terça-feira, 29 de agosto de 2006

Mudando de conversa



A personagem indaga sobre “aquela velha amizade, aquele papo furado todo fim de noite num bar do Leblon”, lamentando a ausência dessas amenidades em sua vida atual. Este é o tema de “Mudando de Conversa”, um samba moderno, romântico, um pouco nostálgico e tipicamente carioca.

Só que a composição nasceu, não em um bar do Leblon, mas, na legendária Taberna da Glória, no bairro homônimo. Conta Hermínio que ele e o parceiro, Maurício Tapajós, haviam passado a noite trabalhando, em seu apartamento, em cima de uma sugestão de Cacaso que resultaria na ópera popular “João-Amor e Maria”. De manhã cedinho, a dupla desceu para o desjejum na Taberna, sendo o café-com-leite logo substituído pelo chope gelado, no momento em que surgiu a idéia do samba. “A ópera foi um fiasco”, informa o poeta, “mas ‘Mudando de Conversa’, um grande sucesso”.

Tanto sucesso, que daria nome a um musical com Clementina de Jesus, Nora Ney, Ciro Monteiro, Jards Macalé, o conjunto Os Cinco Crioulos e um regional comandado pelo Mestre Dino. Embora destinado a Ciro Monteiro, que àquela época tinha uma preguiça enorme para aprender músicas novas, o samba acabou sendo gravado por Dóris Monteiro, em atenção a um pedido de Milton Miranda, diretor da Odeon (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Mudando de conversa (samba, 1969) - Maurício Tapajós e Hermínio Bello de Carvalho
Tom: Tom: G
Intr.: C7+/9 Cm7/9 G7/13 E7 A7 D7 G7+

               A7        D7 
Mudando de conversa onde foi que ficou
         E7     A7
Aquela velha amizade
 D7/9        Dm7/9              G7/13
Aquele papo furado todo fim de noite
            C7+/9
Num bar do Leblon

Meu Deus do céu, que tempo bom!
                                  C#°
Tanto chopp gelado, confissões à bessa
                 G7+         F#5+/7   F7/13
Meu Deus, quem diria que isso ia se acabar
     E7       A7
E acabava em samba
                  D7               G7+
Que é a melhor maneira de se conversar
F#7/13     Bm                  C#m5-/7     F#7     Bm
Mas tudo mudou, eu sinto tanta pena de não ser a mesma
         C#m5-/7     F#7       Bm                   C#m5-/7
Perdi a vontade de tomar meu chopp, de escrever meu samba
     F#7     Bm             C#m5-/7
Me perdi de mim, não achei mais nada
       F#7  Bm   C#m5-/7
O que vou fazer?
F#7            Bm               C#m5-/7   F#7    Bm
Mas eu queria tanto, precisava mesmo de abraçar você
             C#m5-/7       F#7   Bm
De dizer as coisas que se acumularam
               C#m5-/7       F#7  Bm
Que estão se perdendo sem explicação
           C#m5-/7     F#7    Bm  E7
E sem mais razão e sem mais porque
  A7+         B7          E7       A7+
Mudando de conversa onde foi que ficou
        F#7     B7
Aquela velha amizade
  E7/9        Em7/9             A7/13
Aquele papo furado todo fim de noite
            D7+/9
Num bar do Leblon

Meu Deus do céu, que tempo bom!
                                  D#°
Tanto chopp gelado, confissões à bessa
                 A7+         G#5+/7   G7/13
Meu Deus, quem diria que isso ia se acabar
     F#7       D7
E acabava em samba
                  E7               G7/13 (A7+)
Que é a melhor maneira de se conversar
 
 
Postar um comentário