segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Mulatinha da caserna

Assim noticiava a revista "Carioca", de 01/02/1936: "Promovido pela Muncipalidade de São Paulo realizou-se um concurso de sambas e marchas para o Carnaval. Mais animado que nos anos anteriores, conseguiu este concurso reunir cerca de 280 músicas, entre sambas e marchas. Feita a seleção das mais interessantes, coube, no final, o primeiro lugar à marcha "Mulatinha da caserna", de autoria da parceria maestro Martinez Grau e Ariovaldo Pires, dois nomes de larga projeção no cenário musical de São Paulo. Em segundo lugar, saiu vencedor o compositor carioca Ary Barroso(1), cujas composições tem enchido de alegria o Brasil, em todos os Carnavais passados. "Paulistinha querida", é o título da composição do autor de "Maria" e "Rancho fundo.

Acompanhado pelo cantor Januário de Oliveira, criador de sua composição. o maestro Martinez Grau veio ao Rio, por conta da Diretoria de Divertimentos Públicos de São Paulo, especialmente para fazer gravar a marcha vencedora. O autor e o intérprete de "Mulatinha da caserna", visitaram a redação de CARIOCA e nos transmitiram suas felicitações pelo êxito de de nossa revista, que está sendo acolhida na Paulicéia com a mais viva simpatia." (1) Ary era mineiro.

Mulatinha da caserna (marcha, 1936) - Martinez Grau e Capitão Furtado (Ariovaldo Pires)

Antigamente a mulatinha
Fazia corso lá no quintal
Mas com o tempo ficou por cima
Foi promovida a general

Alerta! Alerta!
Vamos fazer revolução
Nossa trincheira vamos ter, mulata
Na avenida São João

A Benedita já fez progresso
Tirou o corpo lá do fogão
Vive na seda, tem um V-8
E sai de braço com o capitão

Nenhum comentário: