terça-feira, 21 de março de 2006

Ingênuo

Ingênuo (choro, 1947) - Pixinguinha e Benedito Lacerda - Intérprete: Elizeth Cardoso no álbum "Uma Rosa para Pixinguinha"

Tom: G
       G           Em              Gb7
Eu fui ingênuo quando acreditei no amor
F            Dm                 E7
Mas, pelo menos, jamais me entreguei à dor ...
Am                     Bb°
Chorei o meu choro primeiro
      G                        E7
Eu chorei por inteiro pra não mais chorar
                         A7
O meu coração permaneceu sereno
              D7              Bb7
Expulsando o veneno pelo meu olhar...
Bb        Gm                   A7
...Eu procurei me manter como Deus mandou
  D7                               G7
Sem me vingar que a vingança não tem valor
            Cm       Db°        G
E depois também perdoar a quem erra
       E7         Am                  Cm
É ser perdoado na terra, sem ter que pedir
       G     C
Perdão no céu.
                 E7                  A7
Eu não quis resolver/   Eu não quis recusar
                                 Dm
Mas do amor em ruína, uma força termina
            A7        Dm      Eb°
Por nos dominar  e depois proteger
    C          E7        Am
Dos abismos que a vida traçar
                          D7
Quando o tempo virar o único mal
  G7                    Eb7
E a solidão começa a ser fatal ...
                 D7                            C7
Eu não quis refletir, não /  Eu não quis recusar, não
                  E7
Eu não quis reprimir , não    / Eu não quis recear...
   F            Gb°      C     Bb7     A7         D7
Porque contra o bem nada fiz  / Eu só quero algum dia
       G7                 C
Ser feliz como eu sou infeliz...
Postar um comentário