quarta-feira, 2 de agosto de 2006

Valsa de Eurídice

Valsa de Eurídice - Vinícius de Moraes

Tantas vezes já partiste
Que chego a desesperar
Chorei tanto, estou tão triste
Que já nem sei mais chorar

Oh, meu amado, não parta
Não parta de mim
Oh, uma partida que não tem fim

Não há nada que conforte
A falta dos olhos teus

Pensa que a saudade
Pode matar-me
Adeus
Postar um comentário