quinta-feira, 11 de maio de 2006

Conceição

Cauby Peixoto - 1958
A personagem "Conceição" era uma jovem que "Vivia no morro a sonhar com coisas que o morro não tem". Então, "Lá em cima apareceu alguém que lhe disse a sorrir, que descendo à cidade ela iria subir". Resultado. Conceição desceu o morro, mudou de nome, trilhou caminhos estranhos e agora "Daria um milhão para ser outra vez Conceição".

Desenvolvendo de forma pitoresca ("Se subiu / ninguém sabe, ninguém viu") um tema que já havia inspirado outras canções, o letrista Jair Amorim e o melodista Dunga (Valdemar de Abreu) criariam um retumbante sucesso, o maior de 1956. Uma parte desse sucesso deve ser creditada ao cantor Cauby Peixoto, então no auge da fama, que tornou "Conceição" a peça mais característica de seu estilo.

Conceição (samba-canção, 1956) - Jair Amorim e Dunga - Interpretação: Cauby Peixoto

Disco 78 rpm / Título da música: Conceição / Dunga (Compositor) / Amorim, Jair (Compositor) / Peixoto, Cauby (Intérprete) / Imprenta [S.l.]: Columbia, Indefinida / Nº Álbum 10285 / Gênero musical: Samba canção.


Tom: C
C Am   Dm
Conceição
        G7
Eu me lembro muito bem
Am                 Dm
Vivia no morro a sonhar
      G7                    C7+ Am
Com coisas que o morro não tem
      Dm
Foi então
           G7       C   E7
Que lá em cima apareceu
  Am                     Em
Alguém que lhe disse a sorrir
                   B7             G7
Que, descendo à cidade, ela iria subir
     Dm
Se subiu
         G7            C
Ninguém sabe, ninguém viu
      Am               Dm
Pois hoje o seu nome mudou
      G7              A7
E estranhos caminhos pisou
       Dm
Só eu sei
       Fm                C    E7
Que tentando a subida, desceu
   Am             Dm
E agora daria um milhão
      G7        
Para ser outra vez
     C    G# C
Conceição

A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34
Postar um comentário