segunda-feira, 12 de junho de 2006

Na rua, na chuva, na fazenda

Embora sem o carisma de Tim Maia, o cantor e compositor Hyldon (Hyldon de Souza Silva) é personagem importante do soul brasileiro, figurando entre os seus pioneiros, ao lado de Cassiano e do próprio Tim. É, inclusive, responsável pela criação de uma variante rural do gênero, em canções como “Na Rua, na Chuva, na Fazenda”, seu primeiro e maior sucesso:

“Jogue suas mãos para o céu / e agradeça se acaso tiver / alguém que você gostaria / que estivesse sempre com você / na rua, na chuva, na fazenda / ou numa casinha de sapê...”

Baiano, radicado no Rio de Janeiro, Hyldon batalhou vários anos em gravadoras, participando de produções de artistas como Erasmo Carlos, Wanderley Cardoso e Jerry Adriani, até conseguir gravar o primeiro disco, o compacto com “Na Rua, na Chuva, na Fazenda”.

Em 1975, depois do segundo sucesso, “As Dores do Mundo”, chegaria afinal ao elepê. Considerado rebelde, Hyldon viveu um bom período no esquecimento, sendo redescoberto nos anos noventa pelos conjuntos Kid Abelha e J. Quest, que regravariam, respectivamente, “Na Rua, na Chuva, na Fazenda” e “As Dores do Mundo” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Na rua, na chuva, na fazenda (1974) - Hyldon
Introd.:  E G A E

 Am
Não estou disposto
                         E
A esquecer seu rosto de vez
E acho que é tão normal 
 Am
Dizem que sou louco
                       E
Por eu ter um gosto assim
                                  (E G A E)
Gostar de quem não gosta de mim

Am7          D          Am7
Jogue suas mãos para o céu
         D             G
E agradeça se acaso tiver
              C           G
Alguém que você gostaria que
       C                Gbm
Estivesse sempre com você
             B              Gbm
Na rua, na chuva ou na fazenda
            B          E      (E G A E )
Ou numa casinha de sapê

Nenhum comentário: