segunda-feira, 9 de julho de 2007

O sapo

Luiz Vicentini

G                        C
E quando a fome aperta o sapo na garganta
D G
Ele não coaxa e nem canta, dói a pança e fica aflito
G C
E sai o sapo magro pro meio da mata
D G
Pedindo pra santa sapa, um pedaço de mosquito
F C
E é esquisito que um bicho lento e pequeno
D G
Fica lendo a "Sapo Rodas" toda manhã de domingo
F C
De pingo em pingo essa estória enche o saco
D G
Não tão somente do sapo, mas também de todo mundo


Postar um comentário