sábado, 18 de setembro de 2010

Filha de gente valente

Filha de gente valente - Teixeirinha

LP Que Droga de Vida - 1982



Tom: C
Intro: F C7 F
                              C7             
Estou de namoro com uma prendinha
           F
de raça valente que é barbaridade
C7
Seus pais seus irmãos seus tios me disseram
F
que eu largue de mão, que ela tem pouca idade
C7
E certo ela é nova tem dezesseis anos
F
mais os pais querendo o juiz da licença
C7
Caso direitinho, com todo respeito
F
ela vai se criar lá na minha querência
C7 
(Ai, morena
F
Não deves mais chorar
C7 Bis
Onde tem gente valente
F
É que eu gosto de chegar)
C7     
Recebi tua carta respondendo a minha
F
contando a saudade que sente de mim
C7
O mesmo eu sinto prendinha querida
F
mais cedo ou mais tarde a tristeza tem fim
C7
Seu corpo é bem feito e seu rosto de rosa
F
nasceram pra mim e ninguém põe a mão
C7
Te trago comigo de um jeito ou de outro na paz
F
ou na briga, na bala ou facão
C7
E assim minha gente tudo aconteceu
F
montei no meu zaino certa madrugada
C7
Num pé de figueira nos fundos da casa
F
pulou na garupa minha namorada
C7
Dois quarenta e quatro eu levei na cintura
F
disposto a enfrentar qualquer tempo feio
C7
Mas não foi preciso dei graças a Deus,
F
disse o pai de quem amo: pra que tiroteio
C7 
Ai morena
F
O amor não tem fronteira
C7 Bis
Filha de gente valente
F
Não pode morrer solteira
Postar um comentário