sexta-feira, 14 de julho de 2006

La bamba

Ritchie Valens
La bamba, de sucesso mundial, é a releitura de uma canção folclórica mexicana de mesmo nome originária do Estado de Vera Cruz, adaptada e interpretada, em 1958, por Ritchie Valens. As origens desta e de outras canções jarochas remontam ao século XVIII, quando a música vinda da Espanha (Andaluzia) e das Ilhas Canárias, adquiriram um caráter peculiar ao se misturarem com as influências africanas e indígenas originais do Caribe nesta época.

De acordo com a suposta tradição, essa letra mudou muito, o que dependia do cantor. Por exemplo, Ritchie Valens mudou o verso y otra cosita "por pa' mí, pa' ti" (para mim, para ti). A banda de Punk Rock Rancid também fez uma versão de La Bamba, e ficou com um ritmo diferente das outras versões.

A música fez grande sucesso, iniciando no México e expandindo-se para o resto do mundo. Alguns críticos questionavam a informação passada pela letra da música.

José Feliciano fez uma versão com um ritmo diferente e as palavras finais da canção tradicional. Uma cantora popular, também fez sua própria versão de La Bamba, que tinham letras: "Para subir al cielo, para subir al cielo / se necesita una escalera larga".

De tantas versões da canção, inclusive a gravada por Ritchie Valens, num estilo moderno com guitarras elétricas, aqui a tradicional, do folclore, o "son jaracho" da cidade portuária de Vera Cruz, um hino para o povo local. É uma dança sapateada, marcada, com violões e harpas.



Interpretação de Ritchie Valens, sucesso mundial:

La Bamba - Tradicional / Folclore mexicano - Canções Latinas - Interpretação: Ritchie Valens.


Tom: C
               C    F  G     F            C  
Para bailar la bamba,      Para bailar la bamba, 
   F   G      F        C     F  G    
se necesita un poca de gracia,
         F         C      F             
     una poca de gracia para mi para 
G   F          C  F  G F        C         F     G F 
tiy ariba y ariba,     ay ariba ariba por ti se re  
          C       F     G F
por ti se re, por ti se re 
          C       F  G     F         C   
yo no soy marinero,    yo no soy marinero 
    F   G   F        C        F   G F
soy capitan, soy capitan, soy capitan 
C  F   G    F
bamba, bamba 
C  F   G    F
bamba, bamba 
C  F   G    F
bamba, bamba 
C F G F
bamba 
               C     F  G   F             C 
Para bailar la bamba,      Para bailar la bamba, 
   F   G       F       C     F  G     F       C      F                
se necesita un poca de gracia,    una poca de gracia para mi para 
G      F      C    F  G  F
tiy ariba y ariba  


Fontes: Llanuras del Sotavento; Wikipédia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário