domingo, 7 de fevereiro de 2010

Casa e comida


Casa e Comida (samba-canção, 1972) - Rossini Pinto / Interpretação: Núbia Lafayette

LP Casa E Comida / Título da música: Casa e Comida / Rossini Pinto (Compositor) / Núbia Lafayette (Intérprete) / Gravadora: Entré/CBS / Ano: 1972 / Nº Álbum: 104231 / Lado A / Faixa 3 / Gênero musical: Samba-canção.


Tom: G
(intro) Am  Em  F#7  B7  Em  B7

     Em          B7                Em
 Desculpe, meu amor, o que eu lhe digo
                       D
 Mas meu bem, não é comigo
           C         B7  E7
 Que você deve lamentar
   Am                     Em
 Você nunca foi um bom marido
                       D
 Não cumprindo o prometido
        C                B7  E7
 Que jurou aos pés do altar

     Am                        Em
 É triste confessar, mas é preciso
                 D          C
 Você não teve juízo, em dizer
              B7  E7
 Que não me quis
     Am                        Em
 Perdoa, meu amor, não sou fingida
                    F#7
 Não é só casa e comida
      B7             Em
 Que faz a mulher feliz

  Am                           Em
 Noites, quantas noites eu passava
                 D
 Por você abandonada
       C          B7  E7
 A chorar na solidão
     Am                       Em
 E quando eu reclamava, você ria
                   D
 Me dizendo que ficava
          C           B7  E7
 No escritório, no serão

   Am                 Em
 Agora você tenha paciência
                     F#7
 Eu lhe peço por clemência
                       B7  E7
 Deixa em paz meu coração
    Am                    Em
 Repito o que todo mundo diz:
                    F#7
 Não é só casa e comida
      B7             Em
 Que faz a mulher feliz.
Letra:

Desculpe, meu amor, o que eu lhe digo
Mas meu bem, não é comigo, que você deve lamentar
Você nunca foi um bom marido
Não cumprindo o prometido que jurou aos pés do altar

É triste confessar, mas é preciso
Você não teve juízo em dizer que não me quis
Perdoa, meu amor, não sou fingida
Não é só casa e comida, que faz a mulher feliz

Noites, quantas noites, eu passava
Por você abandonada, a chorar na solidão
E quando eu reclamava, você ria
Me dizendo que ficava, no escritório, no serão.

Agora você tenha paciência,
Eu lhe peço, por clemência,
Deixe em paz meu coração.
Repito o que todo mundo diz:
Não é só casa e comida, que faz a mulher feliz.

Noites, quantas noites, eu passava
Por você abandonada, a chorar na solidão
E quando eu reclamava, você ria
Me dizendo que ficava, no escritório, no serão.

Agora você tenha paciência,
Eu lhe peço, por clemência,
Deixe em paz meu coração.
Repito o que todo mundo diz:
Não é só casa e comida, que faz a mulher feliz.
Postar um comentário