quinta-feira, 11 de maio de 2006

Tiradentes

Mano Décio da Viola
"Tiradentes" foi o primeiro samba-enredo a ultrapassar os limites das escolas de samba e alcançar a consagração popular. Já houvera outros anteriormente, mais ou menos conhecidos, porém nenhum deles possuía, como "Tiradentes", características de samba-enredo só fixadas nos anos cinqüenta.

Cantado pela Império Serrano no carnaval de 1949, "Tiradentes" esperou seis anos para chegar ao disco e só o conseguiu quando o cantor Roberto Silva, conhecendo-o através de Mano Décio da Viola, resolveu gravá-lo.

E é Mano Décio que, em depoimento a Sérgio Cabral (para a coleção "História das Escolas de Samba"), conta como fez o samba: "Logo no meu primeiro ano (na Império Serrano), eu e o Silas de Oliveira fizemos um samba para o enredo "Tiradentes", que não foi aceito. Fizemos três sambas e nenhum foi aceito. Aí, num domingo, sonhei que estava cantando uma música...".

Esta música viria a ser a primeira parte de "Tiradentes", à qual, no dia seguinte, Mano Décio acrescentou uma segunda com a ajuda do compadre Penteado. "Ele tinha um samba com a primeira parte fraca" - conclui o compositor - "mas uma segunda muito boa que aproveitamos". "Tiradentes" tem seu ponto alto na primeira parte, em que ressalta por duas vezes a presença do acorde de subdominante menor, dando à composição um certo tom de dramaticidade.

Tiradentes (samba-enredo, 1955) - Mano Décio da Viola, Estanislau Silva e Penteado - Interpretação: Roberto Silva

Disco 78 rpm / Título da música: Tiradentes / Décio Carlos (Compositor) / Silva, Estanislau (Compositor) / Penteado (Compositor) / Silva, Roberto (Intérprete) / Coro (Acompanhante) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Copacabana, Indefinida / Nº Álbum 5355 / Gênero musical: Samba.


Tom: D  

D            Gm7  C7/9   Em7           A7  D    G7+   D
   Joaquim José               da Silva Xavier
         B7      Em7
Morreu a vinte e um de abril
E7                 Em7        A7
Pela independência do Brasil
       D   D7+          Bb7/13      Bb7   Em7
Foi traído     e não traiu jamais
         A7        D             G7
A Inconfidência de Minas Gerais
       D   D7+          Bb7/13      Bb7   Em7
Foi traído     e não traiu jamais
         A7        D
A Inconfidência de Minas Gerais
Em7       B7/9- Em7       A7
Joaquim José da Silva Xavier
      D       G7  D      A7/13
Era o nome de Tiradentes
D   Bm7       Em7  A7 Em7  A6/9       F#m7   Em7
Foi    sacrifica...do pela nossa liberda.....de
D7+  F#m7     Em7
Este grande herói
    G7           Em7 A7 D7+
Pra sempre há de ser lembrado


A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34
Postar um comentário