terça-feira, 22 de agosto de 2006

Caboca bunita

Catulo da Paixão
Caboca Bunita (canção, 1920) - Catulo da Paixão Cearense - Interpretação de Patrício Teixeira, acompanhado por Rogério Guimarães ao violão - Data de gravação 1927 - Disco Odeon - Gênero musical canção sertaneja - Nº Álbum 10064 - Data lançamento 1927 - Lado A -

Quando tu passa nus mato, meu bem
Cantando pulos caminho
Vai seguindo atrás de ti, meu bem
Um bando di passarinho

Ai, caboca bunita / Mi da um beijinho!

Quando tu inda vem de longe, meu bem
Eu já di longe adivinho
Eu sinto istremecê, meu bem
As corda desse meu pinho

Ai, caboca facera / Mi dá um beijinho!

Quando tu samba nus samba, meu bem
Parece um beija-frozinho
Qui avoa di frô in frô, meu bem
Cumo a percura di um ninho

Ai, caboca dengosa / Mi dá um beijinho!

Versão de Patrício Teixeira:

Quando tu passa no mato, meu bem
Cantando pelo caminho
Quando tu passa no mato, meu bem
Cantando pelo caminho
Por onde tu vai passando, meu bem
Vai gorjeando um passarinho

Ai, caboca bunita / Mi da um beijinho!
Ai, caboca bunita / Mi da um beijinho!

Tu inda vem muito longe, meu bem
Eu já di longe adivinho

Tu inda vem muito longe, meu bem
Eu já di longe adivinho
Eu sinto istremecê, meu bem
As corda desse meu pinho

Ai, caboca bonita / Mi dá um beijinho!
Ai, caboca bonita / Mi dá um beijinho!

Si Deus mi desse a ventura, meu bem
De tu me dá um beijinho
Si Deus mi desse a ventura, meu bem
De tu me dá um beijinho 
Eu seguia (tão feliz?), meu bem
Qual se fosse um cachorrinho

Ai, caboca bonita / Mi dá um beijinho!
Ai caboca bonita / Mi dá um beijinho!
Postar um comentário