             F#m           E7
Nem defeito, nem qualidade
           A7
Têm medo apenas
D               E7             
Não tem sonhos, só tem presságios
             F#m          E7
O seu homem, mares, naufrágios
         A4/7
Lindas sirenas, morenas


A            B/A
Mirem-se no exemplo
            D/A        E7
Daquelas mulheres de Atenas
A                B/A
Temem por seus maridos
          Dm/A        A
Heróis e amantes de Atenas
D          E7       
As jovem viúvas marcadas
                F#m     E7             A7
E as gestantes abandonadas não fazem cenas
D             E7              
Vestem-se de negro, se encolhem
               F#m        E7
Se conformam e se recolhem
          A4/7
As suas novenas serenas


A             B/A
Mirem-se no exemplo
            D/A        E7
Daquelas mulheres de Atenas
A                B/A
Secam por seus maridos
          Dm/A      A
Orgulho e raça de Atenas

Morena dos olhos d'água



Morena dos olhos d'água (1966) - Chico Buarque
C                   D7
Morena dos olhos d'água
 D#                   G# Dm
Tira os seus olhos do mar
G7   C                    D7
Vem ver que a vida ainda vale
                  Fm   G7
O sorriso que eu tenho
         C  G7
Pra lhe dar

   C                    Fm
Descansa um meu pobre peito
      D7               G7
Que jamais enfrenta o mar
        Cm            Cm5+
Mas que tem abraço estreito, morena
      Cº           G7
Com jeito de lhe agradar
      C              Fm
Vem ouvir lindas histórias
     D7            G7
Que por seu amor sonhei
     Cm              Cm5+
Vem saber quantas vitórias, morena
      Cº             G7
Por mares que só eu sei

   C                 Fm
O seu homem foi-se embora
    D7             G7
Prometendo voltar já
          Cm            Cm5+
Mas as ondas não têm hora, morena
     Cº           G7
De partir ou de voltar
         C             Fm
Passa a vela e vai-se embora
         D7            G7
Passa o tempo e vai também
         Cm               Cm5+
Mas meu canto ainda lhe implora, morena
 Cº             G7
Agora, morena, vem


Mil perdões

Chico Buarque
Tom: B7M
  

              B7M   F#7.13b
 Te perdôo
       A6.5b        B4.7.9
 Por fazeres mil perguntas
    E/G#                D#7/F##         G#m7
 Que em vidas que andam juntas ninguém faz
    Em/G      B7M/F#
 Te perdôo
    Bb7/F     A6.5b        D/A
 Por pedires perdão
    G7M                 F#7/A#
 Por me amares demais
              B7M   F#7.13b
 Te perdôo
              A6.5b     B4.7.9
 Te perdôo por ligares
    E/G#        D#7/F##
 Pra todos os lugares
                   G#m7
 De onde eu vim
    Em/G      B7M/F#
 Te perdôo
    Bb7/F     A6.5b        D/A
 Por ergueres a mão
    Em7.9              A7.13
 Por bateres em mim
              G#7
 Te perdôo
    F#7/A#       G#7/B#       A#7.13b    D#m7.9
 Quando anseio pelo instante de sair
    A#7.13b D#m7.9
 E rodar exuberante
              F7/A   Bbm7
 Me perder de ti
    F#m/A     C#7M/G#
 Te perdôo
    C7/G         B6.56     E7/B
 Por quereres me ver
    A7M                 A#7.13b
 Aprendendo a mentir
              C#7M
 Te perdôo
    Bm6        A6.5b        G#7
 Por contares minhas horas
    Em7              Em/G      B7M/F#
 Nas minhas demoras por ai
    Bb7/F     A6.5b
 Te perdôo
                          B7.13
 Te perdôo por que choras
    E7M                    Em7
 Quando eu choro de rir
    G#m6              Gm6   B7M
 Te perdôo por te trair  

Meu refrão

Chico Buarque
Am7         Dm7   G7              C7
Quem canta comigo, canta o meu refrão
             F          Bm4/7 E7  Am7   D7/9 
Meu melhor amigo é meu vi.... o...lão
        C7   F          Bm4/7 E7  Am7   
Meu melhor amigo é meu vi.... o...lão
       C7     Dm7       E7  Am7
Já chorei sentido de desilusão
        Dm7     Am/C
Hoje estou crescido
         B7   E7
Já não choro não
          C7    F         Bm4/7  E7 Am7 
Já brinquei de bola, já  soltei  balão
         F               B7/9-
Mas tive que fugir da escola
          B7      E7 
Pra aprender a lição
Am7    C7         Dm7          E7    Am7
 O refrão que eu faço é pra você saber
           Dm7         Am/C         B7
Que eu não vou dar o braço pra ninguém torcer
      C7     F
Deixa de feitiço
           Bm4/7 E7  Am7   
Que eu não mu....do  não
        F             B7/9-         B7             E7
Pois eu sou sem compromisso, sem relógio e sem patrão
Am7   C7    Dm7
  Nasci sem sorte 
     E7     Am7
Moro num barraco
        Dm7     Am/C
Mas meu santo é forte
       B7      E7
O samba é meu fraco
    C7       F              E7  Am7
Meu samba eu digo que é do coração
             F    B7/9-        B7      E7
Mas quem cantar comigo canta o meu refrão

Meu caro amigo

Meu caro amigo (1976) - Chico Buarque e Francis Hime
Tom: C
Intro: C Ebo Dm G  (BIS)
C         Ebo       Dm         G
Meu caro amigo me perdoe por favor
C          Ebo        Dm  G
Se não lhe faço uma visita
C         Ebo     Dm          G
Mas como agora apareceu um portador
C        Ebo          Dm  E
Mando notícias nesta fita
Am                          B7
Aqui na terra tão jogando futebol
Em7/5b      A7          D7/9    G
Tem muito samba, muito choro e rock'n roll
C          Ebo          Dm        G
Uns dias chove noutros dias bate sol
Em7/5b                    A7
Mas o que eu quero é lhe dizer
D7/9
Que a coisa aqui está preta
        Fm         Em        A7
Muita mutreta pra levar a situação
D7/9              G         Em7/5b        A7
Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça
D7/9              G            Em7/5b       A7
Que a gente vai tomando que também sem a cachaça
D7/9            G     C   Ebo Dm  G
Ninguem segura esse rojão
C          Ebo           Dm       G
Meu caro amigo eu não pretendo provocar
C     Ebo           Dm  G
Nem atiçar suas saudades
C      Ebo               Dm        G
Mas acontece que eu não posso me furtar
C       Ebo        Dm    E
A lhe contar as novidades
**Refrão**
    Fm         Em            A7
É pirueta pra cavar o ganha-pão
D7/9           G           Em7/5b        A7
Que a gente vai cavando só de birra, só de sarro
D7/9       G           Em7/5b         A7
E a gente vai fumando, que também sem um cigarro
D7/9            G      C  Ebo Dm  G
Ninguém segura esse rojão
C         Ebo      Dm        G
Meu caro amigo eu quis até telefonar
C       Ebo           Dm   G
Mas a tarifa não tem graça
C         Ebo        Dm         G
Eu ando aflito pra fazer você ficar
C      Ebo            Dm    E
A par de tudo que se passa
**Refrão**
       Fm          Em         A7
Muita careta pra engolir a transação
D7/9             G          Em7/5b     A7
E a gente tá engolindo cada sapo no caminho
D7/9               G         Em7/5b     A7
E a gente vai se amando, que também sem um carinho
D7/9          G       C  Ebo Dm  G
Ninguém segura esse rojão
C         Ebo           Dm          G
Meu caro amigo eu bem queria lhe escrever
C       Ebo          Dm  G
Mas o correio andou arisco
C       Ebo         Dm           G
Se me permitem vou tentar lhe remeter
C         Ebo           Dm  E
Notícias frescas neste disco
**Refrão**

    Fm              Em            A7
A Marieta manda um beijo para os seus
D7/9       G         Em7/5b         A7
Um beijo na família, na Cecília e nas crianças
D7/9     G           Em7/5b           A7
O Francis aproveita pra também mandar lembranças
D7/9       G7      C   Ebo Dm  G
A todo o pessoal, adeus ...

Me deixe mudo

Chico Buarque
Tom: D
          D
Não me pergunte
          A
Não me responda
          E
Não me procure
           A
E não se esconda
         D
Não diga nada
         A
Saiba de tudo
        E
Fique calada
         A
Me deixe mudo
         D
Seja num canto
         A
Seja num centro
          E
Fique por fora
          A
Fique por dentro
        D
Seja o avesso
         A
Seja a metade
         E
Se for começo
           A
Fique à vontade

Meninos, eu vi

Chico Buarque
Tom: Bb
Bb7/5-
Um grande amor
              Ab7/5-
Para viver um grande amor
Am7/11   D7/9-   Gm7/11   C7(9-/11+)  D7+   Eb7(9/4)   G#7/5+
   C#m7                       Ebm7/5-        G#7/5+
Eu vi o grande amor no claro olhar da minha amada, eu vi
    C#m7                     Bm7            E7/9-
Que todo grande amor ainda é pouco, ainda é nada, eu vi
 A7+                      Ebm7/5-     G#7/5+
Amores que jamais verei meninos, eu vivi
  C#7+       Bbm7      Eb7/9  Cº
Vivendo a poesia de verda.....de
   C#7+/9                 Cm7/5-       F7/5+
Também vi a cidade incendiada, eu tive medo
   G#m7       C#7/9-
Eu vi a escuridão
   Eb7/9
Eu vi o que não quis
 Ebm7/9          F7/9-           Bbm7       C#7/9
Amei mais do que pude, eu fiquei cego de paixão
             Cm7/5-       F7/5+       Bbm7/11   E7/9
E acho que enfim eu vi um homem ser feliz
 Ebm7/9          F7/9-           Bbm7       C#7/9
Amei mais do que pude, eu fiquei cego de paixão
             Cm7/5-       F7/5+       Bb7+/9
E acho que enfim eu vi um homem ser feliz
G7/5-           Cm7/5-       F7/13 F7/5+ Bb7+/9   Bbm7/9
Ah! juro que um dia eu vi um homem ser feliz
(Modulação)
   Em7                     F#m7/5-      B7/5+
Eu vi o grande amor escancarado em cada cara,
   Em7                  Dm7          G7/9
O amor evaporando pelos céus da Guanabara
 C7+                      F#m7/5-        B7/5+
Amores de imortal verão meninas, como eu vi
  E7+        C#m7      F#7/9  Bb7/5+
Vivendo a poesia de verda.....de
   Eb7+/9               Dm7/5-      G7/5+
Eu vi uma cidade enfeitiçada e tive medo
   Bbm7      Eb7/9-
Eu vi um coração
  F7/9
Molhando o meu país
 Fm7/9           G7/9-           Cm7        Eb7/9
Amei mais do que pude, eu fiquei cego de paixão
             Dm7/5-      G7/5+       Cm7/11   Gb7/5-
E acho que enfim eu vi o homem ser feliz
 Fm7/9           G7/9-           Cm7        Eb7/9
Amei mais do que pude, eu fiquei cego de paixão
             Dm7/5-      G7/5+       C7+/9
E acho que enfim eu vi o homem ser feliz
A7/5-           Dm7/5-      G7/13 G7/5+ C7+/9
Ah! Juro que um dia eu vi o homem ser feliz

Mar e lua

Chico Buarque
 A7+            C#/F
Amaram o amor urgente
           F#4/5+/9       Bm/F#
As bocas salgadas pela maresia
    F#/E     Bm/D          A7+/C#
As costas lanhadas pela tempestade
          Bm                F#7/9-
Naquela cidade distante do mar
 Bm/A          F#7/A#                  Bm9
Amaram o amor serenado das noturnas praias
               F#7/A#        B/A            B/D#
Levantavam as saias e se enluaravam de felicidade
          E/D  
Naquela cidade que não tem luar
 A/G              D                   F#7
Amavam o amor proibido, pois hoje é sabido
             Bm
Todo mundo conta
                 D7             C#4/7
Que uma andava tonta grávida de lua
                C#           F#m F#m6 C#7 F#m7 A7
E outra andava nua ávida de mar
  A7+              C#/F               F#4/5+/9
E foram ficando marcadas, ouvindo risadas
  Bm/F#      F#/E
Sentindo arrepios
            Bm/D               A7+/C#
Olhando pro rio, tão cheio de lua
          Bm                 F#7/9-
E que continua correndo pro mar
   Bm/A              F#7/A#
E foram correnteza abaixo
            Bm9             F#7/A#
Rolando no leito, engolindo água
                B/A                B/D#
Boiando com as algas, arrastando folhas
             E/D
Carregando flores e a se desmanchar
  A/G             D               F#7
E foram virando peixes, virando conchas
          Bm              D7              C#4/7
Virando seixos, virando areia, prateada areia
          C#
Com lua cheia
          F#m7
E à beira mar...

Maninha

Maninha (1977) - Chico Buarque
Tom: A
A                E/G#
Se lembra da fogueira
F#m7            F6
Se lembra dos balões
A              G#7           C#m7/9 F#7/5+ F#7
Se lembra dos luares dos sertões
Bm           A#5+  Bm/A        Bm/G#
A roupa no varal, feriado nacional
Bm4/7     C7+            C#m7 F#5+/7 F#7
E as estrelas salpicadas nas canções
Bm7              Bm4/7           C#7     F#m7
Se lembra quando toda modinha falava de amor
B7/9
Pois nunca mais cantei, oh maninha
E7              A    A6
Depois que ele chegou
                E/G#
Se lembra da jaqueira
F#m7         F6
A fruta no capim
A              G#7           C#m7/9 F#7/5+ F#7
Dos sonhos que você contou pra mim
Bm           A#5+   Bm/A        Bm/G#
Os passos no porão, lembra da assombração
Bm4/7     C7+        C#m7 F#5+/7 F#7
E das almas com perfume de jasmim
Bm7           Bm4/7
Se lembra do jardim, oh maninha
C#7     F#m7
Coberto de flor
B7/9
Pois hoje só dá erva daninha
E7          A    A6
No chão que ele pisou

              E/G#
Se lembra do futuro
F#m7         F6
Que a gente combinou
A            G#7          C#m7/9 F#7/5+ F#7
Eu era tão criança e ainda sou
Bm          A#5+   Bm/A         Bm/G#
Querendo acreditar que o dia vai raiar
Bm4/7   C7+        C#m7 F#5+/7 F#7
Só porque uma cantiga anunciou
Bm7               Bm4/7
Mas não me deixe assim, tão sozinha
C#7     F#m7
A me torturar
B7/9
Que um dia ele vai embora, maninha
E7          A
Pra nunca mais voltar

Mambembe

Chico Buarque
Intr.: D7M / F6/9 / Bb7M / A7 / 
        D7M / F6/9 / Bb7M / A7 /
D7M             F6/9 
No palco, na praça, 
                Bb7M           A7
 no circo, num banco de jardim
D7M              F#7/C#          Bm7
Correndo no escuro, pixado no muro
F#7             G6
Você vai saber de mim
A7        F#m7(b5)  B7(b9)
Mambem__be, ciga________no    
E7(9)   C7(9)      F#m7  F7(13)
Debaixo da pon_____te,     cantan____do
Bb7M  A7      D7M  C#m7
Por baixo da ter____ra, cantan___do 
E7(9)  A7(13)      D7M
Na boca do po_____vo,     cantan___do
           F6/9               Bb7M             A7
Mendigo, malandro, moleque, mulambo, bem ou mal
D7M              F#7/C#           Bm7
(cantan___do) Escravo fugido  ou louco varrido
F#7             G6
Vou fazer meu festival
A7        F#m7(b5)  B7(b9)
Mambem__be, ciga________no    
E7(9)   C7(9)      F#m7  F7(13)
Debaixo da pon_____te,     cantan____do
Bb7M  A7      D7M  C#m7
Por baixo da ter____ra, cantan___do 
E7(9)  A7(13)      D7M
Na boca do po_____vo,     cantan___do
         F6/9             Bb7M                A7
Poeta, palhaço, pirata, corisco, errante judeu
D7M                  F#7/C#         
(cantan___do) Dormindo na estrada, não é nada,
Bm7         F#7             G6
não é nada E esse mundo é todo meu
A7        F#m7(b5)  B7(b9)
Mambem__be, ciga________no    
E7(9)   C7(9)      F#m7  F7(13)
Debaixo da pon_____te,     cantan____do
Bb7M  A7      D7M  C#m7
Por baixo da ter____ra, cantan___do 
E7(9)  A7(13)      D7M
Na boca do po_____vo,     cantan___do
F6/9 / Bb7M / A7 / D7M / F6/9 / Bb7M / A7 / D7M /

Luiza

Uma canção que se repete todas as noites, à mesma hora, numa telenovela de grande audiência, tem, naturalmente, boa possibilidade de se tornar sucesso. Mas se a canção é bem feita e se liga a uma bela personagem, essa possibilidade é total, sem a menor margem de dúvida. Isso ocorreu com “Luiza”, que Tom Jobim (foto) criou meio de encomenda — a melodia já estava bem encaminhada — para a personagem homônima, vivida por Vera Fischer na novela “Brilhante”.

Chamada pelo autor, juntamente com “Eu Te Amo”, de “as minhas francesas”, “Luiza” é uma valsa sofisticada, laboriosamente construída, nota por nota, verso por verso, e que só foi dada por concluída quando realmente nada mais havia a fazer. Houve até, na ocasião, uma entrevista de Tom à televisão, em que ele demonstrava sua satisfação com a canção recém-terminada, comentando didaticamente cada acorde de sua harmonia requintada.

E se musicalmente a canção é uma beleza, poeticamente o é também, com uma letra apaixonada que lembra momentos de lirismo intenso do parceiro Vinicius de Moraes: “Vem cá Luiza / me dá tua mão / o teu desejo é sempre o meu desejo / vem, me exorcisa / me dá tua boca / e a rosa louca vem me dar um beijo...”

Já os versos finais foram sugeridos por Ronaldo Boscoli, a pedido do próprio Tom, inseguro quanto aos que havia feito, conforme Sérgio Cabral conta no livro Antônio Carlos Jobim, uma biografia: “Como um brilhante que partindo a luz / explode em sete cores / revelando, então, os sete mil amores / que eu guardei somente pra te dar, Luiza...”

Desses, apenas o último é de Tom Jobim. Além da versão para a trilha da novela, Tom regravou “Luiza” ao piano, com Edu Lobo cantando, num disco dos dois, produzido por Aloísio de Oliveira e realizado em novembro de 81. Seis anos depois ele voltaria a gravá-la para o álbum Passarim (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Luiza (1981) - Tom Jobim
Cm7(9)     F7(13)
Rua, espada nua
Fm7(9)         G7(b13)
Bóia no céu imensa e amarela
Cm7M(9)       F7(13)
Tão redonda a lua, como flutua
Fm7(9)           C7(b9)(b13)
Vem navegando o azul do firmamento
      C7(b9) Fm7(9)       Bb7(13)           Eb6(9)
E no silêncio lento um trovador, cheio de estrelas
Dm7(b5)     G7(b13)          Cm7M(9)
Escuta agora a canção que eu fiz, pra te esquecer Luíza
C7(b9)  Fm7M(9)    Bb7(13)
Eu sou apenas um pobre amador, apaixonado
Eb6(9)     C7(b13)      Am7(b5)
Um aprendiz do teu amor, acorda amor
D7(b9)         Dm7(9)(11) Db7(#9)(#11)
Que eu sei que embaixo desta neve mora um coração
Vem cá, Luíza, me dá tua mão
O teu desejo é sempre o meu desejo
Vem, me exorciza, me dá tua boca
E a rosa louca, vem me dar um beijo
   C7(b13)  Fm7(9)        Bb7(13)
E um raio de sol nos teus cabelos
Eb7(9)(11)             Eb7(9)
Como um brilhante que partindo a luz
A7(b5) Ab7M(b13)
Explode em se...te cores
Fm7(9)   Fm7(9)/Eb D7(9)(#11)
Revelando então os sete mil amo...res
G7(b13)     Ab7M Eb/G
Que eu guardei somente pra te dar Luíza
Fm7(9) Gm7 G6 B7(#9)(b13) C6(9)
Luíza,           Luí.......za

Lugar de cobra é no chão

Chico Buarque
Intro:] E6(9) Bbm7(b5) A7M Am6 
        G#m7 C#m7 F#m7 B7(9)(11) B7(b9)
        E6(9) Bbm7(b5) A7M Am6 G#m7(b5) 
        C#7(b9) F#7(13) Bbº
        E/B B7(9)(11) E/B B7(9)(11)

  E/B        G#7/C     C#m7 Cm7 Bm7 E7(4) E7 F#m7
A sua risada nervosa contamina o ambiente
    C#7(b13)    F#7(13) F#7
Deram asas à cobra e a cobra voou,
       A7M       F#/Bb  E/B   C#7(b13)
E continua voando, espalhando seu veneno,
F#7(13)           F#m7           B7(b9)
Agora chegou o teu momento, bicho peçonhento, tu vais me pagar...

      E/B     G#7/C  C#m7 E/D
É proibido ficar com pena
       D#m7(b5)   G#7(b9)      C#7(4) C#7
De ver a cobra voltar a se arrastar
         A7M     F#/Bb  E/B          C#7(b13)
Lugar de cobra é no chão, o céu é dos passarinhos
   F#7(4)     F#7       F#m7   B7(b9)
Que cantam lindas canções, que alegram os corações

    C#m7/G#      A7M     Bbm7(b5) Am6/C
É, eu sempre quis lhe dar a mão e você se encheu de anéis...
  Bm/D        C#7    F#m7    F#m7/E
E vive a pensar que o mundo está a seus pés
 D#m7(b5)        G#7(b9)       C#m7
Mas esqueceu que o mundo tem virada,
       Bm7   E7  A7(9)     D#m7(b5)  G#7(b9) Bm6/D
Quem é tudo não é nada, essa vida é um vai e vêm...
      C#7  D#m7(b5)/A   G#7(b9)    C#m7 Cm7
Vai e vêm, cuidado na descida da escada
       Bm7      E7 A7(9) D#m7(b5) G#7(b9) C#m7 Cm7 B7
Que uma alma envenenada pode envenenar também

D#m7(b5)/A   G#7(b9) C#m7 Cm7
Cuidado na descida da escada
       Bm7      E7 A7(9) D#m7(b5) G#7(b9) Bbº
Que uma alma envenenada pode envenenar também
   A/B E/B Bbº G#m7(b5) C#7(b9) F#7(13) Bbº E
Também...

Ludo real

Ludo real - Chico Buarque e Vinicius Cantuária
F7M      F6          
Que nobreza você tem    
C7M           A7       D7     G  Em
Que seus lábios são  reais
F7M          F6             C7M        A7       D7     G
Que seus olhos vão além    Que uma noite faz  o bem
C(add9)  F6    C(add9)   Bm7(b5)      E7(b9)  F6
E nunca mais     Que salta  de so_____nho em so___nho
C(add9)         Bm7(b5)   E7(b9)   F6
E não    quebra te____lha
C(add9)       Bm7(b5)       E7(b9) F6       
Que passa  através       do amor
C(add9)         Bm7(b5)   E7(b9)
E não    se atrapa_______lha    
Am6            C(add9)
Que cruza o rio E não se molha
F    C(add9) D7/A    G   F    C(add9)     D7/F#    G
Iê iê      iandai___a Aluaiê       alua iandai____a
F    C(add9) D7/A    G   F    C(add9)     D7/F#    G
Iê iê      iandai___a Aluaiê       alua iandai____a

Lua cheia

Chico Buarque e Toquinho
  Em                 C7M  B7
Ninguém vai chegar do mar
    Em             F#m7(b5)
Nem vai me levar daqui
    B7                 C7M
Nem vai calar minha vio...la
    B7     G7M  F#m7 Em       C#°
Que desconso....la,     chora notas
C7M        B7     E7
    Pra ninguém ouvir
Am(add9)                     Dm7   E7  
        Minha voz ficou na esprei..ta
       Am(add9)
Na espe........ra
                    Gm/Bb     A7(b9)
Quem dera abrir meu peito, cantar   feliz
Dm7                 F#m7(b5)     B7      Em7/9
    Preparei para você       uma lua chei.....a
    C7M          B7           Bm7(b5) E7
E você  não veio,  e você não quis
Am(add9)                     Dm7  E7      Am(add9)
        Meu violão ficou tão tris.te, pude........ra
                Gm/Bb    A7(b9)
Quisera abrir janelas, fazer   serão
Dm7                F#m7(b5)      B7       Em7/9
   Mas você me navegou     mares tão diver.....sos
       C7M             B7               Em
E eu fiquei sem versos,  e eu fiquei em vão

Lola

Chico Buarque
  F6/A   Bb6 G7/B 
Sabi___a          
           C7             A7/C#
Gosto de você chegar assim
Dm7               F/Eb
Arrancando páginas dentro de mim
Bb7M/F  Bbm6
Desde o primeiro dia
F6/A   Bb6 G7/B             C7            A7/C#
Sabi___a          Me apagando filmes geniais  
Dm7
Rebobinando o século
F/Eb              Bb7M/F  E7(b13)
Meus velhos carnavais Minha melancolia
F/C  Am/C       Cm6         D/C            Gm7  Ebm6/Gb
Sabia       Que você ia trazer  seus instrumentos
Bbm7/F          Bbm6/Db   F/C
E invadir   minha cabeça       
Am/C       D7(13)  D7(b13)
Onde um dia tocava uma orquestra
Gm7                  Bbm6/Db  Bbm6
Pra companhia dançar
F6/A   Bb6 G7/B              C7              A7/C#
Sabi___a          Que ia acontecer você, um dia
Dm7            F/Eb
E claro que já não me valeria nada
Bb7M/F  Bbm6
Tudo o que eu sabia
F6/A   Bb6
Um di___a

F6/A / Bb6 / / / / / F6/A / Bbm6 / / / / / / / / / F

Logo eu?

Chico Buarque
Intr.: G6 / F#7 / G6 / Em7 / A7 / D7 / G6 /
D7                     F#7        G6
Essa morena quer me trans___tornar
F#7              G6          
Chego em   casa, me condena, me faz fita,
Em7            Dm/F E7
me faz cena até cansar
Am7 A#º       G6/B              E7   
Logo eu,   bom indiví____duo, cumpridor  fiel e
Am7            D7              Dm/F E7
assí___duo dos deve__res do meu lar
Am7           F#7              G6
Essa garo___ta de mansi___nho me conquis__ta
Bbº            Am7               D7
Vai roubando gota a go___ta esse meu san__gue
G6   D7
de sambis__ta
G6 / F#7 / G6 / Em7 / A7 / D7 / G6 /
D7                     F#7        G6
Essa menina quer me trans___formar
F#7                 G6
Chego em   casa, olha de quina,
Em7            Dm/F E7
diz que já me viu na esquina a namorar
Am7 A#º         G6/B 
Logo eu,   bom funcioná____rio,
E7             Am7             D7        
cumpridor  dos meus horá___rios, um amor  quase exemplar
Dm/F E7         Am7                   F#7            G6
A minha ama___da diz que é pra eu   deixar de férias
Bbº          Am7              D7            Dm/F
Pra largar a batuca__da e pra pensar  em coisas sé___rias
E7           Am7               F#7           G6
E   qualquer di___a ela ainda vem   pedir, apos__to
Bbº        Am7       D7              G6   D7
Pra eu deixar  a companhi_a dos amigos que mais gos_to
G6 / F#7 / G6 / Em7 / A7 / D7 / Dm/F /
E7              Am7               F#7             G6
E tem mais is___so: Estou cansa___do quando che__go
Bbº           Am7              D7           Dm/F  E7
Pego extra no servi__ço Quero um pou__co de sosse____go
Am7              F#7           G6
Mas não conten___te ela me acor___da reclamando
Bbº          Am7             D7           G6   D7
Me despa__cha pro baten_te e fica em casa descansan_do
G6 / F#7 / G6 / Em7 / A7 / D7 / G6 D7 G6 /

Lígia

Lígia - Chico Buarque e Tom Jobim
Tom: C
Introd.: Dm7 A5+/7 Dm7 G6/7
Dm7                G6/7                   Em7
Eu nunca sonhei com você   /  nunca fui ao cinema
Ebº                 Dm7
não gosto de samba   /  não vou à Ipanema
F/G                     Bm7 E7/9-
não gosto de chuva   /  nem gosto de sol
F7+                 F#º                   C7+
e quando eu lhe telefonei / desliguei foi engano
Am7                 F#m7
o seu nome eu não sei  /  esqueci no piano
B5+/7                  E7+
as bobagens de amor    /  que eu iria dizer
A5+/7  Dm7    C#6/9
não,   Lígia, Lígia
Dm7                        G6/7
Eu nunca quis te-la /  ao meu lado
Em7                Ebº
num fim de semana  /  um chopp gelado
Dm7                   F/G
em Copacabana   /   andar pela praia
Bm7 E7/9-
até o Leblon
F7+                F#º                      C7+
e quando eu me apaixonei  /  não passou de ilusão
Am7                     F#m7
o seu nome eu rasguei /  fiz um samba-canção
B5+/7                      E7+
das mentiras de amor    /  que aprendi com você
A5+/7 Dm7    C#6/9
é,    Lígia, Lígia
(Solo da 1º parte)

F7+                 F#º                      C7+
e quando você me envolver / nos seus braços serenos
Am7                      F#m7
eu vou me render  /  mas seus olhos morenos
B5+/7                   E7+ A5+/7
me metem mais medo   / que um raio de sol
Dm7    C#6/9
Lígia, Lígia

Leve

Leve - Chico Buarque e Carlinhos Vergueiro
[Intro:] D7M(9) D6(9) Dm7M(9) C#7(b9) F#m7(11)
B7(9)(11) E7(9)(11)

A6/C#         Cm6
Não me leve a mal
F7(9)  E7(#9)   A7M A6
Me leve à toa pela última vez
Em7(9)  A7(b13)       Dm7(9) Dm6(9) C#7(#9)
A um quiosque,       ao planetário
F#7(b13)   B7(13) B7(b13)
Ao cais do porto, ao paço
E7(9)(11) E/D         A6/C#
O meu coração, meu coração
Cm6    F7(9)  E7(#9) 
Meu coração parece que perde um pedaço,
F#7(9)  G7M/D         F#7/C#    B7(9)
Mas não          me leve a sério, passou este verão
Bm7(b5)   E7(b13) A7M/E A6 Eb7(#9)
Outros passarão eu passo
D7M(9)      D6(9)
Não se atire do terraço,
Dm7M(9)    Dm6(9)    A7M A6 A7(13)    A7(b13)
Não arranque minha cabeça     da sua cortiça
D7M(9)        D6(9)
Não beba muita cachaça,
Bm7(b5)          Dm6/F     A7M A6 G#m7(11) C#7(b9)
Não se esqueça depressa de mim,     sim?
F#m7       C#7(b13)/F
Pense que eu cheguei de leve
A7M/E
Machuquei você de leve
Eb7(#9)(b5)
E me retirei com pés de lã
F#m7(b5)   B7(b9)
Sei que o seu caminho amanhã
Bm7(b5)/F      E7(9)(11) E/D
Será um caminho bom, mas não me leve
Não me leve a mal
Me leve apenas para andar por aí
Na lagoa, no cemitério
Na areia, no mormaço
Fim: D7M(9) D6(9) Dm7M(9) C#7(b9) A7M A6(9)

Juca

Chico Buarque
G6         G7M/B           C        D7(9)
Juca foi autuado em flagran_te Como meliante
G7/B                   Dm6/F     E7        Am7
    Pois sambava bem diante Da janela de Maria
                  F#m7(b5)        B7(b9)
Bem no meio da alegria    A noite virou dia
Em        G7       C         D7(9)    G6
  O seu luar de pra_ta Virou chuva fri__a
  Em      A7                 C#7(9) D7(9)
A sua serenata Não acordou Mari_____a


G6         G7M/B    C        D7(9)         G7/B
Juca ficou desaponta_do Declarou  ao delegado
                    Dm6/F          E7         Am7
Não saber se amor é crime Ou se samba é pecado
              F#m7(b5)    B7(b9)         Em
Em legítima defesa    Batucou   assim na mesa
      G7        C        D7(9) G6
O delegado é bam_ba Na delegaci__a
              F#m7(b5)      B7(b9)
Mas nunca fez samba   Nunca viu   Maria
Em      G7        C        D7(9) G6
  O delegado é bam_ba Na delegaci__a
              F#m7(b5)      B7(b9)     Em D7(9)
Mas nunca fez samba   Nunca viu   Maria


G6         G7M/B           C
Juca foi autuado em flagran_te...

Já passou

Chico Buarque
Intr.: Gm(11) / / / / / / /
G7M              D7/F#  F6
Já passou, já passou      
                E7
Se você quer  saber
Am7            Cm7  E7/4(b9)
Eu já   sarei, já curou          
             E7(9)
Me pegou de    mal jeito
A7(13)               D7(9)
Mas não   foi nada, estancou
          G7M       D7/F#  F6              E7
Já passou,    já passou      Se isso lhe dá  prazer
Am7              Cm7     E7/4(b9)        E7(9)
Me ma___chuquei, sim, supurou      Mas afaguei  meu peito
A7(13)      D7(9)         G6  F#7
E aliviou Já falei, já passou
Bm7(9)                  G7(9)
Faz-me rir, ha ha ha
C7M          F#7              Bm7(9)
Você   saracotean___do daqui pra a______colá
A7(13)              
Na Barra, na farra,     no Forró Forrado,
D7M             D#º
na Praça  Mauá, sei lá
A6/E                  F#7(13)  F#7(b13)
No Jardim de Alá    ou no Clube do Sam_______ba
B7(13)                    
Faz-me rir, faz-me engasgar,
E7(9/13)
me deixa catatônico, com a perna bamba
    G7M              D7/F#  F6             E7
Mas já passou, já passou      Recolha o seu  sorriso
Am7          Cm7  E7/4(b9)                E7(9)
Meu   amor, sua flor          Nem gaste o seu     perfume
A7(13)            D7(9)           Gm(11)
Por      favor que es_____se filme já      passou

Injuriado

Chico Buarque
      E7M(9)              G#7/D#
Se eu só      lhe fizesse o bem 
C#m7                 Bm6
Talvez    fosse um vício a mais
Em6(9)/B            Em7(9)/B 
Você        me teria despre_____zo,

G#7/B#  G#7(#5)/B#
por fim
Bm6/D                 C#7
Porém,    não fui tão imprudente
A7M/C#                Am6/C
E ago______ra não há francamente
E7M(9)/B                   Bb7(#11)  A7M      B7(b9)
Moti________vo pra você me inju_____riar    assim
      E7M(9)                 G#7/D#
Dinhei______ro não lhe emprestei 
C#m7              Bm6
Favo____res nunca lhe fiz
Em6(9)/B          Em7(9)/B        G#7/B#  G#7(#5)/B#
Não alimen___tei o seu gê______nio ruim
Bm6/D               C#7
Você     nada está me devendo
A7M/C#                      Am6
Por is______so, meu bem, não enten___do
F#/A#             F#m/A        E/G#
Por que     anda agora falando de mim
        E7M(9)              G#7/D#
Se eu só      lhe fizesse o bem 
C#m7                 Bm6
Talvez    fosse um vício a mais
Em6(9)/B            Em7(9)/B       G#7/B#  G#7(#5)/B#
Você      me teria despre___zo, por fim
Bm6/D                 C#7
Porém,    não fui tão imprudente
A7M/C#                Am6/C
E ago______ra não há francamente
E7M(9)/B                   Bm6     A7M      B7(b9)
Moti________vo pra você me inju___riar    assim
      E7M(9)                 G#7/D#
Dinhei______ro não lhe emprestei 
C#m7              Bm6
Favo____res nunca lhe fiz
Em6(9)/B          Em7(9)/B        G#7/B#  G#7(#5)/B#
Não alimen___tei o seu gê______nio ruim
Bm6/D               C#7
Você     nada está me devendo
A7M/C#                      Am6
Por is______so, meu bem, não enten___do
F#/A#             F#m/A
Por que     anda agora falando
G#7/B#             C#/B
Por que      anda agora falando
A#m7(b5)             Am6          E/G#
Por que        anda agora falando de mim

Imagina

Chico Buarque e Tom Jobim
[Intro:] D7(b9)

   G7M F#º
Imagina
   G7M F#º
Imagina
        G   Ebm6/Gb
Hoje à noite
        G B7(b9)
A gente se perder
 Em7M(9) B7(b9)
Imagina
 Em7M(9) B7(b9)
Imagina
     Em7M(9) B7(b9)
Hoje à noite
    E7M(9) E7(b9)
A lua se apagar
     Am7 D7(4)
Quem já viu a lua cris
         Am7  D7(4)   Am7 D7(4)     Bm7 E7(4)
Quando a lua começa a murchar      lua cris
     Bm7    E7(4)     Bm7M       E7(9) E7(b9)
É preciso gritar e correr, socorrer o luar
     Am7 D7(4)       Am7       Bm/D     Am7 D7(4)
Meu amor,     abre a porta pra noite passar
          B C/B       B C/B         B  C/B
E olha o sol   da manhã,   olha a chuva
         B7      F#º      D7(b9)
Olha a chuva, olha o sol, olha o dia a lançar
      G7M  D7(b9)
Serpentinas
      G7M  F7(b9)   Bb7M(9) Bb7(b9)
Serpentinas      pelo céu
   Eb7M(9) Cm/Eb   Eb7M(9) Cm/Eb    Cm7(9)
Sete fitas       coloridas,     sete vias, sete vidas
               D7(9)(11)  D7(b9)
Avenidas pra qualquer lugar, imagina, imagina
      G7M    Ebm6     Cm7(9)    A7(b9)
Sabe que o menino que passar debaixo do arco-íris vira moça, vira
G7M   Ebm6    Cm7(9)         A7(b9)
A menina que cruzar de volta o arco-íris rapidinho volta a ser rapaz
G7M          Ebm6         G7M        Ebm6
A menina que passou no arco era o menino que passou no arco
              G7M C6/G
E vai virar menina
   G7M C6/G
Imagina
   G7M C6/G
Imagina
   G7M Ab7 G7M
Imagina

Ilmo. Sr. Ciro Monteiro

Chico Buarque
Intr.: (F C D7 G7(#11) C) 2 Vezes

       C          G/B      Am7
Amigo Ciro muito te   admi......ro
          G   F  Em7            Ebm7       Dm7
O meu chapéu te ti..ro muito humildimente
        A7/13       A7(b13)       Dm7
Minha petiz   agradece      a cami...sa
                   D#°                   E7
Que lhe deste à gui...sa de gentil presen..te
         A7/13                     A7(b13)
Mas caro nego, um pano rubro-negro
                 D7/9                        Dm7
É presente de gre....go, não de um bom irmão
    G7    F#m7(b5)                      B7(b9)
Nós separa........dos nas arquibancadas
                  Em7     Ebm7      Dm7  G7
Temos sido tão chegados na    desolação

       C            G/B      Am7
Amigo velho amei o teu  conse...lho
        G   F   Em7             Ebm7        Dm7
Amei o teu verme...lho que é de tanto ardor
           A7/13         A7(b13)   Dm7
Mas quis o verde, que te quero  ver...de
                       E7                     A7
É bom pra quem vai ter    de ser bom sofredor
                          F7M
Pintei de branco o teu pre...to
              F#°                 C/G
Ficando comple...to o jogo de cor
     A7/13            A7(b13)         D7/9
Virei.....lhe o listra.......do do pei....to
                    G7/13               Gm7/C C7
E nasceu desse jeito     uma outra tricolor

Solo.:(F C D7 G7(#11) C)

       C            G/B      Am7
Amigo velho amei o teu  conse...lho
        G   F   Em7             Ebm7        Dm7
Amei o teu verme...lho que é de tanto ardor
           A7/13         A7(b13)   Dm7
Mas quis o verde, que te quero  ver...de
                       E7                     A7
É bom pra quem vai ter    de ser bom sofredor
                          F7M
Pintei de branco o teu pre...to
              F#°                 C/G
Ficando comple...to o jogo de cor
     A7/13            A7(b13)         D7/9
Virei.....lhe o listra.......do do pei....to
                    G7/13               Fm7/9 Bb7/13
E nasceu desse jeito     uma outra tricolor

Final.:(Fm7/9 Bb7/13 Fm7/9 Bb7/13 C)

Iracema voou

Chico Buarque
A7+       A#m7
Iracema voou
Bm7           E7/9+
Para a América
C#m7          Cm6
Leva roupa de lã
Bm7          C#7 Dº
E anda lépida
D#m5-/7        D5-/7     C#7+
Vê um filme de quando em vez
                Cm6
Não domina o idioma inglês
B6/11+    A#7          A6/11+ G#7/13-
Lava chão numa casa de chá
C#7+           A7/E
Tem saído ao luar
D#m7         E5+/9
Com um mímico
A/E           Fº
Ambiciona estudar
      F#m7  F5-/7
Canto lírico
A/E             Dm6
Não dá mole pra polícia
C#m7            Cº
Se puder, vai ficando por lá
Bm7            E5+/9 G6/11+
Tem saudade do Ceará
        F#7
Mas não muita
D#m5-/7    Dm6
Uns dias, afoita
C7+         F7+/9
Me liga a cobrar
B7/11+          A#7 A7+
- É Iracema da América

Iolanda

Iolanda - Pablo Milanes e Chico Buarque
Intr.: ( G )  C/E  D/F#

G                                        C/G
Esta canção não é mais que mais que uma canção
D/F#                          G          C     D
Quem dera fosse uma declaração de amor
G                      C
Romântica, sem procurar a justa forma
D                                         G
Do que me vem de forma assim tão caudalosa
G       C        D                 G     C/G
Te amo,  te amo,  eternamente, te amo

G                      C/G             D/F#
Se me faltares nem por isso eu morro,
G    C/G    D
se é prá morrer quero morrer contigo
G                         C        
Minha solidão se sente acompanhada,
D                             G
por isso às vezes sei que necessito
Teu colo, teu colo, eternamente, teu colo

G                          C/G   
Quando te vi eu bem que estava certo
D/F#                     G     C/G     D
de que me sentiria descoberto
G                   C            
A minha pele vai despindo aos poucos,
D                               G
me abres o peito quando me acumulas
De amores, de amores, eternamente, de amores

G                           C/G
Se alguma vez me sinto derrotado
D/F#                         G    C/G    D
eu abro mão do sol de cada dia
G                        C        
Rezando o credo que tu me ensinaste,
D                            G
olho teu rosto e digo à ventania
G      C       D                 G
Iolanda, Iolanda, eternamente, Iolanda
C/G       D       G
Eternamente, Iolanda