quinta-feira, 28 de maio de 2009

Vou deitar e rolar

Baden Powell
Vou deitar e rolar (samba, 1970) - Baden Powell e Paulo César Pinheiro
Tom: A
Intro: E7

PARTE I:
A6     D7M/9         C#m7  F#m7
Não venha querer se consolar
Bm7              E7
Que agora não dá mais pé
A6
Nem nunca mais vai dar

A6     D7M/9           C#m7  F#m7
Também quem mandou se levantar
Bm7              E7
Quem levantou pra sair
Em6 A7/13
Perde o lugar

Dm6       Aº       C#m7
E agora, cadê teu novo amor
F#m7        Bm7
Cadê que ele nunca funcionou
E7         A7
Cadê que nada resolveu


REFRAO:
E9          Ebº D7M/9 C#m7
Quaquaraquaquá, quem riu
F#m7        Bm9 E7  A6
Quaquaraquaquá, fui eu
E9          Ebº D7M/9 C#m7
Quaquaraquaquá, quem riu
F#m7        Bm9 E7  A6
Quaquaraquaquá, fui eu

E7
ainda sou mais eu

PARTE II:
A6     D7M/9        C#m7  F#m7
Você já entrou na de voltar
Bm7          E7
Agora fica na tua
A6
Que é melhor ficar
A6         D7M/9     C#m7  F#m7
Porque vai ser fogo me aturar
Bm7
quem cai na chuva
E7            Em6 A7/13
Só tem que se molhar

Dm6      Aº         C#m7
E agora cadê, cadê você
F#m7        Bm7
Cadê que eu não vejo mais, cadê
E7         A7
Pois é quem te viu e quem te vê


{REFRAO}

Bbº        Bm7        E9   D7M/9 C#m7      F#m7
Todo mundo se admira da mancada que a Terezinha deu
Bbº    Bm7
Que deu no pira
E7           Em6
E ficou sem nada ter de seu
A7             Dm6
Ela não quis fazer fé
C#m7      F#m7
Na virada da maré
Breque

Mas que malandro sou eu
Pra ficar dando colher de chá
Se eu não tiver colher, vou deitar e rolar


{PARTE II}
{REFRAO}


(Ebº D7M/9 C#m7 F#m7)
O vento que venta aqui
É o mesmo que venta lá
E volta pro mandingueiro
A mandinga de quem mandingá

{REFRAO}

Vista a roupa meu bem

Vista a roupa meu bem (1970) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos

Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
Acredite em mim e no meu amor também

Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
Isto está muito bom mas temos que ir embora

Vista a roupa e vem
Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
Você não se decide e isto assim não fica bem

Esta praia está boa
Mas você me magoa
Insistindo em ficar

Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
E vamos nos casar

Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
Acredite em mim e no meu amor também

Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
Isto está muito bom mas temos que ir embora

Vista a roupa e vem
Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
Você não se decide e isto assim não fica bem

Esta praia está boa
Mas você me magoa
Insistindo em ficar

Vista a roupa meu bem
Vista a roupa meu bem
E vamos nos casar
Vamos nos casar
Vamos nos casar

Tudo se transformou

Tudo se transformou (samba, 1970) - Paulinho da Viola
 INTROD: Gm7 A7 Dm7/9 A#7 D#7+ A7

Dm7/9                      Gm7
Vai,meu samba tudo se tranformou
C7/9                    F7M
Nem as cordas do meu pinho
A#7       A7
podem mais amenizar a dor
Gm7    A7           Dm7/9
Onde havia a luz do sol
Gm7  C7/9     F7M
Uma nuvem se formou
Dm7/9               Gm7
Onde havia uma alegria para mim
A#        A
Outra nuvem carregou
D7             Gm7
A razão dessa tristeza
A#7     A7   Dm7/9
é saber que o nosso amor passou
D7               Gm7
A razão dessa tristeza                       
A#7      A7  D6/9 A7/6 A7/5+
é saber que o nosso amor passou
D6/9          E7/9
Violão até um dia
A7
quando houver mais alegria
D6/9
eu procuro por você
Fº
Cansei de derramar inultimente
Em7                  E7/9
em suas cordas,as desilusöes
A7/6    A7/5+
desse meu viver
D7                  Gm7
Ela declarou recentemente

A#7     A7  D6/9
que ao meu lado não tem mais prazer
D7                Gm7
Ela declarou recentemente                        
A#7   A7 D6/9 A7/6 A7/5+
que ao meu lado não tem mais prazer

Se eu pudesse conversar com Deus

Se eu pudesse conversar com Deus (1970) - Nelson Ned - Intérprete: Antonio Marcos

Tom: A
Introdução: A  D#°  A  E7  A  D#°  A  E7  A  E7 
 
     A 
 Eu hoje estou tão triste 
                           E7      Bm  E7 
 Eu precisava tanto conversar com Deus 
 Bm                    E7   Bm 
   Falar dos meus problemas 
                   E7 
 Também lhe confessar 
                  A   E7 
 Tantos segredos meus 
                 A 
 Saber da minha vida 
                                E7    Bm  E7 
 E perguntar porque ninguém me respondeu 
 Bm            E7  Bm   
   Se a felicidade 
             E7 
 Existe realmente 
                A  A7 
 Ou é um sonho meu 
      D              E7 
 Meu Deus não sei rezar 
     C#m           F#7 
 Perdoe, por favor 
                    Bm          E7 
 Perdi meu tempo aprendendo a amar 
     Bm            E7               A  E7 
 Alguém que nunca soube o que é o amor 
               A 
 Eu sei que é impossível 
                            E7      Bm  E7 
 Mas eu queria tanto conversar com Deus 
 Bm                   E7    Bm 
   Nestas horas tão tristes 
                  E7 
 Só Deus me ajudaria 
              A  E7 
 A esquecer você 
                      A 
 Mas sei que estou errado 
                                    E7    Bm  E7 
 Sou eu quem devo os meus problemas resolver 
 Bm                   E7  Bm 
   Meu rosto está molhado 
                 E7 
 De lágrimas cansadas 
                 A  A7 
 De chorar por você 
      D             E7 
 Meu Deus não se rezar 
     C#m           F#7 
 Perdoe, por favor 
                    Bm          E7 
 Perdi meu tempo aprendendo a amar 
     Bm            E7               A  D#° A  E7  A 
 Alguém que nunca soube o que é o amor.

Procurando tu

Antônio Barros
Procurando tu (1970) - Antônio Barros e J. Luna
Introdução- D  G C F E Am E7 Am E7  

Refrão: 
        Am                  E7 
Morena diga onde é que tu tava    
                                   Am  
Onde é que tu tava, onde é que tava tu  
          Dm               Am  
Passei a noite procurando tu  
           E7              Am  
Procurando tu, procurando tu  
          Dm               Am 
Passei a noite procurando tu,  
           E7             Am  
Procurando tu procurando tu  


          G7                 C     
Eu vivo triste, meu amor me beija  
               G7             C 
Mesmo que não seja beijo de amor  
          G7                  C   
Esse teu beijo sei que me envenena  
               G7            C  
Mas não tenha pena se é matador  
             F                 C 
||:Eu quero um beijo de lascar o cano  
              G7               C  
Pois eu sou baiano cabra beijador:|| 


Refrão 

           G7                 C 
Chega prá perto, me dá um arrocho  
              G7              C 
Que eu já tô rocho de tanto roer  
          G7               C 
Acende o fogo da minha fogueira  
               G7                    C 
Que a noite inteira eu so faltei morrer  
         F                  C     
||:Te procurando, meu amor te dando  
           G7                  C  
E tu me negando, fazendo eu sofrer:|| 

Primeiro clarim

Dircinha Batista
Primeiro clarim (marcha–rancho, 1970), Klécius Caldas e Rutinaldo

Disco 33 1/3 rpm / Título da música: Primeiro clarim / Autoria: Caldas, Klécius, 1919-2002 (Compositor) / Rutinaldo (Compositor) / Dircinha Batista, 1922-1999 (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: CBS, 1969 / Álbum: Carnaval 1970 / Nº Álbum 04150 / Lançamento 1970 / Lado 2 / Gênero musical: Marcha rancho /

-hoje... eu não quero sofrer.
-hoje eu não quero choraar.
-deixei... a tristeza lá fora..
-mandei..a saudade esperar.
-(a a á ár)
-hoje eu não quero sofrer.
-quem quiser,que sofra em meu lugar.

-quero me afogar em serpentiinas...
quando ouvir..o 1°clarím tocar..
-quero ver milhões de colombinas..
à cantar..trá-lá-lá Lá-lá-lá

-quero me perder de mão-em-mão
-quero ser ninguém na multidão.
(refrão)

-hoje... eu não quero sofrer.
-hoje eu não quero choraar.
-deixei... a tristeza lá fora...
-mandei..a saudade esperar.
-(a a á ár)
-hoje eu não quero sofrer.
-quem quiser,que sofra em meu lugar.

-quero me afogar em serpentiinas...
quando ouvir..o 1°clarím tocar..
-quero ver milhões de colombinas..
à cantar..trá-lá-lá Lá-lá-lá

-quero me perder de mão-em-mão
-quero ser ninguém na multidão.
(banda)

-hoje..eunão quero sofrer.
-hoje eu não quero choraar.
-deixei... a tristeza lá fora..
-mandei..a saudade esperar.
-(a a á ár)
-hoje eu não quero sofrer.
-quem quiser,que sofra em meu lugar.

-quero me afogar em serpentiinas...
quando ouvir..o 1°clarím tocar..
-quero ver milhões de colombínas..
à cantar..trá-lá-lá Lá-lá-lá

-quero me perder de mão-em-mão
-quero ser ninguém na multidão.

O Cabeção

O Cabeção (1970) - Roberto Correia e Sílvio Son - Intérprete: Golden Boys
Tom: E

Intro:   E   A   E   A

E                            A
Você  viu  o  Cabeção  por  aí  ?
     B7                        E
Eu  não,         eu  não,        eu  não.
                            A
Você  viu  o  Cabeção  por  aí  ?
     B7                      E
Eu  não,         eu  não  vi  não.
   A7                         E
Cu..ca  muito  cheia  não  co..la.
    A7                              E
É  pa..po  que  eu  não  quero  cur..tir.
  A7                           E
Vou  até  a  porta  da  es..co..la.
  A7                          E
Ver  se  a  “mina”  pode  sa..ir.
  A7                            E
Que..ro  ver  quem  se  trum..bi..ca.
  A7                         E
Que..ro  ver  quem  tem  ra..zão.
  A7                        E
Se  é  comigo  que  ela  fi..ca.
A7                              E
Ou  se  o  quente  é  o  Cabe..ção.

    E                      A
Você  viu  o  Cabeção  por  aí  ?
     B7                    E
Eu  não,         eu  não,        eu  não.
                             A
Você  viu  o  Cabeção  por  aí  ?
      B7                      E
Eu  não,         eu  não  vi  não.

Meu laia-raiá

Meu laia-raiá (samba, 1970) - Martinho da Vila

Você é meu povo, você é meu samba
Você é a bossa e a minha voz
Pra você, eu trago, um sambinha novo
Que fiz na fossa pra cantar a sós

E também vieram beijos nunca dados
Abraços guardados pra você sentir
Mas eu quero mesmo é me enroscar num leito
Apertar seu peito e depois dormir

Dormir sonhando com você enamorada
Minha noiva muito amada, meu pedaço de mulher
Minha história, meu segredo, minha estrela, minha fé
Minha escola, meu enredo, meu cigarro e meu café

Lalaiá-raiá, lalá laiá
Você é o meu laiá raiá, raiá

Irmãos Coragem

Irmãos Coragem (1970) - Nonato Buzar e Paulinho Tapajós - Intérpretes: Jair Rodrigues / Banda Cores Mágicas

Introd: G F Eb D7 G F Eb D7 

   G               F 
Irmão é preciso coragem 
   G                  F 
Manhã despontando lá fora 
    G                 F 
Manhã, já é sol, já é hora 
      G                    A 
E os campos se abriram em flor 
               D 
E é preciso coragem 
               G 
Que a vida é viagem 
    Bm       Em 
Destino do amor 
Em               B7       G 
Abre o peito, coragem, irmão 
                  B7       Em 
Faz do amor sua imagem, irmão 
                   D 
Quem a vida se entrega 
             C        Bm         Em    B7 A 
A sorte não nega seu braço, seu chão 
    G                 F 
Manhã despontando lá fora 
    G                 F 
Manhã, já é sol, já é hora 
      G                    A 
E os campos se abriram em flor 
               D 
E é preciso coragem  
               G 
Que a vida é viagem 
    Bm       Em 
Destino do amor 
   G               F 
Irmão é preciso coragem 
   G 
Irmão... 

Hotel das estrelas

Jrds Macalé
Hotel das Estrelas (1970) - Jards Macalé e Duda Machado

G7 C7
Dessa janela sozinha
G7 C7
Olhar a cidade me acalma
G7 C7
Estrela vulgar a vagar
C D Em
Rio e também posso chorar
Em D C D Em
E também posso chorar

G7 C7
Mas tenho os olhos tranqüilos
G7 C7
De quem sabe seu preço
G7 C7
Essa medalha de prata
C D Em
Foi presente de uma amiga
Em D C D Em
Foi presente de uma amiga

A7 Em
Mas isso faz muito tempo
A7
Sobre o pátio abandonado
Em
Mas isso faz muito tempo
A7
Em doze quartos fechados
Em
Mas isso faz muito tempo
A7
Profetas nos corredores
Em
Mas isso faz muito tempo
A7
Mortos embaixo da escada
Em
Mas isso faz muito tempo
A7
Oh ye, mas isso faz muito tempo

C7M
Mas isso faz muito tempo
No fundo do peito, esse fruto
D Em
Apodrecendo a cada dentada
Em D
Oooh
C7M
No fundo do peito, esse fruto
Em
Apodrecendo a cada dentada

Mas isso faz muito tempo... (repete)

(repete 1ª estrofe)