quinta-feira, 17 de agosto de 2006

Vamos deixar de intimidade

Ary Barroso
Em 1929, retornando ao Rio de uma temporada em Santos e Poços de Caldas, Ary Barroso deixou suas músicas na casa editora Carlos Wehrs, de onde duas - Vamos deixar de intimidade e Vou à Penha - foram levadas por Olegário Mariano e Luiz Peixoto para serem incluídas na revista Laranja da China, que era apresentada no Teatro Recreio. Vamos deixar de intimidade acabou sendo gravada por seu amigo e colega de faculdade Mário Reis, transformando-se no primeiro sucesso de Ary.

Vamos deixar de intimidade (samba, 1929) - Ary Barroso

Disco 78 rpm / Título da música: Vamos deixar de intimidade / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Reis, Mário (Intérprete) / Orquestra Pan American (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1929 / Nº Álbum 10414 / Gênero musical: Samba /

Mulher
Vamos deixar de intimidade
Entre nós mais nada existe
Nem o amor nem a saudade
Mulher
Vamos deixar de intimidade
Entre nós mais nada existe
Nem o amor nem a saudade

Tu juraste certo dia
Aos meus pés cinicamente
Que o amor não morreria
Ele foi, zombou da gente
Mas veio outro
Me puseste na rua
Eu também não me incomado
Minha vida continua

Mulher
Vamos deixar de intimidade
Entre nós mais nada existe
Nem o amor nem a saudade
Mulher
Vamos deixar de intimidade
Entre nós mais nada existe
Nem o amor nem a saudade

Um amor que a gente perde
É semente de outro amor
Se pra tudo tem remédio
Também tem remédio a dor
Mas o meu santo que me
guarda é muito forte
Se me livro dos teus olhos
Também me livra da morte

Nenhum comentário: