segunda-feira, 24 de abril de 2006

Implorar

Kid Pepe
Um dos maiores sambas dos anos trinta é "Implorar", vencedor do carnaval de 1935. Com uma letra comum, sobre um amor contrariado ("Implorar só a Deus / mesmo assim às vezes não sou atendido..."), "Implorar" tem na melodia da primeira parte a razão de seu sucesso.

Assinado por Kid Pepe, Germano Augusto e João da Silva Gaspar, teve a autoria contestada na imprensa, assim que começou a aparecer. Numa reportagem no Correio da Noite foi divulgado que o verdadeiro autor seria Cedar Silva, o Cedá, um sambista falecido que dirigira a escola de samba Mocidade Louca, do Morro de São Roque. A seguir, noutro jornal, um primo de Cedá chamado Divino dizia-se co-autor e acusava João Gaspar de haver roubado o samba para vendê-lo a Kid Pepe por trinta mil réis.

O dramático da situação era que Divino estava doente, num leito de hospital. Mas, como sempre ocorria em casos dessa natureza, ninguém possuía provas para a acusação, acabando por prevalecer a versão de Kid Pepe: "João Gaspar me mostrou um estribilho que gostei. Consegui então autorização dele, por escrito, para consertar o estribilho (que estava quebrado) e compor uma segunda parte e a introdução. Desse jeito fizemos Implorar. Agora, se provarem que o coro apresentado pelo Gaspar não lhe pertence, darei à família do falecido a parte dele".

Implorar (samba/carnaval, 1935) - Kid Pepe, Germano Augusto e João da Silva Gaspar

Disco 78 rpm / Título da música: Implorar / Autoria: Augusto, Germano (Compositor) / Gaspar, J. da Silva (Compositor) / Pepe, Kid (Compositor) / Moreira da Silva (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Columbia, 24/10/1934 / Nº Álbum 8114 / Lançamento: 1935 / Lado B / Gênero musical: Samba /

Implorar, só a Deus / Mesmo assim
As vezes não sou atendido / Eu amei e não venci
Fui um louco / Hoje estou arrependido

Foi-se o meu sonho azulado / Minha ilusão mais querida
Perdi o meu bem amado / Minha esperança na vida
Passei a vida implorando / Aquela infeliz amizade
Tudo na vida se passa / Loucuras da mocidade

Hoje no mundo sozinho / Relembrando o meu passado
Não tenho mais um carinho / Na vida, tudo acabado
Fui um louco, eu bem sei / Implorar tua beleza
Pelo seu amor fiquei / Contemplando a natureza


Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 1 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34.

Nenhum comentário: