segunda-feira, 8 de maio de 2006

Retrato do velho

Poucas músicas políticas foram tão cantadas pelo povo quanto essa marchinha de Haroldo Lobo e Marino Pinto, que saudava o retorno de Getúlio Vargas à cena política em 1950, depois de cinco anos de exílio voluntário na fazenda Itu, em São Borja, no Rio Grande do Sul.

"Bota o retrato do velho outra vez / Bota no mesmo lugar" virou o slogan da volta de Getúlio a Presidência da República, numa campanha em que ele bateu com facilidade o brigadeiro Eduardo Gomes, mais uma vez lançado candidato pela UDN, e Cristiano Machado, lançado e cristianizado pelo PSD.

A partir dessas eleições, “cristianizar” no jargão político brasileiro passou a ser sinônimo de apoiar um candidato só da boca para fora, trabalhando por debaixo do pano para a vitória de outro contendor. Getúlio ganhou fácil. Teve 48,7% dos votos, contra 29,6% dados ao Brigadeiro e 21,5% a Cristiano Machado. (Fonte: Franklin Martins - Site Oficial)

Retrato do Velho (marcha/carnaval, 1951) - Haroldo Lobo e Marino Pinto

Disco 78 rpm / Título da música: Retrato do velho / Autoria: Lobo, Haroldo (Compositor) / Pinto, Marino (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Regional (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1950 / Nº Álbum 13078 / Gênero musical: Marcha


Bota o retrato do velho outra vez
Bota no mesmo lugar
O sorriso do velhinho
Faz a gente trabalhar

Eu já botei o meu
E tu, não vai botar?
Já enfeitei o meu
E tu vais enfeitar ?
O sorriso do velhinho
Faz a gente trabalhar
Postar um comentário