sábado, 17 de abril de 2010

Flora Purim


Flora Purim, cantora, nasceu no Rio de Janeiro-RJ em 6 de março de 1942. Desde pequena, convivia com a música, já que seu pai, de descendencia russa, tocava violino e sua mãe, pernambucana, era uma pianista amadora.

Ainda jovem, Flora gostava de cantar, tocar piano e violão. A cantora foi influenciada por Billie Holiday, Dinah Washington, Ella Fitzgerald e Sarah Vaughan.

Em 1967 mudou-se para os Estados Unidos, para estudar música na Califórnia. Cinco anos mais tarde, casou-se com o percussionista Airto Moreira. Trabalhou ao lado de artistas como Stan Getz e Gil Evans e integrou o conjunto Return to Forever, que excursionou com êxito pelos EUA no início dos anos 70.

Em 1973 partiu para a carreira solo com o disco Butterfly Dreams, seguido por outros pela gravadora Milestone. Entre seus discos destacam-se Light As A Feather e Return to Forever.

Em 1971 foi presa nos Estados Unidos, sob acusação de posse de drogas, e, depois de recorrer da sentença, acabou detida em 1974, passando 18 meses na prisão e 12 anos em liberdade condicional, sem poder deixar o país.

Nessa época, seu caso suscitou protestos na classe artística, que a elegeu, por meio de pool de críticos, a melhor cantora de jazz dos EUA por quatro anos sucessivos (de 1974 e 1977), em parte como instrumento de pressão para sua libertação, mas principalmente por seu real talento.

Nos anos 70 gravou ainda ao lado de Carlos Santana, Hermeto Pascoal, Chick Corea e muitos outros, encantados com sua notável extensão vocal e capacidade de improvisação.

Na década de 1980 gravou com Airto Moreira os LPs Humble People (1985) e The Magicians (1986), pelos quais recebeu duas indicações para o Prêmio Grammy relativas às faixas Vinte anos blues (Sueli Costa e Vitor Martins) e Esquinas (Djavan), respectivamente. Integrou a banda Fourth World, juntamente com Airto Moreira, José Neto (guitarra) e Gary Meek (teclados).

Em 1987, ao lado de Airto Moreira e Joe Farrel, gravou Three-Way Mirror. Em 1988 sairam The Colors of Life, ao lado de Airto Moreira e Midnight Sun. Em 1989 mais um disco ao lado de Airto, The Sun Is Out.

Em 1992, gravou em dois discos contemplados com o Grammy: Planet Drum, de Mickey Hart, baterista do conjunto Grateful Dead (Melhor Disco na categoria World Music), e The Dizzy Gilliespie United Nations Orchestra (Melhor Disco de Jazz). Três anos depois, apresentou-se no Soho's, Ronnie Scott's Club de Londres (Inglaterra). Em 1992 lançou Queen of The Night.

Em 1995 ravou o disco Speed of Light, que contou com a participação de sua filha Diana Purim Moreira. Ao longo de sua carreira, participou de gravações com diversos artistas como Duke Pearson, Carlos Santana, Hermeto Pascoal, Gil Evans, Joe Sample, José Neto, Mickey Hart e Dizzy Gillespie, entre outros, além de Airto Moreira, com quem gravou cerca de 30 discos.

Em 2001, lançou o CD Perpetual emotion e, no ano seguinte, o CD Flora Purim sings Milton Nascimento. Em 2003 esteve no Brasil, divulgando seu CD Speak no evil. Realizou shows no Rio de Janeiro (Teatro Rival), acompanhada por Airto Moreira (percussão), Luiz Avellar (piano), Nei Conceição (contrabaixo) e Philipe Baden (teclados (Teatro Rival), seguindo em turnê por outras cidades brasileiras.

Fontes: Wikipédia; Cantoras do Brasil: Flora Purim.
Postar um comentário