segunda-feira, 24 de julho de 2006

Gota d'água

Bibi Ferreira - 1976.
Retomando uma ideia de Oduvaldo Viana Filho, Paulo Pontes e Chico Buarque transportaram a tragédia grega de Medeia (de Eurípedes) para um subúrbio do Rio, dando-lhe o nome de “Gota d’Água”. Medeia, que mata os filhos e se suicida ao ser desprezada pelo amante, é na tragédia carioca Joana, companheira de Jasão, um sambista que a abandona por uma mulher rica. Embutido na recriação do drama havia o propósito dos autores de criticar e questionar as implicações sócio-políticas da ditadura militar brasileira.

Toda escrita em versos, numa linguagem coloquial, “Gota d’Água” apresentava uma dúzia de composições das quais a mais importante era a canção homônima, em que a protagonista, interpretada por Bibi Ferreira, advertia o amante: “Deixa em paz meu coração / que ele é um pote / até aqui de mágoa / e qualquer desatenção / faça não / pode ser a gota d’água”.

Contemplada com o Prêmio Molière — que Chico recusou-se a receber, em razão de estarem os concorrentes com suas peças presas na censura — “Gota d’Água” esteve em cartaz em dois teatros cariocas, sendo uma das temporadas a preços populares. Já a canção “Gota d’Água” foi gravada por Bibi no disco da peça, com orquestração de Dori Caymmi, tendo no entanto maior sucesso a versão de Simone. Eurípedes, o mais moço dos três grandes trágicos atenienses, considerado o poeta do pessimismo, criou terríveis figuras femininas e exerceu forte influência nos trágicos latinos como Ênio e Sêneca (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Gota D'Água (1976) - Chico Buarque - Intérprete: Simone

LP Gotas D'Água / Título da música: Gota D'Água / Chico Buarque (Compositor) / Simone (Intérprete) / Milton Nascimento (Partic.) / Gravadora: Odeon / Ano: 1975 / Nº Álbum: SMOFB 3896 / Lado A / Faixa 1 / Gênero musical: Samba.


Intro: D7+/F# 

       Gm6           G#m5-/7    C#7/9-  F#m7+ 
Já lhe dei meu corpo, minha alegria 
       F#m7      B7/9-  Em7      B/Eb   
Já estanquei meu sangue quando fervia 
Em/D               A7/C#   D/C 
Olha a voz que me resta 
                  G7+/B 
Olha a veia que salta 
                 F#/Bb            A7/13 
Olha a gota que falta pro desfecho da festa 
     D7+ 
Por favor 
       F#7/13-        Bm7  D/C  B7/D# 
Deixe em paz meu coração 
                       Em7      Gm6/Bb 
Que ele é um pote até aqui de mágoa 
              B/A          E/G#  Gm6   
E qualquer desatenção, faça não 
   F#7/13-       Bm7/9    F#7/13-       Bm7/9 
Pode ser a gota d'água 
      F#7/13-       Bm7  D/C  B7/D# 
Deixe em paz meu coração 
                       Em7      Gm6/Bb 
Que ele é um pote até aqui de mágoa 
               B/A         E/G#  Gm6 
E qualquer desatenção, faça não 
   F#7/13-       Bm7/9 
Pode ser a gota d'água 
        Gm6          G#m5-/7   C#7/9-  F#m7+ 
Já lhe dei meu corpo, minha alegria 
       F#m7       B7/9-     Em7  B//Eb  
Já estanquei meu sangue quando fervia 
Em/D              A7/C#   D/C 
Olha a voz que me resta 
                   G7+/B 
Olha a veia que salta 
                  F#/Bb              A7/13 
Olha a gota que falta pro desfecho da festa 
      D7+ 
Por favor 
       F#7/13-        Bm7  D/C  B7/D# 
Deixe em paz meu coração 
                     Em7         Gm6/Bb 
Que ele é um pote até aqui de mágoa 
                     B/A    E/G#  Gm6 
E qualquer desatenção, faça não 
    F#7/13-       Bm7  B7/D# 
Pode ser a gota d'água 
  B7               Em7   C7+ C#m5-/7 
Pode ser a gota d'água 
    F#7/9-         Bm7/9 
Pode ser a gota d'água
Postar um comentário