quinta-feira, 25 de maio de 2006

Eu sou terrível



Eu sou terrível (jovem guarda, 1967) - Roberto Carlos
Introdução: A

         A7
Eu sou terrível
E é bom parar
De desse jeito me provocar
         D7
Você não sabe
De onde venho
O que eu sou
                 E7
Nem o que tenho
(A7)
Minha caranga é máquina
Máquina quente
Minha caranga é máquina
Máquina
         A7
Eu sou terrível
Vou lhe dizer
Que ponho mesmo
Pra derreter
   E7                    D7    
Estou com a razão no que digo
    E7                  D7 
Não tenho medo nem do perigo
   E7                    D7 
Minha caranga é máquina quente
         A7 
Eu sou terrível
E é bom parar
Porque agora vou decolar
         D7 
Não é preciso nem avião
Eu vôo mesmo aqui no chão
         A7
Eu sou terrível
Vou lhe contar
Não vai ser mole me acompanhar
  E7                    D7
Garota que andar do meu lado
 E7                           D7
Vai ver que eu ando mesmo apressado
   E7                    D7     
Minha caranga é máquina quente
(A7)
Quente
     D7 A7 E7 D7 A7
Uau...
 (A7)
Minha caranga é máquina
Máquina quente...
Eu sou terrível...
 
 
Postar um comentário