segunda-feira, 24 de abril de 2006

Feitiço da Vila

Noel Rosa
Noel Rosa amou Vila Isabel, o bairro onde nasceu, viveu e morreu. Não é assim de admirar que imortalizasse esse amor em uma de suas melhores composições, o clássico "Feitiço da Vila".

Sobre uma melodia de Vadico muito bem elaborada, ele desenvolveu versos que a enaltecem, ressaltando sua ligação com o samba ("São Paulo dá café / Minas dá leite / e a Vila Isabel dá samba" ), samba que enfeitiça e dignifica ( "Tendo o nome de princesa / transformou o samba / num feitiço decente / que prende a gente" ), uma Vila Isabel, enfim, a que o poeta se orgulha de pertencer ("Paixão não me aniquila / mas tenho que dizer / modéstia à parte / meus senhores, eu sou da Vila").

Tudo isso dito assim de forma clara, objetiva, mas sem prejuízo do lirismo, é bem característico da poesia de Noel. Lançado em dezembro de 1934, em meio ao repertório carnavalesco, "Feitiço da Vila" é dedicado a Lela Casatle, uma beldade do bairro, então eleita Rainha da Primavera. Como se vê, a Vila não dava apenas samba...

Feitiço da Vila (samba, 1935) - Noel Rosa e Vadico

Disco 78 rpm / Título da música: Feitiço da vila / Autoria: Rosa, Noel, 1910-1937 (Compositor) / Vadico (Compositor) / João Petra de Barros, 1915-1948 (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1934 / Nº Álbum 11175 / Lado A / Lançamento: 1934 / Gênero musical: Samba


Tom: C

  C              E7                  F
Quem nasce na lá Vila  / Nem sequer vacila
              E7
Em abraçar o samba
  F   G7          C            A7
Que faz dançar os galhos do arvoredo
        D7    G7        C      G7
E faz a lua nascer mais cedo 

C              E7                          F
O sol da Vila é triste  /   Samba não assiste
                    E7
Porque a gente implora:
F    G7           C               A7
Sol pelo amor de Deus não venha agora
         D7       G7       C      A7
Que as morenas vão logo embora ... 

       Dm         Bb7          Dm
A Vila tem    um feitiço sem farofa
          Fm          G7              C    E7
Sem vela e sem vintém /  Que nos faz bem
  Am        E7      Am
Tendo nome de princesa
      B7      Em            D7        G7
Transformou o samba   num feitiço decente
Que prende a gente 

 C          E7                  Am
Lá em Vila Isabel/ Quem é bacharel
    F            E7      F     G7      C              A7
Não tem medo de bamba /  São Paulo dá café, Minas dá leite
   D7    G7      C     G7   C              E7
E Vila Isabel dá samba,/   Eu sei tudo que faço 
                F                      E7
Sei por onde passo / Paixão não me aniquila
 F     G7       C                 A7
Mas tenho que dizer, modéstia à parte
        D7       G7       C     Fm   C
Meus senhores eu sou da Vila !

Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 1 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34.
Postar um comentário