quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Luís Melodia

Luís Melodia (Luís Carlos dos Santos), compositor e cantor, nasceu no Rio de Janeiro em 07 de janeiro de 1951. Filho de Osvaldo Melodia, boêmio e sambista no bairro do Estácio, desde os 14 anos gostava de cantar e criar músicas, tendo formado com os garotos da vizinhança o conjunto Os Instantâneos.

Nessa época, passou a freqüentar os programas de calouros de Jair de Taumaturgo, na Rádio Mauá e na TV Continental. Seu sucesso começou quando os compositores Torquato Neto e Waly Sailormoon o ouviram, no Estácio, cantando sua música Pérola negra, e a mostraram a Gal Costa, que a incluiu em seu LP Gala todo vapor, gravado na Philips em 1972.

Em fins do mesmo ano Maria Bethânia gravou Estácio, holy Estácio, em seu LP na Philips Drama — anjo exterminado. Mas foi a repercussão do disco de Gal Costa que lhe permitiu gravar, também na Philips/Polygram, em 1973, o primeiro LP, Pérola negra, interpretando suas composições, entre as quais Magrelinha, Estácio, holly Estácio, Vale quanto pesa e Farrapo humano.

Em 1975, no festival Abertura, da TV Globo, em São Paulo, foi finalista com a música Ébano. Em 1976, Juventude transviada fez enorme sucesso como tema da novela Pecado capital, da TV Globo, e foi gravada no seu LP Maravilhas contemporâneas, pela Som Livre, no mesmo ano. Gravou depois os LPs Mico de circo (1978, Som Livre), Nós (1980, Warner), Felino (1983, Ariola), Claro (1985, Copacabana) e Pintando o sete (1989, Polygram), com o qual retornou às paradas de sucesso interpretando Codinome Beija-Flor, de Cazuza, e os CDs Relíquias (1995) e 14 Quilates (1997), ambos pela EMI.

Gravou também músicas de outros compositores, com sucesso, sobressaindo entre elas A voz do morro, de Zé Keti, e Cordas de aço, de Cartola, além da já citada Codinome beija-flor, de Cazuza. Entre suas composições encontram-se sambas, chorinhos, xótis, rocks, blues, forrós e mambos com letras de temática essencialmente urbana.

Obras : Bola de cristal (c/Beto Marques), 1973; Divina criatura (c/Papa Kid), 1983; Estácio, eu e você, 1973; Estácio, holly Estácio, 1972; Farrapo humano, 1972; Jeito danado (c/Edil Macedo), xótis, 1995; Na calada da noite (c/Frejat), 1990; Pérola negra, 1972; Poeta do morro (c/Ruizinho e Luís Arurau), 1989; Pra aquietar, 1973; Presente cotidiano, 1973.

CD : 14 Quilates, 1997, EMI 364821530-2.

Sucessos de 1975

1859 1866 1880 1901 1902 1903 1904 1905 1906 1907 1908 1909 1910 1911 1912 1913 1914 1915 1916 1917 1918 1919 1920 1921 1922 1923 1924 1925 1926 1927 1928 1929 1930 1931 1932 1933 1934 1935 1936 1937 1938 1939 1940 1941 1942 1943 1944 1945 1946 1947 1948 1949 1950 1951 1952 1953 1954 1955 1956 1957 1958 1959 1960 1961 1962 1963 1964 1965 1966 1967 1968 1969 1970 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985

1975

Além do horizonte, Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Amor com amor se paga, Luis Wanderley e Katia
Argumento, Paulinho da Viola
As dores do mundo, Hyldon
Beijo partido, Toninho Horta
Beleza que é você mulher, Benito Di Paula
Bilu tetéia, Mauro Celso
Charlie Brown, Benito Di Paula
Conversando no bar, Milton Nascimento e Fernando Brant
De frente pro crime, João Bosco e Aldir Blanc
Deixe meu marido em paz, Cláudia Barroso
Dois pra lá, dois pra cá, João Bosco e Aldir Blanc
Estrela de Madureira, Assis Pimentel e Cardoso
Fato consumado, Djavan
Fé cega, faca amolada, Milton Nascimento e Ronaldo Bastos
Filho da véia, Luís Américo e Braguinha
Foi tudo culpa do amor, Diana
Kid Cavaquinho, João Bosco e Aldir Blanc
Macunaíma (samba-enredo/carnaval), Norival Reis e David Correia
Marcha do Kung-Fu (marcha/carnaval), Brasinha
Mil e oitocentas colinas, Gracia do Salgueiro
Moça, Wando
Modinha para Gabriela, Dorival Caymmi
Moro onde não mora ninguém, Agepê e Canário
Mulher brasileira, Benito Di Paula
Na beira do mar, Gracia do Salgueiro
Na sombra de uma árvore, Hyldon
Nó na madeira, João Nogueira e Eugênio Monteiro
O mar serenou, Candeia
O mestre-sala dos mares, João Bosco e Aldir Blanc
Ovelha negra, Rita Lee
Paralelas, Belchior
Ponta de areia, Milton Nascimento e Fernando Brant
Poxa, Gilson de Souza
Refazenda, Gilberto Gil
Salve a Mocidade (samba/carnaval), Luís Reis
Sem açúcar, Chico Buarque
Severina Xique Xique, Genival Lacerda e João Gonçalves
Tango pra Tereza, Evaldo Gouveia e Jair Amorim
Turbilhão, Toquinho e Mutinho
Vai levando, Caetano Veloso e Chico Buarque

Músicas estrangeiras de sucesso no Brasil:

Flying (Chris DeBurgh)
From His Woman to You (Bettye Crutcher e Lester Shell)
I Don’t Like to Sleep Alone (Paul Anka)
I’ll Be Holding On (Melô do Banjo) (Al Downing e Lande Quinn)
I’m Not in Love (Graham Gouldman e Eric Stewart)
July, July, July, July (K. Gamble e L. Huff)
Kung Fu Fighting (Carl Douglas)
Lady Marmelade (Bob Crewe e Kenny Nolan Helfman)
Lovin’ You (Richard Rudolph e Minnie Ripperton)
Mandy (Scott English e Richard Kerr)
The Old Fashioned Way (C. Aznavour, Garvarentz, A. Kasma e J. Hirshorn)
One Day in Your Life (V. Brown, R. Armand e S. Brown III)
Only Yesterday (John Betis e Richard Carpenter)
Philadelphia Freedom (Elton John e Bernie Taupin)
Please Mr. Postman (Brian Holland e Freddy Gorman) (lançado em 1962)
Shame, Shame, Shame (Sylvia Robinson)

Cronologia:

02.01: Morre em São Paulo (SP) o maestro Gabriel Migliori.

20.01: Morre no Rio de Janeiro (RJ) o cantor Nuno Roland.

01: O jornal O Estado de S. Paulo completa cem anos de existência.

15.03: Entra em vigor a fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, sendo empossado governador do novo estado o contra-almirante Floriano Faria Lima

18.03: Morre no Rio de Janeiro (RJ) o compositor Bide (Alcebíades Barcelos).

20.04: Morre no Rio de Janeiro (RJ) o cantor/ator Castro Barbosa.

01.05: Saigon cai em poder das forças comunistas. Termina a Guerra do Vietnã.

10.05: Morre no Rio de Janeiro (RJ) o cantor Dilermando Pinheiro.

27.06: Brasil e Alemanha Ocidental assinam acordo de cooperação nuclear, que prevê a construção de oito reatores atômicos no Brasil, até 1990.

31.07: Morre no Rio de Janeiro (RJ) o compositor Paquito (Francisco da Silva Farrea Júnior).

15.10: João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, bate o recorde mundial do salto triplo, estabelecendo a marca de 17,89 m.

21.11: A Espanha retorna ao regime monárquico, assumindo o trono o Rei Juan Carlos I.

30.11: Morre em Santos (SP) o arranj ador/instrumentista Edmundo Peruzzi.

Planeta água

Planeta água - Guilherme Arantes
Tom: A
Intro: A7  D
A4/7       A7        D                A7
Água que nasce na fonte serena do mundo
D4       D
E que abre um profundo grotão
A4/7       A7      D     
Água que faz inocente riacho
A7                D4      D
e deságua na corrente do ribeirão
Bm                 F#7             A4/7    A7         G
Águas escuras dos rios que levam a fertilidade ao sertão
Bm                 F#7               A4/7   A7     G
Águas que banham aldeias e matam a sede da população
D                    G/D
Águas que caem das pedras
A/C#             Bm
no véu das cascatas, ronco de trovão
F#/Bb                 Bm      Bm/A     G7M
E depois dormem tranqüilas no leito dos lagos,
G6       D4   D
no leito dos lagos
A4/7       A7     D      
Água dos igarapés, onde Iara,
A7             D4       D
a mãe d'água é misteriosa canção
A4/7         A7      D                 A7
Água que o sol evapora, pro céu vai embora,
D4      D
virar nuvem de algodão
Bm               F#7
Gotas de água da chuva,
A4/7       A7        G
alegre arco-íris sobre a plantação
Bm               F#7            
Gotas de água da chuva, tão tristes,
A4/7         A7      G
são lágrimas na inundação
D                   G/D
Águas que movem moinhos
A7              Bm
são as mesmas águas que encharcam o chão
F#/Bb               Bm       Bm/A     G7M
E sempre voltam humildes pro fundo da terra,
G6        D
pro fundo da terra
(Bm  F#m         G  D)
Terra,    planeta água        (2x)
G   A4/7   D
Terra, planeta á...gua

Meu mundo e nada mais

Meu mundo e nada mais (1976) - Guilherme Arantes

F             Fº    F        Am7
Quando eu fui ferido vi tudo mudar
Cm7             F7   Bb Eb/Bb
Das verdades que eu sabia
F             Fº        F        Am7
Só sobraram restos que eu não esqueci
Cm7         F7         Bb
Toda aquela paz que eu tinha
C7     C/Bb  F/A            C7/G          F
Eu que tinha tudo hoje estou mudo, estou mudado
Dm7          Gm7       C7
À meia-noite, à meia luz, pensando
F         Bb   C7      F
Daria tudo por um modo de esquecer
Bb    C/Bb  F/A            C7/G          F
Eu queria tanto estar no escuro do meu quarto
Dm7           Gm7     C7
À meia-noite, à meia luz, sonhando
F            Bb      C7   F
Daria tudo por meu mundo e nada mais
F              Fº        F         Am7
Não estou bem certo se ainda vou sorrir
Cm7               F7    Bb Eb/Bb
Sem um traço de amargura
F              Fº    F        Am7
Como ser mais livre, como ser capaz
Cm7              F7   Bb
De enfrentar um novo dia

Guilherme Arantes


Guilherme Arantes, compositor, cantor, arranjador e tecladista nasceu em São Paulo SP em 28 de Julho de 1953. Iniciou a carreira no grupo paulistano Brazilian Boys. Gravou o primeiro disco em 1974, como integrante do grupo Moto Perpétuo.

Em 1976 estreou carreira solo, gravando um LP sem título pela Som Livre; uma das faixas, a balada Meu mundo e nada mais, fez parte da trilha musical da primeira versão da telenovela Anjo mau, da TV Globo, e teve grande êxito.

Seus outros sucessos compreendem Planeta água (1980), Cheia de charme (1985), Coisas do Brasil (1986) e Lindo balão azul (1982, incluída em Pirlimpimpim, programa especial da TV Globo baseado nos personagens de Monteiro Lobato).

Entre suas composições que tiveram êxito na voz de outros intérpretes estão Labirinto, gravada por Sá e Guarabira (1978) e MPB-4 (1980), Amanhã, por Caetano Veloso (1986) e Brincar de viver, por Maria Bethânia (1983), esta integrante da trilha do programa especial Plunct Plact Zum, da TV Globo. Em 1993, Leila Pinheiro regravou Coisas do Brasil num CD homônimo, em ritmo de bossa nova.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora / PubliFolha.