quinta-feira, 3 de agosto de 2006

Sei lá, a vida tem sempre razão

Toquinho e Vinícius de Moraes
Tom: C9/6


C9/6               Am7              D9/7
Tem dias que eu fico pensando na vida
Dm7/4     G7     C9/6
E sinceramente não vejo saída
Am7        D9/7        G7+
Como é por exemplo que dá pra entender
Em7       Am7       D9/7      Dm7/4
A gente mal nasce e começa a morrer
G7         C9/6     Am7         D9/7
Depois da chegada vem sempre a partida
Dm7/4    G7    Gm7   C9/7
Porque não há nada sem separação
F#m7/b5   Fm6
Sei lá,
Em7   A7
Sei lá
D9/7         G13/7   Gm7   C9/7
Só sei que é preciso paixão
F#m7/b5   Fm6
Sei lá,
Em7   A7
Sei lá
D9/7     G13/7    C9/6
A vida tem sempre razão.
Am7                D9/7
A gente nem sabe que males se apronta
Dm7/4     G7         C9/6
Fazendo de conta, fingindo esquecer
Am7   D9/7          G7+
Que nada renasce antes que se acabe
Em7        Am7           D9/7  Dm7/4
E o sol que desponta tem que adormecer
G7      C9/6   Am7       D9/7
De nada adianta ficar-se de fora
Dm7/4      G7       Gm7    C9/7
A hora do sim é o descuido do não
F#m7/b5   Fm6
Sei lá,
Em7   A7
Sei lá
D9/7         G13/7   Gm7   C9/7
Só sei que é preciso paixão
F#m7/b5   Fm6
Sei lá,
Em7   A7
Sei lá
D9/7     G13/7    C9/6
A vida tem sempre razão.
Postar um comentário