quinta-feira, 6 de julho de 2006

La paloma

Sebastián Yradier
No final do século XIX, através da península de Yacatán, chegou ao México um ritmo de dança chamado habanera e com ele a canção "La paloma" muito popular durante o império de Maximiliano I e Carlota. A partir desta canção se desenvolveria a dança mexicana de cadência inconfundível e dela foi fácil passar ao ritmo de bolero.

La paloma (habanera - circa 1860) - Sebastián Iradier Salaverri (Sebastián Yradier: 20/01/1809 - 06/12/1865) - (Boleros inesquecíveis - Canções latinas - Los Panchos) - Interpretação de Nana Mouskouri



Cuando salí de la Habana, válgame Dios!
nadie me ha visto salir si no fui yo
y una linda Guachinanga allá voy yo
que se vino tras de mi que si señor
si a tu ventana llega una paloma
trátala con cariño que es mi persona
cuéntale tus amores bien de mi vida
corónala de flores que es cosa mía
ay! chinita que si, ay! que dame tu amor
ay! que vente conmigo chinita
adonde vivo yo
ay! chinita que si, ay! que dame tu amor
ay! que vente conmigo chinita
adonde vivo yo.

A                                   Bm
Assim,  como um dia triste não tem calor
E7                                  A
Estou   me sentindo triste sem teu amor
Bm
Se foi   para muito longe sem um adeus
E7                                   A
Partiu   destruindo todos os sonhos meus

            Eb0                  Bm
Voa paloma, vem devolver minha calma
  E7                                  A
Traga o seu calor pra aquecer minha alma
       Eb0                   Bm
Velhas melancolias estão de volta
E7                                A
Pois sem o teu amor nada mais importa


Onde quer que eu vá
                  E7
Estou sempre esperando
                  Bm
Pra dizer que apesar da tua ausência
       E7              A
Sempre te ama. . . . .rei   ( SOLO )

                               Bm
Se foi melodia triste de uma canção
  E7                          A
Deixou toda uma poesia de solidão
Postar um comentário