domingo, 21 de maio de 2006

Moreninha linda


Moreninha linda - Priminho, Maninho e Tonico / Interpretação: Tonico e Tinoco

LP Tonico E Tinoco Na Chantecler / Título da música: Moreninha linda / Priminho (Compositor) / Maninho (Compositor) / Tonico (Compositor) / Tonico e Tinoco (Intérprete) / Gravadora: Sertanejo/Chantecler / Ano: 1963 / Álbum: CH 3095 / Lado A / Faixa 6.


G                 D7
Meu coração tá pisado
                       G
Com a flor que murcha e cai
  C              D7
Pisado pelo desprezo
                       G
De um amor quando desfaz
   C                   D7
Deixando triste a lembrança
                 G
Adeus para nunca mais
           D7                  G
Moreninha linda do meu bem querer
               D7             G  D7 G D7 G
É triste a saudade longe de você
                D7                    G
O amor nasce sozinho não é preciso plantar
C                D7                  G
O amor nasce no peito, falsidade no olhar
 C                D7                    G
Você nasceu para outro, eu nasci pra te amar
            D7                G
Moreninha linda do meu bem querer
              D7               G  D7 G D7 G
É triste a saudade longe de você
                  D7
Eu tenho meu canarinho
                     G
que canta, quando me vê
C                     D7                   G
Eu canto por ter tristeza, canário por padecer
C                 D7                       G
Da saudade da floresta, e eu saudade de você

Moreninha linda


Moreninha linda - Priminho, Maninho e Tonico / Interpretação: Tonico e Tinoco

LP Tonico E Tinoco Na Chantecler / Título da música: Moreninha linda / Priminho (Compositor) / Maninho (Compositor) / Tonico (Compositor) / Tonico e Tinoco (Intérprete) / Gravadora: Sertanejo/Chantecler / Ano: 1963 / Álbum: CH 3095 / Lado A / Faixa 6.


G                 D7
Meu coração tá pisado
                       G
Com a flor que murcha e cai
  C              D7
Pisado pelo desprezo
                       G
De um amor quando desfaz
   C                   D7
Deixando triste a lembrança
                 G
Adeus para nunca mais
           D7                  G
Moreninha linda do meu bem querer
               D7             G  D7 G D7 G
É triste a saudade longe de você
                D7                    G
O amor nasce sozinho não é preciso plantar
C                D7                  G
O amor nasce no peito, falsidade no olhar
 C                D7                    G
Você nasceu para outro, eu nasci pra te amar
            D7                G
Moreninha linda do meu bem querer
              D7               G  D7 G D7 G
É triste a saudade longe de você
                  D7
Eu tenho meu canarinho
                     G
que canta, quando me vê
C                     D7                   G
Eu canto por ter tristeza, canário por padecer
C                 D7                       G
Da saudade da floresta, e eu saudade de você

Rio de lágrimas

Rio de lágrimas - Tião Carreiro, Piraci e Lourival Santos

Compacto simples / Título da música: Rio De Lágrimas (Rio De Piracicaba) / Tião Carreiro (Compositor) / Piraci (Compositor) / Lourival dos Santos (Compositor) / Tião Carreiro e Pardinho (Intérprete) / Gravadora: Chantecler / Ano: 1971 / Álbum: C-33.6416 / Lado B.


D
O rio de Piracicaba
  A7               D
Vai jogar água prá fora
Quando chegar a água
   A7                   D
Dos olhos de alguém que chora

                    A7
Lá no bairro onde eu moro
                 Bm
Só existe uma nascente
                     A7
A nascente dos meus olhos
                   D
Já brotou água corrente
                   G
Pertinho da minha casa
               D
Já formou uma lagoa
                       A7
Com lágrimas dos meus olhos
                     D
Por causa de uma pessoa

                    A7
Eu quero apanhar uma rosa
                   Bm
Minha mão já não alcança
               A7
Eu choro desesperado
                    D
Igualzinho a uma criança
                       G
Duvido alguém que não chore
                  D
Pela dor de uma saudade
                      A7
Eu quero ver quem não chora
                  D
Quando ama de verdade

Rio de lágrimas

Rio de lágrimas - Tião Carreiro, Piraci e Lourival Santos

Compacto simples / Título da música: Rio De Lágrimas (Rio De Piracicaba) / Tião Carreiro (Compositor) / Piraci (Compositor) / Lourival dos Santos (Compositor) / Tião Carreiro e Pardinho (Intérprete) / Gravadora: Chantecler / Ano: 1971 / Álbum: C-33.6416 / Lado B.


D
O rio de Piracicaba
  A7               D
Vai jogar água prá fora
Quando chegar a água
   A7                   D
Dos olhos de alguém que chora

                    A7
Lá no bairro onde eu moro
                 Bm
Só existe uma nascente
                     A7
A nascente dos meus olhos
                   D
Já brotou água corrente
                   G
Pertinho da minha casa
               D
Já formou uma lagoa
                       A7
Com lágrimas dos meus olhos
                     D
Por causa de uma pessoa

                    A7
Eu quero apanhar uma rosa
                   Bm
Minha mão já não alcança
               A7
Eu choro desesperado
                    D
Igualzinho a uma criança
                       G
Duvido alguém que não chore
                  D
Pela dor de uma saudade
                      A7
Eu quero ver quem não chora
                  D
Quando ama de verdade

Baile na roça


Baile na roça - Tinoco e Nadir - Interpretação:Tonico e Tinoco

LP/CD Viva A Viola / Título da música: Baile na roça / Compositor: Tinoco / Compositor: Nadir / Intérprete: Tonico e Tinoco / Gravadora: Copacabana / Ano: 1982 / Álbum: COELP 41873 / Lado A / Faixa 1.


Intro: G  D7  G

G          D7                      G                     
Baile na Roça meu bem, se dança assim: 
                  D7                     G
pego na cintura dela e ela garra“cá” em mim (BIS)
        D7                    G  
E o sanfoneiro toca toca alegria, 
                 D7                    G 
Vamo vamo minha gente, até clarear o dia

Refrão   /  Introdução  / Refrão

       D7                                     G  
Dança dança com a morena, dança dança com a loirinha
             D7                        G  
Começa o baile na tuia, e termina na cozinha.

Refrão  /  Introdução  /  Refrão

      D7                                G  
Viva o baile na roça, viva a noite de S. João
              D7                        G       
Vê o povo brasileiro conservando a tradição.

Baile na roça


Baile na roça - Tinoco e Nadir - Interpretação:Tonico e Tinoco

LP/CD Viva A Viola / Título da música: Baile na roça / Compositor: Tinoco / Compositor: Nadir / Intérprete: Tonico e Tinoco / Gravadora: Copacabana / Ano: 1982 / Álbum: COELP 41873 / Lado A / Faixa 1.


Intro: G  D7  G

G          D7                      G                     
Baile na Roça meu bem, se dança assim: 
                  D7                     G
pego na cintura dela e ela garra“cá” em mim (BIS)
        D7                    G  
E o sanfoneiro toca toca alegria, 
                 D7                    G 
Vamo vamo minha gente, até clarear o dia

Refrão   /  Introdução  / Refrão

       D7                                     G  
Dança dança com a morena, dança dança com a loirinha
             D7                        G  
Começa o baile na tuia, e termina na cozinha.

Refrão  /  Introdução  /  Refrão

      D7                                G  
Viva o baile na roça, viva a noite de S. João
              D7                        G       
Vê o povo brasileiro conservando a tradição.

Adeus Mariana


Adeus Mariana (xote, 1943) - Pedro Raimundo

Título da música: Adeus Mariana/ Gênero musical: Chótis / Intérprete: Pedro Raimundo / Compositor: Pedro Raimundo / Gravadora: Phonodisc / Nome do Álbum: Adeus Mariana (relançamento de 1968) / Número do Álbum 0.30-404-122 / Lado A / Rotações Disco 33 1/3 rpm / Estéreo.


E B7 A B7 A G#m7 B7 E

Nasci lá na cidade me casei na serra
                                B7
Com a minha Mariana moça lá de fora
                          A      B7     Bis
Um dia eu estranhei os carinhos dela
          A      G#m7           F#m7      E
E disse adeus Mariana que eu já vou me embora
Int.

É gaúcha de verdade dos quatro costados
                                    B7
Que usa chapéu grande bombacha e esporas
                              A     B7      Bis
E eu que estava vendo o caso complicado
        A      G#m7           F#m7      E
Disse adeus Mariana que eu já vou me embora
Int.

Nem bem rompeu o dia me tirou da cama
                                    B7
Encilhou o tordilho e saiu campo a fora
                    A    B7              Bis
E eu aproveitei e saí dizendo
  A      G#m7           F#m7      E
Adeus Mariana que eu já vou me embora
Int.

Ela não disse nada mas ficou cismando
                              B7
Que era desta que eu daria o fora
                            A      B7     Bis
Pegou uma açoiteira e veio contra mim
          A       G#m7            F#m7      E
Eu disse larga Mariana que eu não vou me embora
Int.

Ela ficou zangada e foi quebrando tudo
                                    B7
Pegou a minha roupa e jogou porta afora
                           A    B7       Bis
Agarrei fiz uma trouxa e saí dizendo
  A      G#m7           F#m7      E
Adeus Mariana que eu já vou me embora

Chico Mineiro


Chico Mineiro (1945) - Francisco Ribeiro e Tonico - Interpretação: Tonico e Tinoco

LP Tonico & Tinoco Com Suas Modas Sertanejas / Título da música: Chico Mineiro / Tonico (Compositor) / Francisco Ribeiro (Compositor) / Tonico e Tinoco (Intérprete) / Gravadora: Continental / Ano: 1958 / Álbum: LPP 3019 / Lado B / Faixa 1 / Obs.: LP com coletânea de 78 rpm / Outras edições: Caboclo/Continental CLP 9.022.


(declamado)
"Cada vez que eu me alembro do amigo Chico mineiro,
Das viagem que nói fazia era ele meu companheiro.
Sinto uma tristeza, uma vontade de chorar,
Alembrando daqueles tempo que não mais hái de vortar. 
Apesar de eu ser patrão,
Eu tinha no coração o amigo Chico mineiro,
Caboclo bom, decidido, na viola era delorido 
E era o peão dos boiadeiro.
Hoje porém com tristeza recordando 
Das proeza da nossa viagem motim,
Viajemo mais de dez ano, 
Vendendo boiada e comprano, por esse rincão sem-fim.
Caboclo de nada temia mas porém, chegou um dia, 
Que Chico apartou-se de mim".

(intro) G D7 G

 G                 D7
Fizemos a última viagem
                        G
Foi lá pro sertão de goiás.
                    D7
Foi eu e o Chico mineiro
                   G
Também foi um capataz.
C
Viajemo muitos dia
     D7    C        G
Pra chegar em ouro fino
 C         G         D7
Aonde nós passemo a noite
                G      D7
Numa festa do divino.

   G               D7
A festa estava tão boa
                      G
Mas antes não tivesse ido
               D7
O Chico foi baleado
                      G
Por um homem desconhecido.
     C
Larguei de comprar boiada.
   D7   C          G
Mataram meu companheiro.
   C        G       D7
Acabou-se o som da viola,
                     G      D7
Acabou-se o Chico mineiro.

  G                D7
Depois daquela tragédia
                   G
Fiquei mais aborrecido.
                       D7
Não sabia da nossa amizade
                      G
Porque nós dois era unido.
     C
Quando vi seus documento
    D7    C      G
Me cortou o coração
      C                D7
De sabê que o Chico mineiro
                    G
Era meu legítimo irmão.

Chico Mineiro


Chico Mineiro (1945) - Francisco Ribeiro e Tonico - Interpretação: Tonico e Tinoco

LP Tonico & Tinoco Com Suas Modas Sertanejas / Título da música: Chico Mineiro / Tonico (Compositor) / Francisco Ribeiro (Compositor) / Tonico e Tinoco (Intérprete) / Gravadora: Continental / Ano: 1958 / Álbum: LPP 3019 / Lado B / Faixa 1 / Obs.: LP com coletânea de 78 rpm / Outras edições: Caboclo/Continental CLP 9.022.


(declamado)
"Cada vez que eu me alembro do amigo Chico mineiro,
Das viagem que nói fazia era ele meu companheiro.
Sinto uma tristeza, uma vontade de chorar,
Alembrando daqueles tempo que não mais hái de vortar. 
Apesar de eu ser patrão,
Eu tinha no coração o amigo Chico mineiro,
Caboclo bom, decidido, na viola era delorido 
E era o peão dos boiadeiro.
Hoje porém com tristeza recordando 
Das proeza da nossa viagem motim,
Viajemo mais de dez ano, 
Vendendo boiada e comprano, por esse rincão sem-fim.
Caboclo de nada temia mas porém, chegou um dia, 
Que Chico apartou-se de mim".

(intro) G D7 G

 G                 D7
Fizemos a última viagem
                        G
Foi lá pro sertão de goiás.
                    D7
Foi eu e o Chico mineiro
                   G
Também foi um capataz.
C
Viajemo muitos dia
     D7    C        G
Pra chegar em ouro fino
 C         G         D7
Aonde nós passemo a noite
                G      D7
Numa festa do divino.

   G               D7
A festa estava tão boa
                      G
Mas antes não tivesse ido
               D7
O Chico foi baleado
                      G
Por um homem desconhecido.
     C
Larguei de comprar boiada.
   D7   C          G
Mataram meu companheiro.
   C        G       D7
Acabou-se o som da viola,
                     G      D7
Acabou-se o Chico mineiro.

  G                D7
Depois daquela tragédia
                   G
Fiquei mais aborrecido.
                       D7
Não sabia da nossa amizade
                      G
Porque nós dois era unido.
     C
Quando vi seus documento
    D7    C      G
Me cortou o coração
      C                D7
De sabê que o Chico mineiro
                    G
Era meu legítimo irmão.

Cana verde


Cana verde (1945) - Tonico e Tinoco

LP Tonico & Tinoco Com Suas Modas Sertanejas / Título da música: Cana verde / Tonico (Compositor) / Tinoco (Compositor) / Tonico e Tinoco (Intérprete) / Gravadora: Continental / Ano: 1958 / Álbum: LPP 3019 / Lado A / Faixa 1 / Obs.: LP com coletânea de 78 rpm / Outras edições: Caboclo/Continental CLP 9.022.


(intro 2x) ( A E7 A E7 A )

A       E7            A
Abre a porta ou a janela
      E7                 A
Venha ver quem é que eu sou
      E7           A
Sou aquele desprezado
      E7           A
Que você me desprezou

      E7            A
Eu já fiz um juramento
      E7            A
De nunca mais ter amor
       E7            A
Por viver penar chorando
      E7               A
Pra todo lugar que eu for

        E7              A
Quem canta seu mal espanta
      E7        A
Chorando será pior
     E7             A
O amor que vai e volta
     E7              A
A volta sempre é melhor

       E7          A
Chora viola e sanfona
       E7          A
Chora triste o violão
      E7           A
O que é madeira chora
      E7          A
Que dirá meu coração

Cana verde


Cana verde (1945) - Tonico e Tinoco

LP Tonico & Tinoco Com Suas Modas Sertanejas / Título da música: Cana verde / Tonico (Compositor) / Tinoco (Compositor) / Tonico e Tinoco (Intérprete) / Gravadora: Continental / Ano: 1958 / Álbum: LPP 3019 / Lado A / Faixa 1 / Obs.: LP com coletânea de 78 rpm / Outras edições: Caboclo/Continental CLP 9.022.


(intro 2x) ( A E7 A E7 A )

A       E7            A
Abre a porta ou a janela
      E7                 A
Venha ver quem é que eu sou
      E7           A
Sou aquele desprezado
      E7           A
Que você me desprezou

      E7            A
Eu já fiz um juramento
      E7            A
De nunca mais ter amor
       E7            A
Por viver penar chorando
      E7               A
Pra todo lugar que eu for

        E7              A
Quem canta seu mal espanta
      E7        A
Chorando será pior
     E7             A
O amor que vai e volta
     E7              A
A volta sempre é melhor

       E7          A
Chora viola e sanfona
       E7          A
Chora triste o violão
      E7           A
O que é madeira chora
      E7          A
Que dirá meu coração

Boogie do bebê

Tony Campello
Boogie do bebê (1963) - Johnny Parker e Joachim Relin (Versão: Fred Jorge) - Intérprete: Tony Campello

Disco 78 rpm / Título da música: Boogie do bebê (Baby Sittin' Boogie) / Johnny Parker (Compositor) / Joachim Relin (Compositor) / Tony Campello (Intérprete) / Gravadora: Odeon / Ano: 1963 / Álbum: 14.854 / Lado A.


E  
Eu tenho uma garota, ela é o fim   
    A 
E tem um irmãozinho pequenino assim  
     B7 
Se vem falar comigo sempre traz o tal irmão 
          E  
Mas vejam só...Boogie 

B7   E                            E7 
O    tal garotinho vive a atrapalhar   
         A  
Não deixa o meu broto de amor falar    
       B7 
Na hora do romance quando vou beijar 
          E 
 Escutem só...Boogie 

     A 
Esse nenezinho vive a me amolar

          E 
Não é um bom menino, vive a perturbar 
      F#7 
No colo do meu bem sempre a gaguejar  
         B7 
Escutem só...boogie 

       E                        E7 
Um dia a brincadeira tem que acabar 
     A 
Amor de mamadeira nem é bom falar  
         B7 
Esqueço esse bebê e beijo o meu amor 
           E 
E vejam então... 

A festa do Bolinha

Festa do Bolinha (jovem guarda, 1965) - Erasmo Carlos e Roberto Carlos - Intérprete: Trio Esperança

Compacto simples / Título da música: A festa do Bolinha / Roberto Carlos (Compositor) / Erasmo Carlos (Compositor) / Intérprete: Trio Esperança / Gravadora: Odeon / Ano: 1965 / Álbum: 7B-113 / Lado B / Gênero musical: Canção / Jovem Guarda.


A          F#m           Bm       E7
  eu ontem fui a festa     na casa do Bolinha
     A            F#m        Bm          E7
  confesso não gostei    dos modos da Glorinha
   A       F#m      Bm        E7
  toda assanhada    nunca vi igual
      A          F#m         D            E7
  trocava mil beijocas com Raposo no quintal
     A           F#m   Bm           E7
  porém pouco durou    a...quela paixão
          A          F#m        Bm         E7
  pois Bolinha com ciúmes    formou a confusão
    A         F#m          D         E7
  Aninha tropeçou    e os copos derrubou
       A        F#m         E7           A
  e a casa do Bolinha num inferno se tornou
     Dm           G                          C7+
  Bolinha provou    que é ciumento pra' chuchu
  Cm7  F                   A#7+
  e,    que não gosta da Lulú
    A#m7   D#                    G#
  bobinha,    que por êle ainda chora
             Fm    A#m          D#         G#
         com tanto pão    dando bola no salão
  BIS        Fm           A#m    D#           G#
         Luluzinha foi gostar    logo de um bolão

Filme triste


Filme triste (1962) - John D. Loudermilk (Versão: Romeo Nunes) - Interpretação: Trio Esperança

LP Nós Somos O Sucesso / Título da música: Filme triste ((Sad Movies) (Make Me Cry) / John D. Loudermilk (Compositor) / Romeo Nunes (Compositor) / Trio Esperança (Mário, Regina e Evinha) (Intérprete) / Gravadora: Odeon / Ano: 1963 / Álbum: MOFB 3359 / Lado A / Faixa 6.


Tom: E  

   E              B7          E
  filme triste   que me fez chorar
                                   B7
  meu broto me avisou que ia estudar   ai, ai, ai, ai
                              E
  e ao cinema eu fui me distrair   ai, ai, ai, ai
                    E7        A   Am
  e ao chegar nem quis acreditar
             E                     B7
  eu vi meu bem    sentado com alguém
               E  B7
  bem junto a mim
 
      E                      B7
  os dois agarradinhos eu notei   ai, ai, ai, ai
                               E
  a minha melhor amiga a me trair   ai, ai, ai, ai
                  E7          A  Am
  trocavam beijos eu quase morri
            E                 B7           E
  e do princi...pio ao fim do filme eu chorei
                                 A
            ou, ou, ou   filme triste
                           E
            que me fez chorar
                          A
            ou, ou, ou   filme triste
                           B7
            que me fez chorar     
      E                       B7
  e ao chegar em casa mamãe viu   ai, ai, ai, ai
                                 E
  os meus olhos vermelhos de chorar    ai, ai, ai, ai
               E7            A  Am
  e abraçada a ela eu expliquei
           E          B7               E
  o filme foi    tão triste que eu chorei
 
  REFRÃO
 
   A      E
  filme triste
   B7            E
  que me fez chorar

Ya es muy tarde

Chucho Navarro
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Ya es muy tarde - Chucho Navarro


Em
Ya es muy tarde para remediar
                   B7
todo lo que ha pasado.
Ya es muy tarde para revivir
                 Em
nuestro viejo querer.

      E7
Preferible para ti
                  Am
que olvides el pasado
             Em
ya es muy tarde
                B7
si tratas de volver
              Em
eso no puede ser.

    G         D7           G
En muchas ocasiones te busqué
         Em          B7          Em
y a tus plantas de rodillas imploré
         E7
ya no insistas en reunir
                Am
tu vida con la mía.

           Em                    B7
Ya es muy tarde si tratas de volver
               Em
resignate a perder.
Ya es muy tarde
                B7
si tratas de volver
               Em
resignate a perder.

Un siglo de ausencia

Alfredo Gil
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Un siglo de ausencia - Alfredo Gil


F#m        Bm        C#7
Un siglo de ausencia
                F#m
voy sufriendo por ti
                G#7     C#7
y una amarga impaciencia
              F#m
me ocasiona vivir.


         Bm        C#7
Tan separado de ti
  E7                  A
pensar que no he de verte otra vez
   F#m            Bm
fingir que soy feliz sin tu amor
   B7            E7
llorar con mi dolor.


                Bm      C#7
//*La vida inclemente
             F#m
te separa de mi
            G#7        C#7
y un siglo de ausencia
               F#m
voy sufriendo por ti.


 Bm
En la multitud

busco tus ojos
                       F#m
que me hicieron tan feliz
 C#7
y no logra hallar

en otros labios
                     F#m
la ilusión que ya perdí.


                Bm      C#7
//*La vida inclemente
             F#m
te separa de mi
            G#7        C#7
y un siglo de ausencia
               F#m
voy sufriendo por ti.

Triunfamos

Los Panchos
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Triunfamos - Rafael Cardenas
- Interpretación: Jose Luiz Rodríguez con Los Panchos


Lam                  Rem
Une tu voz a mi voz
                    Lam
para gritar que triunfamos
                   Sol
el mundo ya se cansó
                     Fa
y aquí seguimos los dos
                        Mi7
sin renunciar ni ocultarnos

(es igual la parte, mismas notas)

Por que ocultar nuestro amor
será tapar con un dedo
la luz inmensa del sol
negar la gracia de Dios
negar que lo blanco es negro

Coro:

               Rem        
Amor nada nos pudo separar
               Lam      
luchamos contra toda incomprensión
                      Mi7
del cuento ya no hay nada que contar
                     Lam
triunfamos por la fuerza del amor

(mismas notas)

Une tu voz a mi voz
para gritar que vencimos 
y si es pecado el amor
que el cielo de explicación
por que es mandato divino

Toda una vida

Osvaldo Farrés
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Toda una vida - Osvaldo Farrés


Em                  E7       Am
Toda una vida me estaria contigo
                       Em
no me importa en que forma
             B7
ni donde ni como
             Em
pero junto a ti

 Em                E7        Am
Toda una vida te estararia mimando
               Em
te estaria cuidando
               B7
como cuido mi vida
                Em
que la vivo por ti

         D7  
no me cansaria de decirte siempre
                 G
pero siempre siempre
             B7     
que eres mi vida
                             Em
ansiedad, angustia y desesperacion

 Em                   E7    Am
toda una vida me estaria contigo
                      Em
no me importa en que forma
             B7
ni donde ni como
             Em
pero junto a ti

Solo

Francisco Canaro
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Solo (tango / bolero) - Francisco Canaro


                    C
Sé muy bien que te vas
G7
y sufro tanto

solo me dejarás
C
por otro amor.
Pero qué voy a hacer
C7          F
si así lo quieres
C
sacrifico mi amor
G7
te dejaré partir
C
con tu nueva ilusión.
             E7
Solo me dejarás
Am
solo, muy solo
D7
sé que no volverás
G7
nunca jamás.
 Dm     G7     C
Solo, siempre solo
G7
sin tu dulce calor
C
solo queda mi amor.
             E7
Solo me dejarás...

Solamente una vez

Agustín Lara
Trío los Panchos - Raúl Shaw Moreno - Boleros inesquecíveis

Solamente una vez (bolero, 1941) - Agustín Lara - Interpretación: Raúl Shaw Moreno con Los Panchos


D
Solamente una vez,
  B7         Em      A7  
amé en la vida.
               Em     A7
Solamente una vez,
         D
y nada más.

Una vez, nada más en mi huerto
     B7         Em       A7
brilló la esperanza,
       Em                      A7
la esperanza que alumbra el camino
           D     Bm   Em    A7
de mi soledad.

  D
Solamente una vez,
        B7      Em    A7
se entrega el alma,
                Em
con la dulce y total,
 A7       D
renunciación.

Y cuando ese milagro realiza
        B7        Em    A7
el prodigio de amarse

hay campanas de fiesta que cantan
           D    Bm Em A7 D
en el corazón.

Sin tí

Pepe Guízar
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Sin tí - Pepe Guízar


A
sin ti
      E7         C#m   A
no podre vivir jamas

y pensar que nunca mas
    Edis        E7
estaras junto a mi

    Bm
sin ti
                       E7
que me puede ya importar

si lo que me hace llorar
                A   D Bm E7
esta lejos de aqui

     A
sin ti
            E            C#m  A
no hay clemencia en mi dolor

la esperanza de mi amor
        A7         D  F#7 Bm
te lo llevas por fin

     D   Dm
sin ti
              A
es inutil vivir
        Edis   Bm E7
como inutil sera
                  A
el quererte olvidar

Siboney

Ernesto Lecuona
Siboney - Ernesto Lecuona - Interpretación: Johnny Albino y Trío Los Panchos


REm
Siboney
SOLm       REm        SOLm       REm
Yo    te   quiero, / Yo me muero 
LA7      REm
Por tu amor
          SOLm       REm
Siboney, En tu boca
SOLm       REm  LA7      REm
La miel puso / Su dulzor

LA7
Ven aqui  /   Que te quiero
          SOLm      LA7
Y que todo tesoro
          SOLm      LA7
Eres para para mi

REm         SOLm       REm
SIboney  /  Al arrullo
SOLm       REm        LA7   RE
De tu palma   /  Pienso en ti

RE
SIboney /  De mi sue¤o / Si no oyes queja
     LA7
De mi voz

SIboney /  Si no vienes
Me morir‚
    RE
De amor

SIboney  / De mi sue¤o
                                 A7
Te espero con ansia  /  En mi caney

SIboney  /  Si no vienes / Me morir‚
RE
De amor

SOLm       REm     SOLm         REm
Oye    el  eco  /  De   mi    canto
LA7     REm
De cristal

SOLm                      LA7          REm
No se pierda  /  Entre el rudo  /  Manigual 

Rayito de luna

Chucho Navarro
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Rayito de luna - Chucho Navarro


C                Dm   G7
Como un rayito de luna
              C
entre la selva dormida
                 G7
asi la luz de tus ojos
         F     G7
ha iluminado
           C
mi pobre vida.


                Dm       G7
Tu diste luz al sendero
                C      C7
en mi noche sin fortuna
                F
iluminando mi cielo
           G7
como un rayito
         C
claro de luna.


                 E     F   E
Rayito de luna blanca
                   Am
que ilumina mi camino
                     D7
asi es tu amor en mi vida
                 G7
la verdad de mi destino.


                 Dm     G7
Tu diste luz al sendero
                C      C7
en mi noche sin fortuna
                  F
iluminando mi cielo
           G7
como un rayito
          C  G7  C
claro de luna.

Perdón

Pedro Flores
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Perdón - Pedro Flores


   Am F E7         Am
Perdón, vida de mi vida
  A7                     Dm
perdón, si es que te he faltado
  Am   
perdón, cariñito amado
 F     E7               Am
angel adorado, dame tu perdón.
  Am F  E7          Am
Jamas habrá quien separé
 A7                 Dm
amor de tu amor y el mio
 Am
porque si adorarte ansío
F              E7            Am
es el que amor mio, pide tu perdón.
       E7           Am
Si tu sabes que te quiero
   A7        Am
con todo el corazón
   A7        Am
con todo el corazón
   A7        Am
con todo el corazón
        E7          Am
Que tu eres la esperanza
   A7         Am
de mi unica ilusion
   A7         Am
de mi unica ilusion
   A7         Am
de mi unica ilusion
        E7                 Am
Ven calma la dicha que se alcanza
   A7          Am
con un poco de amor
   A7          Am   
que es todo lo que ansía
   A7          Am  
que es todo lo que ansía
   E7      Am
mi pobre corazón.

Perdida

Alfredo Gil
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Perdida - Alfredo Gil


    C
Perdida

te ha llamado la gente

sin saber que has sufrido
              G7
con desesperación.    
   Dm
Vencida
                  G7
quedaste tú en la vida

por no tener cariño
                 C  Dm-G7
que te diera ilusión.

    C
Perdida

porque al fango rodaste
                  C7
después que destrozaron
                 F
tu virtud y to honor.

  
No importa
       Fm       C
qu te llamen perdida
                D7
yo le daré a tu vida
                  G7
que destrozó el engaño
                 C
la verdad de mi amor.

Orfeo negro

Trío los Panchos - Los 3 Diamantes - Boleros inesquecíveis

Orfeo negro - Luiz Bonfá - Interpretación: Los 3 Diamantes


Lam  Mi7  Lam
Estas en mis  brazos amor
Lam   Mi7     Lam 
No debes     temer nunca mas
Lam Rem Sol7
Ire por donde vas
Sol7  Do
Siempre muy junto a ti
Do     Mi      Lam
Y donde vayas tu ahi estare

Lam     Mi7     Lam
Despues de este dia  feliz
Lam  Mi7         Lam 
Vendran otros muchos tambien
Rem
Tu amor y mi amor
Lam
Unidos estan
Mi7  Lam
Jamas se apartaran

Lam       Mi7
Y tu amor y mi amor
        Lam       Mi7
Solo son  un amor
   Lam         Mi7 Lam
Porque amarse es la ley del amor

[Instrumental]

Rem
Tu amor y mi amor
Lam
Unidos estan
Mi7  Lam
Jamas se apartaran

No trates de mentir

Nico Jiménez
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

No trates de mentir - Nico Jiménez


                 D
No trates de mentir
B7
diciendo que es a mí
Em
quien amas con pasión,
A7
no trates de mentir

que nunca enagañarás
D
tu propio corazón.
                   B7
Si tienes duda de volver
Em
debes pensarlo bien,
A7
así después no pasarás
D
por otro cruel desdén.
No trates de engañar
B7
y por temor a herir
Em
ocultes tu maldad,
D
si bien no he de reír
Em
tampoco he de llorar,
A7          D
no trates de mentir.

No me quieras tanto

Rafael Hernández
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

No me quieras tanto (bolero, 1949) - Rafael Hernández - Interpretación: Los Panchos


Am                  E7
Yo siento en el alma
                Am
tener que decirte
                      Dm
que mi amor se extingue
              Am
como una paveza
                B7
y poquito a poco
               E7
se queda sin luz.

Yo se que te mueres
             Am
cual palido cirio
              Dm
y se que me quieres 
             Am
que soy tu delirio
              E7
y que en esta vida
             A
he sido tu cruz.
                          E7
Hay amor ya no me quieras tanto
                           A
hay amor no sufras mas por mi
                         E7
Si nomas puedo causarte llanto
                     A
hay amor olvidate de mi.
      
Me da pena que sigas sufriendo
                E7
tu amor desesperado,
       Bm                   E7
yo quisiera que tu te encontraras
                  A
de nuevo otro querer.
         
Otro ser que te brinde la dicha,
                    E7
que yo no te he brindado,
    Bm              E7
y poder alejarme de ti
                   A
para nunca mas volver.
                           E7
Hay amor ya no me quieras tanto...

Nada


Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Nada - Chucho Palacios - Canta: Los Panchos


E              B-
Me preguntan si te quiero
           B7
y si me quieres,
       E               B-
me preguntan si hay amor
           B7
entre los dos.

        E           E7
No quisiera que supieran
        A
lo que tú eres
      F#7
y por eso les contesto
       B7
con dolor.

 E
Nada, eso no es nada,

sólo una pena
            B-
llevo escondida
           B7
dentro del alma.

 F#m C#7          F#m 
Nada,  eso no es nada,
           B7
sólo el recuerdo

que me atormenta
            E    F#m  B7
porque se acaba.

 E
Nada, no me pregunten

porque si digo
           E7
lo que yo sufro
             A
si acaso hablara.

 B7           E
Todos, todos dirían,
           B7
esa no es pena

ni es amargura,
           E
eso no es nada.


Nada, no me pregunten...

    E A D G B e
    - - - - - -
B-  x x 3 4 3 4

Miseria

Miseria - Con Los Panchos
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Miseria - Miguel Angel Valladares


Dm
Caminé
          Gm      Dm
con los brazos abiertos
       Gm       Dm
por hallar un cariño,
    A7       Dm
una sola amistad.


                 C7
Y qué es lo que tengo
              F
y tú qué me diste,
     Gm      Dm
tan sólo mentiras,
    E7        A7
cansancio, miseria.


Gm                 A7
Mm mm, mm mm mm mm mm mm,
Gm                 A7    
mm mm, mm mm mm mm mm mm.


                        Dm
Miseria que llevo en la vida
      A7      Dm
hace mucho tiempo,
                      D7
como una tragedia escondida
            Gm
en mi sufrimiento.


                    Dm
Migaja de besos, limosna de todo,
                 E7
es lo que me has dado

como un ser malvado,
          E7
como un criminal.


                     Dm
Miseria que llena de espanto
        A7     Dm
porque no me quieres,
                       Dm
miseria que es odio y es llanto
                Gm
porque sé quién eres.

Quién sabe hasta cuando
            Dm
seguiré esperando,
Gm             Dm
que cambie mi suerte
            A7
o venga la muerte
           Dm
como bendición.

Gm                 A7
Mm mm, mm mm mm mm mm mm,
Gm                 A7    
mm mm, mm mm mm mm mm mm.

                         Dm
Miseria que llena de espanto...

Mis noches sin tí

Demetrio Ortiz
Boleros inesquecíveis - Genaro Salinas (1951)

Mis noches sin tí (1951) - Maria Teresa Márquez y Demetrio Ortíz - Interpretación: Genaro Salinas


Sol              Si7    
Sufro al pensar que el destino
            Do
  logro separarnos
Re7                  
Guardo tan bellos recuerdos
             Sol
     que no olvidare
Sol                       Do
Sueno que juntas forjaron tu alma y la mia
Sol              Lam
En las horas de dicha infinita
Re7               Sol
Que anoro en mi canto y no han de volver

Sol                Si7                Do
Hoy que en mi vida tan solo quedo tu recuerdo
Re7                                Sol
Siento en mis labios tus besos que saben a miel
Sol                        Do
Tu cabellera sedosa acaricio en mis suenos
Sol                 Lam
Y en mi estrechan tus brazos amantes
Re7      Sol
Al arrullo suave del amor de ayer

Si7                        Mim
Mi corazon en tinieblas te busca con ansias
Sol            Re7              Sol
Rezo tu nombre pidiendo que vuelvas a mi.
Do                         Sol
Porque sin ti ya ni el sol ilumina mis dias
Lam                  Re7
Y al llegar la aurora me encuentra llorando
Sol
Mis noches sin ti.

Mi ultimo fracaso

Alfredo Gil
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Mi ultimo fracaso - Alfredo Gil


SOL       Mi7        Lam      
Es mi destino vivir así,
Re7          Sim
triste agonía vivir sin ti
DOM                    dom   SOLM
Me siento perdido en este mundo
lam      RE7           SOLM
y mi último fracaso será tu amor.


SOL7           dom
Sé que tú no quieres
sim
ya jamás volver a estar cerca de mí
dismla    MI7        lam
que no te importa mi manera de vivir
RE7         SOLM
ni te interesas más por mí.


SOL7              dom
Sé que aunque yo muera
sim
tú jamás podrás saber lo que sentí
dismla   MI7          la      RE7     SOLM
en mi agonía de vivir lejos de ti, llorando estoy.


SOL7                DOM
Tú serás...mi último fracaso
LA7               RE7
no podré quere a nadie más
SOLM       dom
Ya te perdoné
sim
porque lograste hacer feliz mi corazón
dismla      MI7       lam
y aunque no vuelvas a brindarme tu calor
RE7          SOLM
tuyo es mi amor.

Me castiga Dios

Alfredo Gil
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

Me castiga Dios - Alfredo Gil


             Dm-Gm
Me castiga Dios
               Dm
porque aún te quiero
  C7          A#
sabiendo que engañas
        A7
a mi corazón.


  D        Gm
Te sigo queriendo
  C7         F
me sigues mintiendo
          A#
y vivo engañado
          B7
sabiéndolo yo.


      C7                         F
Muchas veces en silencio estoy llorando
    A#
y bebiendo la amargura de mi llanto
     E7                     A7
me da pena de mí mismo por cobarde
     A#                         A7
al callarme la vergüenza de tu engaño.


           Dm-Gm
Me castiga Dios
               Dm
porque aún te quiero
  C7          A#
sabiendo que engañas
        A7
a mi corazón.


  D         Gm
Sabiendo que tú
    C7        F
no mereces que nadie
            A#
te mire un momento
            B7
ni por compasión.


Me castiga Dios...

Mar y cielo

Julito Rodríguez Reyes
Boleros inesquecíveis - Trío Los Panchos

Mar y cielo - Julito Rodriguez Reyes - Interpretación: Los Panchos


   Em                      B7
Me tienes, pero de nada te vale, 
                               Em
soy tuyo, porque lo dicta un papel,
   E7                    Am    
mi vida la controlan las leyes, 
                Em
pero en mi corazón, que es el que
       F#7      B7         Em
siente amor tan sólo mando yo.


            B7                    Em   
El mar y el cielo se ven igual de azules, 
              B7
y en la distancia, parece
       Em
que se unen;
               E7                              Am
mejor es que recuerdes que el cielo es siempre cielo, 
que nunca, nunca,
F#7                     B7
nunca, el mar lo alcanzará, 
    Am                      Em           B7
permíteme igualarme con el cielo, que a ti
                      Em
te corresponde ser el mar.

La malagueña

Elpidio Ramírez Burgos
Trío los Panchos - Boleros inesquecíveis

La malagueña (1947) - Elpidio Ramírez y Pedro Galindo - Interpretación: Los Panchos


INTRO: B7, Em, D, D7, G, C, B7

Em
Qué bonitos ojos tienes,
                    Am
debajo de esas dos cejas,
                     G
debajo de esas dos cejas,
 C                 B7
qué bonitos ojos tienes.

Em
Ellos me quieren mirar,
                   Am
pero si tu no los dejas,
                   G
pero si tu no los dejas,
 C           B7
ni siquiera parpadear.


B7           Em
Malagueña Salerosa,
                    D
besar tus labios quisiera,
  D7                 G
besar tus labios quisiera,
    C          B7
malagueña salerosa,
                  Em                  --> CORO
y decirte niña hermosa,
                       D
que eres linda y hechicera
 D7                    G
que eres linda y hechicera
          C            B7
como el candor de una rosa.
(SE REPITE EL INTRO)

 Em
Con tus ojos me anunciabas
                     Am
que me amabas tiernamente
                      G
que me amabas tiernamente
         C             B7
con tus ojos me anunciabas

Ingrata me traicionabas
cuando de ti estaba ausente
cuando de ti estaba ausente
de mi pasion te burlabas   (CORO)