quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vital Farias


Vital Farias, cantor, compositor e instrumentista, nasceu em Taperoá, Paraíba, em 23/1/1943. Cresceu ouvindo bandas de pífaros, repentistas e cantadores, além das obras de Johann Sebastian Bach (1685—1750), na casa de um vizinho. Aos 18 anos, mudou-se para João Pessoa PB e montou um grupo no estilo dos Beatles: Os Quatro Loucos. Formou-se em violão pelo Instituto Superior de Educação Musical de João Pessoa.

Em 1975, incentivado por Sivuca e Hermeto Pascoal, mudou-se para o Rio de Janeiro, participando do show de inauguração da SOMBRÁS nesse mesmo ano. Trabalhou como músico na peça Gota d’água, de Chico Buarque.

Sua primeira música gravada foi Ê mãe (com Livardo Alves), por Ary Toledo. Seguiu-se Caso você case, lançada por Marília Barbosa (Som Livre, 1976), que fez sucesso e foi incluída na trilha da novela Saramandaia, da TV Globo.

Após um compacto na CBS, assinou com a Polygram e lançou seu primeiro LP, Vital Farias, em 1978, que trazia Ê mãe e Caso você case e rendeu mais um sucesso, Canção em dois tempos (Era casa, era jardim), tema de outra novela, Roda de fogo, da TV Tupi.

Seus outros êxitos incluem Veja, Margarida, Do jeito natural (1982) e Ai que saudade de ocê (1982), além de uma homenagem ao sanfoneiro Abdias, Forrofunfá (Abdias dos 8 baixos) (com Livardo Alves, 1982).

Ai que saudade de ocê foi novamente sucesso em 1993 com Fábio Júnior, na trilha da novela Renascer (TV Globo), e regravada pelo cantor de axé-music Netinho em Forrobodó (Polygram, 1996). Canção em dois tempos (Era casa, era jardim) foi regravada por Fagner em 1996. E Veja, Margarida foi resgatada por Alceu Valença, Elba Ramalho, Zé Ramalho e Geraldo Azevedo no show que fizeram em quarteto,

O grande encontro, que também virou disco com o mesmo título (BMG, 1996). Seu estilo lírico e bem-humorado mistura canção nordestina, samba de breque, modinha, xaxado e outros.

CDs

Cantoria 1 (c/Geraldo Azevedo, Elomar e Xangai), s.d., Kuarup K018; Cantoria 2 (c/Geraldo Azevedo, Elomar e Xangai), s.d., Kuarup K032.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora - PubliFolha
Postar um comentário