quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Tuzé de Abreu

Alberto José Simões de Abreu, nasceu em Salvador, Bahia, no dia 21 de fevereiro de 1948. Graduado em música (flauta) pela Universidade Federal da Bahia, e em medicina pela Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública, é músico desde os 14 anos.

Tuzé de Abreu faz parte da história da música baiana desde os anos 60 atuando como saxofonista, flautista, compositor, cantor e diretor musical. Como instrumentista trabalhou com os Doces Bárbaros (1976), tendo antes e depois trabalhado com cada um deles individualmente, mais tempo com Caetano Veloso. Único músico a gravar dois discos de Walter Smetak, tocando com ele em várias apresentações.

Foi o primeiro saxofonista solo em trio elétrico. Tocou durante oito anos em orquestra de baile, tendo tocado vários carnavais em clubes. Realizou excursão internacional com o grupo de choro “Os ingênuos”. Participou do evento “Bahia de Todos os Sambas”, em Roma (1983), tendo atuado como músico em vários grupos, e como diretor musical do saudoso Batatinha.

Foi músico e diretor musical do Balé Brasileiro da Bahia, excursionando duas vezes pela Europa. Realizou turnês de promoção turística com grupos variados, principalmente o “Quarto Crescente”, viajando mais de 20 vezes entre Europa, África e Américas. Tocou e atuou, como diretor, no grupo musical que se apresentou na Ópera de Estocolmo quando dos 50 anos da Rainha Sílvia.

Tocou e gravou com muitos artistas como: Isaac Karabichewsky, Carlinhos Brown, Rosinha de Valença, João Donato, Moraes Moreira, Luís Melodia, Cauby Peixoto, Chico Buarque, Armandinho, Paulo Moura, Nara Leão, Elomar Figueira, Os Doces Bárbaros, Gereba, entre outros.

Como compositor, tem canções gravadas por Elza Soares, Caetano Veloso, Gal Costa, Amelinha, Fagner, Rogério Duarte (como violonista e parceiro), Jussara Silveira, Greice Carvalho, Gereba e outros.

Compôs a trilha do filme “A Lenda de Ubirajara” de André Luís Oliveira, primeiro prêmio de trilha do extinto festival de Lages, Santa Catarina. Sua canção “Meteorango Kid” inspirou André Luís Oliveira, que fez o filme homônimo, famoso na contra-cultura baiana.

Compôs a trilha de “Tenda dos Milagres' de Nelson Pereira dos Santos, no qual faz uma ponta como ator. Faz também ponta como ator e participa na trilha de “O Cinema Falado” de Caetano Veloso, cantando uma das faixas do disco de Walter Smetak.

Em setembro de 2001 lançou o CD Tuzé de Abreu, patrocinado pela Copene e Faz Cultura, para distribuição restrita, agora licenciado pelo selo Maiaga para lançamento nacional.

Marcos Uzel
Correio da Bahia / Capa Folha da Bahia 13.09.01
Postar um comentário