terça-feira, 6 de junho de 2006

Acabou chorare

Moraes Moreira
Tudo começou com “O Desembarque dos Bichos Depois do Dilúvio Universal”, espetáculo de estreia do grupo, em 1968. Um ano depois, os Novos Baianos desembarcariam, literalmente, em São Paulo para participar do V Festival de MPB da TV Record, defendendo a música “De Vera”, de Moraes e Galvão.

Em seguida, viriam o primeiro elepê (Ferro na boneca), a mudança para o Rio e o encontro com João Gilberto, que lhes “apresentou o samba de verdade de Assis Valente” e os “aconselhou a se voltarem para dentro de si mesmos”, segundo Luiz Galvão, letrista, biógrafo e mentor intelectual do grupo.

A influência do João foi decisiva para o sucesso, que chegaria com o elepê seguinte, Acabou chorare, lançado no final de 72 e que permaneceria entre os primeiros colocados no hit parade por mais de trinta semanas. Não é assim à toa que a canção “Acabou Chorare” tem muito a ver com João Gilberto, na forma, no estilo e até no próprio título: quando ainda criança, Bebel, filha de João e Miúcha, confundia frequentemente o português com o castelhano, em razão do período em que os três viveram no México. Um dia, ao levar um tombo e ver o João aproximar-se aflito para socorrê-la, a menina exclamou, engolindo o choro: “acabou chorare, papai.”

Então, conhecendo o episódio contado pelo cantor, Galvão resolveu incluir a expressão numa canção que fez com Moraes, inspirada em uma abelhinha solitária que certa manhã lhe invadira o quarto: “Acabou chorare / ficou tudo lindo / de manhã cedinho / tudo cá-cá-cá / na fé-fé-fé...” Destacam-se ainda no segundo elepê dos Novos Baianos o samba rasgado “Besta É Tu”, a pitoresca “Preta Pretinha” e o antigo sucesso “Brasil Pandeiro”, de Assis Valente, em boa hora resgatado do esquecimento.

Rejeitado por Carmen Miranda, “Brasil Pandeiro” fora lançado originalmente em 1941 pelo conjunto Anjos do Inferno, na época em grande evidência (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Acabou Chorare (1972) - Moraes Moreira e Galvão - Interpretação: Moraes Moreira - Participação: Novos Baianos

LP Acabou Chorare / Título da música: Acabou Chorare / Moraes Moreira (Compositor) / Galvão (Compositor) / Moraes Moreira (Intérprete) / Novos Baianos (Part.) / Gravadora: Som Livre / Ano: 1972 / Nº Álbum: SSIG 6004 / Lado A / Faixa 5 / Gênero musical: MPB.

Intro: ( A7+  E/G#  G6 D/F#)

(A7+ E/G# G6 D/F#)
Acabou chorare, ficou tudo lindo

De manhã cedinho, tudo cá cá cá, na fé fé fé

No bu bu li li, no bu bu li lindo
      2 vezes 
      E7
No bu bu bolindo,

  Bm7    E7/9     C#m7/5b    F#m7     Bm7
 talvez pelo buraquinho, invadiu-me a casa
    E7/9      A7M Bbº
 Me acordou na cama
  Bm7   E7/9    A7M      F#m7 Bm7 E7/9    (A7M Bbº)
 tomou o meu coração e sentou     na minha mão

 2 vezes

(A7+ E/G# G6 D/F#)
Abelha, abelhinha

Acabou chorare, faz zunzum pra eu ver, faz zunzum pra mim
                                 E7
Abelha, abelhinha escondido faz bonito, faz zunzum e mel

 Bm7  E7/9      C#m7/5b       F#m7   Bm7  E7/9   A7M Bbº
 Inda de lambuja tem um carneirinho, presente na boca
 Bm7  E7/9      A7M        F#m7  Bm7 E7/9 (A7M Bbº)
 Acordando toda gente, tão suave me´que suavemente

 2 Vezes

(A7+ E/G# G6 D/F#)
Acabou chorare no meio do mundo

Respirei eu fundo, foi-se tudo pra escanteio

Vi  o sapo na lagoa, entre nessa que é boa

Repete várias vezes              Fiz zunzum e pronto
Postar um comentário