segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Jota Júnior

Jota Júnior (Joaquim Antônio Candeias Júnior), compositor e instrumentista, nasceu em Belém PA (01/11/1923) e faleceu no Rio de Janeiro RJ (21/01/2009). Começou quando criança a fazer quadrinhas e mais tarde pequenas cançonetas, versando sobre fatos cotidianos. 

Aos 12 anos, fez sua primeira composição, o samba Agora é tarde. Não teve formação musical, tocando violão de ouvido. Freqüentador da Rádio Mayrink Veiga e do Bar Tupã no Rio de Janeiro, conviveu com Ciro Monteiro, Alberto Ribeiro, João de Barro e Humberto Teixeira

Em 1949, teve pela primeira vez uma composição sua gravada em discos Star, o samba Surpresa, na voz da cantora Odete Amaral. Destacado compositor de músicas carnavalescas, estreou em 1951, com o samba Sapato de pobre (com Luís Antônio), gravado por Marlene, tornando-se a partir desse ano presença freqüente nos Carnavais. 

Em 1952 lançou Lata d'água (com Luís Antônio), gravada por Marlene, e Confete (com David Nasser), gravada por Francisco Alves

Em 1958, Dircinha Batista gravou a marcha Mamãe, eu levei bomba (com Oldemar Magalhães). Emilinha Borba lançou para o Carnaval de 1959 a sua marcha Mamãe, eu vou ás compras (com Oldemar Magalhães). No ano seguinte, o samba Favela amarela (com Oldemar Magalhães) satirizava decisão da Secretaria de Turismo de melhorar o aspecto das favelas, pintando seus barracos. 

Para o ano de 1962, outra marchinha do compositor satirizava o cotidiano das vidas cariocas: Garota de Saint-Tropez (com João de Barro). Marlene gravou em 1963 o samba Twist no carnaval (com João de Barro). Em 1969, reformou- se como coronel-professor do magistério militar. 

Obras 

Confete (c/Davi Nasser), samba, 1952; Favela amarela (c/Oldemar Magalhães), samba, 1960; Garota de Saint Tropez (c/João de Barro), marcha, 1962; Lata d’água (c/Luís Antônio), samba, 1952; Mamãe, eu levei bomba (c/Oldemar Magalhães), samba, 1958; Mamãe, eu vou às compras (c/Oldemar Magalhães), samba, 1959; Sapato de pobre (c/Luís Antônio), samba, 1951.

Algumas músicas

Confete
Favela amarela
Garota de Saint-Tropez
Lata d'água
Mamãe, eu levei bomba
Sapato de pobre
Sassaricando
Topada
Twist no carnaval

Morre um dos comandantes eternos da alegria do carnaval

O compositor Candeias Júnior, coautor de marchinhas de carnaval clássicas, como Lata d’água e Sassaricando, morreu na segunda-feira, aos 85 anos, no Rio. Seu corpo foi velado ontem de manhã e cremado à tarde no Cemitério do Caju. Candeias tinha um imóvel em Conservatória, no interior do estado do Rio, e passou mal quando dirigia seu carro rumo à capital fluminense. A causa da morte seria edema pulmonar. Candeias deixa a mulher, dois filhos e cinco netas.

Joaquim Antônio Candeias Júnior nasceu em 1923, em Belém. Era violonista autodidata e começou a compor sambas ainda menino. O primeiro foi aos 12 anos,Agora é tarde. Adulto, foi diretor da Sociedade Brasileira de Administração eProteção de Direitos Intelectuais, criada em 1962.

Antes, na década de 1940, frequentou os corredores da campeã de audiência RádioMayrink Veiga, responsável por projetar os mais importantes nomes da músicabrasileira então. Lá conviveu com músicos com os quais trabalharia.

Candeias teve canções gravadas pelas maiores cantoras do rádio: Elizeth Cardoso(É sempre assim, em 1951, Palhaço, em 1954, e E eu tô lá, em 1965); Marlene(Sapato de pobre, no mesmo ano de um grande sucesso, o maior hit, Lata d’água,em 1952, e Twist no carnaval, em 1963); Dircinha Batista (Mamãe, eu levei bomba, em 1958) e Emilinha Borba (Mamãe, eu vou às compras, em 1959). Já Sassaricando foi gravada pela primeira vez por Virginia Lane em 1951.

Entre seus parceiros, estão Braguinha, Alcyr Pires Vermelho, David Nasser, LuizBandeira, Humberto Teixeira, Jackson do Pandeiro e Luís Antônio, talvez o mais constante, com quem compôs suas duas marchinhas mais conhecidas, Lata d’água e Sassaricando (esta ainda com Oldemar Magalhães, sendo que Candeias assinou como pseudônimo Jota Júnior, o que fez com que, por vezes, não fosse ligado à
música).

Já aos 77 anos, ele lançou, de forma independente, a retrospectiva Candeias Jota Jr. canta suas músicas (dois volumes). A última homenagem foi em 2002, feita por Marlene, no espetáculo Marleníssima. Nesse mesmo ano, ele aindalançou o terceiro volume de Candeias Jota Junior canta suas músicas e cantou com Ademilde Fonseca por ocasião de seus 80 anos. 

Fontes: Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Editora Art e PubliFolha; Caio Tibúrcio (21 Jan 2009): http://www2.correiobraziliense.com.br/cbonline/cultura/cadc_mat_74.htm

Nenhum comentário: