quinta-feira, 4 de maio de 2006

A saudade mata a gente

Dick Farney
"A Saudade Mata a Gente" é mais uma canção sobre o velho tema do amor singelo, ambientado na vida campestre ( "Fiz meu rancho na beira do rio / meu amor foi comigo morar..."), gênero que tem como paradigma "Casinha pequenina".

Mas, além de ser uma bela composição, esta toada teve como um dos motivos de seu êxito uma excelente interpretação de seu lançador, o cantor Dick Farney.

Então no auge da popularidade, Dick explora muito bem as notas graves do estribilho, em contraste com a outra parte que, aliás, recorre a um trecho da ópera "Aída", de Verdi - o bailado da 2'' cena do 2° ato ( "Festa da sagração de Radamés"). Existindo havia quase dez anos, a parceria João de Barro / Antônio Almeida só alcançaria o sucesso em 1948, com "A Saudade Mata a Gente" e a marchinha "A Mulata É a Tal".

A saudade mata a gente (toada, 1948) - João de Barro e Antônio Almeida

Disco 78 rpm / Título da música: A saudade mata a gente / Autoria: Almeida, Antônio (Compositor) / João de Barro, 1907-2006 (Compositor) / Farney, Dick, 1921-1987 (Intérprete) / Abreu, José Maria de, 1911-1966 (Acompanhante) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Continental, 1948 / Nº Álbum 15917 / Lado B / Gênero musical: Samba canção

(intro) D Em7 A7 D Bm7 Em7 Gm Em7 A7 D A7/11

                              Em7
Fiz meu rancho na beira de um rio
      A7               D
Meu amor foi comigo morar
     Bm                  Em7
E na rede nas noites de frio
      Gm        Em7         A7     D
O meu bem me abraçava pra me agasalhar

      Am       D7             G
Mas agora meu Deus, vou me embora
         Gm                       D
Vou me embora e não sei se vou voltar
     Bm                  Em7
A saudade nas noites de frio
Gm          Em7         A7     D C#m 
meu peito vazio virá se aninhar

      A7          D            A7
A saudade mata a gente morena
                    D             A7
A saudade é dor pungente, morena
                  D            A7
A saudade mata a gente morena
                    G      D
A saudade é dor pungente morena

(solo) D7 G Gm D Bm Em7 Gm Em7 A7 D

( Bm C A7 D )


Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 1 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34.
Postar um comentário