segunda-feira, 31 de julho de 2006

Deixa eu te amar

Agepê - 1984
Chamado de “sambão joia” pelo ensaísta paulista Gilberto Vasconcelos, desenvolveu-se a partir dos anos setenta uma contrafação do samba, artificial e popularesca, logo integrada ao universo da música brega. Entre os mais bem-sucedidos praticantes do rendoso gênero, destaca-se a figura do cantor/compositor Agepê (Antônio Gilson Porfírio), um técnico-projetista da Telerj, que deixou a telefonia pela vida artística.

Em 1984, com dez anos de carreira, Agepê ampliou a sua coleção de sucessos com a composição “Deixa Eu Te Amar” (“Deixa eu te amar / faz de conta que sou o primeiro...”), um atrevido samba erótico-romântico, recheado de metáforas como, “vou me embrenhar em densa mata, só porque / existe uma cascata que tem água cristalina / aí vou te amar com sede / na relva, na rede, onde você quiser...”

Tudo isso cantado por Agepê, em seu estilo empolgado, fez da gravação de “Deixa Eu Te Amar” recordista, com uma vendagem superior a um milhão de cópias. Capa da edição da revista Veja, de 29.1.86, que trazia a reportagem “O Samba Romântico Explode com Agepê”, o cantor morreria em 30.8.95, aos 52 anos de idade (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Deixa eu te amar (1984) - Agepê, Vamilo e Mauro Silva
Am
Quero ir na fonte do teu ser
     A7              Dm
E banhar-me na tua pureza
                               E7
Guardar em pote gotas de felicidade
         Bm7(b5)   E              Am
Matar saudade que ainda existe em mim
     E7                 Am
Afagar teus cabelos molhados
       A7                    Dm 
Pelo orvalho que a natureza rega
                Bm7(b5)
Com a sutileza que lhe fez a perfeição
               E7                  Am       A7(b13)   A7
Deixando a certeza de amor no coração
Dm
Deixa eu te amar
        E7                  Am
Faz de conta que sou o primeiro
      C               Bm7(b5)
Na beleza desse teu olhar
          E7              Am 
Eu quero estar o tempo inteiro
(p/ bis: A7(b5) ; A7 )  (p/ 2.ª parte: Bm7(b5) ; E7) 
 
Am
Quero saciar a minha sede 
     A7                        Dm 
No desejo da paixão que me alucina
                                  E7 
Vou me embrenhar nessa mata só porque
             Bm7(b5)       E7         Am
Existe uma cascata que tem água cristalina
     E7                  Am
Aí então vou te amar com sede
             A7                  Dm
Na relva, na rede, onde você quiser
E7               Am
Quero te pegar no colo 
            Bm7(b5)     E7      Em      A7   
Te deitar no solo e te fazer mulher
Dm                Am
Quero te pegar no colo 
            Bm7(b5)    E7       Am A7
Te deitar no solo e te fazer mulher
Dm
Deixa eu te amar
        E7                  Am
Faz de conta que sou o primeiro
      C               Bm7(b5)
Na beleza desse teu olhar
          E7              Am   
Eu quero estar o tempo inteiro


Postar um comentário