sábado, 29 de abril de 2006

Helena, Helena

Anjos do Inferno

Depois de um predomínio da marchinha, iniciado em 1932 com o sucesso de "O teu cabelo não nega", o samba reagiu assumindo a hegemonia do repertório de carnaval nos anos quarenta. O primeiro grande samba carnavalesco da década é "Helena, Helena". Repetindo a temática de "Ò seu Oscar" - o homem que chega em casa e descobre ter sido abandonado pela mulher - "Helena, Helena" destaca-se pela melodia que, aliás, é bem valorizada pelos Anjos do Inferno na gravação inicial.

Sobre esta gravação, contava o radialista César de Alencar um fato curioso. Iniciando na época sua carreira, César procurava inovar a programação com reportagens diferentes. Foi então que, em sua busca de novidade, ele soube da gravação de "Helena, Helena" e, com uma boa conversa, convenceu o pessoal da Columbia a deixá-lo instalar um microfone de sua emissora no estúdio da gravação. Assim, no dia 07.11.40, os ouvintes da Rádio Clube do Brasil tiveram a oportunidade de conhecer "Helena, Helena" no momento exato em que estava sendo gravada.

Helena, Helena (samba, 1941) - Constantino Silva e Antônio Almeida

Disco 78 rpm / Título da música: Helena!... Helena!... / Autoria: Almeida, Antônio (Compositor) / Silva, Constantino (Compositor) / Anjos do Inferno (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Columbia, 07/11/1940 / Nº Álbum 55249 / Lado A / Gênero musical: Samba


D                B7     E7              A7
Ontem cheguei em casa, Helena / Te procurei
                      D
E não encontrei / Fiquei tristonho a chorar
       D7                     G
Passei o resto da noite a chamar
          D               E7 A7 D
Helena, Helena / Vem me consolar

                    A7
Mesmo depois de cansado / Teu nome falava baixinho
                                    D
Helena dos meus encantos / Vem me fazer um carinho
               D7                        G
E fiquei desesperado / Cadê Helena, meu bem
             D                   A7         D
O dia já vem raiando/ E a minha Helena não vem
          A7
( Porque será ? )


Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 1 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34.
Postar um comentário