terça-feira, 4 de abril de 2006

Arlindo Marques Jr.

Arlindo Marques Jr. (Arlindo Coelho Marques Júnior), compositor, jornalista e revistógrafo, nasceu no Rio de Janeiro RJ, em 1/8/1913, e faleceu em 4/6/1968. Cursou o Colégio Pedro II, iniciando o curso de direito, que abandonou no terceiro ano. Trabalhou nos jornais Radical, A Gazeta e Última Hora, entre outros.

Para o Carnaval de 1932 compôs sua primeira música, a marcha Sobe no bonde, gravada por Murilo Caldas na Columbia. Foi ainda autor de várias revistas para artistas da época, como Walter Pinto, Derci Gonçalves e Alda Garrido.

Seu parceiro mais constante foi Roberto Roberti, com quem compôs suas músicas de maior sucesso: o samba Queixas de colombina e a marcha Foi numa noite assim, as primeiras a serem gravadas, por Carmen Miranda na Odeon, em 1935; Abre a janela, lançado por Orlando Silva para o Carnaval de 1938, em discos Victor; O homem sem mulher não vale nada, gravado por Orlando Silva, na Vittor, em 1939; e a marcha Nós, os carecas, lançada pelos Anjos do Inferno, na Columbia, em 1942.

Foi um dos fundadores da SBACEM, fazendo parte de sua primeira diretoria, em 1946; nesse ano lançou outro sucesso em parceria com Roberto Roberti e Ismael Silva, o samba Se eu tiver que escolher, gravado por Orlando Silva na Odeon. Mais tarde, desligou-se da SBACEM, passando para a UBC. Em 1953 campôs outro sucesso, o samba Sistema nervoso (com Wilson Batista e Roberto Roberti), gravado por Orlando Correia.

Obras

Abre a janela (c/Roberto Roberti), samba, 1938; A bela adormecida (c/Roberto Roberti), samba, 1938; Cartão postal (c/Paulo Barbosa), valsa, 1946; Dolores (c/Alberto Ribeiro e Marino Pinto), samba, 1942; Encontrei minha amada (c/Roberto Roberti), samba, 1940; O homem sem mulher não vale nada (c/Roberto Roberti), samba, 1939; Música, maestro (c/Roberto Roberti), samba, 1940; Nega pelada, me deixa (c/Roberto Roberti), samba, 1943; Nós, os carecas (c/Roberto Roberti), marcha, 1942; Se eu tiver que escolher (c/Roberto Roberti e Ismael Silva), samba, 1946; Só vindo ao Brasil pra ver (c/Roberto Roberti), samba, 1943.

Nenhum comentário: