quarta-feira, 24 de maio de 2006

Amigo

Muitas canções de Roberto e Erasmo Carlos são produtos de esboços, sem maiores pretensões, deixados num gravador para eventual aproveitamento. Com o tempo, nem eles mesmos chegam a se lembrar com precisão do que fizeram. O método de compor adotado pelos dois obedece a uma sistemática que começa com o que chamam de “um cineminha”, norma que consiste na criação de um enredo ou de uma situação, em geral sugeridos por Erasmo.

Em “Cavalgada”, por exemplo, o ponto de partida foi o Sol, que esperou o final de uma noite de amor do casal protagonista da canção para só então nascer. Delineada a imagem inicial, a dupla passa à fase de “laboratório da música” (a expressão é de Erasmo), nos velhos tempos ao violão, depois no piano especial de Roberto, que faz o transporte para qualquer tonalidade a partir da escala de dó maior. Mas há exceções.

Uma ocasião, Roberto chegou à casa de Erasmo, quando ele ainda morava em Ipanema, convidando-o a ouvir uma das músicas que acabara de gravar nos Estados Unidos. Todos, inclusive as esposas Nice e Narinha, já sabiam do que se tratava, todos, menos Erasmo... Então, Roberto colocou a fita no gravador e disse: “ouça isto.” Era a canção “Amigo”, uma confissão dos sentimentos que dedicava ao parceiro de tantos anos.

Tomado de surpresa, Erasmo caiu em prantos quando ouviu: “Você, meu amigo de fé / meu irmão camarada / amigo de tantos caminhos / de tantas jornadas / cabeça de homem / mas um coração de menino / aquele que está ao meu lado / em qualquer caminhada...” Este verdadeiro hino à amizade acabou por ultrapassar a homenagem a Erasmo, aplicando-se a amigos do mundo inteiro.

Foi o que aconteceu no México, quando as crianças receberam o Papa João Paulo II cantando “Amigo”, e no Maracanã, por ocasião do jogo de despedida do craque Roberto Dinamite, em que a música foi tocada. Naturalmente, além da homenagem, Erasmo Carlos ganhou também a parceria na canção (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Amigo (1977) - Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Intro.: Bm Em A Bm F#

  Bm                               Em
Você meu amigo de fé meu irmão camarada
 A                                    D7+
Amigo de tantos caminhos de tantas jornadas
  G7+                              Em
Cabeça de homem mas o coração de menino,
 F#                                          Bm
Aquele que está do meu lado  em qualquer caminhada

   Bm                                    Em
Me lembro de todas as lutas meu bom companheiro,
  A                                         D7+
Você tantas vezes provou que é um grande guerreiro
  G7+                                Em
O seu coração  é uma casa de portas abertas,
 F#                                    Bm
Amigo, você é o mais certo das horas incertas

   Bm                                   Em
As vezes em certos momentos difíceis da vida,
   A                                         D7+
Em que precisamos de alguém para ajudar na saída
  G7+                               Em
A sua palavra de força de fé e de carinho,
   F#7                                   Bm
Me dá a certeza de que eu nunca estive sozinho

  Bm                               Em
Você meu amigo de fé meu irmão camarada

  A                                  D7+
Sorriso e abraço festivo da minha chegada
  G7+                                   Em
Você que me diz as verdades com frases abertas,
 F#                                   Bm
Amigo você é o mais certo das horas incertas

       Bm                   Em
Não preciso nem dizer, tudo isso que eu lhe digo
      A                      Bm
Mas é muito bom saber, que você é meu amigo
       Bm                   Em
Não preciso nem dizer, tudo isso que eu lhe digo
      A                       Bm
Mas é muito bom saber, que eu tenho um grande amigo

Bm Em A F# D7+
G7+ F#7

Nenhum comentário: