quarta-feira, 19 de abril de 2006

No Rancho Fundo

Elisa Coelho, cantora para quem
Ary dedicou No Rancho Fundo
Este samba foi lançado pela cantora Araci Cortes em junho de 1930, na revista É do outro mundo. Na ocasião chamava-se "Este mulato vai ser meu" (com o subtítulo "Na Grota Funda"), e tinha letra do caricaturista J. Carlos (José Carlos de Brito Cunha, autor da revista).

Ouvindo a composição, Lamartine Babo achou ruins os versos "Na Grota Funda / na virada da montanha / só se conta uma façanha / do mulato da Raimunda". Autorizado por Ary Barroso, escreveu nova letra ( "No Rancho Fundo / bem pra lá do fim mundo / onde a dor e a saudade / contam coisas da cidade..."), sendo o samba gravado por Elisa Coelho, no ano seguinte.

O lirismo nostálgico, que predomina na composição, já aparece na introdução instrumental dessa gravação, com o próprio Ary ao piano. A melodia, por sua vez, caminha suavemente em frases descendentes para um final melancólico, em perfeita sintonia com a letra. Quem não gostou da nova versão foi J. Carlos, que julgou a rejeição de sua letra uma desfeita, rompendo com Ary Barroso.

No Rancho Fundo (samba-canção, 1931) - Lamartine Babo e Ary Barroso

Disco 78 rpm / Título: No rancho fundo / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Babo, Lamartine, 1904-1963 (Compositor) / Coelho, Elisa (Intérprete) / Dois violões (Acompanhante) / Piano (Acompanhante) / Imprenta[S.l.]: Victor, 15/06/1931 / Álbum 33444 / Gênero: Samba canção


D
No rancho fundo /
Gb7              Bm
Bem pra lá do fim do mundo
Gb7     
Onde a dor e a saudade/
G        Em7   A7     D   
Contam coisas da cidade....

            D
No rancho fundo/
Gb7                    Bm
De olhar triste e profundo
Gb7                   G
Um moreno canta as mágoas
Em7      A7        D       D
Tendo os olhos rasos dӇgua

        B7             Gbm7 B7   Em
Pobre moreno /  Que tarde no sereno
Gm7       Gbm7          Em7     A7                  D   
Espera a  lua no terreiro/ Tendo o cigarro por companheiro
B7          Gbm7 B7 Em
Sem um aceno / Ele pega da viola
Gm7        D            Em7        A7        D    Gm   D
E a lua por esmola / Vem pro quintal deste moreno

       D                   Gb7               Bm
No rancho fundo / Bem pra lá do fim do mundo
Gb7              G            Em7     A7          D     D
Nunca mais houve alegria/ Nem de noite  e nem de dia
D                    Gb7               Bm
Os arvoredos/ Já não contam mais segredos
Gb7          G          Em7     A7         D         D
Que a última palmeira/ Já morreu na cordilheira

    B7            Gbm7     B7        Em
Os passarinhos / Internaram-se nos ninhos
Gm7             D       Bm7       Em7     A7       D      D
De tão triste essa tristeza/ Enche de treva a natureza
B7                  Gbm7    B7       Em
Tudo por que ?   / Só por causa do moreno
Gm7                        D
Que era grande, hoje é pequeno
Em7     A7      D
Para uma casa de sapê  


A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34
Postar um comentário