terça-feira, 28 de novembro de 2006

Pelo avesso

Titãs
e--------------------------
B--------------------------
G--------------------------
D--------------------------
A----7-7-7-4-2-4-7-7-7-9-7-
E--------------------------

E
Vamos deixar que entrem
Que invadam o seu lar
Pedir que quebrem
Que acabem com seu bem-estar
Vamos pedir que quebrem
O que eu construi pra mim
Que joguem lixo
Que destruam o meu jardim
F#m
Eu quero o mesmo inferno
                                      A
A mesma cela de prisão - a falta de futuro
E
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
E
Vamos deixar que entrem
Que invadam o meu quintal
Que sujem a casa
E rasguem as roupas no varal
Vamos pedir que quebrem
Sua sala de jantar
Que quebrem os móveis
E queimem tudo o que restar
F#m
Eu quero o mesmo inferno
A
A mesma cela de prisão - a falta de futuro
E
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
F#m
Eu quero o mesmo inferno
A
A mesma cela de prisão - a falta de futuro
E
O mesmo desespero
F#m
Vamos deixar que entrem
Bm
Como uma interrogação
F#m
Até os inocentes
Bm
Aqui já não tem perdão
F#m
Vamos pedir que quebrem
Bm
Destruir qualquer certeza
F#m
Até o que é mesmo belo
A
Aqui já não tem beleza
E
Vamos deixar que entrem
E fiquem com o que você tem
Até o que é de todos
Já não é de ninguém
Pedir que quebrem
Mendigar pelas esquinas
Até o que é novo
Já esta em ruinas
Vamos deixar que entrem
Nada é como você pensa
Pedir que sentem
Aos que entraram sem licença
Pedir que quebrem
Que derrubem o meu muro
Atrás de tantas cercas
Quem é que pode estar seguro?
F#m
Eu quero o mesmo inferno
A
A mesma cela de prisão - a falta de futuro
E
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
F#m
Eu quero o mesmo inferno
A
A mesma cela de prisão - a falta de futuro
E
O mesmo desespero

A mesma humilhação
Postar um comentário