quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Arnô Canegal

Arnô Canegal (Arnaud Canegal), compositor e cantor, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 12/1/1915, e faleceu na mesma cidade em 21/3/1986. Trabalhou desde criança como encadernador em uma gráfica e a partir dos 15 anos freqüentou os morros da Mangueira e São Carlos, reunindo-se com os sambistas locais.

Nessa época começou a compor, estreando em disco com a marchinha carnavalesca O gato e o rato, gravada por Odete Amaral na Victor em 1939. No ano seguinte, o samba Gargalhei (com Augusto Garcez e Henrique de Almeida) fez grande sucesso no carnaval, sendo gravado por Carlos Galhardo.

A partir de 1941 viajou ao Uruguai e Argentina como ritmista da orquestra do maestro Fon-Fon e participou de diversas excursões com Zacarias e sua Orquestra. Apresentou-se ainda nos espetáculos montados no Cassino da Urca, como ritmista da escola de samba de Herivelto Martins e seu Trio de Ouro.

Em 1942 trabalhou no filme inacabado de Orson Welles: Jangada. Foram também grandes sucessos suas composições Não põe a mão (com Mutt e Buci Moreira), gravada em 1951 pelos Titulares do Ritmo, na Odeon, e Se alguém disse, na voz de Newton Teixeira.

Entre seus intérpretes mais conhecidos figuram Orlando Silva, Trio de Ouro, Francisco Alves, RisadinhaCiro Monteiro, Dircinha Batista e Linda Batista.

Obra

Aquele bilhetinho (c/Nelson Cavaquinho e Augusto Garcez), samba, 1945; Gargalhei (c/Augusto Garcez e Henrique de Almeida), samba, 1940; A jurupoca piou (c/Ari Cordovil), samba, 1956; Não põe a mão (c/Mutt e Buci Moreira), samba, 1951.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira – Art  Editora e PubliFolha.
Postar um comentário