quinta-feira, 29 de março de 2007

Ary Toledo

Ary Toledo (Ari Christoni de Toledo), cantor, compositor e teatrólogo, nasceu em Martinópolis SP em 22/8/1937. Interessou-se por música desde os 12 anos, quando ganhou urna gaita da mãe. Aprendeu violão com o professor Jamil Neder, em Ourinhos MG, e em 1962 compôs sua primeira música, Modinha de ser.

Gravou, em 1965, em disco RGE Fermata, Tiradentes, uma de suas composições de maior sucesso Participou de vários programas musicais da TV Record, de São Paulo SP, entre 1965 e 1967, época em que se projetou cantando Pau-de-arara (Vinícius de Moraes e Carlos Lyra), também conhecida como Comedor de gilete, música da peça Pobre menina rica.

Destacou-se também interpretando, na mesma época, composições de sua autoria, como Descobrimento do Brasil e Os ovos que a galinha pôs, com Chico de Assis, um de seus principais parceiros. Lançou em 1966, pela RGE, o LP Ary Toledo no fino da bossa, incluindo as músicas de seu repertório.

Ator e autor de seus espetáculos teatrais ficou quatro anos em cartaz com o show A criação do mundo segundo Ary Toledo (em parceria com Gianfrancesco Guarnieri e Augusto Boal), que estreou no Teatro de Arena, de São Paulo, em 1966. Atuou durante outros quatro anos em O comportamento sexual do homem, da mulher e do etc.

Em 1974, estreou no Teatro de Arena, de São Paulo, Tamanduá come formiga, elefante leva fama, de sua autoria e de Chico de Assis. De 1986 a 1991 escreveu, produziu, dirigiu e interpretou o show Ary Toledo com a corda toda, no Teatro Zácaro, em São Paulo. Fábrica de riso, espetáculo lítero-musical de sua autoria, foi mostrado no Japão, em 1993, e nos EUA, em 1995.

Algumas músicas:

Dona Maroca
Linda meu bem
Pau de arara (Comedor de gilete)

___________________________________________________
Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora.

Sílvio Brito


Sílvio Brito (Sílvio Ferreira de Brito), cantor e compositor, nasceu em Alfenas MG em 10/2/1949. Começou sua carreira aos seis anos de idade cantando na rádio Clube de Varginha. Ainda na adolescência passou a compor músicas gravadas por cantores como Ronnie Von, Antonio Marcos e Vanusa.

Integrou em meados da década de 1960 o grupo Os Apaches, com influencias dos Beatles e do rock psicodélico. Com Os Apaches gravou um LP, O décimo primeiro mandamento, pela etiqueta Bemol.

Em 1974 ganhou o troféu Buzina do Chacrinha de cantor revelação e no ano seguinte já era conhecido em todo o Brasil. Em 1973 assumiu carreira solo, imitando Raul Seixas, e fazendo sucesso com gravações como Tá todo mundo louco (1973), Espelho mágico (1975), Por um beijo seu (1977) e Tubo maluco (1979).

Com tendência mais sertaneja a partir de 1979, regravou a toada Rio de lágrimas, sucesso da dupla Lourenço e Lourival, e lançou o LP Rocaipira (RGE, 1992).

Algumas músicas:


Fontes: Wikipédia e Dicionário da Música Brasileira - Art Editora.

Terra dos meus sonhos

Terra dos meus sonhos - Sílvio Brito

Você precisa conhecer a minha terra...
Lá não tem guerra, nem polícia, nem ladrão.
Não tem partidos de esquerda ou de direita,
Todo mundo se respeita, isso que é constituição...

E além de tudo, tem mulheres muito lindas
E guardam ainda no olhar a sedução.
Todos trabalham e se divertem sem censura e com fartura,
Pois é repartido o pão.

Não tem prefeito, nem banqueiro, nem juiz
E no entanto o povo é muito feliz.

Felicidade só se tem quando se doa,
Por isso na minha cidade a vida é boa...
E a vida é boa quando planta-se a semente,
Nem só na terra mas no coração da gente.

Você precisa conhecer a minha terra...
No alto da serra onde a lua beija o chão.
Lá não tem muros, nem um tipo de barreiras,
Preconceitos nem fronteiras de país ou religião.

Num mundo cheio de ternura e alegria,
Onde o amor floresce mais à cada dia,
Crianças crescem livres, fortes e sadias,
Entre os amigos e sem correr nenhum perigo...

É um paraíso aqui na terra e eu suponho,
Que esteja dentro de cada um,
A terra dos meus sonhos...


Felicidade só se tem quando se doa,
Por isso na minha cidade a vida é boa...
E a vida é boa quando planta-se a semente,
Nem só na terra mas no coração da gente.

Tá todo mundo louco

Tá todo mundo louco - Sílvio Brito

Essa música foi feita num momento de depressão
Eu tava com saco cheio com raiva da vida ,com raiva de tudo
Eu fiz essa música pra encher o saco de todo mundo
É uma musica sem graça, sem métrica, sem rima,sem ritmo,
com muitos erros de português
Agora ninguém tem nada com isso,
porque a música é minha eu faço dela o que eu quiser.

Eu fiz tudo pra não fazer um plágio
mas ela saiu muito parecida com a musica do Raul Seixas.

Oh mas não tem nada não porque não foi feita pra fazer sucesso,
nem pra se apresentada num programa de televisão.

Eu até coloquei uma frase em inglês pra valorizar a musica “I Love You”
É uma dessas musicas chatas, enjoada,
sem graça que a gente faz pra participar de festival.

Voce que tá ouvindo essa musica num tem nada com isso deve tá me achando um chato ,enjoado, não liga “prisso” , não liga “prisso” não, não liga prisso não.

Que é a cabeça irmão, é a cabeça irmão,é a cabeça irmão, mas que depressão
É a cabeça irmão, é a cabeça irmão, mas que confusão
É a cabeça irmão, é a cabeça irmão desafinação, é a cabeça irmão, é a cabeça irmão.

6X Tá todo mundo louco, oba
“Tube ri din din, din din, tube ri din din, din din”

Tudo esta ficando diferente ninguém vê!
Já estou cansado de ouvir você dizer
Que eu não sei fumar, que eu não sei beber, que eu não sei cantar
Aquilo tudo que você adora ouvir e eu não sirvo pra você , por que?
Eu não sei cantar inglês ,por que? Eu não sei cantar inglês, eh

6X Tá todo mundo louco, oba
“Tube ri din din, din din, tube ri din din, din din”
Já não compreendo a razão do desamor
Nem entendo porque ninguém fala mais o amor
Você me traiu e disse que é normal
Um a um todos irão por certo acompanhar a evolução e quase que eu fiquei pra trás
Por que?, fui querer ser bom rapaz, por que? Fui querer ser bom rapaz, eh

9X Ta todo mundo louco, oba....

Farofa

Sílvio Brito
Sílvio Brito

Farofa-fá - Mauro Celso

Comprei um quilo de farinha,
Pra fazer farofa, pra fazer farofa, pra fazer farofa-fá!(2x)

Comprei um pé de porco (farofa fá)
E orelha de porco ( farofa fá)
Puis tudo isso no fogo (farofa fá)
E remexi direito (farofa- fá)

Com a fome de um lobo,(farofa fá)
Eu enchi o meu peito (farofa fá)

(Xucrutes!)
Fá faro faro faro, faro faro faro, faro faro faro fafá! (2x)

Farinha de mandioca (farofa fá)
Pimenta malagueta (faro fa fa)
Eu gosto de farofa (farofa fá)

Como e não faço careta (farofa fá)
Mas sou forte como um touro (farofa fá)
Da cabeça inteligente (farofa fá)
Só não mastigo tijolo (farofa fá)
Porque estraga os dentes (farofa fá)

Evebary now!

refrão

Casinha

Sílvio Brito

Casinha - S. Rodrigues

Tom: D

Intro: G, A, D, Bm, G, A7, D

A G D
A minha vida, é um sonho esquecido,
A7 D
Patrimônio já perdido, não sei quando vou achar.
A G D
Vivo vagando, sempre olhando o infinito,
A7 D
O que existe de bonito, são as noites de luar.


A G D
Minha morada, é uma casa sem beleza,
A7 D
Rodeada de tristeza, como um jardim sem flor.
A G D
Meu coração, não reclama, está calado,
A7 D
Mas por dentro está magoado, por perder o seu amor.

A D
Não, não vou ficar,
A G D
Um novo mundo, eu terei que procurar.
A7 G D Refrão
Nesta casinha, não consigo mais morar
A7 G D
Nesta casinha, não consigo mais morar.

(Intro: G, A, D, Bm, G, A7, D)

A G D
Minha morada, é uma casa sem beleza,
A7 D
Rodeada de tristeza, como um jardim sem flor.
A G D
Meu coração, não reclama, está calado,
A7 D
Mas por dentro está magoado, por perder o seu amor.

Refrão

Espelho mágico

Sílvio Brito
A
Espelho meu, espelho meu
D A
Diga se no mundo existe alguém
E7 A
Mais louco do que eu
Espelho meu, espelho meu
D A
Diga se no mundo existe alguém
E7 A
Mais louco do que eu
                   D                         A     E7
Ah que culpa tenho eu de ser assim tão complicado
A D A A7
Se os conflitos do meu tempo me deixaram pirado
D E7 C#m
Se eu ando distraído devo estar perdido
F#m B7
Dentro dos meus sonhos procurando paz
E7
Cuidado rapaz!
A
Salve os loucos, salve os loucos
D E7 A E7 A
Tomo a dimensão de quem não tem razão pra ser normal
E7
Sou débil mental
A
Espelho meu, espelho meu
D A
Diga se no mundo existe alguém
E7 A
Mais louco do que eu
Espelho meu, espelho meu
D A
Diga se no mundo existe alguém
E7 A
Mais louco do que eu

Salvem a terra

Salvem a terra - Robson Sé, Enzo Bertolini e Sílvio Brito
Tom: B
INTRO:
B F# E B
Salvem a Terra, salvem a Terra, salvem a Terra
F# E B
Salvem a Terra, salvem a Terra, salvem a Terra
           B                     D#m
Não há nada mais lindo que o céu
E B
Refletindo nas águas do mar,
E B
Sob o brilho da luz do sol,
C# F#
Que faz a flor do chão brotar.
B D#m
E não há nada melhor do que a terra,
E B
pra acolher não só as sementes
E B
Dos frutos que nos alimentam,
C# F#
Mas também a vida da gente.
G#m D#m
Mas não há nada pior que a ganância
C#m G#m
De um poder cruel e tão frio,
C#m G#m
semeando matança e miséria,
E F#
Destruindo florestas e rios
B           F#              G#m            
Salvem a Terra! oh doce Terra!
F# E B
Terra bendita! Que Deus criou
F# G#m
Salvem a Terra! Pros nossos filhos,
F# E B
ainda há tempo De recomeçar.
F# G#m F# E
Salvem a Terra! A Amazônia... Ainda há uma chance
B G#m E F#
De ser feliz! Oh oh oh
              B                   D#m
Que o meu canto não seja mais um,
E B
Que o meu sonho não seja em vão,
E B
Com tantas calamidades
C# F#
No rádio e na televisão.
G#m D#m
Mas eu trago comigo a Esperança
C#m G#m
E acredito numa força maior.
C#m G#m
E quem sabe as nossas crianças
E F#
Vão viver num mundo bem melhor!
B            F#              G#m               
Salvem a Terra! oh doce Terra!
F# E B
Terra bendita! Que Deus criou
F# G#m
Salvem a Terra! Pros nossos filhos,
F# E B
ainda há tempo De recomeçar.
F# G#m F# E
Salvem a Terra! A Amazônia... Ainda há uma chance
B G#m E F#
De ser feliz! Oh oh oh
B
Salvem a Terra!

Pare o mundo que eu quero descer

Sílvio Brito
INTRO
G D C D
G D/F# Em D C G/B A9 D G
G                             D
Pare o mundo que eu quero descer
C
Que eu não aguento mais escovar os dentes
G D
com a boca cheia de fumaça,
G D
Você acha graça porque se esquece
C G D
que nasceu numa época cheia de conflitos entre raças.
G D
Pare o mundo que eu quero descer
C
Que eu não aguento mais tirar fotografias
G D
para arrumar meus documentos,
G D
É carteira disso e daquilo
C G
que até já amarelou minha certidão de nascimento,
D
E ainda por cima:
C                    G                        D   
Ter que pagar pra nascer, ter que pagar pra viver,
G
ter que pagar pra morrer.
C G D
Ter que pagar pra nascer, ter que pagar pra viver,
G
ter que pagar pra morrer. (solo)*
G                            D
Pare o mundo que eu quero descer

Que eu não aguento mais esperar
C G D
o Corinthians ganhar o campeonato,
G
E ter que pagar multas,
D C G D
impostos, taxas, pedágios pra engordar um bando de ratos.
G D
Pare o mundo que eu quero descer
C
que eu não aguento mais ouvir notícias de miséria,
G D
corrupção e violência que não param de aumentar.
G D
E pensar que a poluição
C G
contaminou até as lágrimas e eu não consigo mais chorar,
D
E ainda por cima:
C                    G                        D   
Ter que pagar pra nascer, ter que pagar pra viver,
G
ter que pagar pra morrer.
C G D
Ter que pagar pra nascer, ter que pagar pra viver,
G
ter que pagar pra morrer.
G        D/F#         Em       D
Tá tudo errado, oh oh tá tudo errado...
C G/B
Desorientado segue o mundo,
A9 D
enquanto eu vou ficando aqui parado, oh oh
G D/F# Em D
Tá tudo errado, oh oh tá tudo errado...
C G/B A9 D G
Eu só quero o teu amor comigo e mandar o resto pros diabos.
D#  G#       D#/G         Fm       D#
Tá tudo errado, oh oh tá tudo errado...
C# Ab/C
Desorientado segue o mundo,
Bb9 D#
enquanto eu vou ficando aqui parado,
G# D#/G Fm D#
Tá tudo errado, oh oh tá tudo errado...
C# Ab/C Bb9 D# G#
Eu só quero o ter você comigo e mandar o resto pros diabos.

E A E/G# F#m E
Tá tudo errado, oh oh tá tudo errado...
D A/C# B9 E
Desorientado segue o mundo, e eu não posso mais ficar parado,
A E/G# F#m E
Tá tudo errado, oh oh tá tudo errado...
D A/C# B9 E A
Tá tudo errado, tudo errado, tá tudo errado, tudo errado.
''Mas há de melhorar!''

Careca, sem dente e pelado

Careca, sem dente e pelado - Sílvio Brito e Joel Soares
INTRO:        
D#5 D5
G13* D9 Em7 D9 C9 D9 A7(11) D9
G5, D5, E5, D5
G5, D5, E5, D5
     G13                               
Eu estava lá no céu
D9
tranquilo a meditar
C
De repente um anjo
D9
começou a me falar
G13 D9
Chegou a sua vez, já sei o que você quer:
C D9
Um carro, uma casa, muita grana e uma mulher
G13 D9
É fácil resolver, já sei pra aonde irá
C D9
a Terra é um planeta que você vai adorar,
D9
Ah ah ah(Ah ah ah)
G                       D
Nossa! Que planeta engraçado
Em Bm
onde já se nasce enrolado
C G
Meio de cabeça pra baixo e agachado
A9 D
Careca, sem dente e pelado
G                       D
Nossa! Que planeta engraçado
Em Bm
onde já se nasce enrolado
C G
Meio de cabeça pra baixo e agachado
A9 D G D9
Careca, sem dente e pelado
  G13                      D9
Entrei num corpo e vim, nascer neste lugar
C D9
e desde muito cedo comecei a trabalhar
G13 D9
Então eu percebi, não tive muita sorte
C D9
o homem quer ter tudo, este planeta está de morte
G13 D9
O carro que eu comprei, tive que financiar
C D9 D9
E a casa onde moro, eu tive que alugar, Ah ah ah(Ah ah ah)

G D
Nossa! Que planeta engraçado
Em Bm
onde já se nasce enrolado
C G
Meio de cabeça pra baixo e agachado
A9 D
Careca, sem dente e pelado

G D
Nossa! Que planeta engraçado
Em Bm
onde já se nasce enrolado
C G
Meio de cabeça pra baixo e agachado
A9 D G D9
Careca, sem dente e pelado

G13
Num sonho então o anjo
D9
voltou a me falar
C9 D9
Que havia só um jeito de pro céu poder voltar
G13 D9
Era parar de reclamar e começar a trabalhar
C9 D9
Construir aqui na Terra toda paz que eu tinha lá
G13 D9
Porque se agente faz, a parte que nos cabe
C D9 D9
A paz, o amor, e o céu estão em toda parte! Ah ah ah(Ah ah ah)

G D
Nossa que planeta engraçado
Em Bm
onde já se nasce enrolado
C G
Meio de cabeça pra baixo e agachado
A9 D (solo)** G13
Careca, sem dente e endividado.