terça-feira, 15 de julho de 2008

Babaú

Babaú (Waldemiro José da Rocha), compositor, nasceu no Rio de Janeiro RJ em 23/1/1914 e faleceu na mesma cidade em 02/07/1993. Nascido no Buraco Quente, no morro da Mangueira, viu a fundação da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira quando ainda era menino.

Em 1928 fez parte do Bloco dos Arengueiros e, em 1930, começou a aprender cavaquinho e a fazer samba, observando os mestres Cartola, Aluísio do Violão, Nelson Cavaquinho e Carlos Cachaça. Participou da fundação da Escola de Samba Unidos do Tuiuti, compondo o primeiro samba-enredo da escola, As riquezas do Brasil.

Em 1937, Araci de Almeida gravou um de seus sambas mais conhecidos, Tenha pena de mim (com Ciro de Sousa), que seria regravado por vários intérpretes. São também da década de 1930 os sambas Eu vou pra roça (com Chiquinho Tuiuti) e Sofro demais.

Em 1940, Araci de Almeida gravou o samba Eu dei; por essa época compôs com João Taú Silva Encontro saudoso e Ela me abandonou, gravadas por Gilberto Alves. Em 1945 participou da fundação da Unidos do Cabuçu, integrando a ala de compositores da escola. Foi também um dos fundadores da Unidos do Outeiro, para a qual compôs o primeiro samba-enredo, Brasil gigante, em 1946. Em 1966 compôs, com Bira Sargento, Não me abandone.

Afastado por algum tempo das atividades artísticas, voltou aos palcos em 1972 para cantar no Teatro Opinião, de São Paulo SP. Três de seus sambas de partido-alto foram então gravados: Pedra 90, por Jorginho do Império, em 1972; Brincadeira tem hora, por ele próprio; e Por que você não foi, em 1974, por Xangô. Ainda em 1972, concorreu pela Unidos de Jacarepaguá com o samba Sete portas da Bahia.

Na década de 1980, conheceu Eraldo de Carvalho na Rádio Roquete Pinto e formou com ele parceria responsável por O galo canta, Flores e mulheres e Mostra o pau. Em 1990 gravou os sambas Quem fala mais alto e Chinelo velho, no disco Raízes brasileiras.

Já cego pelo glaucoma, fundou em 1993 a Unidos de Vila Valqueire. Em 1994, com o patrocínio da Secretaria de Estado da Cultura, do Rio de Janeiro, foi lançado o livro Tempos de outrora, vida e obra de Babaú da Mangueira, de autoria de Andréia Ribeiro Alves.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e PibliFolha.
Postar um comentário