sexta-feira, 17 de março de 2006

Terna saudade (Por um beijo)

Muita música instrumental de sucesso recebeu letra de Catulo da Paixão Cearense, que assim se fez parceiro de grandes compositores de sua geração. Entre estes está Anacleto de Medeiros, autor da valsa "Terna Saudade", que o poeta transformou na pomposa canção "Por um Beijo": "Ó ri, meu doce amor / sofri lágrimas de flor / teu sorriso inspira a lira / que afinei por teu falar..."

Embora o melhor de "Terna Saudade" seja a melodia, seu autor é citado pelo jornalista Guimarães Martins, no livro Modinhas, como "colaborador de Catulo na parte musical". Herdeiro dos direitos do poeta, Martins procurava sempre minimizar o trabalho de seus parceiros, tachando-os de meros colaboradores.

Terna saudade (Por um beijo) (valsa, 1905) - Anacleto de Medeiros e Catulo da Paixão Cearense - Interpretação: Paulo Tapajós



Ó ri, meu doce amor, / Sofri lágrimas de flor
Teu sorriso inspira / A lira que afinei por teu falar
E quer de amor vibrar / Ao sol de teu olhar
Ri meu doce amor / Sorri, pérola da flor
Abre em teu lábio um sorriso / Onde um coração diviso,
De algum anjo que desceu do azul.

Num teu sorriso / Luz de poesia
Vem dar a melodia / E musicar os versos meus
Que eu mostrarei a Deus, / Como eu te amo,
Alma dileta / E sem eu ser poeta
Irei fazer o eterno / Te aclamar nos céus.

Irei estrelas lá no céu roubar / Trarei da lua, um raio de luar
Depois dos céus eu descerei ao mar / E a pérola mais bela irei buscar
Sem recear as iras do Senhor, irei, / Roubar os cofres do Senhor
Trarei a essência do divino amor / Se tu, velada no mais vasto véu,
Concederes-me a vitória / A suprema gloria, / De um só beijo teu !
Postar um comentário