segunda-feira, 8 de maio de 2006

Maria Candelária

Blecaute
Contrastando com a Maria lavadeira, do samba "Lata d'água", o carnaval de 52 teve também a "Maria Candelária", "alta funcionária" que "a uma vai ao dentista, às duas vai ao café, às três vai à modista e às quatro assina o ponto e dá no pé...".

Criada pela dupla Armando Cavalcanti e Klécius Caldas, esta marchinha era uma sátira muito bem-humorada às funcionárias "empistoladas", que impunemente abusavam de regalias no serviço público. Com o nome inspirado (segundo Klecius) no ponto de ônibus da Candelária, onde muitas funcionárias esperavam condução todas as tardes, no tempo em que o Rio era capital federal, "Maria Candelária" (gravada por Blecaute) foi a segunda marcha na preferência dos foliões, perdendo somente para "Sassaricando".

Maria Candelária (marcha/carnaval, 1952) - Armando Cavalcanti e Klécius Caldas - Intérprete: Blecaute


D    
Maria Candelária   /   É alta funcionária
                                     A7
Saltou de páraquedas / Caiu na letra "O", oh, oh, oh, oh
Começa ao meio-dia /  Coitada da Maria
                                       D
Trabalha, trabalha, trabalha de fazer dó oh, oh, oh, oh
  G    Gbm                 Em     A7      D  
a uma vai ao dentista / as duas vai ao café 
    G     Gbm                  E7   
Às três vai à modista  / Às quatro assina o ponto e dá no pé
A7                            D
Que grande vigarista  que ela é.
Postar um comentário