sábado, 5 de agosto de 2006

Palhaçada



Ao contrário de “Nossos Momentos”, “Palhaçada” mostra o lado não-romântico da parceria Luiz Reis e Haroldo Barbosa (foto ao lado) e é o seu maior sucesso. Num estilo sincopado, meio bossa nova, o samba focaliza as desventuras de um sujeito que, apesar de enganado e abandonado por uma mulher, admite aceitá-la de volta com as desvantagens que isso possa representar: “Mas se ela quiser / voltar pra mim / vai ser assim / cara de palhaço / roupa de palhaço / até o fim.”

Mais conhecido como “Cara de Palhaço”, “Palhaçada” teve só em 1961 onze gravações, o que comprova o seu sucesso. Contudo a do personalíssimo Miltinho foi a que marcou, sem demérito para as dos rivais Ivon Curi, Dóris Monteiro, Isaura Garcia e Elizeth Cardoso (Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 2 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34).

Palhaçada (samba, 1961) - Haroldo Barbosa e Luiz Reis - Intérprete: Miltinho.

Cara de palhaço, pinta de palhaço, roupa de palhaço
Foi esse o meu amargo fim...
Cara de gaiato,pinta de gaiato, roupa de gaiato...
foi o que eu arranjei "pra" mim...

Estavas roxa por um "trouxa"
"pra" fazer cartaz.
Na tua lista de golpista,
tem um bobo a mais...

Quando a chanchada deu em nada,
eu até gostei.
A fantasia foi aquela que esperei.

Cara de palhaço, pinta de palhaço, roupa de palhaço
Pela mulher que não me quer...
Mas, se ela quiser voltar "pra" mim,
vai ser assim....
cara de palhaço, pinta de palhaço...
até o fim...



Postar um comentário