domingo, 19 de outubro de 2008

Vagalume

Vagalume (marcha/carnaval, 1954) - Vitor Simon e Fernando Martins - Intérprete: Anjos do Inferno


Rio de Janeiro
Cidade que nos seduz
De dia falta água
De noite falta luz.

(bis)

Abro o chuveiro
Não cai nem um pingo
Desde segunda
Até Domingo.

Eu vou pro mato
Ai, pro mato eu vou
Vou buscar um vaga-lume
Pra dar luz no meu chatô.

Um a um

Edgar Ferreira
Um a um (coco, 1954) - Edgar Ferreira - Interpretação: Jackson do Pandeiro



Esse jogo não é um a um
Se o meu time perder tem zum-zum-zum
Esse jogo não pode ser um a um
O meu clube tem time de primeira
Sua linha atacante é artilheira
A linha média é tal qual uma barreira
O center-forward corre bem na dianteira


A defesa é segura e tem rojão
E o goleiro é igual um paredão
É encarnado e branco e preto
É encarnado e branco
É encarnado e preto e branco
É encarnado e preto


O meu time jogando, eu aposto
Quer jogar, um empate é pra você
Eu dou um zurra a quem aparecer
Um empate pra mim já é derrota
Eu confio nos craques da pelota
E o meu clube só joga pra vencer

Rio é amor

Ângela Maria
Rio é amor (samba, 1954) - Bruno Marnet - Intérprete: Ângela Maria


Falam de Paris de La France de l’amour
Dizendo que lá tudo é bom
Mas é aqui que a gente sente
Neste Rio quente, quente
O verdadeiro hino do amor.

Faz tanta coisa inspirar
A natureza e o mar
Suas morenas faceiras
Parecem sereias que fazem sonhar.
(bis)

Rio Copacabana seus brotinhos à beira-mar
Não há neste mundo outro lugar
O carioca com teu rosto tão bonito e sedutor.

És a princesinha do mar
Tu és mais linda que o mar
Fazes na vida inspirar
Porque tu és brasileira
Mais linda e brejeira do nosso Brasil....

Rio antigo

Rio antigo (maxixe, 1954) - Altamiro Carrilho e Augusto Mesquita - Intérprete: Altamiro Carrilho


O Rio antigo, quero relembrar
E o maxixe que ele conheceu
Alguma coisa, para confortar nossos amores
Ao mundo, a você quero falar
No bonde que o burrinho esperava
A gente se aprontar

E na vaquinha, que parava há nossa porta
Pra nos deleitar.

As nossas ruas
Que eram bastante estreitas, então

Bem pensado, eram mais largas
Relativamente, do que hoje são
E falando, da iluminação
O que é verdade é que a luz era fraca
Mas nunca faltou, luz num lampião.

Naquele tempo, era Zona Norte
E nas cantinas de toda cidade
Pois quem disse
Independência ou Morte, ali passou
A sua mocidade
São Cristóvam, era sem igual
Com seu pomposo, Passo Imperial
E as liteiras que andavam todo o dia
O bairro, maioral.

Que é da rua famosa
Que até inspirou a versão
Do Cai, Cai Balão
Onde estás ó Rua do Sabão
Que fizeram de ti?
E da tua colega do Piolho?
Na cabeceira, puseram mais flores
Passaram a mudar, tudo por aí.

No carnaval, usava-se de tudo, que era água
E as vezes, era tudo, e que gozado
O tal limão de cheiro
Que nem sempre era lisonjeiro
Zé Pereira, teve o seu passado
Naquele tempo, que não volta mais,
Dava prazer o encontro
Com as fantasias, tão originais.

Pra terminar
Eu não posso deixar de falar, no Castelo
Nesse morro, que foi abaixo
Para ali surgirem, ó quanta ironia
Castelos, castelos mais castelos
Com o progresso, cresceu a cidade
E o preço do pão, que calamidade!

Destaques de Outubro/2008

Wanda Sá
21/10/08 - Wanda Sá - Fã de primeira hora da bossa nova, Wanda Sá, uma paulista convertida a carioca desde a mais tenra idade, matriculou-se aos 13 anos na academia de violão de Roberto Menescal. Descoberta por Ronaldo Bôscoli, participou de programas de televisão como Dois no Balanço (TV Excelsior) e O Fino da Bossa ...

Bossa 3
21/10/08 - Bossa 3 - Trio formado em 1961 (Luís Carlos Vinhas, piano; Tião Neto, substituído mais tarde por Octávio Bailly Jr., baixo; Edison Machado, substituído por Chico Batera e depois por Ronie Mesquita, bateria) nos arredores do Beco das Garrafas, berço da bossa nova, derivou do quinteto Samba 5, que passou a Samba 3 e ...

Sérgio Mendes
21/10/08 - Sérgio Mendes - Sérgio Santos Mendes, instrumentista, arranjador e regente, nasceu em Niterói (RJ), em 11/2/1941. Um dos músicos brasileiros mais celebrados no exterior estudou piano desde criança, passando na juventude do clássico para o jazz. No início dos anos 60 passou a se apresentar em jam-sessions de casas ...

Paulinho Tapajós
21/10/08 - Paulinho Tapajós - Paulo Tapajós Gomes Filho, compositor e cantor, nasceu no Rio de Janeiro-RJ, em 17/8/1945. Filho do músico Paulo Tapajós, com quem teve as primeiras noções musicais, começou a compor na década de 60, participando de festivais. Seu maior sucesso, Andança (com Edmundo Souto e Danilo Caymmi) ficou ...

Milton Banana
21/10/08 - Milton Banana - Antônio de Sousa, instrumentista, nasceu no Rio de Janeiro RJ em 23/4/1935. Começou a carreira musical em 1955, no conjunto de Waldir Calmon, tocando bateria na boate carioca Arpège. Nesse mesmo ano passou para o conjunto de Djalma Ferreira, os Milionários do Ritmo, que se apresentava na boate ...

José Briamonte
19/10/08 - José Briamonte - Regente, nasceu em São Paulo SP, em 23/9/1931. Formado em piano pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo em 1956, estudou depois harmonia, contraponto, instrumentação e regência na Escola Livre de Música. Ainda em 1956, atuou com a Orquestra de Luís César, no Dancing Maravilhoso, em São...

Vera Brasil
19/10/08 - Vera Brasil - Vera Lelot, compositora, cantora e instrumentista, nasceu São Paulo SP, em 07/05/1932. Filha do compositor e violonista Sivan Castelo Neto, iniciou-se no violão aos 16 anos e, mais tarde, estudou canto e música com Miguel Arquerons. Sua primeira composição gravada foi o samba-canção Três palavras (com Sivan Castelo Neto)...

Americano do Brasil
19/10/08 - Americano do Brasil - Antônio Americano do Brasil, historiador e folclorista, nasceu na cidade de Bonfim-GO, hoje Silvânia (28/08/1892) e faleceu em Santa Luzia-GO (20/04/1932). Era filho legítimo do professor Antônio Eusébio de Abreu e de dona Elisa de Abreu. Formou-se em 1917, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro...

Nestor Campos
15/10/08 - Nestor Campos - Nestor Pereira Campos, compositor, guitarrista e instrumentista, nasceu em São Luís de Piratininga, SP, em 6/3/1920. Foi líder de um conjunto que fazia constantes apresentações em boates paulistas. Atuou como guitarrista na Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Em 1951, apresentou-se com Helena de Lima ...

Gilberto Gagliardi
15/10/08 - Gilberto Gagliardi - Instrumentista e arranjador, nasceu em São Paulo SP, em 5/12/1922. Estudou trombone com o pai, José Gagliardi, e fez curso de iniciação musical na E.N.M.U.B, do Rio de Janeiro RJ, em 1938. Começou a tocar profissional mente com a orquestra Simon Bountman, que atuava na Victor. Realizou suas primeiras...

Gabriel o Pensador
15/10/08 - Gabriel o Pensador - Gabriel Contino, (cantor e compositor, Rio de Janeiro-RJ, 04/03/1974) é um dos maiores nomes do rap brasileiro. Diferenciou-se de boa parte de seus pares (e chegou a ser criticado por eles) por ser garoto branco de classe-média. Mas desde o começo fez letras de crítica social e moral, como acontece na música rap...

Forró
26/09/08 - Edgar Ferreira - Edgar Monteiro Ferreira (07/04/1922 - 19/12/1995, Recife, PE), compositor, foi um dos fundadores do primeiro sindicato da indústria metalúrgica de material elétrico da cidade do Recife. Trabalhou na Fábrica Mazarazzo de onde foi demitido em 1941 por participar de uma greve. Passou a sobreviver vendendo livros...

Nat King Cole
12/09/08 - Nat King Cole - Nome artístico de Nathaniel Adams Cole (Montgomery, 17 de março de 1919 — Santa Mônica, 15 de fevereiro de 1965) foi o primeiro vocalista negro a ter um programa na televisão norte-americana. Nessa época (1956), o movimento pelos direitos civis não estava suficientemente mobilizado para influenciar a opinião...

Brasinha
12/09/08 - Brasinha - Gustavo Tomás Filho, compositor (Rio de Janeiro RJ 10/12/1925—id. 16/4/1998), compôs principalmente músicas carnavalescas. Sua primeira composição, Minha canção, é de 1938. Teve sua primeira música gravada — o samba Quero esquecer — por Zezé Gonzaga, para o Carnaval de 1952, na etiqueta...

Floriano Faissal
12/09/08 - Floriano Faissal - (São Paulo-SP, 1907 - Rio de Janeiro-RJ, 1986) Ator, radialista e compositor, era irmão dos também radialistas Roberto, William e Lourival Faissal. Começou sua carreira como figurante de teatro e escrevendo comédias e revistas musicais, mas foi no rádio a partir de 1938 quando entra para a Rádio Nacional para ...

Jacaré
12/09/08 - Jacaré - Antônio da Silva Torres, compositor e instrumentista (Recife PE 12/6/1929—01/04/2005), fez os primeiros estudos com seu pai, Josias, que era barbeiro, e, aos nove anos, já começava a solar no cavaquinho as primeiras composições. Trabalhando como ajudante de alfaiate, recebeu o apelido de Jacaré, dado por Arlindo...

Eydie Gormé
02/09/08 - Eydie Gormé - Edith Gormenzano, conhecida no mundo musical como Eydie Gormé, nasceu em 16 de agosto de 1931, em Nova York, EUA. Seus pais eram imigrantes de origem sefardita (judeus ibéricos), sendo ela a mais nova de três irmãos. Posto que o espanhol fosse língua de sua família, ela cresceu conhecendo e falando ....

Duo Guarujá
02/09/08 - Duo Guarujá - Dupla sertaneja formada por Nilsen Ribeiro e Armando Castro. Nilsen começou cantando em festas de amigos, onde impressionava os convidados. Acabou impressionando também a Armando Castro, crooner do grupo Vagalumes do Luar, que era conjunto exclusivo da Rádio Record e da gravadora Continental. Durante um ...

Campanha e Cuiabano
02/09/08 - Campanha e Cuiabano - Antônio Campanha (Campanha) nasceu em Monte Alto-SP no dia 05/12/1925; Olívio Campanha (Cuiabano) nasceu também em Monte Alto-SP no dia 05/03/1928 e faleceu em São José do Rio Preto-SP no dia 16/06/1981. Antônio iniciou sua carreira musical ainda criança, com apenas 12 anos de idade, quando...

Astor Silva
02/09/08 - Astor Silva - Instrumentista, arranjador, regente e compositor, nasceu em 10/5/1922 no bairro do Rio Comprido, Rio de Janeiro, RJ, e faleceu na mesma cidade em 12/2/1968. Fez seus estudos na Escola João Alfredo, situada em Vila Isabel. Por essa época já estudava música e formou um grupo com colegas do colégio que se ...

Célia e Celma
02/09/08 - Célia e Celma - A dupla sertaneja Célia (Célia Mazzei - Ubá, MG - 2/11/1952) e Celma (Celma Mazzei - Ubá, MG - 2/11/1952), irmãs gêmeas, começaram a cantar ainda crianças. O pai era fotógrafo profissional e nas horas vagas tocava bombardino numa banda da cidade de Ubá. Aos cinco anos de idade começaram a cantar no rádio...

Adil de Paula
02/09/08 - Zuzuca - O compositor Zuzuca (Adil de Paula) nasceu em 14/08/1936 e é natural de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Aos 15 anos, começou a tocar violão, logo após ter se mudado para o Rio de Janeiro, indo morar no bairro da Tijuca. Trabalhou como mecânico após ter servido ao Exército. Nesta época, freqüentava as rodas de ...

José Briamonte


José Briamonte, regente, nasceu em São Paulo SP, em 23/9/1931. Formado em piano pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo em 1956, estudou depois harmonia, contraponto, instrumentação e regência na Escola Livre de Música.

Ainda em 1956, atuou com a Orquestra de Luís César, no Dancing Maravilhoso, em São Paulo. Em 1959 integrou o Conjunto Vadico e Odilon. Em 1963, tocando órgão, participou pela primeira vez de uma gravação, um 78 rpm, pela RGE, que incluía Nós e o mar (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli) e Só saudades (Tom Jobim).

Em 1966 e 1967 atuou nos conjuntos Sansa Trio, com o qual se apresentou no Restaurante Baiúca e gravou dois LPs, e Som Beco, com o qual tocou no restaurante O Beco e gravou um LP.

Em 1967 fez o arranjo para Eu e a brisa (Johnny Alf), interpretado por Márcia no III FMPB, da TV Record, de São Paulo. A partir desse ano, como arranjador, participou de vários festivais e de gravações de inúmeros conjuntos, cantores e compositores, entre os quais Márcia, Toquinho e Vinícius de Moraes, Jorge Ben Jor e Tom Zé.

Para a TV Globo, compôs o tema da novela Pigmaleão 70. Como acompanhante, participou de shows de diversos cantores, como Johnny Alf (1968), Dick Farney (1969) e Maysa (1971).

Em 1975 atuou como regente em Brasileiro profissão esperança, peça musical de Paulo Pontes levada no Teatro Aquarius, em São Paulo, sob direção de Bibi Ferreira. Gravou em 1982 Momentos românticos, pela RCA.

Em 1984, inaugurou o Teatro Scala, Rio de Janeiro RJ. Entre 1985 e 1990, trabalhou como compositor, diretor musical e regente no Paladium, em São Paulo. Dedicou-se a shows personalizados para grandes empresas a partir do início dos anos de 1990.

Entre suas composições eruditas, destacam-se Amolador de facas (1989), poema sinfônico, e Concerto n° 1 em sol maior para piano e orquestra (1992).

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e PubliFolha.

Americano do Brasil

Americano do Brasil (Antônio Americano do Brasil), historiador e folclorista, nasceu na cidade de Bonfim-GO, hoje Silvânia (28/08/1892) e faleceu em Santa Luzia-GO (20/04/1932). Era filho legítimo do professor Antônio Eusébio de Abreu e de dona Elisa de Abreu.

Formou-se em 1917, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Em 1919 deixou o cargo de secretário do Interior e Justiça em Goiás, ingressando no Corpo Médico do Exército, tendo sido promovido a capitão em 1922.

Voltou a exercer a secretaria estadual do Interior e Justiça, e mais tarde a da Fazenda, em Goiás, e em 1920 foi eleito deputado federal. Morreu assassinado em 1932. Como folclorista compendiou versos, desafios, abecês, danças tradicionais etc. Usou do psendônimo João Goiás.

Goiano de rara cultura

"Desde os bancos escolares, ou seja, no Colégio Bonfinense, fundado e dirigido pelo seu pai, revelou formoso talento, que tanto brilhou e tanto honrou à terra goiana. Foi aluno do Colégio Morel, do Rio de Janeiro; diplomou-se em medicina, mas era jornalista dotado de puríssimo estilo.

Sua pena foi das mais notáveis. Como orador, tinha a palavra fluente e irresistível, como um Padre Antônio Vieira. Como parlamentar, seus discursos ficaram célebres na Câmara Federal. Sua vida caracterizou-se por trabalho intenso, de mais de quatro lustros, num labor constante, que lhe assegurou o direito à auréola que circunda o seu nome. Foi um espírito primorosamente culto e relevantíssima é sua folha de serviço à terra goiana.

Foi um goiano de rara cultura, dotado de um talento fulgurante, tendo se dedicado integral e desinteressadamente ao serviço de seu Estado, revelando-lhe suas riquezas econômicas, o espírito de sua gente, e elevando-o sempre com segurança e brilhantismo .

Foi Secretário de Interior e Justiça do governo do desembargador João Alves de Castro, deixando nesta importante pasta política traços indeléveis de sua cultura e invulgar capacidade de trabalho.

Como médico, exerceu a nobre profissão com zelo, proficiência e grande desprendimento monetário.Foi político, poeta, historiador, jornalista e escritor dos mais privilegiados, em tudo deixando traços firmes e de sua brilhante mentalidade.

Quando faleceu, seus restos mortais foram transladados do cemitério da cidade de Santa Luzia, hoje Luziânia, para o de Bonfim, hoje Silvânia, em 10 de julho de 1938. O nome do saudoso Americano do Brasil, como intelectual goiano, transpôs as fronteiras de nossa terra, ocupando lugar de relevo quando o jornal “La Nacion”, de Buenos Aires, quis associar-se ao Brasil nos festejos comemorativos de nossa independência, convidando escritores brasileiros para colaborar nessa grandiosa obra de confraternização.

Assim, entre os trabalhos publicados naquela edição especial do jornal portenho, a monografia que Americano do Brasil escreveu sobre Goiás foi uma síntese magnífica de nossa história. É um repositório de informações seguras e preciosas sobre a nossa terra" (Fonte: José Ferreira de Souza Lobo, “Goianos ilustres”, ed. Oriente, p. 23-24).

Obras

A Doutrina Endocrinológica: (1917) Tese de doutorado da Faculdade de Medicina da Praia Vermelha no Rio de Janeiro – RJ; No Convívio com as Traças: (1920) Em polêmica com o tenente Marco Antônio Félix de Sousa, por questão genealógica, nasce à obra que esclarece os laços de sangue do general Joaquim Xavier Curado com Francisco Soares de Bulhões, irmãos uterinos; Questão de Limite Goiás – Pará: (1920) Estudo que refuta a coerência do delegado do Pará, Dr. Palma Diniz, no Congresso de Limites Interestaduais; Pela Terra Goiana: (1922) discursos; 05. Pela Terra Goiana II: (1923) discursos; Puericultura e A Cultura Nacional: (1923); Cunha Matos em Goiás (1823 – 1826): (1924) Memória – Escritos entregue ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro; Cancioneiro de Trovas do Brasil Central: (1925) editado por Monteiro Lobato. Este livro foi motivado por uma palestra assistida na Biblioteca Nacional, proferida por João Ribeiro sobre o sentimento folclorístico brasileiro; Súmula de História de Goiás: (1931) Trabalhou na adaptação da História de Goiás ao programa da Escola Normal que lhe foi mandado, nascendo a obra, que foi oferecida ao Estado sem nenhuma remuneração. Esta obra foi editada em 1932, após a sua morte; Nos Rosais do Silêncio: (1947) poemas; Romanceiro Trovas Populares: (1979) edição crítica de Basileu Toledo França; Mil Trovas Luzianas; Goiás – Província; Pela História de Goiás: (1980) A editora da UFG lança a obra com crônicas históricas de sua lavra, selecionadas pelo escritor Humberto Crispim Borges.

Fontes: Antonio Americano do Brasil - Poesia dos Brasil - Goiás; Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e publiFolha.