segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Pára Pedro

José Mendes
Pára Pedro (rancheira, 1967) - João Mendes e José Portela Delavy
Int.E B7 E 
 
                    B7                    E 
Era um baile lá na serra na fazenda da ramada 
                          B7                      E 
Foi por lá que um tal de Pedro se chegou de madrugada 
                   B7                   E 
Só escutei um zum-zum mas não sabia de nada 
                      B7                       E 
Só ouvia a mulher gritando este Pedro é uma parada 
 
                    B7                       E 
(Pára Pedro, Pedro pára, pára, Pedro, Pedro pára 
                  B7                      E 
Pedro para, para Pedro pára Pedro, Pedro pára) 
                    B7                      E 
Era o Pedro lá num canto beliscando as namorada 
 
Int. 
                     B7                           E 
Quando foi lá pelas tantas que a farra estava animada 
                B7                     E 
Apagaram o lampião e a bagunça foi formada 
                  B7                     E 
As véias se revoltaram Pedroca não é de nada 
                         B7                       E 
E o Pedro brigou com as véias e deu uma peleia danada 
 
( ) 
                 B7                     E 
Fazia cosca nas véia e as véia davam risada 
 
( )Int. 
                      B7                      E 
Pedro foi dançar um chote com uma véia apaixonada 
                   B7                       E 
Surgiu o velho da véia e a coisa foi complicada 
                    B7                           E 
Pedro correu pelos fundos e entrou numa porta errada 
                       B7                      E 
E as moças levaram um susto e gritavam desesperadas 
 
( ) 
                  B7                     
Velha grudada no Pedro e velho no Pedro agarrado 
 
( )Int. 

Palmas no portão

Elza Soares
Palmas no portão (samba, 1967) - Valter Dionísio e D’Acri Luís

Ôôôôô
Há mais de uma semana
Que eu não vejo meu amor
Há mais de uma semana
Que eu não vejo meu amor

De madrugada, bateram palmas no portão
Não era o dono do meu pobre coração
Por isso é que eu chorei
Sentindo a mesma dor
Há mais de uma semana
Que eu não vejo o meu amor

Ôôôôô
Há mais de uma semana
Que eu não vejo meu amor
Há mais de uma semana
Que eu não vejo meu amor

Não presto mas eu te amo

Não presto mas eu te amo (jovem guarda, 1967) - Roberto Carlos
Introdução: E  B7  E  B7

E              A                 E
Se você brigar novamente eu vou me embora
B7                 Em
Mas ouça bem o que eu digo agora:
Am              Em
Eu não presto, mas eu te amo
B7               E   B7  E  B7
Eu não presto, mas eu te amo
E                 A               E
Minha vida foi sempre assim, mas pode mudar
B7            Em
Se você quiser vou modificar
Am              Em
Eu não presto, mas eu te amo
B7               E   B7  E  B7
Eu não presto, mas eu te amo
E             A              E
No meu carro fujo de tudo sempre correndo
B7             Em
Só vou parar você me querendo
Am              Em
Eu não presto, mas eu te amo
B7               E   B7  E  B7
Eu não presto, mas eu te amo

Solo: E  A  E  B7  Em  Am  Em  B7  E  B7  E  B7 

E                A               E
Todo mundo diz que eu tenho a vida agitada
B7              Em
Que eu sou playboy e não valho nada
Am              Em
Eu não presto, mas eu te amo
B7               E   B7  E  B7
Eu não presto, mas eu te amo
E             A                 E
Que eu não sou capaz de amar ninguém de verdade
B7                Em
E que eu só penso em minha vaidade
Am              Em
Eu não presto, mas eu te amo
B7               E   B7  E  B7
Eu não presto, mas eu te amo
E                A              E
Eles vão meu bem condenar-me em cada gesto
B7                     Em
E vão falar também que eu não presto
Am              Em
Eu não presto, mas eu te amo
B7               E   B7  E  B7
Eu não presto, mas eu te amo
E              A                E
Acontece que já não é o que estão falando
B7                 Em
Pois ninguém sabe que eu estou amando
Am              Em
Eu não presto, mas eu te amo
B7               E   B7  
Eu não presto, mas eu te amo
E   B7
Mas eu te amo
E   B7
Mas eu te amo
E
Mas eu te amo.

Mancada

Mancada (1967) - Gilberto Gil
Tom: G7+
Intro: G D/F# Em9 A7 D7 G D5+/F# D/F# Am4/7 Ab5-/7 G7+

G7+                      C#m5-/7
O dinheiro que eu lhe dei
F#5+/7    Bm7
Pro tamborim
E7/9-     Am7          D7/9-         G7+
Não vá gastar depois jogar a culpa em mim
C#m5-/7
O dinheiro que eu lhe dei
F#5+/7     Bm7
Não é meu não
E7/9-   Am7         D7/9-        G7+ (Am4/7 Ab5-/7 G7+)
É da escola por favor não mete a mão
Dm
Você lembra muito bem
G6/9-     C#m5-/7
No outro carnaval
F#5+/7    Bm7                   F#m5-/7
Você chorou porque não pode desfilar
B7      Em          Em7+          Em7
A fantasia que eu mandei você comprar
Em7+        A7     G/B      Ab/C
Não ficou pronta porque o dinheiro
A/C#       C/D           F/G
Que eu lhe dei pra costurar
G7/9-
Você, hum, hum
C7+/9
Eu nem vou dizer
G7+
Pra não lhe envergonhar

Lunik 9

Lunik 9 (1967) - Gilberto Gil
 D7+        Em7         F#m7      D5+/7
Poetas, seresteiros, namorados, correi
Gm7         C7       F7+       A#7+
É chegada a hora de escrever e cantar
Em7       A5+/7     Dm7
Talvez as derradeiras noites de luar
D#m7
Momento histórico, simples resultado
do desenvolvimento da ciência viva
F7+                    
Afirmação do homem normal,
G                        Dm7
gradativa sobre o universo natural
Cm7 F7/9-
Sei lá que mais
A#7+      Am7      D7 
Ah, sim! Os místicos também
Gm7
profetizando em tudo o fim do mundo
C7
E em tudo o início dos tempos do além
Cm7         F7/9
Em cada consciência, em todos os confins
A#7+                      Fm7  A#m Fm7
Da nova guerra ouvem-se os clarins
A#m                 Fm7    A#m  
Guerra diferente das tradicionais,
C7                      F7/9
guerra de astronautas nos espaços siderais
G#                      C#     
E tudo isso em meio às discussões,
A#                    D#
muitos palpites, mil opiniões
F7           G7
Um fato só já existe que ninguém pode negar,
7, 6, 5, 4, 3, 2, 1, já!
C7+            Gm7      C7+              Gm7    C7+
E lá se foi o homem conquistar os mundos lá se foi
Gm7         C7+          Gm7       C7 F
Lá se foi buscando a esperança que aqui já se foi
Fm7       Em7   
Nos jornais, manchetes, sensação,
D#7+     Dm7
reportagens, fotos, conclusão:
G7/9-              C7+         Am7
A lua foi alcançada afinal, muito bem,
Dm7         G7/9-           C7
confesso que estou contente também
F#º                     Em7          D#7+
A mim me resta disso tudo uma tristeza só
Dm7         G7/9-     Em7           A7   Dm7
Talvez não tenha mais luar pra clarear minha canção
G7/9      Em7  A7
O que será do verso sem luar?
Am7          D7      G7/9       Gm7  C6/7
O que será do mar, da flor, do violão?
F#º          Fm7           Em7 D#7+
Tenho pensado tanto, mas nem sei
D7+        Em7         F#m7      D5+/7
Poetas, seresteiros, namorados, correi
Gm7        C7        F7+      A#7+
É chegada a hora de escrever e cantar
Em7        A7       G   Dm7
Talvez as derradeiras noites de luar

Linda mascarada

J. Roberto Kelly
Linda mascarada (marcha-rancho, 1967) - João Roberto Kelly e David Nasser

Vem, ó linda mascarada
Vem teus olhos são de minha amada
Vem, ó linda mascarada
Vem teus olhos são de minha amada.


Vem, faz de conta que o teu amor
Tem a vida exata de uma flor
Vem, faz eterna a madrugada
Com um só minuto do teu beijo
Vem, já é mais noite em nossas noites
Quero amanhecer entre os teus braços...


Vem, ó minha linda mascarada
Que uma noite não é nada.